Centro Pai João de Angola

Exu capa Preta

Essa famosa entidade (talvez o mais famoso dos exus) está diretamente ligado a noite, a feitiçaria e ao disfarce. Sendo a sua capa preta um artífice, um disfarce de sua presença, ocultando seus rastros pela noite. O preto, cor está representada tanto por esse exu, simboliza os impulsos e o inconsciente maldoso dos seres humanos. Sendo as trevas, representada na cor preta, também um dos maiores medos dos seres humanos remontando ainda a época em que dependíamos somente do sol para a proteção, sendo relegado a escuridão e as trevas a dúvida e o medo frente ao desconhecido, ao encoberto pelo seu manto. Exu Capa Preta é chamado muitas vezes de "Tranca Ruas da Capa Preta" e "Musifin", possui como símbolo a lua e um pedaço de pano de veludo da cor preta. Alguns religiosos dizem que está entidade tem alguma ligação espiritual com São Cipriano, devido a seu famoso livro da capa preta. Popularmente associamos a luz ao bem e a positividade, já a noite (a escuridão) costumamos associar a coisas maléficas e a negatividade. Mas em diversas culturas observamos justamente o contrário. Peguemos como exemplo a cultura iorubá ( grupo étnico africano original da Nigéria), para as pessoas dessa cultura a cor branca simboliza a morte e o luto, sendo associado ao céu e para onde se encaminham os espíritos, e a cor negra simboliza a condição de encarnados (vivos). Por essa razão os religiosos dizem que o Exu Capa Preta adotou a cor negra da noite, para deixar clara a sua missão na terra, que é trilhada através da noite, mas, combatendo sempre a escuridão e a negatividade. Os médiuns (conhecidos também como "cavalos") que incorporam essa entidade nos terreiros de umbanda e quimbanda possuem forte ligação com a noite e um enorme fascínio por questões ocultistas e misteriosas. Capa Preta é um conhecido por ser um grande mago que se disfarça nas trevas dos pensamentos e energias emanadas pelos humanos para poder trazer a luz e a razão para os seres necessitados de compreensão. Como ele próprio afirma "eu sou a luz no final do túnel, luz essa disfarçada de trevas". O médium que "trabalha" com essa entidade costuma usar sempre vestimentas da cor preta, pois eles próprios afirmam ver esses espíritos usando essas roupas em suas formas originais (invisíveis aos não médiuns). Geralmente o médium que é usado pelo Exu Capa Preta necessariamente fazem uso da cartolas, capa, bengalas, ternos pretos e anéis com pedras pretas. Curiosamente na quimbanda, essa entidade tanto pode significar o bem quanto o mal, sendo ele um moderador que hora pende para o bem, hora pende para o mal. Muitas vezes enganando e fazendo maldades em troca de oferendas, serviços de amarração dentre outros. Como um poderoso mago, Capa Preta também possui poderes capazes de influenciar tanto o reino animal quanto vegetal, sendo considerado por algumas correntes como uma entidade "faca de dois gumes", pois possui tanto bondade quanto enorme tendência a maldade. Mas todas as correntes concordam que Exu Capa Preta foi, em vida, uma espécie de conde. E sendo um nobre rico pode dedicar grande parte de seu tempo adquirindo conhecimentos em Alquimia, magologia (eu nem sabia que isso existia) e magia negra. Segundo os religiosos, quem recorre a essa entidade para solucionar os seus problemas, ou, causa-los, jamais ficará desamparada.

Essa entidade de origem afro-brasileira normalmente apresenta-se representado na forma de um homem calvo sentado à beira de lagos e pântanos, usa roupa cinza, marrom, preta e principalmente vermelha. Geralmente pode-se notar que ele apresenta um casco (como o de um cavalo) no lugar de um dos pés. Quando esse Exu se manifesta (por intermédio de um médium), ele está agachado como se tivesse dificuldade para se levantar, mas na realidade se locomove com rapidez. Os espíritos desta linha se apresentam curvos pois segundo os praticantes da da religião, a sua energia é pesada e todos possuem aparência de velhos. A maioria desses espíritos desta linha foram em vida Padres, Bispos, Bruxos, Magos e Feiticeiros. Exu do Lodo é um dos sentinelas das almas, enviado direto de Omulu (Omulu é uma entidade superior aos Exus) que trabalha na transmutação de energias, transformando o lado negativo em positivo. Motivo de usar muito a cor preta que representa a transformação. Ainda segundo os umbandistas quase sempre que é marcado algum trabalho para essa entidade começa uma garoa (chuva). É a resposta que ele está atento e presente. Boa parte dos terreiros de Umbanda se negam a trabalhar com essa entidade, pois, associam ela a energias negativas e a maldade. Muitos acreditam ser uma entidade que afunda a sua vida no lodo, leva para a “lama” os que com ela se comunicam. Já outros religiosos partem em sua defesa e explicam que existe um engano sério que algumas pessoas da própria religião costumam cometer contra essa entidade. Seus defensores dizem que o lodo é formado em ambientes úmidos que represam impurezas, ou seja numa cachoeira onde a água corre livremente não há lodo, só há lodo onde à infiltração e umidade constante que não é limpo (tais como lugares com energias negativas, essas energias se assemelhariam ao lodo). O Exu do lodo entraria nesses lugares "carregados" (como os próprios religiosos se referem) e fazem a limpeza dessas energias, tirando o lodo ruim (energia ruim) e restaurando o lodo bom e limpo (energia positiva). Mas é certo afirmar que existe bastante polêmica a respeito dessa entidade, não há um consenso sobre a bondade ou maldade desse ser entre os praticantes da religião. O Exu do lodo está intimamente ligado a Nanã e a Iemanjá, pois sua energia telúrica se funde coma energia aquosa (pertencente a essas outras entidades). Por essas razões ele pode ser muito visto em praias, rios e lagos. Sobre a sua origem conta-se que ele teria sido um médico pesquisador muito conceituado em Amsterdã durante o século XVIII. Salvou a vida de muitas pessoas ricas e importantes mas sempre se recusou a tratar qualquer pessoa pobre que não tivesse dinheiro. Nunca fez caridade a pessoa alguma e só se importava com a fama e o status. Ele chegou a construir dois hospitais mas apesar da insistência de sua mãe em que ele começasse a ajudar também os mais necessitados, em momento algum dispensou qualquer atenção aos doentes que não lhe trouxessem algum benefício financeiro. Sua mãe acabou falecendo e o seu coração continuou sendo guiado pela arrogância e pelo interesse. Depois de muitos anos ele próprio veio a falecer e para sua surpresa ele acabou indo para as profundezas das regiões umbralinas (umbral corresponde ao inferno para os espíritas). Chafurdou no lodo das regiões infernais em grande sofrimento. Pois desperdiçou sua vida em interesses egoístas e mesquinhos. Mas após algum tempo de sofrimento sua mãe o socorreu e resgatou dessas regiões de sofrimento. Ele reconheceu seu erro e se arrependeu profundamente. Assim foi lhe dada nova chance de redenção e ele voltou a reencarnar. Dessa vez renasceu no Brasil, em uma família indígena. Mas veio a falecer cedo, com apenas 8 anos de idade foi mordido por uma cobra venenosa e veio a desencarnar. Novamente sua mãe o socorreu e no Plano espiritual retomou sua forma adulta (de sua antiga vida), estudou e pediu para cumprir sua missão como médico dos espíritos imundos. Dessa vez não reencarnaria, mas assumiria a forma de um Guardião do Lodo e recolheria todos aqueles que caíssem nas ilusões (todos que caíssem na lama) da vida assim como ele próprio havia caído. Assim se tornou a entidade conhecida como Exu do lodo.

