Centro Pai João de Angola

Xangô é o Orixá da justiça, da retidão, do equilíbrio e determinação.

Filho de Iemanjá. Seu habitat é o alto das pedreiras.

É o Orixá que guarda o Livro Sagrado que contém as leis e ensinamentos que lhe dão o poder de decidir incontestavelmente sobre o bem e o mal.

É o Orixá que controla todas as forças naturais por intermédio dos astros

 É o Orixá do raio, do trovão, do fogo que sai da terra – o vulcão e as descargas elétricas. O raio é uma das suas armas, que ele envia como castigo.

Uma casa atingida por um raio é sinal de descontentamento de Xangô com algum de seus moradores, que deve fazer oferendas ao Orixá a fim de acalma-lo. Xangô abomina os mentirosos, os ladrões e os bandidos.

Recorrem a ajuda de Xangô os injustiçados e os aflitos, tanto fisicamente como espiritualmente.

Xangô é considerado o patrono da dinastia humana, pai gerador que fecunda todas as manifestações do principio feminino.

A força de Xangô está associada principalmente a firmeza da rocha: duro e estável.

O fogo simboliza a força dos instintos de conservação e poder tanto quanto do instinto sexual. A cor marrom associada a Xangô ativa o chacra sexual e elemento terra, no sentido de “manter os pés no chão”.

Um dos símbolos do Orixá Xangô é o machado de duas lâminas (ooxé), representando o equilíbrio e a imparcialidade no veredicto de um processo onde tudo é pesado.

Ao “incorporar” em seus Filhos, Xangô cruza os braços sobre o peito em sinal de ordem, fazendo valer seus conceitos de autoridade e justiça.

Os filhos de Xangô teriam como ponto fraco a sensualidade devastadora e o prazer. Possuem uma forte dose de energia e auto estima , uma consciência que são importantes, que são dignos de respeito e que sua opinião sobre qualquer tema será decisiva.

Não confundir essas manifestações com megalomania (mania de grandeza) ainda mais porque a energia magnética dessas pessoas costumam conseguir, de seus interlocutores, pelo menos parte dessa autoridade a que se reservam.

Importante: só deve-se pedir justiça a Xangô, quando temos a certeza de ser merecedor da mesma, pois Ele sempre dará a justiça a quem for de direito. Seu dia festivo é setembro (Xangô Agodô).

Seu dia da semana é a quarta-feira.

Para agradar Xangô leva-se a uma pedreira: quiabos, feijão fradinho, flores amarelas, palmas vermelhas, caqui, fruta-do-conde, melancia e cerveja preta amarga.


Características Físicas dos Filhos de Xangô: Os filhos deste Orixá costumam ser robustos, fortes, e não muito altos, os ombros bem largos e braços fortes e grossos, a maioria acima do peso e com têndencia a obesidade, são pessoas bem pesadas, com uma estrutura óssea bem definida e desenvolvida, com ossos fortes e grandes. Características Mentais dos Filhos de Xangô( Personalidade): O arquétipo de Xango é aquele das pessoas voluntariosas e enérgicas, altivas e concientes de sua importância real ou suposta. Das pessoas que podem ser grandes senhores, corteses, mas que não toleram a menor contradição, e, nesses casos, deixam-se possuir por crises de cólera, violentas e incontroláveis. Das pessoas sensíveis ao charme do sexo oposto e que se conduzem com tato e encanto no decurso das reuniões sociais, mas que podem perder o controle e ultrapassar os limites da decência. Enfim, o arquétipo de Xango é aquele das pessoas que possuem um elevado sentido da sua própria dignidade e das suas obrigações, o que as leva a se comportarem com um misto de severidade e benevolência, segundo o humor do momento, mas sabendo guardar, geralmente, um profundo e constante sentimento de justiça. Como dizem as entidades "trazem o machado na mão' isto é, estão sempre julgando as pessoas e os momentos, e em seguida já executam sua lei, são pessoas teimosas, impulsivas e não aceitam opniões contrárias a seu entendimento, mas são também carismáticas e alegres. Características Espirituais dos Filhos de Xangô: Os filhos de Xangô são muito importante para um templo de Umbanda, como todos os filhos dos outros Orixás. As entidades que trabalham com esses filhos tem um importante trabalho na gira, que é a segurança do rito, são chamados de médium de tronqueira, são médiuns que participam da gira fazendo a guarda do rito repelindo qualquer manifestação do baixo astral que possa atrabalhar os trabalhos. Os filhos de Xangô tem mais facilidade de trabalhar com energias mais densas pela sua afinidade com estas linhas, as entidades que se apresentam com mais frequência são os Baianos, Exus, Pretos-Velhos e Caboclos da linha de Xangô, normalmente esses caboclos não dançam, ficam postados com aparência de soldados no terreiro como se fossem gandes sentinelas. Assim os filhos de Xangô tem a mesma características, são filhos díficeis de pegar "carrego" ou demandas pois são acostumados a lidar com energias densas.

É muito fácil reconhecer um filho de Xangô apenas por sua estrutura física, pois seu corpo é sempre muito forte, com uma quantidade razoável de gordura, apontando a sua tendência à obesidade; mas a sua boa constituição óssea suporta o seu físico avantajado. Com forte dose de energia e autoestima, os filhos de Xangô têm consciência de que são importantes e respeitáveis, portanto quando emitem sua opinião é para encerrar definitivamente o assunto. Sua postura é sempre nobre, com a dignidade de um rei. Sempre andam acompanhados de grandes comitivas; embora nunca esteja só, a solidão é um de seus estigmas. Conscientemente são incapazes de serem injustos com alguém, mas certo egoísmo faz parte de seu arquétipo. São extremamente austeros (para não dizer sovinas), portanto não é por acaso que Xangô dança alujá com a mão fechada. Gostam do poder e do saber, que são os grandes objetos de sua vaidade. São amantes vigorosos, uma pessoa só não satisfaz um filho de Xangô. Pobre das mulheres cujos maridos são de Xangô. Um filho de Xangô está sempre cercado de muitas mulheres, sejam suas amantes, sejam suas auxiliares, no caso de governantes, empresários e até babalorixás, mas a tendência é que aqueles que decidem ao seu lado sejam sempre homens. Os filhos de Xangô são obstinados, agem com estratégia e conseguem o que querem. Tudo que fazem marca de alguma forma sua presença; fazem questão de viver ao lado de muita gente e têm pavor de ser esquecido, pois, sempre presentes na memória de todos, sabem que continuarão vivos após a sua ‘retirada estratégica’. O Filho de Xangô é, por excelência, calmo e muito ponderado. Costuma pesar os fatos com muito cuidado, procurando sempre pôr panos quentes em qualquer disputa. Só toma decisões depois de pesar e analisar todos os ângulos dos problemas apresentados, procurando ser o mais justo possível. Dedica-se de corpo e alma a tudo o que se propõe a fazer, mas desilude-se com muita facilidade também. É sonhador por excelência, acha sempre que tudo dará certo, deixando-se levar, com muita frequências, pela ilusão e pelo sonho. Sempre procura apresentar seus propósitos e planos de maneira mais bonita, mais enfeitada, o mais claro possível, sem observar o que há de viável neles. Nunca procura ver se há realismo no que se propõe a fazer. Os Filhos de Xangô são capazes, geralmente, de grandes sacrifícios, mas aborrecem-se profundamente se algo que programaram não dá certo. Não admitem mudanças de programação, não só quando dependem deles a realização do plano programado. Costumam ficar roendo muito o que lhes acontece, ou o que não se realizou com queriam. Separam, com muita freqüência, a realidade de si, levando seus pensamentos para altas esferas. Por serem muito honestos, magoam-se com muita facilidade pela ingratidão das pessoas, achando que todo o mundo tem obrigação de ser honesto e preciso em suas decisões. A Filha de Xangô, geralmente, é muito crédula, acredita em tudo o que lhe dizem. Magoa-se profundamente por coisas que não tenha feito ou que tenham dito que ela fez. Guarda mágoas profundas, mas não consegue guardar raiva. Em relação ao lar, não gostam de sair de casa, preferem o aconchego do lar e são excelentes mães de família, mantendo o lar em perfeita harmonia, não permitindo desavenças entre os familiares, dando possibilidades a todos de se defenderem, sempre que for necessário.


