Centro Pai João de Angola

 PONTOS CANTADOS

Nas diversas religiões existentes e que já existiram desde a Antiguidade, encontramos o cântico, a louvação como forma de expressão do amor a Deus, e na Umbanda, não poderia ser diferente, onde existem os pontos cantados, que possuem diversas atribuições, como passaremos a explicar.

Em primeiro lugar, os pontos cantados são a forma pela qual saudamos os Orixás, Entidades e Guias da Umbanda, o ponto representa uma oração, um pedido que fazemos para que nossos protetores estejam sempre olhando por nós, abençoando-nos e nos livrando dos males.

É, também, uma poderosa ferramenta para a concentração necessária dos médiuns e da assistência do ritual, para que seja invocada a falange durante as giras nos terreiros. Com a utilização do atabaque, forma um elo para a chamada dos falangeiros dos Orixás e demais entidades.

Os pontos mais tradicionais são cantados há  um século, desde os primórdios da Umbanda, trazidos pelas entidades e falanges. Por isso, são freqüentes as utilizações dos elementos que estas entidades utilizam em seus trabalhos, que os fortalecem, como por exemplo, o fogo, a água, a terra, o ar, dependendo da Linha que identifica a entidade: Xangô - a pedreira, ou machado; Oxóssi – a mata, as flechas, as folhas; Iemanjá – o mar, as ondas, e assim por diante.

A Umbanda mais tradicional, ou aquela iniciada com o Caboclo das Sete Encruzilhadas, traz os pontos cantados acompanhados pelo som das palmas dos médiuns e assistentes das giras, sendo que com o tempo, os atabaques foram introduzidos na percussão associando o ritmo com os toques das nações de Angola, Ketu, Jejê ou Nagô; mas mesmo que tenha havido essa fusão de ritmos, tal fato não desmerece aquele terreiro que usa o atabaque ou o que segue somente com as palmas o acompanhamento dos pontos cantados. O essencial e importante no culto à Umbanda é verdadeiramente a prática da caridade e a assistência aos consulentes que batem às suas portas atrás de solução e amparo para seus problemas cotidianos e espirituais.

O atabaque é um instrumento que possui grande respeito na Umbanda, pois é através do seu toque correto que chamamos os espíritos atuantes na Umbanda, representantes da força dos Orixás e de Zambi. Tem sua origem nos tambores das festas das tribos indígenas e das aldeias africanas, quando se louvavam os deuses e orixás.

O som produzido pelos atabaques representam verdadeiros códigos de chamada das entidades e guias, são como um acesso ao plano espiritual, onde chegam, formando um elo energético entre a falange e a gira do terreiro onde se chama por ela, em seus trabalhos.

Os atabaques têm importância fundamental para os terreiros de Umbanda, sendo instrumento sagrado, consagrado e firmado pelos Orixás e guias, devendo os Ogãs respeitarem também todo um preceito e fundamento para poderem tocá-los durante as giras de Umbanda, já que ao atabaque corresponde um Orixá, tendo suas obrigações a serem feitas.

Os atabaques são de três tipos diferentes: Rum, Rumpi e Lê. O Rum é o atabaque maior, o Rumpi, o segundo atabaque maior, que deve responder ao Rum, e o Lê o terceiro atabaque utilizado pelos ogãs principiantes ou em aprendizado.

Os pontos cantados são de fundamental importância para estabelecer o padrão vibratório dos terreiros durante as giras, devendo ser realizados com responsabilidade e respeito, tanto pelos Ogãs, quanto pelos demais integrantes do corpo mediúnico, já que sua força é tanta que responde pela firmeza da casa espiritual. Muito se ouve dizer que pontos cantados com firmeza e responsabilidade são responsáveis por manter um terreiro, ou por outro lado, destruí-lo.

Quanto à finalidade, os Pontos Cantados podem ser:

- Pontos de chegada e partida;

- Pontos de vibração;

- Pontos de defumação;

- Pontos de descarrego;

- Pontos de fluidificação;

- Pontos contra demandas;

- Ponto de abertura e fechamento de trabalhos;

- Pontos de firmeza;

- Pontos de doutrinação;

- Pontos de segurança ou proteção (são cantados antes dos de firmeza);

- Pontos de cruzamento de linhas;

- Pontos de cruzamento de falanges;

- Pontos de cruzamento de terreiro;

- Pontos de consagração do Congá;

Os principais pontos utilizados no ritual Umbandista são: ponto de abertura, ponto de defumação, ponto de chamada (entoados para evocação das Entidades), ponto de encerramento e hino da umbanda.