Mensagem de uma vozinha singela

Onde se escondeu o amor, a compreensão, o companheirismo, a paciência, a piedade, a fidelidade, a luz da vida que brilhava no intimo de cada ser? Por qual motivo tudo foi restringido e substituído pelo ódio, pela ignorância, pela inveja, pela impaciência, a crueldade, interesses; e a escuridão se sobressaiu à luz?
Por qual motivo, Oh Deus, a sua Luz está diminuindo dentro de parte de sua criação?
Por honra e glória, dai força, oh Criador das Criaturas, para que o resquício de luz seja fortificado e ampliado no íntimo de quem luta para que consiga iluminar aqueles que, por ignorância, caíram no negativismo existente em sua dualidade.
Iluminai e ampliai a visão de quem tem olhos para ver, onde se escondeu o positivismo belo e magnifico existente em seus semelhantes, para que o mundo, a natureza, vibre em prol de um bem maior para a Criação Divina. Que os irmãos que servem a Criação e o Criador consigam ter forças e sensibilidade para sentir a existência da centelha divina que sustenta os seres, e que pela Lei Maior e a Justiça Divina, ajudem para que a luz seja acessa e transcenda em caminho reto e vigoroso, se sobressaindo à escuridão.
Criador da grandeza universal, ajudai os filhos, parte de sua criação infinita, que vivem na dimensão terrestre, para que eles, com a sabedoria divina junto ao conhecimento que há nos Senhores Guerreiros da linha de Oxóssi, nas experiências passadas pelos Pretos-velhos, guiados também pela grande força de Mãe Nanã, junto ao amor maior e precioso que a Senhora Oxum irradia, que mãe Iemanjá ampare e gere a segurança necessária aos filhos que precisarem, que o fogo divino de Egunitá aqueça os corações de muitos, e que pelo seu poder também seja queimado e aniquilado o negativismo. Oh Criador, que a fé de seus filhos seja irradiada e alimentada, podendo se expandir para todos os campos vibratórios, magnéticos, energéticos multidimensionais e multivibracionais com a ajuda de Oxalá, e que também o seu poder possa caminhar permanentemente na presença dos grandes Guerreiros Justos e seguidores da Lei Divina, Pai Xangô e Senhor Ogum.
Persistam filhos, permaneçam em seus caminhos que pode ser árduo, mas será gratificante. Sejam fortes e benevolentes na Senda Divina do Pai Maior. Ele ouve aos clamores de quem trabalha para a benfeitoria do universo e de seus semelhantes.
Vocês serão ainda mais fortes, guiados por nós e assim serão capazes e merecedores de verem novamente a luz irradiar de dentro dos seus semelhantes, assim como serão iluminados por todas as cores e vibrações universais.
Sejam fortes, benevolentes, vigorosos e fiéis à Criação Divina.

Ditado Com grande Amor e Carinho de uma Vozinha Singela, Dona. Ana, e anotado por Cintia Francelina.

História de Preto Velho
Um Negro com vestimentas brancas já de idade encurvado e usando um cajado viu um homem caído a beira do caminho sentindo fortes dores na perna pois tinha sido roubado e tido apanhado com barras de ferro nas pernas onde uma fratura enorme com ferimentos.
O Preto Velho viu e disse ao homem:
- Aqui é perigoso meu filho. Andar nesse meio perigoso sozinho. Toma esta água do meu pote, e limpe os ferimentos. O Homem diz:
- O Senhor já de idade com um cajado nas mãos ajudando a mim nesta estrada deserta. O que faz sozinho por aqui se é perigoso?
Ele responde:
- Suas perguntas serão respondidas meu filho no tempo certo.
Pegue meu cajado e se levante filho.
O homem:
- Mas o meu pé esta quebrado. Não consigo ficar de pé.
O Negro diz:
- Pode levantar meu filho. Confie em mim.
O Homem levantou com o Cajado e para sua surpresa ao levantar não sentiu mais dores e seu pé estava sem fratura.
Ele diz:
- O Senhor faz Milagre! Deus seja Louvado! Mas como pode um Senhor tão bom neste caminho deserto encurvado e com um cajado? Quem é o Senhor bom homem Santo?
Ele disse:
- Sou apenas um caminheiro meu filho. Vivo no mundo a ajudar. Vá em paz.
O Homem consegue caminhar e lembra-se de um Terreiro de Candomblé e vai até a mãe de Santo e diz a Mãe:
- A Senhora pode me dizer quem era o homem de branco negro que me ajudou no caminho, por favor?
A mãe de Santo joga os búzios e eis a resposta precisa:
- Meu irmão, o homem Negro de Branco e Cajado é teu Pai de Cabeça Oxalá que te ajudou com muito amor.
O homem em lágrimas beijou a mão mãe de Santo e disse:
- O que devo fazer para sempre viver para Oxalá meu Pai Amado?
Ela disse:
- Oxalá ama muito ocê meu irmão e quer que ocê siga o caminho dele e faça o Santo. Use sempre da Caridade de ajudar os demais.
O Homem se tornou um Babalorixá de Oxalá e dedicou sua vida ao Terreiro dando prosseguimento ao trabalho dos Orixás na Comunidade. Mais tarde formando Médico e atendendo sempre as pessoas gratuitamente. Seguiu o Candomblé até o fim de sua vida na Terra.

Vovó Maria Conga.

Pomba-Gira da Calunga, é uma entidade muito poderosa e muito prestigiada por mulheres e homens que perderam seus amores por algum motivo ... Esta Pomba-Gira é procurada também para problemas de saúde e de abertura de caminhos e vícios.
Pomba-Gira da Calunga foi uma moça que durante o tempo que viveu no mundo terreno, passou por inúmeros sofrimentos na vida terrena , perdeu os pais muito cedo e foi criada na rua. Foi mulher da vida, viciada no álcool, praticou inúmeros abortos e morreu de suicídio. Esta entidade quando chegou no mundo espiritual pertencia ao limbo, onde sofreu ainda mais as dores de suas faltas aqui na terra. Através do Exu da Calunga que ela conheceu em um momento de desespero,tornou-se sua assistente direta e conheceu a Umbanda onde foi Coroada como a Mulher do Calunga, que hoje é conhecida como Pomba-Gira da Calunga uma entidade de fé e conhecedora dos mistérios das sombras.
“Na penumbra da noite os morcegos chiam... no portão da calunga surge uma mulher... tão linda como a madruga ... é pomba-gira da calunga... ela é exu mulher

Exú é o Orixá Mensageiro, aquele que mais próximo
é do ser humano.
Exú atende aquilo que o homem
pede, seja para o bem seja para o mal, Exú não vê
distinção, agora tenha certeza de uma coisa, tudo
aquilo que Exú leva ele devolve para quem mandou,
então saiba o que pedir a Exú...
LAROYÉ EXÚ MOJUBÁ!


"Eu sou de Xangô da cabeça aos pés, eu sou Xangô na sua justiça, eu sou Xangô na sua sabedoria, eu sou Xangô na sua firmeza, eu sou Xangô no seu equilíbrio.
Porque todo dia eu nasço e á noite eu morro, para que ao próximo amanhecer meu Pai me faça renascer.
Eu sou Xangô porque nada se define, tudo se altera, tudo se modifica.Mas tudo firma e não há nada que me defina.
Eu sou mil amores que você terá, mas aquele que nem por amor você poderá controlar.
Eu sou a bravura e a fúria, e eu sou a paz e a sabedoria.
Eu sou do Sábio, conselheiro,mas assim como sou o fogo incontrolável e trago o Oxé nas minhas mãos.
Eu sou aquilo que você jamais poderá entender, eu sou o segredo que você não poderá saber.Eu sou a sua pergunta sem resposta.Eu sou a sua alteração de rota.Eu sou o seu plano não concluído, eu sou o seu amor melhor vivido, eu sou o conquistador que você nunca conquistará, porque meu destino é voar.
Eu sou dele e ele por vezes é meu, eu sou a definição do Sr. do Fogo e dos raios que cortam da Terra ao Céu."

KAWÔ KABELECILÊ!