Xangô, quando viveu aqui na Terra, era um grande Obá (rei), muito temido e respeitado. Gostava de exibir sua bela figura, pois era um homem muito vaidoso. Conquistou, ao longo de sua vida, muitas esposas, que disputavam um lugar em seu coração. Além disso, adorava mostrar seus poderes de feiticeiro, sempre experimentando sua força. Em certa ocasião, Xangô estava no alto de uma montanha, testando seus poderes. Em altos brados, evocava os raios, desafiando essas forças poderosas. Sua voz era o próprio trovão, provocando um barulho ensurdecedor. Ninguém conseguia entender o que Xangô pretendia com essa atitude, ficando ali por muito tempo, impaciente por não obter resposta. De repente, o céu se iluminou e os raios começaram a aparecer. As pessoas ficaram impressionadas com a beleza daquele fenômeno, mas, ao mesmo tempo, estavam apavoradas, pois nunca tinham visto nada parecido. Xangô, orgulhoso de seu extremo poder, ficou extasiado com o acontecimento. Não parava de proferir palavras de ordem, querendo que o espetáculo continuasse. Era realmente algo impressionante! Foi, então, que, do alto de sua vaidade, viu a situação fugir ao seu controle. Tentou voltar atrás, implorando aos céus que os raios, que cortavam a Terra como poderosas lanças, desaparecessem. Mas era impossível - a natureza havia sido desafiada, desencadeando forças incontroláveis! Xangô correu para sua aldeia, assustado com a destruição que provocara. Quando chegou perto do palácio, viu o erro que cometera. A destruição era total e, para piorar a situação, todos os seus descendentes haviam morrido. Ao ver que o rei estava muito perturbado, seu próprio povo tentou consolá-lo com a promessa de reconstruir a cidade, fazendo tudo voltar ao que era antes. Xangô, sem dar ouvidos a ninguém, foi embora da cidade. Ele não suportou tanta dor e injustiça, retirando-se para um lugar afastado, para acabar com sua vida. O rei enforcou-se numa gameleira. Oyá, quando soube da morte de seu marido, chorou copiosamente, formando o rio Niger. Ela, que tinha conhecimento do reino dos eguns, foi até lá para trazer seu companheiro da morte, que veio envolto em panos brancos e com o rosto coberto por uma máscara de madeira, pois não podia ser reconhecido por Ikú, o Senhor da Morte. Xangô ressurge dos mortos, tornando-se um ser encantado. E foi assim que surgiu uma nova forma, ou qualidade, desse orixá, a qual chamamos Airá. Essa variação da essência de Xangô adotou, além do vermelho, a cor branca. Outra lenda nos dá conta que Xangô, com sua irresistível aparência, atraía muitas mulheres. Era muito vistoso, com seus cabelos trançados e os enfeites de cobre em seu corpo. Possuía muitas esposas, como Obá e Oxun. Oxun era a mais bela esposa de Xangô, muito mais vaidosa do que ele, dispensando grande parte de seu tempo para enfeitar-se e, assim, poder agradar seu amado. Xangô apreciava muito sua companhia e o esforço que fazia para fazê-lo feliz. Obá não tinha o mesmo tratamento, por isso, sentia-se rejeitada. Ela era muito possessiva em seus relacionamentos e não suportava mais essa situação. Oxun havia percebido que Obá a invejava e queria roubar-lhe o companheiro. Muito faceira e com ares de superioridade, começou a contar vantagens para a rival, que fingia não se importar. Dizia que Xangô adorava um certo quitute preparado com um ingrediente muito especial: um pedaço de orelha. Obá acreditou nela, pois, naquele momento, Oxun estava com um torço amarrado na cabeça. Embora parecesse estranho, devia ser tudo verdade, pois Xangô estava enfeitiçado por Oxun. Juntando muita coragem e determinação, Obá cortou fora sua orelha para preparar o tal prato. Xangô chegou bem na hora e viu o sangue que escorria da cabeça de Obá. Preocupado, quis saber o que havia acontecido com ela. Quando soube do acontecido, ficou enfurecido com Obá, por pensar em oferecer-lhe uma comida tão esquisita! Percebendo a mentira de Oxun, saiu furiosa à sua procura para ajustarem contas. Xangô separou as duas rivais, que se transformaram em rios. Obá foi embora desse reinado e nunca mais voltou.



Os sincretismos de Xangô na Umbanda. No sincretismo associou-se o Xangô das Pedreiras a São Jerônimo, aquele que amansa o leão e que tem o poder da escrita e o livro onde escreve na pedra suas leis e seus julgamentos. Protetor dos intelectuais, dos magistrados. Já na cachoeira o sincretismo foi com São João Batista, por causa do batismo de Jesus, de lavar a cabeça na água doce para se purificar. Com o poder do fogo de Xangô é queimado, destruído tudo o que é de ruim e ocorre a transmutação trazendo tudo o que é de bom, todo o bem possível, de acordo com o nosso merecimento. Isso é o que pedimos nas fogueiras do mês de junho. Alguns dizem que São Judas Tadeu, por ter um livro na mão também pode sincretizar-se com Xangô ou que tem uma linha espiritual que atua nas correntes de Xangô. Assim, Tudo o que é ligado a trabalhos e pedidos de estudos, à cabeça, papéis, entregamos a linha de Xangô. Xangô é o grande Rei, poderoso, autoritário, porém que tem compaixão e é justo. Xangô tem autoridade é valente, mas tem um grande e bom coração. O seu machado é o símbolo da imparcialidade. É uma divindade da vida, representado pelo fogo ardente e por essa razão não tem afinidade com a morte e nem com os outros orixás que se ligam à morte. Xangô, sincretizado com São João Batista, é também o patrono da linha do oriente, na qual se manifestam espíritos mestres em ciência ocultas, astrologia, quiromância, numerologia, cartomancia. Por este motivo, a linha dos ciganos vêm trabalhar nesta irradiação. Salve São João, Kaô Cabecilê Xangô!!!