Costuma-se definir, ainda, os pontos cantados como verdadeiros mantras entoados em preces e louvação que evocam os espíritos superiores, fortalecendo os centros de energia, nossos chacras, formando juntamente com a egrégora de espíritos superiores presentes nos terreiros durante as giras um ambiente de luz, capaz de dissipar as energias nocivas e miasmas inferiores e de livrar, muitas vezes, os encarnados da perseguição de obsessores, espíritos vingativos ou perversos aos quais estejam ligados.

Por trás de todo ponto cantado existe a magia, a “mironga” da entidade que o trouxe. É por isso de fundamental importância que as “curimbas” sejam louvadas com concentração, fé, amor e sintonia para que as ondas sonoras produzidas sejam capazes de evocar a entidade, falange ou linha espiritual que se requisita no terreiro, e que o responsável pela curimba tenha conhecimento do fundamento esotérico (oculto) da canção.

Os pontos cantados mudam de ritmo e mesmo de freqüência de acordo com as vibrações espirituais:

- Oxalá - são sons místicos, predispondo à paz e as elevação espiritual;

- Ogum - são sons vibrantes;

- Oxossi - sons que lembram a harmonia da natureza, mais acelerados;

- Xangô - sons graves e cantados em tom baixo;

- Ibeji - sons alegres, vibrantes;

- Yemanjá, Oxum - sons suaves, emotivos;

- Iansã - sons vibrantes, estimulantes.

Quanto à origem, os pontos cantados classificam-se em:

- Pontos de Raiz: são aqueles ditados pelas entidades, que os trazem dos Planos Superiores onde habitam, fazendo dele sua chamada particular ou da falange que integra. Ativam uma linguagem espiritual referente aos sons que o ponto emite, estabelecendo uma conexão vibratória entre o plano físico e o plano espiritual. Tais pontos de forma nenhuma devem ser alterados, já que são direcionados e estabelecidos pela entidade ou falange para fins específicos.

- Pontos Terrenos: São os pontos criados pelos encarnados para homenagear o Orixá, uma falange ou determinada entidade, sendo aceitos pelos Guias e Entidades desde que providos de razão e bom senso. Às vezes, porém, nos deparamos com pontos criados pelos encarnados que nos causam verdadeiro espanto, quando não tristeza. São composições "sem pé nem cabeça", destituídas de fundamento, com frases ingênuas e sem nenhum nexo, chegando algumas a denegrirem os reais valores umbandistas.

Os pontos cantados têm a função de abrir, desenvolver e encerrar os trabalhos da corrente mediúnica, do trabalho espiritual. É necessária a concentração de todos os participantes para a sintonia vibratória, para que as entidades possam encontrar um ambiente propício ao trabalho a ser realizado durante a gira. Juntamente com os demais componentes da ritualística da Umbanda, trazem força aos trabalhadores encarnados e desencarnados dessa poderosa Religião para o trabalho preconizado pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas, pautados no amor ao próximo e no exercício da caridade.


Ponto Cantado oxala
 PONTOS DE OXALÁ


1-
Abre a porta, oh gente
Que aí vem Jesus
Ele vem cansado
Com o peso da cruz
Vem de porta em porta
Vem de rua em rua
Pra salvar as almas
Sem culpar nenhuma

2-
Oxalá, meu Pai
Oxalá, meu Pai
Quem é seu filho de fé
Balanceia, mas não cai.

3-
Oxalá, seus filhos lhe pedem auxílio
Vinde a eles ajudar
Derramai vossos olhos piedosos
A estes filhos de fé.


4-
Maior do que Deus ninguém
Maior do que Deus não há
Ora viva Deus, meus irmãos
São tantos os que mandam nesta terra
Maior é Deus


5-
Jesus Cristo é nosso Pai aruê
É filho da Virgem Maria aruê
Lá do alto do calvário aruê
É a estrela que nos guia aruê


6-
Nós vamos nos curvar
Perante a luz de Deus
Rogamos ao nosso Pai
As bênçãos pros filhos seus


7-
Bendito, bendito Jesus
Filho da Virgem Maria
Expande a Vossa Luz
No reinado deste dia


8-
Estrela de Oxalá brilhou, brilhou
Estrela de Oxalá no jacutá chegou


9-
Salve o mar sagrado
Por onde caminhou Jesus
Abençoai meus passos
Para que eu possa carregar a minha cruz


10-
Oh pescador da Galiléia
Tu és discípulo de Jesus
Segue com esse filho amado
Que no espaço segue a luz

 


11-
Lá no alto da montanha
Eu ouço o grito de Jesus
Eu sofro tanto, oh Virgem Santa
Ajuda a carregar a cruz
Oh Maria, oh Maria
Vós que sois enviada por Deus
Oh Maria, oh Maria
Auxiliai esses filhos seus

12-
Olha que cruz tão pesada, senhor
Foi que Jesus carregou


13-
Justina, tu és uma estrela
Que guiou o nosso guia ao redentor
Guiai-me com o seu castelo
Aos pés da Virgem Maria Imaculada