Fio, não sei qual é o mal que lhe aflige no momento, mas seja ele qual for, físico ou espiritual, que tudo possa melhorar agora.
Que haja transformação em tudo aquilo que esteja estagnado em seu ser.
Que você possa ser curado no seu espírito, causa de sua vida e de seu destino.
Que os ventos da renovação soprem sobre os seus rumos e escolhas.
Que uma ternura secreta acalente os seus pensamentos.
Que o precioso toque sutil dos protetores espirituais lhe conforte.
Que os anjos da presença secretamente cantem por você.
Que haja um novo despertar em sua vida.
Que o cálido canto dos anjos aqueça o seu coração.
Que o seu mal seja curado, seja na Terra ou no Céu.
Que os anjos da presença compartilhem as bênçãos celestes em seu corpo, e em seu espírito.
Que haja luz em seu ser.
Que a tristeza, a dor e as mágoas sejam dissolvidas na luz.
Que você possa seguir com confiança, pois os anjos da presença estão ao seu lado.
Que as dores de agora, e os problemas do passado dêem passagem para o despertar espiritual se apresentar dentro de você.
Que o seu despertar seja radiante.
E que a sabedoria seja a sua nova parceira.
Que o amor, a eterna presença, esteja sempre com você!

-Preto Velho


Amado(a) Preto(a) Velho(a),

De joelhos peço a vossa presença ao meu lado direito e que através do meu lado sagrado, vós possa auxiliar-me e amparar-me neste momento de minha vida.

Peço ao senhor(a) que me equilibre energeticamente e acalme meu coração, para que equilibrado eu possa direcionar meus pensamentos e escutar as vossas palavras através do meu eu interior. Os meus desejos e pensamentos já foram registrados nas telas vibratórias divinas e já estou sendo irradiado pelas esferas afins com meu estado de espírito ao qual me encontro nesse momento.

Em sua imensa luz e sabedoria, interceda por mim, para que eu possa ser auxiliado pelas hierarquias de luz a qual estou ligado.

Mostre-me meus erros para que consciente deles possa retificá-los.

Ó meu amado Preto(a) Velho(a), seja a guia que me conduzirá a senda evolutiva do Divino Criador nesta terra de meu Deus, remova todos os buracos, pedras e obstáculos que tem me prejudicado.

Nunca deixe faltar a sabedoria necessária para que eu possa tomar as decisões certas e assim remover as situações que me perturbam;

Nunca deixe faltar saúde em meu corpo material, pois sem ela não consigo viver dignamente nesta terra;

Nunca deixe faltar o alimento de todo dia;

Nunca deixe faltar esperança em realizar os meus sonhos e projetos;

Em sua morada espiritual, zele por mim nesta terra de meu Deus.

Amém!

Mensagem de Dona Rosa Caveira

ESTEJA ATENTO

Não perdemos tempo com discussões sobre coisas terrenas e mesquinharias. A espiritualidade aqui está para trabalhar e não para discutir coisas banais ou sobre quem é melhor… Devemos sim elevar nossos pensamentos ao alto e clamar por virtudes, tais como: Amor, humildade, fé, compreensão. E pedir para estarmos sempre aptos para colocar em prática os ensinamentos que nos são passados, devemos expandir nossos conhecimentos, não só repassando, mas também aprendendo com nossos irmãos. Perante o altíssimo somos todos iguais, alguns pensam ter uma missão mais pesada que outros, mas são iguais perante o criador. Vamos procurar realiza-las sem que precisemos passar por cima de outros, pois agindo dessa maneira não estaremos cumprindo com nosso dever. Os defeitos que encontramos em nossos semelhantes podem ser eliminados ou diminuídos com nosso amor e compreensão, procurando mostrar um caminho melhor, sem arrogância e abuso de um “poder” que possamos vir julgar a ter. Devemos ter humildade para reconhecer que assim como nosso irmão possui defeitos nós também os possuímos, e, se queremos ser aceitos, também temos que aceitar e unidos procurar melhorar em todas as formas. Como pensas em evoluir se diante de uma folha em branco com uma pequena pinta preta só enxergas a pinta preta??? HUMILDADE é a palavra de ordem, seja humilde para reconhecer suas falhas, e procure ver no seu irmão em primeiro lugar suas virtudes. Ninguém é o dono da verdade absoluta, cada qual tem a sua verdade, ninguém pode lhe garantir que a verdade do outro seja menos verdadeira que a sua! Procure colher sempre o que há de bom por onde andar, sobre o que ouvir, e sobre o que seus olhos enxergam. Estamos num eterno aprendizado, vocês desse lado e nós do outro, também somos passíveis de erros, exatamente por isso estamos em evolução, esta que depende de vocês nossos aparelhos de trabalho. Então precisamos que estejam equilibrados para que possamos compartilhar o que aprendemos e para que possamos aprender com vocês, pois tudo é uma troca, e é nessa troca que crescemos, na prática do amor, da caridade, na prática da Umbanda no seu dia a dia, não só dentro do seu templo, devemos sempre expandir tudo que há de bom. Não passei anos e anos no vale das sombras para que após meu resgate fosse obrigada a presenciar as barbaridades que tenho visto, estou aqui em prol da minha evolução, da de meu aparelho e de todos que porventura passem em nosso caminhar. Me nego a trabalhar em um local onde não exista união, compreensão, amor, fé e alegria, usando aqui as palavras de um amigo querido: Onde houver fé, confiança e alegria, lá estarei. Trabalhando com amor, ajudando, resgatando, sofrendo junto, porque também sou possuidora de sentimento como vós. Estarei sempre ao lado de quem busca o crescimento, ajudando, amparando, protegendo e amando ao meu modo, meio brusco as vezes, muito verdadeiro sempre, pois estou aqui para falar a verdade, mesmo que as vezes ela doa. Mas é melhor ouvir uma verdade amiga, do que uma mentira que nos agrade de um falso amigo. Saibam que sempre poderão contar comigo trazendo suas dores, angustias e suas alegrias, porque não!!! Não terei a solução para todos os seus problemas não sou dona da verdade absoluta e nem de todo o conhecimento, posso aconselhar no que me compete e caberá a vós o destino que dará aos conselhos que receber e ao caminho que irá trilhar. Você é o responsável pela sua passagem terrena, faça bom uso dela e depois não queira culpar a terceiros pelo que não deu certo, temos o livre arbítrio. Hoje não vou falar mais nada, ainda tenho muito a dizer e quem tiver ouvidos que ouça.


 

Maria Navalha é Pombo gira?

Não!Ela pode vir numa Linha de Exu e Pombagira, pela falta de senso por parte dos dirigentes, por falta de conhecimento das pessoas, por não ter Gira SÓ de Malandros e Malandras, totalmente separados dos Exus e Pombagiras guardiães, por ignorância das pessoas, e devido alguns dirigentes não deixarem o médium incorporar mais entidades, as pessoas por não saberem, acham que não tem Malandro e Malandra, que só alguns tem e outros não, um erro pensar e agir assim ,todos tem , todos os médiuns sem exceção tem uma grande falange de entidades de luz, o caso é que alguns demoram a desenvolver no médium, ou mesmo demoram a se apresentar, mais se existe uma casa de umbanda, com um desenvolvimento bacana, todas as entidades vem.


EXÚ JOÃO CAVEIRA

É um Exú de Omolu
Trata-se de uma das falanges de entidades responsáveis pelo encaminhamento das almas (espíritos desencarnados) que vagam nos cemitérios para áreas de captação e triagem.
Normalmente é associado como estando localizado no portão do cemitério (calunga), mas sua ação é muito mais abrangente.
É uma entidade séria e de poucas palavras, normalmente indo diretamente ao assunto.
João Caveira pertence à falange do Exu Caveira.
Trabalha no cemitério, seu ponto se força é do lado direito do cruzeiro.
O tipo de seu trabalho é bem parecido com o do Exu Caveira.
Também é um Exú guardião chefe de falange.
É serventia do Ogum Megê e também do preto velho das almas.
Entre os Exús da linha de Caveira, existem: Tatá Caveira, João Caveira, Caveirinha, Rosa Caveira, Dr. Caveira (7 Caveiras), Quebra-Osso, entre muitos outros.
Como entidade é muito incompreendido e tem poucos cavalos. São raros os médiuns que o incorporam, pois tem fama de bravo e rabugento. No entanto, diversos médiuns incorporam Exús de sua falange.
A falange de Caveira é brincalhão, ao mesmo tempo sério e austero. Quando fala algo, o faz com firmeza e nunca na dúvida.
Tem temperamento inconstante, se apresentando ora alegre, ora nervoso, ora calmo, ora apressado, por isso é dado por muitos como louco.
No entanto, essa falange é extremamente leal e amiga, sendo até um pouco ciumenta.
Fidelidade é uma de suas características mais marcantes, por isso mesmo eles não perdoam traições e valorizam muito a amizade verdadeira. Considera a pior das traições a traição de um amigo.
Em muitas literaturas é criticado e são as poucas as pessoas que têm a oportunidade de conhecer a fundo.
O cavalo demora a adquirir confiança e intimidade com este Exú, pois é posto a prova o tempo todo.
No entanto, uma vez amigo de Caveira, tem-se um amigo para o resto da vida.Nesta e em outras evoluções.