Guias da Umbanda. Nos templos de Umbanda, manifestam-se espíritos classificados como "Guias de Umbanda", são conhecidos como: Caboclos, Pretos Velhos e Crianças. São elas as principais entidades espirituais que trabalham e dirigem os trabalhos em um Templo de Umbanda, diretamente ligados ao nosso plano físico ou material. São nossos "grandes" amigos e conselheiros, sempre dedicados e prontos a nos prestar socorro espiritual e muitas vezes material, nas horas mais difíceis de nossas vidas. Os guias da Umbanda possuem missão potencialmente catequizadora junto aos seguidores do culto, razão pela qual se tornaram missionários em meio às multidões que comparecem aos templos da Umbanda. As entidades classificadas como guias da Umbanda destacam-se transmitindo as seguintes verdades: Os Pretos Velhos tem resposta para qualquer assunto relacionado a espiritualidade e nos transmitem a seriedade das religiões, a sabedoria para bem viver ao lado de outras pessoas, já que nos ensinam que viver não é difícil, o difícil é conviver ao lado de outras pessoas, nos ensinando a resignação e a paciência e principalmente o respeito pelas "Coisas Santas" e a submissão a Deus nosso grande Pai. Os Caboclos por sua vez, foram colocados pelo seguidor umbandista na posição de nosso pai biológico, representando aquele homem forte, sempre ao nosso lado, nos protegendo das armadilhas da vida. Dos Caboclos emana uma autoridade sem igual, são altivos, muito sérios em suas mensagens e ensinamentos o que os fez serem potencialmente respeitados dentro de nossos cultos. As Crianças ou Linha de Ibejí transmitem ao seguidor umbandista a alegria em servir, a submissão a Deus e a ajudar ao próximo. De sua linha de trabalhadores provem os médicos da Umbanda e desenvolvem muitas vezes trabalhos de cura inexplicáveis. Além dos "Guias" da Umbanda, comparecem aos trabalhos outros espíritos na condição de protetores da Umbanda. São esses protetores que auxiliam os Guias nos trabalhos que desenvolvem dentro dos Templos de Umbanda. Os protetores são espíritos em evolução e muito se assemelham a nós do plano material, ou seja, estamos praticamente no mesmo degrau de evolução espiritual. Esses espíritos protetores são conhecidos como Baianos, Marinheiros, Boiadeiros e Exus verdadeiros. Ajudam aos seguidores da Umbanda em praticamente tudo o que fazem. Nos dando conselhos, desmanchando trabalhos pesados, descarregando terreiros e seus médiuns e nos dão grande proteção em qualquer assunto. Esses espíritos protetores trabalham nas linhas da Umbanda dentro de uma determinada vibração, com o objetivo principal da prática da caridade e do amor ao próximo.

PRECES

.Oh! Senhor dos Trovões. Pai da Justiça e da retidão. Orixá que abençoa os injustiçados e castiga os mentirosos e caluniadores. Defenda, meu Senhor, minha casa, minha família dos inimigos ocultos, dos ladrões e dos mentirosos. Oh! Xangô rogo-te as vibrações de amor e misericórdia, Pai da dinastia humana, livra-me de todo escândalo. Kaô Cabecilê!

.Senhor de Oyó. Pai justiceiro e dos incautos. Protetor da fé e da harmonia. Kaô Cabecilê do Trovão. Kaô Cabecilê da Justiça. Kaô Cabecilê, meu Pai Xangô. Morador no alto da pedreira. Dono de nossos destinos. Livrai-nos de todos os males. De todos os inimigos visíveis e invisíveis. Hoje e sempre, Kaô meu Pai!

ORAÇÕES

.Poderoso Orixá de Umbanda,
Pai, companheiro e guia.
Senhor do equilíbrio e da justiça.
Auxiliar da Lei do Carma,
Só tu, tens o direito de acompanhar pela eternidade,
Todas as causas, todas as defesas, acusações e eleições,
Promanadas das ações desordenadas, ou dos atos impuros e benfazejos que praticamos.
Senhor de todos os maciços e cordilheiras,
Símbolo e sede da tua atuação planetária no físico e astral.
Soberano Senhor do Equilíbrio, da equidade,
Velai pela inteireza do nosso caráter.
Ajude-nos com sua prudência.
Defenda-nos das nossas perversões,
Ingratidões, antipatias, falsidades,
Incontenção da palavra e julgamento indevido dos atos
Dos nossos irmãos em humanidade.
Só Tu és o grande Julgador.
Kaô Cabecilê Xangô!