 

Ifá / Orumilá
Ifá ou Orumilá é o deus da adivinhação. Suas vestes são brancas e êle usa o opelê para responder às perguntas no jôgo das adivinhas. Leva sempre consigo um saco contendo côcos de dendê.
Lendas
… Rivalidade entre Orumilá e Ossain
Orunmilá (Eleri Ipin), o testemunho do destino dos seres humanos, está precisando de um criado. Ele vai ao mercado e, entre os escravos que estão à venda ele escolhe Ossaim. Manda-o desmatar o campo para preparar as novas plantações. Entretanto, para desespero de Orunmilá, Ossain volta, à noite, sem ter cumprido sua ordem. Orunmilá o pergunta por que nada fez. Ossaim lhe responde:
“Todas essas plantas, estas folhas e estas ervas têm virtudes. Elas não podem ser destruídas. Esta folha por exemplo, acalma as dores de dentes; esta outra, protege contra os efeitos de trabalhos maléficos; esta outra, ainda, cura a febre. Impossível, em verdade, arrancar plantas tão necessárias à saúde e à felicidade!”
Orunmilá, impressionado, decide que Ossain deverá, a partir de então, permanecer ao seu lado durante as sessões de adivinhação, para guiá-lo na escolha dos remédios que deverá prescrever a seus consulentes. Uma surda rivalidade se estabelece, pouco a pouco, entre esses deuses. Ossaim, sofrendo por ser mantido em submissão, se vangloriava de ser mais importante que Orunmilá, pois ele possuía o poder da magia mortal e dos medicamentos que preparava. Ossain chegou a declarar ao rei Ajalayé que ele viera ao mundo antes de Orunmilá e, sendo mais antigo, tinha direito a seu respeito. O rei Ajalayé envia, uma mensagem a Orunmilá. Ele quer saber, entre ele e Ossaim, qual é o mais importante dos dois. Orunmilá responde ser ele mais antigo que Ossain. O rei decide submetê-los a uma prova. Ele os convoca, acompanhados de seus primogênitos. Orunmilá chega com seu filho chamado Sacrifício. Ossaim apresenta-se com o seu, chamado Remédio. Os dois serão enterrados durante sete dias. Aquele que sobreviver à provação e responder primeiro, com uma voz clara e forte, ao chamado que será feito, no fim do último dia, verá seu pai ser declarado vencedor.
Duas covas foram abertas. Sacrifício e Remédio foram colocados dentro e as covas firam fechadas. Orunmilá, voltando para casa, consultou Ifá. “Meu filho estará ainda vivo, passados os sete dias?” Ifá aconselhou-o a oferecer muito ekuru – um prato saboroso, bolo de feijão, pimenta, um galo, um bode, um pombo, um coelho e dezesseis búzios da costa. Orunmilá preparou a oferenda. Ela foi colocada em quatro lugares: na estrada, numa encruzilhada, diante de Exú e no mercado. Exú exerceu seu poder sobre o coelho sacrificado. Este ressuscitou e cavou um buraco que foi terminar na cova de Sacrifício, o filho de Orunmilá. Assim, o coelho levou alimento para ele.
Remédio, o filho de Ossaim, nada tinha para comer. Mas ele possuía alguns talismãs, que agiam sobre a terra e lhe permitiram, assim, encontrar Sacrifício no fundo da sua cova. Remédio pede-lhe comida. Sacrifício responde: ” Ah! Como posso eu, filho de Orunmilá, dar-lhe comida, quando há uma disputa em jogo? Tu não vês que assim causarás o sucesso de Ossaim, estando vivo para responder ao chamado que será feito no fim dos sete dias?” Remédio insiste e promete a Sacrifício permanecer calado quando for feito o apelo. Sacrifício, então, dá de comer a Remédio.
E chegou o final da prova. Os juízes chamam o filho de Ossain: “Remédio, Remédio, Remédio” Eles chamam em vão. Remédio não responde. “Bem! Remédio está morto”, concluem eles. Chamam, em seguida, o filho de Orunmilá: “Sacrifício!” Imediatamente, escutam um forte sim. Sacrifício está são e salvo! Remédio sai, em seguida, igualmente vivo. Ossaim pergunta ao filho a razão do seu silêncio, quando foi chamado o seu nome. Remédio narra o pacto feito com Sacrifício. Comida contra silêncio!
Este pacto tornou-se provérbio: “Sacrifício não deixa Remédio falar.” Significando que Sacrifício é mais eficaz que Remédio. Razão pela qual, Orunmilá tem uma posição mais elevada que Ossaim.

Pomba-Gira Menina é uma entidade muito carismática e

apreciada pelo por todos,pois adora trabalhar quando esta na terra e

suas médiuns são sempre pessoas alegres e de aparência feliz.Ela

trabalha para amor, união,concursos e tudo o que for a respeito de progresso

material! Mais como toda moça de sua idade é muito vaidosa e esta sempre

arranjando pretendentes para as suas médiuns que mesmo sendo pessoas de idade,seus pares são pessoas sempre bem mais novos.

Sua oferendas devem ser bem brilhantes e perfumadas, adora, rosas, incensos,banhos cheirosos, champanhe sem álcool e panos vermelhos... brincos e pulseiras,nunca podem faltar para quem quer fazer algum pedido a esta Pomba gira. Ela recebe suas oferendas nos cruzeiros e praias e em noites de lua cheia gosta de recebe-los em uma campina de baixo de uma árvore frondosa. Trabalha da linha de Iansã por isto quem não quer ficar solteira(o) apele para esta pomba-gira que fará seus trabalhos com muita alegria e

firmeza.

A cabocla Jurema tem vibração originária de Iansã, mas poderemos encontrar a mesma entidade trabalhando em outras vibrações como Jurema da Praia, na vibração de Iemanjá; Jurema da Cachoeira, na vibração de Oxum;Jurema da Mata, na vibração de Oxossi, e assim sucessivamente. É a mesma entidade, com vibração originária de Iansã, penetrando em outras vibrações de Orixás.

QUANDO ACABA UM TERREIRO DE UMBANDA

Um terreiro de Umbanda acaba quando a vaidade é maior que a caridade;
Um terreiro de Umbanda acaba quando a fofoca e a intriga são maiores que o estudo e a disciplina;
Um terreiro de Umbanda acaba quando a maledicência fala mais alto que a beneficência;
Um terreiro de Umbanda acaba quando a atração sexual fala mais alto que a união fraternal;
Um terreiro de Umbanda acaba quando a higiene física, astral e mental não é rigorosamente observada;
Um terreiro de Umbanda acaba quando falsos médiuns são admitidos pelo dirigente na corrente apenas com o intuito de aumentar a arrecadação financeira da casa;
Um terreiro de Umbanda acaba quando as “festas” e “homenagens” são mais importantes e concorridas que as “giras de atendimento” e “reuniões de estudo”;
Um terreiro de Umbanda acaba quando as “guias” (colares) são mais importantes que os “Guias” (mentores);
Um terreiro de Umbanda acaba quando os “pontos” são cantados sem emoção e quando os “pontos” são riscados sem noção;
Um terreiro de Umbanda acaba não porque os Guias se afastam dos médiuns, mas porque os médiuns é que se afastam dos Guias;
Um terreiro de Umbanda acaba quando se cobra o que NÃO DEVE SER COBRADO;
Um terreiro de Umbanda acaba quando NÃO SE COBRA o que deve ser cobrado;
Um terreiro de Umbanda acaba quando a “mágica” substitui a verdadeira Magia;
Um terreiro de Umbanda acaba quando o “visível” é mais importante que o invisível;
Um terreiro de Umbanda acaba quando faltam a ética, o bom-senso e o respeito;
Um terreiro de Umbanda acaba quando acabam a Fé, o Amor e a Verdade.