AJUDA CONTRA A ANSIEDADE

A ansiedade pode estar relacionada ao hábito de pensamentos sempre voltados para o futuro e, como não temos meios de saber ainda o que nos reserva o futuro, isso pode dar medo. Já a tristeza e a falta de vontade de agir pode estar relacionada ao hábito de pensamentos voltados para o passado e como não podemos mudar os eventos de passado, podemos ter medo de que esse passado se repita. Portanto, é possível que o sentimento que esteja tirando suas forças e sua energia, não tenha como origem os sentimentos de ansiedade ou tristeza como pensa, e sim, o medo. Gosto de dizer a meus alunos que "DEUS É MUITO CRIATIVO E NÃO REPETE UM DIA OU UM EVENTO SEQUER em nossas vidas!" Então, se pensamos que algo é a mesma coisa, a mesma situação se repetindo, saiba que não é Deus ou o destino repetindo eventos, e sim, NÓS QUE NÃO MUDAMOS! Nós, com certeza, estaremos insistindo no velho hábito de ver as coisas com os olhos do passado ou com a pressa e ansiedade no futuro. O passado são só pensamentos, memórias, fotos mentais. E o futuro também é só um pensamento agora, neste momento. Portanto, passado e futuro, só existem nos pensamentos! Não estão aqui e agora no presente! Não são concretos e reais! Você tem medo de algo irreal! Medo de sombras e fantasmas criados e recriados por seus pensamentos! Só o agora é real! Nosso poder de ação e de mudar o que não nos convém está no AGORA! É no agora que está seu poder e não no passado ou no futuro! Nesse momento você não pode agir no passado e nem no futuro, pois está no agora! Você não existe mais no passado e nem existe ainda no futuro! Você só existe AGORA! Procure trazer seu pensamento para o único lugar real, para o agora! Se você deseja construir um bom futuro, tem que agir no agora e se estiver ocupando sua mente com pensamentos de futuro o tempo todo, além de ficar ansioso inutilmente, ficará desatento ao agora, às oportunidades que estão, agora, na sua frente esperando sua ação. Ao estar desatento ao seu momento atual, não verá as inúmeras oportunidades que tem nesse momento de agir e construir o bom futuro que deseja. E dessa forma, o bom futuro que tanto sonha, ficará cada vez mais longe, apenas no pensamento. Você não consegue construí-lo fora do agora! Precisa desistir de querer construir seu futuro em outro lugar que não seja o agora, pois é aqui, hoje, que conseguirá isso! Existe um truque muito bom para trazer seus pensamentos para o momento presente, e parar com a ansiedade que é: Respire Sim. O grande truque é LEMBRAR-SE DE SUA RESPIRAÇÃO! Respire atentamente, observando a entrada e saída do ar de seus pulmões por alguns minutos, como se tudo o que importasse na sua vida fosse apenas o ato de respirar calmamente, lentamente. Só isso! Isso funciona porque nossa atenção não pode estar em dois lugares ao mesmo tempo. Ou você respira concentradamente ou pensa! Não dá pra fazer as duas coisas ao mesmo tempo! Faça esse teste! Tente prestar atenção total em sua respiração contando, por exemplo, até três enquanto enche os pulmões e até três enquanto esvazia e seguir uma linha de raciocínio ao mesmo tempo! Se nossa atenção total só poderá se fixar em um ponto de cada vez, escolha respirar atentamente, quando notar que seus pensamentos estão se dirigindo para fora do presente e te causando ansiedade, medo do futuro. Para retirar o pensamento de um foco nocivo e chamá-lo de volta ao presente, ao agora, basta escolher respirar concentradamente por alguns minutos! Respire colocando toda a atenção nisso, diversas vezes ao dia, sempre que se sentir sem energia ou angustiado. Não deixe a energia negativa e estressante tomar conta de você! Aja consciente de seu momento agora e de seu poder de ação e proteção! Acredite, você os tem! Você merece e vai conseguir mudar e ficar em paz! Mude-se do futuro para o presente! As coisas acontecem aqui! Fique em paz e em harmonia na força e proteção de seu verdadeiro eu! Com amor muito carinho, Vera Calvet

DEPRESSÃO

Parece ser realmente o mal do século. Por quê? Talvez o alto padrão de exigência que nos autoimpomos seja um grande detonador. Talvez o fato de que esse alto padrão nos exija um comportamento cada vez mais enquadrado em padrões estéticos, financeiros e sociais, que valorizam o externo e não levam em conta o eu verdadeiro de cada um de nós. Talvez ninguém tenha nos ensinado a valorizar e enxergar a nós mesmos, e com isso, não nos conhecemos de verdade. Seja como for, a depressão é o aviso de que estamos com pensamentos negativos a respeito de nosso poder pessoal. Não nos sentimos bons o suficiente, fortes o suficientes, etc, etc...o suficiente. E o que significa "o suficiente"? Com parâmetros utópicos, o suficiente significa o impossível! Medo e frustração são os dois sentimentos básicos, geradores da depressão. Às vezes parece mesmo que entramos em um período de "buraco negro", onde tudo parece ser sugado para dentro e onde nada se manifesta positivamente. E nesses momentos, apesar do sentimento se entregar a frustração, podemos escolher pensar que isso pode ser uma espécie de aviso da vida. Não um aviso de que não somos bons e certos o suficiente, mas de que estamos pensando em alguma direção errada, que pode até nos parecer certa aparentemente, mas que na verdade não está compatível com nosso caminho de evolução, com nossa verdade interior. Por exemplo: Podemos estar querendo que nossa profissão dê certo, sem que ao menos gostemos de verdade de nosso trabalho! Isso seria uma incoerência energética! E o dinheiro vindo do trabalho então, não aparece! Ou, podemos estar desejando que um relacionamento tenha sucesso, mas ao não nos conhecermos de verdade, não podemos conhecer e entender o outro e também não conseguimos nos fazer entender. O que faz nossos caminhos se abrirem naturalmente seja em que terreno for, é nossa energia de prazer e verdade dentro disso. Procure investigar o fundo de sua alma e veja onde sua energia verdadeira estaria entrando em contradição com suas atitudes. Use o aparente "buraco negro" da tristeza positivamente para entender as mensagens da vida, que logo, logo, você sairá dessa influência e seus caminhos deslancharão! Procure se perguntar, se de fato o trabalho que exerce atualmente é uma vontade de seu coração. Pergunte e ouça seu coração, pois às vezes escutamos a voz do racional e nos esquecemos de ouvir nosso coração. Caso estejamos seguindo apenas a voz da razão e esquecendo o coração, o caminho realmente não se abre totalmente! O que abre nossos caminhos na vida é expressarmos com amor e prazer o que verdadeiramente somos e gostamos de fazer! O dinheiro e o sucesso são conseqüências disso. Ouça seu coração! Ele saberá guiá-lo! Não existe felicidade sem o autoconhecimento! Leia também os tópicos a respeito do estresse, do medo e da frustração. A verdade liberta! Não fique resistente a procurar ajuda médica! Muitas vezes, temos um distúrbio químico-físico real e pensamos que estamos apenas tristes. Existem hoje, medicamentos sem tantos efeitos colaterais que podem ajudá-lo, nem que seja por algum tempo, até que consiga lidar melhor com seus problemas emocionais através de uma Psicoterapia ou Terapia emocional de apoio. Procure seu médico! Converse com ele a respeito! Fique em paz, no amor e busque sempre o autoconhecimento! Com carinho, Vera Calvet

Ogm beira mar

Ogum Beira Mar e Ogun Matinata...
Dois Cavaleiros e uma só história!