*Mensagem de Sr. Exu Marabô – recebida pelo médium Vanderlei Alves

 

FOFOCA NO TERREIRO: COMO ACABAR COM ELA



De todos os males que afligem uma Casa Umbandista, o pior de todos é a maledicência, popularmente conhecida como fofoca.

"Você viu fulana? Vem aqui no Terreiro só pra olhar a vida dos outros."
"É mesmo. Detesto gente assim"
"E sicrana? Você viu a roupa que ela está usando? Horrorosa."

Em todo terreiro a conversa se repete. Quem nunca fez um comentário malicioso sobre um irmão de santo?

Embora possam parecer inofensivos, esses comentários de canto de boca acabam prejudicando a todos e principalmente a Gira. Sem falar na corrente que fica totalmente enfraquecida.


A fofoca é sempre negativa. Não existe fofoca boa. Quase sempre ela é motivada pela inveja. Ela rouba a energia, tempo e o axé do terreiro, conquistado com tanto sacrifício.


É usada geralmente pelas pessoas mal sucedidas na vida, seja no campo material ou no espiritual. A pessoa de sucesso não está preocupada em criticar os outros. Esta focada na realização e não na opinião.


Não é só na Umbanda que ela está presente. Está presente em todas as outras religiões. E também em outros setores da vida social: no trabalho, na escola, na família, etc. 


Os estragos que ela trás podem ser irrecuperáveis, por isso é obrigação de todos cuidar para que ela acebe ou pelo menos seja minimizada. 


O primeiro passo, se você não quer ser alvo disso, é abster-se de emitir comentários a respeito de outras pessoas. É a tal história: se cada um fizer a sua parte.


Mas não temos como controlar a língua do outro. Mas nem por isso devemos retransmitir o que eles pensam. Assim sendo, evite de se prestar ao trabalho de "mensageiro de fofocas": se ouviu, entra por um ouvido e sai pelo outro, ou seja, esqueça!


O dirigente da Casa tem algumas técnicas que podem ser usadas. Primeiro, esclareça sempre os perigos da fofoca.

  • educar a todos sobre os efeitos negativos de fofocas sobre a moral dos outros médiuns.
  • discutir como causa a percepção desnecessários e prejudiciais dos outros que podem levar a conclusões erradas e prejudiciais sobre um indivíduo.
  • mencionar que a fofoca não é fato, mas em grande parte observações opinativas e julgamentos com base em uma falta de informação e perspectiva.
  • descrever os atributos de um fofoqueiro: alguém que se concentra apenas no negativo, que escolhe as fraquezas dos outros, e que não pode ser confiado com informações porque eles vão espalhá-lo como uma praga.
  • salientar que fofocar é um comportamento inaceitável e antiético.



Sabemos que é quase impossível acabar com a fofoca. Mas quanto mais importância dermos a ela mais ela cresce e pior fica o ambiente. 


Enfim, EDUCAR e VALORIZAR o diálogo aberto e em grupo.

O MAL DAS FOFOCAS E INTRIGAS DENTRO DE UM TERREIRO DE UMBANDA...

A Umbanda é uma religião livre e aberta a todos, ou seja: livre, pois não se prende a uma doutrina exclusiva e restritiva, permitindo a cada ramificação e a cada terreiro, exercerem a sua própria doutrina e seus próprios fundamentos de acordo com seus guias espirituais; aberta, pois recebe a todos sem preconceito de crença, cor, status social ou econômico, ou preferências sexuais.
As casas de Umbanda estão sempre com suas portas abertas a todos, se motivando pela caridade no ajudar ao próximo e na educação moral e espiritual do ser humano.
O “código moral umbandista” se baseia no respeito às diferenças, no respeito a todas as crenças, e a todas as formas de praticar a religião de Umbanda que existem no mundo.
Sem preconceito, a Umbanda acolhe a todos e a todos tem uma palavra de força, de fé de conforto. Porém, os terreiros não são perfeitos, pois o material de trabalho dos Guias e Orixás somos nós, seres humanos que têm defeitos, manias, maus hábitos, defeitos morais e espirituais que os Guias têm de conviver, e, aos poucos, quando a matéria permite modificações, eles as fazem de bom grado, mas sabendo que nem tudo é passível de mudança. Só tempo é com muita paciência e boa vontade (com uma dose de determinação e aceitação do médium) é que as mudanças podem ocorrer (Umbanda não faz milagres, muito menos, os Guias e Orixás).
Um dos piores defeitos morais coletivos que pode existir dentro de um terreiro é a “fofoca”, e, com ela, as intrigas. Se existem fofocas isso demonstra que também existem inveja, ciúmes, vaidades, soberba ... Ou seja, uma série de maus modos que têm como termômetro a fofoca.
Normalmente o “médium fofoqueiro” não faz essa prática por mal. Ele a faz por um vício que traz de casa, do convívio familiar e que não foi corrigido em tenra idade, e que acaba se tornando um vício que persegue a pessoa dentro da própria família, em suas relações pessoais, no trabalho e, infelizmente, dentro de uma casa espiritual (não só nos terreiros de Umbanda, mas nas casas espirituais em geral: Igrejas, Centros Kardecistas, Terreiros de Candomblé etc).
O “médium fofoqueiro”, muitas vezes, não tem ideia do mal que acaba fazendo, pois se torna compulsivo e involuntário nas palavras (a língua acaba sendo mais rápida do que o pensamento racional e moral). Com isso acaba gerando desconforto dentro do ambiente do terreiro, pois finda no jogo cruel e imoral do “jogar uma pessoa” contra as outra, ou outras; amigos contra amigos, irmãos contra irmãos; Pai/Mãe de Santo contra o ou os filhos; os filhos contra o Pai/Mãe de Santo. Ou seja, gera um caos, onde o “médium fofoqueiro” fica olhando e se divertindo com tudo aquilo, sem dar conta do estrago que está fazendo.
As situações podem chegar a um ponto tal que as próprias “entidades” do “médium fofoqueiro” passam a absorver esse mal, ou o médium passa a ser anímico a tal ponto que suas “entidades” passam a também fazer fofocas, tais como: “tem uma pessoa aqui no terreiro que diz ser sua amiga, mas que vai te passar a perna”; “você deveria tomar cuidado, pois tem gente aqui dentro de olho no(a) seu(ua) homem/mulher”; “o cavalo de fulano fez aquelas obrigações, mas o seu não faz ...”.
Essas situações são terríveis e acabam marcando o próprio médium, e, sem dizer, as suas “entidades”, pois acabam, ele/ela e as entidades, perdendo a credibilidade, a confiança. Nesse ponto, onde antes havia “o veneno pernicioso da fofoca” gerado pelo médium, ele acaba colhendo o próprio fel que plantou. Caindo em desgraça diante dos irmãos e da própria assistência, fazendo com que o Guia chefe da casa ou o próprio sacerdote chefe, acabe tendo que tomar medidas drásticas, como: a suspensão, a bronca pública ou mesmo a expulsão do médium do terreiro.
Porém, como lidar para que as coisas não cheguem a um ponto extremo de ter que expulsar um “médium fofoqueiro” de um Terreiro?
Inicialmente as queixas devem ser levadas ao Guia chefe da casa e/ou ao Sacerdote de comando do Terreiro, para que ele possa avaliar essas queixas. Caso as mesmas sejam pertinentes, o “médium fofoqueiro” deve ser chamado, tendo em vista que a pessoa não faz essa prática por ser ruim, mas porque tem problemas diversos (baixa estima; ciúmes inexplicáveis; é muito possessiva e não aceita dividir ou ter perdas; problemas de relacionamento em casa: marido, pais ou filhos; é uma pessoa, muitas vezes, amarga com a vida e com as pessoas em volta dela, frustrada nos relacionamentos pessoais, nos relacionamentos familiares, no trabalho ou com sua própria aparência etc). Assim deve-se tem muito tato para conversar com o médium para que ele não se sinta perseguido ou constrangido (Normalmente o “médium fofoqueiro” e uma pessoa que se sente perseguida diante de qualquer problema, principalmente dentro daqueles que ela tenha provocado – isso é uma forma de autoproteção ou fuga do problema. Também se sente constrangido por qualquer motivo e diz, gaguejando, que não foi ele/ela colocando a culpa em outrem ou em ciúmes e invejas; chora copiosamente ou, em casos de fuga, se deixa receber um kiumba que diz que “vai levar, foi trabalho mandado ou algo do gênero”, fazendo muito estardalhaço e sendo agressivo). No todo a conversa deve ser franca é concentrada no problema colocado e se a pessoa tem idéia do que fez, buscando-se sempre os motivos (coerentes ou não).
O “médium fofoqueiro” deve entender que aquele tipo de prática não pode existir dentro do terreiro, ficando claro que punições são cabíveis a esse tipo de prática, podendo chegar à expulsão. Caso as coisas tenham ido para o lado dos Guias do “médium fofoqueiro”, os mesmos devem ser convocados e chamados à atenção, pois não estão cuidando do “cavalo” devidamente, e, acima de tudo, estão permitindo o animismo e a falsa espiritualidade residirem no médium.
O sacerdote também deve buscar saber o estado espiritual e mental do médium para que ele possa ser tratado e/ou cuidado (se for espiritual no espiritual, o Guia chefe da casa deve ser consultado para ver o que pode ser feito em termos de descargas, banhos, oferendas e/ou obrigações; se for no material/mental, deve-se indicar um Guia da casa para acompanhar o médium, e, dependendo da gravidade do problema, um psicólogo, terapeuta ou mesmo um psiquiatra, deve ser recomendado).
O “médium fofoqueiro” deve ser sempre monitorado até que os problemas sejam sanados, e o bem estar volte à comunidade como um todo.
O trabalho espiritual é constante e não adianta acreditar que as coisas irão se resolver sozinhas ou pelo Astral Superior. Esse é um pensamento muito comodista, pois as coisas dos homens, em geral, são resolvidas pelos próprios homens ou com apoio e intervenção da espiritualidade através dos Guias. Se as coisas são deixadas de lado por medos vários, elas tendem a crescer a um ponto do insuportável, onde acabamos tomando medidas ou posicionamentos extremos, onde poderíamos ter uma ação mais preventiva ou pró-ativa para evitar ou sanar os problemas.
E por falar em Fofoca ou Maledicência gostaria de esclarecer que é o ato de falar mal das pessoas. Definição bem amena para um dos maiores flagelos da Humanidade. Mais terrível do que uma agressão física. Muito mais do que o corpo, fere a dignidade humana, conspurca reputações, destrói existências. Mais insidiosa do que uma epidemia, na forma de boato – eu “ouvi dizer” – alastra-se como rastilho de pólvora. Arma perigosa, está ao alcance de qualquer pessoa, em qualquer idade, e é muito fácil usá-la: basta ter um pouco de maldade no coração.
Toda pessoa não suficientemente realizada em si mesma tem a instintiva tendência de falar mal dos outros. Diminuir o valor dos outros dá ao maledicente a grata ilusão de aumentar o próprio valor. A imensa maioria dos homens não está em condições de medir o seu valor por si mesma. Necessita medir o seu próprio valor pelo desvalor dos outros. Esses homens julgam necessário apagar as luzes alheias a fim de fazerem brilhar mais intensamente a sua própria luz. São como vaga-lumes que não podem luzir senão por entre as trevas da noite, porque a luz das suas lanternas fosfóreas é muito fraca.
Tribunal corrupto, nele o réu está, invariavelmente, ausente. É acusado, julgado e condenado, sem direito de defesa, sem contestação, sem misericórdia.
De todos os males que afligem uma Casa Umbandista, o pior de todos é a maledicência, popularmente conhecida como fofoca.
"Você viu fulana? Vem aqui no Terreiro só pra olhar a vida dos outros."
"É mesmo. Detesto gente assim"
"E sicrana? Você viu a roupa que ela está usando? Horrorosa."
Em todo terreiro a conversa se repete. Quem nunca fez um comentário malicioso sobre um irmão de santo?
Embora possam parecer inofensivos, esses comentários de canto de boca acabam prejudicando a todos e principalmente a Gira. Sem falar na corrente que fica totalmente enfraquecida.
A fofoca é sempre negativa. Não existe fofoca boa. Quase sempre ela é motivada pela inveja. Ela rouba a energia, tempo e o axé do terreiro, conquistado com tanto sacrifício.
É usada geralmente pelas pessoas mal sucedidas na vida, seja no campo material ou no espiritual. A pessoa de sucesso não está preocupada em criticar os outros. Esta focada na realização e não na opinião.
Não é só na Umbanda que ela está presente. Está presente em todas as outras religiões. E também em outros setores da vida social: no trabalho, na escola, na família, etc.
Os estragos que ela trás podem ser irrecuperáveis, por isso é obrigação de todos cuidar para que ela acebe ou pelo menos seja minimizada.
O primeiro passo, se você não quer ser alvo disso, é abster-se de emitir comentários a respeito de outras pessoas. É a tal história: se cada um fizer a sua parte.
Mas não temos como controlar a língua do outro. Mas nem por isso devemos retransmitir o que eles pensam. Assim sendo, evite de se prestar ao trabalho de "mensageiro de fofocas": se ouviu, entra por um ouvido e sai pelo outro, ou seja, esqueça!

Deixo por isso um pequeno trecho de uma história passada com o conhecido Filosofo Sócrates:

As três Peneiras
A história que passamos abaixo é de um dos homens mais cultuados pela humanidade desde que deixou o planeta. A sabedoria é milenar e nós como eternos aprendizes concordamos com essa sabedoria e seus compiladores, que para os Guerreiros da Luz, são os ILUMINADOS
Um rapaz procurou Sócrates e disse que precisava contar-lhe algo.
Sócrates ergueu os olhos do livro que lia e perguntou:
- O que você vai me contar já passou pelas três peneiras?
- Três peneiras?
- Sim. A primeira peneira é a VERDADE. O que você quer contar dos outros é um fato? Caso tenha ouvido contar, a coisa deve morrer aí mesmo. Suponhamos então que seja verdade.
Deve então passar pela segunda peneira: a BONDADE. O que você vai contar é coisa boa? Ajuda a construir ou destruir o caminho, a fama do próximo?
Se o que você quer contar é verdade e é coisa boa, deverá passar pela terceira peneira: a NECESSIDADE. Convém contar? Resolve alguma coisa? Ajuda a comunidade? Pode melhorar o planeta e, arremata Sócrates:
-Se passar pelas três peneiras, conte! Tanto eu, você e seu irmão nos beneficiaremos. Caso contrário, esqueça e enterre tudo. Será uma fofoca a menos para envenenar o ambiente e levar discórdia entre irmãos, colegas do planeta.
Devemos ser sempre a estação terminal de qualquer comentário infeliz.
Não esqueça!
PESSOAS MEDÍOCRES FALAM SOBRE PESSOAS!
PESSOAS COMUNS FALAM SOBRE COISAS!
PESSOAS INTELIGENTES FALAM SOBRE IDÉIAS!
(SÓCRATES)

Click here to edit

Click to enter text

Exu não coroado trabalha mas Exu coroado vigia e tira.
Oh meus Zeladores vamos ter mais paz uns com os outros.

PAI TOBIAS

Muitas vezes queremos tudo para nós e esquecemos que cada um tem um espaço de vida como momento de ficar só.
Então vem a chamada chama do egoísmo oculto ferindo quem nos dedica uma vida.
Pensem meus filhos, ninguém é dono de ninguém. Cada um tem suas limitações de espaço, tempo e dedicação.

Pai João da Caridade

quem persegue, é tão fragil...que jamais se protegerá da força de uma pessoa espiritual!