Esses dois emissários de São Jorge, viveram, lutaram e morreram juntos. Foram criados desde crianças para a luta. Confiaram sua vida a Deus e a serviço da humanidade. Defenderam a Terra Santa e a Santa Madre Igreja. Morreram lado a lado, lutando por justiça e por honra. A história que vou narrar, transcrevo-a exatamente como ouvi do Senhor Ogun Beira Mar:
"Eu nasci no ano de 1268 de Nosso Senhor Jesus Cristo. Meu amigo e companheiro de jornada, Senhor Matinata, nasceu um pouco antes, em 1257, na região que hoje se chama San Vicenzo, na Itália. Seu nome era Guido Franciesco. Meu nascimento ocorreu em território gaulês, hoje ocupado pela França e meu nome era Olave de Gusttave.
Apesar da diferença de idade, nos dávamos muito bem. Éramos inseparáveis e sempre lutávamos lado a lado, nos campos de batalha. Dedicamos nossa vida a defender a Igreja e cada um foi designado para servir em uma Ordem. Ele foi destacado para servir a Ordem Soberana e Militar Hospitalária de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta e se tornou um Hospitalário. Eu fui destacado para a Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão e tornei-me um Templário.
Dedicamos nossa vida a defender a Santa Madre Igreja, as Terras Santas de Jerusalém e os peregrinos cristãos. Fomos treinados desde os 7 anos, fizemos votos de pobreza e castidade; éramos monges guerreiros. Porém, fomos traídos pela própria Igreja, acusados de heresia e de esconder tesouros no Convento da Ordem. Sabíamos que era um golpe militar para extinguir a ordem.
Eu estava no Convento de Jerusalém, quando fomos atacados pelos soldados do rei. Guido estava a serviço dos Hospitalários e passava um tempo no convento. Estávamos em número reduzido, mesmo assim lutamos. Alguns conseguiram fugir para contar sua história, outros morreram ali mesmo. Eu fui decapitado, juntamente com meu amigo Guido. Nossa morte ocorreu no ano de 1303. Poucos anos depois a Ordem dos Templários estava extinta e a dos Hospitalários permaneceu por possuir diferentes interesses.
Eu tornei-me um Cavaleiro de São Jorge, servindo a Virgem Maria e a São Miguel Arcanjo e Guido passou a servir São Jorge, São Thiago e São João Batista. Recebi a insígnia de Cavaleiro de Ogun e meu nome tornou-se Beira Mar. Guido recebeu a mesma insígnia, mas seu nome tornou-se Matinata. Atuamos em campos diferentes do Plano Espiritual, porém, permanecemos no mesmo ideal de servir a Cristo Jesus e a nossa Amada Mãe Maria. Podemos nos deslocar no tempo e no espaço e, assim, atuar em locais distantes e desconhecidos."

 

Agradecemos sua visita Volte sempre....

umbanda Xango-Ele vem de aruanda ele vem trabalhar.MP3

Orar não é pedir. Orar é a respiração da alma. Como o corpo que se lava não fica sujo, sem oração, se torna impuro.

Xangô Sincretizado a São Jerônimo, Xangô é o Orixá da sabedoria e da justiça, sua cor é o marrom. São Jerônimo nasceu na cidade de Estrido, Dalmacia, nas atuais fronteiras da Iugoslávia, por volta do ano 340 e ele foi um dos grandes escritores de seu tempo. Tornou-se monge e partiu para o Oriente, fixou-se na Síria entregando-se a uma vida de penitências e orações. Regressando a Roma, foi feito secretário do papa São Damaso que lhe deu a missão de traduzir as Sagradas Escrituras para o latim, obra que ficou conhecida como Vulgata dando origem a Biblia atual. thumb_xangoXangô é o responsável pela solução das pendências e das injustiças, dando a quem merece o devido castigo e, a vitória ao injustiçado. Xangô simboliza a lei de causa e efeito, seu fetiche é a machada de dois gumes ou a balança de dois pratos, simbolizando a justiça e a imparcialidade. Recorrem a Xangô todos os injustiçados, perseguidos espiritual e materialmente. Os domínios de Xangô são as pedreiras e as cachoeiras, de Xangô emanam forças poderosíssimas, é a Ele que recorremos quando necessitamos de ajuda nos processos que demandem muita energia, nas demandas espirituais, nos processos judiciais, enfim, todos os assuntos ligados à lei e a justiça. Nossos irmãos africanos nos ensinaram que Xangô é o Orixá atuante simbolicamente sobre as tempestades e tudo que dela provenha como raios, chuva com trovoadas, etc. Xangô como todos os Orixás jamais desampara aqueles que a Ele recorrem. De Xangô emanam a autoridade, a justiça e o saber. Ele jamais erra e não permite o erro de seus filhos. É o protetor dos bons juizes, dos bons advogados e de todos aqueles que tenham contato com as práticas das leis. Nas demandas espirituais após Ogum ou os outros Orixás envolvidos nessas demandas terem feito o seu trabalho, Xangô virá obrigatoriamente cumprir a lei de Deus de causa e efeito. A vibração de Xangô, nas evocações que ocorrem nos templos de Umbanda, é fortíssima. Quando incorporado em nossos médiuns transmite sempre a imagem de alguém forte como a rocha, todos pressentem sua tremenda força. thumb_saojeronimoEm muitos pontos cantados de Xangô, ouve-se a frase; “ "Não brinque com Xangô, porque Xangô não brinca não”. Essa frase transmite claramente sua autoridade e intolerância com os erros dos homens. Xangô está sempre associado à força, Ele é autoritário, capaz de despertar o respeito por suas determinações e leis, com poder para decidir sobre o bem e o mal. As suas determinações serão sempre obedecidas por todos, gostem ou não. Por estar associado à firmeza da rocha e à estabilidade que as pedreiras transmitem, que são os seus domínios, delas emana a sua força. Em suas obrigações podem ser usadas flores brancas, velas de cor marrom ou brancas, cerveja preta e água da cachoeira. Nesse sentido, é comum ver as obrigações que lhe são feitas nas pedreiras e cachoeiras, sendo que em muitos casos depositam lá uma verdadeira parafernália de objetos e comidas como o quiabo com feijão fradinho e outras coisas mais, como o vinho e licores diversos. Não há necessidade de pedir a Xangô a justiça, Ele a fará sempre mesmo que você não peça ajuda a Ele. Na realidade evite pedir justiça, se você pedir a justiça, tenha certeza que Ele atenderá o seu pedido, mas como qualquer ser humano você tem em seu passado alguma coisa da qual se envergonha e Xangô também vai ver os seus erros e lhe dará também, ao mesmo tempo, o seu pagamento por suas obras. Você se sente injustiçado? Então aguarde, Xangô fará a justiça por você, sem que exista a necessidade de pedir coisa alguma a Ele; mas se pedir, prepare-se, você também receberá o seu pagamento. Se o assunto é ligado a lei e aos seus processos e você possui a verdade ao seu lado, pode recorrer a Ele com toda a garantia de vitória, mas só proceda desta forma se tiver à verdade ao seu lado, porque se você é o errado na questão, tenha certeza que Ele vai puni-lo. A justiça de Xangô é baseada em leis Divinas, leis que tem origem Divina e não podem ser manipulado pelos homens, seja sábio. Cor ....................... Marrom Domínios ................ Pedreiras e cachoeiras Atuação ................. A justiça Saudação ............... Kaô cabecile Elemento ............... Terra



Xangô cumpre a promessa feita a Oxum Quando Xangô pediu Oxum em casamento, ela disse que aceitaria com a condição de que ele levasse o pai dela, Oxalá, nas costas para que ele, já muito velho, pudesse assistir ao casamento. Xangô, muito esperto, prometeu que depois do casamento carregaria o pai dela no pescoço pelo resto da vida; e os dois se casaram. Então, Xangô arranjou uma porção de contas vermelhas e outra de contas brancas, e fez um colar com as duas misturadas. Colocando-o no pescoço, foi dizer a Oxum: "- Veja, eu já cumpri minha promessa. As contas vermelhas são minhas e as brancas, de seu pai; agora eu o carrego no pescoço para sempre." Lenda tirada do livro Mitologia dos Orixás - Reginaldo Prandi - 2001 Xangô torna-se Orixá Xangô vivia em seu reino com suas 3 mulheres Iansã, Oxum e Obá , muitos servos, exércitos, gado e riquezas,sempre preocupado em fazer guerra, procurava uma formula para derrotar seus inimigos. Certo dia, ele subiu em uma colina, afim de testar um novo feitiço que inventara. Quando recitou a fórmula, ouviu-se uma série de estrondos muito fortes e muitos raios riscaram o céu. Quando tudo se acalmou, Xangô olhou em direção à cidade e viu que seu palácio fora atingido. Ele correu para lá e viu que não havia sobrado nada, e muitos de seus súditos aviam morrido. Desesperado, Xangô se refugiou em um lugar distante Iansã correu junto com ele, passado o tempo Xangô não conseguindo agüentar tanta tristeza, bateu com força brutal os pés no chão e afundou pela terra, indo para o Orum, Iansã fez o mesmo na cidade de Irá seguida por Oxum e Obá. Desde então Xangô vive no trovão enquanto Iansã, Oxum e Obá correi com os rios, surgiram assim novos Orixás. Lenda tirada do livro Mitologia dos Orixás - Reginaldo Prandi - 2001 Xangô é condenado por Oxalá comer como os escravos Airá, aquele que se veste de branco, foi um dia às terras do velho Oxalá para levá-lo à festa que faziam em sua cidade. Oxalá era velho e lento, Por isso Airá o levava nas costas. Quando se aproximavam do destino, vira a grande pedreira de Xangô, bem perto de seu grande palácio. Xangô levou Oxalufã ao cume, para dali mostrar ao velho amigo todo o seu império e poderio. E foi lá de cima que Xangô avistou uma belíssima mulher mexendo sua panela. Era Oiá! Era o amalá do rei que ela preparava! Xangô não resistiu à tamanha tentação. Oiá e amalá! Era demais para a sua gulodice, depois de tanto tempo pela estrada. Xangô perdeu a cabeça e disparou caminho abaixo, largando Oxalufã em meio às pedras, rolando na poeira, caindo pelas valas. Oxalufã se enfureceu com tamanho desrespeito e mandou muitos castigos, que atingiram diretamente o povo de Xangô. Xangô, muito arrependido, mandou todo o povo trazer água fresca e panos limpos. Ordenou que banhassem e vestissem Oxalá. Oxalufã aceitou todas as desculpas e apreciou o banquete de caracóis e inhames, que por dias o povo lhe ofereceu. Mas Oxalá impôs um castigo eterno a Xangô. Ele que tanto gosta de fartar-se de boa comida. Nunca mais pode Xangô comer em prato de louça ou porcelana. Nunca mais pode Xangô comer em alguidar de cerâmica. Xangô só pode comer em gamela de pau, como comem os bichos da casa e o gado e como comem os escravos. Lenda tirada do livro Mitologia dos Orixás - Reginaldo Prandi - 2001



Pontos Cantados
É Xangô o rei de lá da pedreira É Oxum, rainha da cachoeira > Xangô é rei, Xangô é rei Orixá Escreve lei pros filhos de Oxalá ============== Ele vem de Aruanda Ele vem trabalhar Ele vence demanda Ele é seu Pangará Kaô, kaô, kaô, kaô A justiça chegou, Xangô Ele vem de Aruanda Ele vem trabalhar Ele vence demanda Ele é seu Airá Kaô, kaô, kaô, kaô A justiça chegou, Xangô =============== Escureceu, a noite chegou > Firma ponto na pedreira, saravá Xangô > Saravá Xangô, saravá Xangô ================= Lá em cima daquela pedreira Tem um livro que é de Xangô > Kaô, kaô Kaô é kabecile é de Xangô > =================== Machadinha de cabo de ouro De ouro, de ouro Machadinha de cabo de ouro É machadinha de Xangô =================== Meu pai Xangô Deixa essa pedreira aí > A Umbanda está lhe chamando Deixa essa pedreira aí > ==================== Na beira do Cariri Eu vi Xangô sentado Yemanjá e Oxum E Santa Bárbara de lado Na beira do Cariri ================ Pedra rolou, Pai Xangô, lá na pedreira Segura o ponto, meu Pai, na cachoeira Tenho o meu corpo fechado Xangô é meu protetor Firma esse ponto, meu filho Pai de cabeça chegou ================== Quem rola pedra na pedreira é Xangô > Vivô a coroa de Zambi 2> Vivô a coroa de Zambi é maio =================== Subi na pedreira, subi Uma pedra rolou no corisco de Xangô Dizem que Xangô mora na pedreira Mas não é lá sua morada verdadeira > Xangô mora na cidade de Luz Aonde está Maria e o Menino Jesus Dizem que Xangô mora na pedreira Mas não é lá sua morada verdadeira > ==================== Xangô chegou na terra Xangô girou na Umbanda Com seu grito de guerra Xangô venceu demanda ================ Xangô é corisco Nasceu na trovoada > Trabalha na pedreira Acorda na madrugada > Longe, tão longe Aonde o sol raiou > Saravá Umbanda Oi, saravá Xangô > ================ Xangô mostrai a força que vós tendes > Xangô é o rei da justiça E não engana ninguém Xangô Kaô, Xangô Agodô 3> =================== Xangô, Xangô, meu pai Xangô Xangô mora na pedreira Quem mandou relampejar Kaô kabecile obá, Xangô Saravá Xangô 3> =================== Deixei meu filho em cima da pedreira E de repente ele escorregou Me ajoelhei e olhei pra baixo Estava nos braços de meu pai Xangô =================== Xangô, meu pai, atende essa romaria > Dos filhos que vem de longe E não podem vir outro dia > ================== Estava olhando a pedreira uma pedra rolou > Com a licença de Zambi vou saravá meu Pai Xangô > Quem foi que disse que eu não sou filho de Xangô > Se me atiram uma pedra ele faz dessa pedra uma flor > São tantas flores de justiça e proteção > Sou filho de Pai Xangô ninguém me joga no chão > Oh! Quantas flores já plantei no meu jardim > Cada pedra atirada era mais uma flor para mim > Pontos de Subida Xangô já vai Já vai pra Aruanda > A bênção meu pai Proteção pra nossa banda > ====================== Já volteei lá na pedreira E Xangô disse que sim Quem tem Santo de Caboclo Tá na hora de subir =================