Pomba Gira Maria das 7 Encruzilhadas

João Caveira

João Caveira é o nome de uma falange de exu de Umbanda (entidade espiritual) da Quimbanda e Umbanda brasileira. Trata-se de uma das falanges de entidades responsáveis pelo encaminhamento das almas (espíritos desencarnados) que vagam nos cemitérios para áreas de captação e triagem. É representado por um homem carregando um crânio humano. Em outra versão é a própria caveira em pé. Normalmente é associado como estando localizado no portão do cemitério (calunga), mas sua ação é muito mais abrangente. Suas manifestações mediúnicas são ocorrentes nos terreiros. É uma entidade séria e de poucas palavras, normalmente indo diretamente ao assunto.
João Caveira pertence à falange do Exu Caveira, que por sua vez é regida pelo orixá Omolu. Trabalha no cemitério, seu ponto se força é do lado direito do cruzeiro, trabalha muito com Exu Caveira, algumas lendas falam que João Caveira é filho do Sr. Omulu. É serventia do Ogun Megê,e também do preto velho das almas. O tipo de seu trabalho é bem parecido com o do Exu Caveira. Também é um exu guardião chefe de falange.

Características

Bebida - Marafo, Whisky, destilados
Guia - preta e branca,preta e amarela ou toda preta
Lugar - Calunga pequena
Vela - Pretas, Vermelhas, Brancas

Se houver uma crítica não discuta. Silencie. Pois é muitas vezes aprendizado a mais que recebemos.
Ninguém é dono da verdade. Até nos Espíritos na condição de ajudante aprendemos constantemente.
Jamais discuta por coisas e fundamentos espirituais.
Cada um esta no seu nível proposto evolutivo.

Pai Cambinda


Meus fios Vovô Pai João pede ocêis que rezem pelos irmãos da Mãe África que estão sofrendo e sofreram impactos de guerra.
Lá estão matando por intolerância meus filhos e um ditador subirá.
Fios rezem pois Nanã levou pra ela seu fio Madiba. Rezem fios em todas Giras.

Pai João da Caridade

Ogunhê meu Pai.

Com tua espada corte demandas físicas e espirituais.
Forças, parasitas e formas que atrapalhem nossa caminhada.
Corte cordas, artifícios e quebre lanças com teu Peito forte como aço meu Pai Ogum.

Te saudamos oh Rei das Lutas!

Sexta -feira é dia de vestir branco e louvar o Pai Maior Oxalá.

Fios, mas se num vestir o branco da Paz na Alma num adianta por roupagem branca.

Vovó Cambinda

Não me pergunte o que você não quer escutar; Sou doce como o mel, mais não irei disfarçar a verdade para ver seu sorriso.
Não pense que eu irei encobrir suas maldades, sou Guardiã da tua vida, não escrava de tuas indagações.
Quero que você cresça e ganhe luz, não que você passe por cima de ninguém pra conseguir o q deseja, porque nem sempre é o que você merece e nem o que é melhor para você.


“Mas se a tristeza tem dia, tua força me guia, meu caminho é o mar. E que me lancem as pedras, Yemanjá faz areia pra não machucar.”

Odoyá, salve as águas salgadas Yemanjá!

"A fumaça que sai do meu cachimbo, forma nuvens quando encontra o céu, e das lágrimas que me caem do rosto, nascem rios que correm sem gosto, formando na terra o mais belo ilhéu. Sou preto, sou velho, fui escravo, fui por Deus coroado. Hoje espalho no mundo mensagens de fé,
trazendo esperança com minha humildade, deixando sementes de caridade, secando a mentira e regando a verdade. Trago comigo arruda e guiné, caminho descalço em cima de espinho, quebro mironga e curo doença, habito cabana ao pé de cruzeiro, trabalho aqui e no mundo inteiro. Sou preto, sou velho, fui escravo, venho por Deus ordenado..."
Salve Eles! Salve 13 de maio!


Apesar de toda a história de dor, injustiça e sofrimento enfrentado pelos negros no Brasil, após passarem pela sofrida expiação, desencarnaram e alcançaram a evolução.
Foram acolhidos por Zambi e Oxalá na Aruanda e hoje em dia baixam em nossos terreiros, trazendo a paz, a sabedoria e, principalmente, ensinando-nos a importância do amor ao próximo, da humildade e da caridade.

Adorei as Almas!


''Todo dia era dia de choro e de muita dor
Mesmo assim uma escrava chegava de bom humor
Quem chorava passava a sorrir
Quem caia ficava de pé
Ela era a esperança o amor e a fé
Na passagem de um mundo pro outro seu povo sentiu
E aquela doçura e alegria não mais existiu
Ela disse que ia voltar precisando pode lhe chamar
Pra Aruanda o tambor pode tocar
Conga, Vó Maria Conga
Que saudades de você
Preta velha feiticeira rainha do Cateretê''

Ahh que saudades Vovó!


Ao pedir ajuda a linha de Ibejí, faça-o com o coração isento de mágoas e amarguras. Por serem extremamente positivos, afastam-se das pessoas interesseiras, com pensamentos negativos e egoístas.
São raros os filhos de Ibejí, por não suportarem sentimentos negativos, escolhem a dedo os seus filhos, na realidade preferem ficar perto das crianças, enquanto manterem a inocência.

Tranca Rua vem na frente pra dizer quem ela é
Ela é a pombo gira rainha de quem tem fé


OQUE É SER MÉDIUM ?

Ser médium é... ter um dia daqueles e ainda ter força para vestir branco e trabalhar;
escutar um conselho dirigido a uma pessoa, mas entender que ele também é pra você;
é saber pisar devagar para não se machucar.
Ser médium é se aventurar em matas, praças e cemitérios para realizar tarefas pouco usuais;
entender que é apenas um instrumento da fé de quem o procura;
dormir na esteira no inverno para louvar Orixá;
ser confundido com um médico só por estar todo de branco.
Ser médium é ver coisas que até Deus duvida.
É carregar guias e mais guias no pescoço...
... e entender que elas não te fazem melhor ou pior.
É superar as pegadinhas do universo e chegar ao centro no horário combinado;
explicar, de uma vez por todas, que macumba é um instrumento musical;
dar conselhos inimagináveis a um amigo sem perceber;
entrar e sair imediatamente de um lugar suspeito, mesmo sem ter explicação;
é acordar de madrugada para fazer anotações sobre sonhos.
Ser médium é ter de esquecer os problemas pessoais na marra pra poder auxiliar quem tem complicações ainda maiores, por mais improvável que isso possa parecer.
É entender que todo dia é um recomeço...
É silenciar e escutar uma voz que, de longe, insiste em dizer: “vai dar tudo certo. Estou com você”.


Meu senhor das estradas,
Ogunhê !!
Abra meus caminhos,
Ogunhê !!
Meu senhor da porteira,
Ogunhê !!!
Ele é meu pai, Ogum Xoroquê ♪

Arreda homem que ai vem mulher
Já chegou Maria Padilha rainha do cabaré ♪

Guardião Quebra Galho

Exu Quebra Galho é o segundo exu na hierarquia comandada por Exu Calunga possui vários poderes , principalmente nas matas e sua presença é logo sentida pelos estalos dos galhos, exerce forte domínio sobre as mulheres incitando-as à prostituição.É a entidade mais solicitada para trabalhos de amarração ou separação ,e são feitas com boneco de madeira tosca e entregue a este Exu.


***HOMENAGEM A RAINHA DAS SETE ENCRUZILHADAS***

Doce olhar, enigmático, que vê através da alma,
Doce sorriso, linda mulher, puro desejo ,desejo de amor, de Fé, de paz, de conquista.
Gargalhada gostosa que desfaz a ilusão...
Ela faz,ela desfaz, ela dá, ela tira
Ela abre e fecha caminho. Ela diz sim, diz não.
Ela desmancha, ela começa, ela é noite,a lua, é o perfume o rebolado.
Ela é o requebre o jogo de cintura
Linda mulher, longos cabelos negros
Ela é Encruzilhada, o sim, o não...
Qual escolha? Quem sabe? ELA sabe!
Pura magia, e das boas!
Ela não é uma não,um caminho só?! Nem pensar! Se é para crescer tem que ser em 7, 7 níveis, 7 planos, 7 caminhos,7 sentidos!
Pura força feminina, coroada ,e que força!!!
Brincos, pulseiras, champanhe, é pouco, merece mais respeito,carinho e Fé.
Doce quando quer, feroz quando precisa, humilde por gratidão!
É guardiã,conhece mistérios divinos, e deles vela, protege, cobra, é Pomba-Gira Executadora.
Quem não conhece,n ão fale mal
Quem conhece, que lhe dê valor,
Trabalhadora da lei, ela é Rainha das Sete Encruzilhadas.

Autor desconhecido

Lute por aquilo que você acredita. Nunca chore e nem ria antes do tempo.E não procure Exú apenas quando precisa, pois um dia ele não estará mais lá para te ouvir.

(Exú Marabô)



“Um raio que cai sobre a árvore representa o simbólico sentido que mesmo o firme pode cair sobre as vontades da lei, um raio que cai sobre o mar representa o simbólico sentido que o mole nem sempre é fraco e que o fraco pode ser o firme, para tanto, muitas vezes meu fio, aquele que mais tem dificuldade de amar é o que mais precisa de amor”.

Pai Benedito de Aruanda


O BANHO DE PIPOCA

O Banho de Pipoca ou como Chamamos Banho de Omulu é o mais indicado para isso por retirar de uma só vez essa carga negativa excessiva desde que seja feita corretamente pelo realizador e pelo médium afetado
Banho é feito único e exclusivamente com Pipoca estourada com dendê sem sal ou qualquer condimento, é necessário o uso de um pano branco grande como exemplo um lençol para que de preferencia nenhuma pipoca possa cair para fora do lençol.

inicia-se o Cânticos iniciando sempre por Oxalá que é o Rei do Orixás após Cantamos para Omulu e Obaluaê que são os responsáveis pelo descarrego levando para a terra elemento dominante os miasmas e energias negativas.

Após é recolhido toda a pipoca e descarregada em água corrente por uma pessoa de preferencia alguém preparado pra isso.


Vou acender velas para São Jorge,
A ele eu quero agradecer,
E vou plantar comigo-ninguém-pode
Para que o mal não possa então vencer

Oração à São Jorge

Ó São Jorge, meu Santo Guerreiro, invencível na fé em Deus,
que trazeis em vosso rosto a esperança e a confiança,
abri meus caminhos. Eu andarei vestido e armado com vossas armas
para que meus inimigos, tendo pés, não me alcancem; tendo mãos,
não me peguem; tendo olhos, não me enxerguem;
nem pensamentos possam ter para me fazerem mal.
Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, flechas e lanças se quebrarão
sem a meu corpo chegar, cordas e correntes se arrebentarão
sem o meu corpo amarrar. Glorioso São Jorge, em nome de Deus,
estendei vosso escudo e vossas poderosas armas,
defendendo-me com vossa força e grandeza. Ajudai-me a superar todo desânimo
e a alcançar a graça que Vos peço (fazer aqui o seu pedido).

Dai-me coragem e esperança, fortalecei minha fé e auxiliai-me nesta necessidade.

Rezar um Pai-Nosso e uma Ave-Maria e fazer o sinal da cruz.


Você nunca estará sozinho(a) porque Ogum está sempre contigo!!!

Axé de Ogum para todos

 

ORI RACHADO!

Já ouviram esta expressão? Nem eu! Mas vou falar sobre o que me toca o momento, segundo a visão ritualística do candomblé todos nós devemos satisfazer nosso ORI ( centro - cabeça ), ORI é um ORIXÁ parte, simbolicamente entregue as mãos de Yemonjá - por Obatalá, cabe para tanto a responsabilidade de todo ORI as "mãos" de Yemonjá.

Outra visão compadecida deste ramo ritualísticos é de que, o ORIXÁ só se manifestará quando o ORI estiver devidamente preparado, entendendo que, o ORIXÁ tem total consciência e não precisa necessariamente de preparo, quem precisa é o ORI, ORI DO MÉDIUM.

Partindo do ponto psico-espiritual é plausível entender, sem qualquer ideia de confronto, que, o preparo do ORI não é dado apenas aos dotes "espirituais" e sim também aos dotes "psíquicos", encarando por verdade que uma iniciação no candomblé é muito dada por irradiações cognitivas, ou seja, repetições de verdade a mente do vinculado.

Para a umbanda o preparo do ORI é dado de forma mais indireta, sem muitas menções, todavia a mesma gama de cognições é entregue ao iniciado, meios diferentes! Fim semelhante.
Posso estar absurdamente enganado! Mas o que estou querendo propor aqui é uma igualdade de pesares, vejo muito "como vejo" candomblecistas depreciando o sentido da umbanda, tão quanto vejo umbandistas depreciando o sentido do candomblé, nós talvez estejamos criando o desprover do ORI central, nossa intolerância, nossa vaidade, nossa soberba por muito afasta a pureza orixá de nosso caminho, compactuo do pensar que, você pode ter sofrido diversas iniciações, ter buscado a energia de diversas irradiações, contudo, caso se utilize de atitudes impuras segundo o "todo", como, ganancia, levianidade, injustiça, maldade, enfim, anulará toda e qualquer irradiação que busca ou buscou trazer para seu meio.

É triste dizer, fato é! Muitos médiuns existem! Muitos iniciados na matéria mas poucos verdadeiramente estão iniciados no espiritual.

Quem acredita saber de todas as verdades já demonstra que não sabe, aqui apenas uma visão, enganado ou não é a minha humilde colocação, que possamos "os interessados" refletirem sobre esta passagem, fim de, alavancarem a consciência que lhes define.
Não deixe seu ORI rachar! Busque a humildade! Busque a sua consciência, encontre o seu ORI meio as verdades do seu Orixá, estamos aqui para aprender! Crescer! Estamos aqui para verdadeiramente viver.

Axé


Que seja eu abençoado na Fé que me guia,

E que tenha eu a coragem para enfrentar os dragões que se atravessam em minha frente,

Que seja eu digno de carregar as bênçãos do Guerreiro de Deus e ajudar meus irmãos na Terra,

E Afaste de mim aqueles que não são irmãos na fé da paz que procuro, e que só buscam o desentendimento entre os homens.

Assim Seja e Salve São Jorge Guerreiro!!!


Olha a paz que transmite esse olhar, faça seus pedidos!

Adorei as almas, venham nos proteger

Sou a fuga para alguns, a coragem para outros.
Sou o tambor que ecoa nos terreiros, trazendo o som das selvas e das senzalas.
Sou o cântico que chama ao convívio seres de outros planos.
Sou a senzala do Preto Velho, a ocara do Bugre, a cerimônia do Pajé, a encruzilhada do Exu, o jardim da Ibejada, o nirvana do Indu e o céu dos Orixás.
Sou o café amargo e o cachimbo do Preto Velho, o charuto do Caboclo e do Exu; o cigarro da Pombo-Gira e o doce da Criança.
Sou a gargalhada da Padilha, o requebro da Cigana, a seriedade do Tranca-Rua.
Sou o sorriso e a meiguice de Maria Conga e de Cambina; a traquinada de Mariazinha e Doum e a sabedoria de Ubiratan.
Sou o fluído que se desprende das mãos do médium levando a saúde e a paz.
Sou o isolamento dos orientais onde o mantra se mistura ao perfume suave do incenso.
Sou o Templo dos sinceros e o teatro dos atores.
Sou o mistério, o segredo, sou o amor e a esperança.
Sou a cura.
Sou de ti.
Sou de Deus.
Quem eu sou?
Sou a Umbanda

Ajudai-me Mamãe Oxum, protegei-me agora e sempre. Perdoe-me pelas minhas falhas. Perdoai os meus erros e as minhas omissões

Que o senhor nos guie a caminhos de prosperidade e fartura que o senhor domina e que seu ofá esteja sempre a nosso favor, lançando flechas para que alcancemos nossos objetivos e que não nos alcancem nossos inimigos ...


Retire a jangada do mar, mãe d'água mandou avisar que hoje não pode pescar, pois hoje tem festa no mar, iêiêiêiêiêiêiê Iemanjá, ela é, ela é a rainha do mar, traz pente, traz espelho, ôôôô, pra ela se enfeitar, ôôôô, traz flores, traz perfumes que é pra pôr no mar...
Odoyá