RELACIONAMENTOS Uma das missões que todos temos nessa vida é aprender e crescer através dos relacionamentos. E normalmente é um dos aprendizados mais difíceis, pois geramos expectativas, damos muito poder ao externo, ao outro e não conseguimos entendê-lo. Tudo isso, porque não nos conhecemos de verdade, não podendo, portanto, conhecer nem entender a ninguém mais. Autoconhecimento é o único foco de atenção que precisamos no início, para só depois, termos condições de conhecer outra pessoa e não exigir dela, mais do que é capaz de dar. Viver na ilusão de quem somos faz com que vejamos os outros, também, através de uma ótica iludida! A sucessão de expectativas iludidas, e consequente frustração, termina por esgotar nossa energia e nos dá medo de tentar outra vez e tornar a errar. Mas é com nossos erros que podemos aprender. Porém o aprendizado precisa ser dirigido para nossa forma de comportamento e pensamento. PADRÕES DE COBRANÇA Precisamos estar atentos aos nossos padrões de cobrança e exigência. Para isso, precisamos prestar atenção se não estamos nos fazendo de vítimas ou jogando a responsabilidade de nossa vida nas mãos de alguém, o que seria obviamente um peso insuportável e impossível, pois nossa vida é somente nossa responsabilidade. Precisamos perceber se não estamos exigindo que os outros sejam e pensem exatamente como nós, e precisamos perceber o quanto isso é absurdo, pois esse mundo cresce através das trocas, das diferenças e cada um de nós tem sempre algo a ensinar e algo a aprender. Nós crescemos através dos relacionamentos! E precisamos respeitar as diferenças, pois sem elas não temos possibilidades de crescer! Cada pessoa é única e diferente em sua forma, talentos, pensamentos, sentimentos e alma. Todos nós temos qualidades e defeitos. Pretender modificar o outro para que se encaixe em nossos padrões pode ser o pior caminho para o amor! Enxergar o bom, as qualidades do outro, tirar o foco do que temos em nossa mente e reconhecer a pessoa que está conosco, assim como desejamos ser reconhecidos e respeitados. DISPONIBILIDADE E ENTREGA Precisamos também perceber, o quanto estamos realmente dispostos de verdade a nos entregar aos sentimentos, pois as vezes nos distanciamos, lutamos contra os sentimentos por medo, e passamos uma vida inteira nos sentindo solitários e vazios. Sem percebermos, podemos estar criando barreiras e nos distanciando da experiência de amar por medo de sermos magoados. Porém, esse afastamento sempre será sentido, percebido pelo parceiro que também pode se fechar ou afastar-se. Afinal, as pessoas se aproximam para se relacionarem de verdade! E não para serem dois estranhos dentro de uma relação. Desejamos que nossos parceiros sejam, acima de tudo, nossos companheiros e amigos! Uma pessoa na qual podemos confiar e compartilhar nossos bons e maus momentos. Juntos e inteiros na relação! SABER CUIDAR DE NÓS PARA SABERMOS CUIDAR DO RELACIONAMENTO Ao percebermos que temos alguma dificuldade para nos relacionar, precisamos procurar aprender essa lição e nos abrir a mudança positiva! Só nós mesmos é quem temos o poder de escolha e o poder de autotransformação. Assuma o poder que tem sobre sua vida, seus pensamento, sentimentos e ações! Decida que não permite mais que nada que aconteça fora de seu mundo interior, interfira negativamente em sua vida! Vigie os pensamentos negativos e procure transformá-los em aprendizado positivo. Só você poderá fazer isso por si. Cuide de si! Descubra algo que te incentive, algo que tem vontade de fazer, mas que andou protelando. Respire fundo e deixe a vida entrar e fluir por todo o seu ser! Realmente não temos o poder de mudar os outros, caso não queiram, mas a nós mesmos temos todo o poder de mudar, e assim, mudando nossas atitudes e forma de enxergar os outros, acabamos fazendo com que os outros mudem também, ao menos em relação a nós


Búzíos


O jogo de búzios é uma das artes divinatórias utilizado nas religiões tradicionais africanas e na religiões da Diáspora africana instaladas em muitos países das Américas. Existem muitos métodos de jogo, o mais comum consiste no arremesso de um conjunto de 16 búzios sobre uma mesa previamente preparada, e na análise da configuração que os búzios adoptam ao cair sobre ela. O adivinho, antes reza e saúda todos os Orixás e durante os arremessos, conversa com as divindades e faz-lhes perguntas. Considera-se que as divindades afetam o modo como os búzios se espalham pela mesa, dando assim as respostas às dúvidas que lhes são colocadas.



Se você é um médium que, ao terminar os trabalhos, sente uma alegria enorme não se importando se trabalhou incorporado ou se “apenas” ajudou na organização da casa. Se você sente-se honrado por ter a oportunidade de sentir a presença dos maravilhosos Pretos Velhos que, com sua grande humildade e sabedoria, conseguem recolher as lágrimas mais profundas de nossos irmãos; ou dos Caboclos para quem emprestamos nossos singelos braços para que eles possam abraçar nossos irmãos e assim torná-los fortes e guerreiros; ou ainda por poder sentir o Senhor Ogum, “Rei das Demandas”, e segurar sua Espada da Lei em nossas mãos… Se você esforça-se para fazer sua reforma íntima antes de exigí-la dos outros. Se você acredita no merecimento (não em milagres), na Lei, na Justiça, no carma, na reencarnação e na natureza como sendo a nossa força e o nosso Axé. Se você acredita ser responsável pelos trabalhos realizados pelos Guias Espirituais diante de sua condição de intermediário entre nós e o plano superior e se busca o conhecimento. Se você entende a Umbanda como religião com fundamentos, liturgias e doutrinas próprias e trabalha pela evolução e conscientização da “Religião Umbanda” diante de toda a sociedade mostrando como a Umbanda é linda, simples e poderosa. Então você realmente ama a Umbanda, afinal não se pode amar aquilo que não se conhece ou de que se envergonha. Mas se tudo isso e os fundamentos da Umbanda servem para trazer discórdia, desânimo, peso, dúvida, cansaço, obrigação… então, reavalie sua vida espiritual… Vestir o branco é um orgulho É ser filho de Oxalá, é ser puro de alma diante dos Orixás!


  • Ao mestre com carinho
  • Ogum
  • Oxum
  • Yansã
  • oracões
  • Xangô
  • Yemanjá
  • Oxossi
  • Oxalá
  • Oxumarê
  • Preto-velhos
  • Caboclos
  • Boaideiros na Umbanda
  • Baianos na Umbanda
  • Marinheiros
  • Pomba Gira
  • Maria Padilha
  • Oração de exu
  • Banhos de descarregos
  • pontos-riscados-Exu
  • História de Rei Congo
  • Pontos Cantados Orixás
  • Pontos cantados Diversos
  • Maria Redonda
  • Sitemap
  • Mensagem de Zé Pilintra
  • Pai José da Guiné
  • Exu Capa Preta
  • Exu das Sete Encruzilhadas
  • Exu morcego
  • Exu Meia Noite
  • Mensagem de Pai joão de Angola
  • Conselhos de Pai joao de Angola
  • pai-joao
  • Oração a Pai joão de Angola
  • Atribuição dos Preto-velhos
  • CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA
  • Histórias de Vovó Luiza
  • Quem Somos
  • Linha de Caboclos
  • Livro de Visitas 1
  • Ogum Rompe Mato
  • Ogum Yara
  • Altar Virtual dos Orixás
  • Altar Virtual
  • Descubra seu Orixá
  • Altar Virtual de Exu
  • Altar virtual de Ogum
  • Altar virtual de Oxum
  • Altar virtual dos Preto-velhos
  • Altar de Nossa Senhora
  • Ogum vencedor de Demanda
  • Fundamentos
  • OS TRABALHOS DESENVOLVIDOS
  • Cartão de Visitas
  • livro-de-visitas-2
  • Orações 2
  • Os dez maiores erros cometidos por médiuns umbandi
  • A Saída dos Orixás
  • A História de vovô Benedito
  • Oferendas de Oxum
  • Textos de Umbanda
  • Oferenda de Xangô
  • Oferendas de Ogum
  • Oferenda de oxossi
  • a-mediunidade-os-orixás-e-os-caboclos
  • orações diversas
  • Oração ao Pai João de Angola
  • oração a escrava anastacia
  • ORAÇÃO A PAI BENEDITO DE ARUANDA
  • Oração a Maria Bueno
  • Oração a Tia Maria de Minas
  • Oração ao caboclo 7 flexas
  • Oração ao caboclo boiadeiro
  • Oração ao seu Zé Pilintra
  • Oração a são cosme e damião
  • Oração para fechamento de corpo
  • Oração a cabocla Jurema da praia
  • Oração ao Divino Espirito Santo
  • ORAÇÃO AOS PRETOS VELHOS – I
  • oração a Oxalá
  • Prece à tia Rita da Bahia
  • Oração dos Preto velhos-4
  • Oração dos Preto velhos 3
  • Oração dos preto velhos 2
  • Oração do Perdão
  • Para teu Lar
  • Prece de Caritas
  • Orações a Yemanjá
  • orações a Oxossi
  • Prece a xangô
  • Orações a santa Barbara
  • Orações a Yansã
  • Oração da Pomba-gira
  • Oração de São jorge
  • Oração a Oxum
  • Oração para cura de traumas emocionais e decepções
  • Oração para começar o dia
  • ORAÇÃO FORTE E PODEROSA CONTRA INIMIGOS E INVEJA
  • Pai Nosso Umbandista
  • Creio em Deus Pai na Umbanda
  • Oração aos Orixás
  • Oração ao anjo da guarda
  • Pedido de Proteção
  • Oração poderosa de Pai joão
  • Oração à Nossa Senhora da Cabeça
  • Oração a Bezerra de Menezes
  • Oração ao Poderoso Santo Expedito
  • Oração à São José Operário
  • Oração a São Miguel Arcanjo
  • Oração para abrir caminhos
  • Oração ao sete Encruzilhada
  • Abertura dos trabalho 2
  • Prece de Abertura dos trabalhos
  • Prece ao Caboclo Sete Estrelas
  • Oração ao Caboclo Ventania
  • Caboclo 7 Pedreiras
  • PRECE A POMBA-GIRA
  • oração a tranca rua das almas
  • Prece ao Pai João da Mata
  • Oração ao Caboclo
  • Oração a Boiadeiro
  • Oração as sete linhas
  • ORAÇÃO DO PAI JOSÉ DE ARUANDA
  • Oração ao Pai Joaquim
  • Oração do baiano Corisco
  • BENZEDURA CONTRA O MAU-OLHADO INVEJA E QUEBRANTO
  • ORAÇÃO PARA BÊNÇÃO DO LOCAL DE TRABALHO OU LAR
  • ORAÇÃO PARA PEDIR FÉ
  • Oração aos Pretos Velhos e Pretas Velhas
  • Oração a Santa Sara Kali
  • Os Filhos de Omolu
  • Ebó para Yansã
  • Comida de Xangô
  • Lendas de Iansã com Ogum
  • Pontos cantados de Pomba-gira em Videos
  • ORIXÁS EXÚ E OGUM
  • Sem Exu não se Faz nada
  • OS FILHOS DE EXÚ
  • Pontos Cantados de Oxala Videos
  • Pontos Cantados de Ogum Videos
  • Pontos Cantados de Oxum Videos
  • Pontos Cantados de Yemanjá Videos
  • Pontos Cantados de Oxossi Videos
  • Galeria de Videos
  • Pontos Cantados de Xangô videos
  • Pontos Cantados de Yansã videos
  • PORQUE OS EXUS RIEM
  • Videos de Preto velhos
  • Cigano Pablo
  • Cigana esmeralda
  • Mensagem de Ogum
  • Ogum Beira Mar
  • Altar na Umbanda
  • A tristeza dos Orixás
  • Amor palavra de ordem na gira
  • AS FALANGES DE TRABALHO NA UMBANDA
  • ASSISTÊNCIA
  • exu não e fofoqueiro
  • ATITUDE INTERIOR
  • BANDEIRA BRANCA DE OXALÁ
  • Cantos e Palmas num Terreiro
  • Como acontece a Gira
  • conduta moral
  • CONDUTA NO TERREIRO DE UMBANDA
  • Conflitos
  • Conflitos Familiares
  • Como ler escutar ou observar e saber se aquilo é
  • Cores e a Umbanda
  • Cumprimentos e Posturas
  • De Olhos Fechados
  • Deus não te Fez para sofrer
  • Deus salve a Umbanda
  • Página em Atualização
  • EGUNS E QUIÚMBAS
  • ELEMENTOS DO TERREIRO DA UMBANDA
  • ENTENDENDO A INVEJA
  • ESPIRITUALIDADE E CONSCIÊNCIA
  • EXPRESSÕES USADAS NA UMBANDA
  • EXU NÃO É DIABO
  • falta de doutrina e de complemetimento
  • Faz caridade fio
  • Os perigos e conseqüências da mediunidade mal orie
  • O DIA DE FINADOS NA UMBANDA
  • Fazer o bem sem ver a quem
  • Os Médiuns são Parceiros
  • Fumos e Bebidas
  • Fundamentação Doutrinária
  • GUIAS E COLARES
  • Hierarquia na Casa de Umbanda
  • Humildade
  • Jogaram uma carga pesada pra cima de mim
  • O maior inimigo da Umbanda
  • Mediunidade na Umbanda
  • Mediunidade um passo de cada vez
  • Mensagem do Caboclo Sete Flechas
  • MIRONGA DE PRETO VELHO
  • Não abandone seu posto de serviço
  • Normas dos Terreiros
  • Nossos Umbigos
  • Linha de Esquerda Exu e ´Pomba-Gira
  • O pequeno universo do umbandista
  • O Perdão Não tem Contra-indicação
  • O Templo Que Vos Acolhe
  • obrigações na umbanda
  • OBRIGADO VOVÔ
  • ORAÇÃO DO UMBANDISTA
  • Orixá de Cabeça
  • Os Caboclos na Lição de Pai João
  • Os Orixás se Manifestam em Nós e Através de Nós
  • Oração de Ogum Xoroquê
  • .