14-
Nossa Senhora pediu
Ao seu filho redentor
Que não deixasse esse mundo
Tenha dó dos pecadores


15-
Ora viva Deus, ora viva Jesus
Ora viva a fé, na Santa Cruz


16-
A nós desceu divina luz
No mais profundo abismo
Sem fim, sem fim e sem errar


17-
Estrela do céu que guiou nosso Pai
Guiai esse filho que vai
Viva Jesus nosso redentor
Que na Santa Cruz
Seu sangue derramou


18-
Pombinho branco mensageiro de Oxalá
Leva esta mensagem
De todo coração até Jesus
Diga a ele
Que somos soldados de Umbanda
Saravá nossa banda, nosso pai é Oxalá


19-
Ela é uma pombinha branca, mas não é
Ela é uma pombinha branca
Ela é Jesus, é de Nazaré.


20-
Bendito e louvado seja
O nome de Oxalá a a
E manda pro fundo do mar, Yemanjá
Os pedidos dos filhos de Oxalá


21-
Oi dai licença meu Pai Oxalá
Dai-me licença minha mãe Yemanjá
Se meu pai é o rei do mundo
Minha mãe é a rainha do mar


22-
Rosa vermelha representa Ogum
Rosa amarela Iansã, Oxum
A rosa branca representa Yemanjá
Representa também nosso pai Oxalá


23-
Andorinha voou
Os anjinhos foram buscar
Quando voltou
Salve grande Oxalá
Tenham fé meus cafios
Que em mesa de Umbanda
Oxalá tem que vencer


24-
Como gira ê como gira
Como gira dentro do gongá
Oh gira para filhos de fé
Como gira ê como gira
Como gira dentro do gongá
Oh como gira filhos de fé
Vamos salvar a guia
Do nosso Pai Oxalá


25-
Jesus Cristo é nosso Pai, aruê
É filho da Virgem Maria, aruê
Por entre espadas e lanças, aruê
O santo nome de Jesus, aruê


26-
Oxalá, enviai teus Guias
És o nosso protetor
Nós somos filhos de Deus
E Oxalá Nosso Salvador

 

27-
Eu vi brilhar
Lá no horizonte eu vi brilhar
Era uma Luz
Era uma Estrela Nosso Rei Oxalá
Ele vem, ele vem,
Do além, do além
Traz paz e amor a quem no mundo faz


28-
Oxalá, Senhor do sétimo céu
Dá sua benção, meu Pai
Aos meus irmãos cá na terra
Aos meus irmãos de missão
Dai sua benção, meu Pai


29-
Quando Jesus nasceu uma estrela brilhou
Anunciando ao mundo a vinda do Senhor
Oxalá Divino venha nos salvar
Abençoai seus filhos e também o congá


30-
Oxalá vai abençoar
Os seus filhos no Congá
Vai pedir a Virgem Santa
Pra seus filhos ajudar
Oxalá é Rei na Umbanda
E seu Reino é de Luz
Ilumina os caminhos
Que até Ele conduz

 




Pontos cantados de ogum

 PONTOS DE OGUM


1-PONTO DE OGUM IARA

Se meu Pai é Ogum, Ogum
Vencedor de demanda
Ele vem de Aruanda
Pra salvar filhos de Umbanda
Ogum, Ogum, Ogum, Ogum Iara
Ogum, Ogum, Ogum, Ogum Iara
Salve os campos de batalha
Salve a Sereia do Mar
Ogum, Ogum Iara

2- PONTO DE OGUM


Ogum olha a banda auê, ah
Ogum olha a banda auê, ah

Oh! Meu São Jorge
Toma conta da umbanda
Que Ogum está de ronda
Olha a Umbanda auê, ah

3- PONTO DE OGUM DE LEI

Ogum de Lei
Quem manda é Zambi
Ogum de Lei
Quem manda é Zambi
Corre, corre toda guia
Pra salvar filhos de Umbanda
Corre, corre toda guia
Pra salvar filhos de Umbanda
Lá vai o sol, ele vai girar
Ele vai girar na linha de Umbanda
Ele vai girar.

4- PONTO DE SÃO JORGE

E quem está de ronda é São Jorge
Deixa São Jorge rondar
E quem está de ronda é São Jorge
Deixa São Jorge rondar
São Jorge é guerreiro
Que manda na Terra
Que manda no Mar
São Jorge é guerreiro
Que manda na Terra
Que manda no Mar
Sarava Meu Pai
Sarava Meu Pai
Girar é bom, girar é bom, girar é bom
É bom girar

5- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Ogum quando sai da lua
Ele faz tremer a Terra
Nos campos de batalha
Senhor Ogum venceu a guerra
Ogum quando sai da lua
Ele faz tremer a Terra
Nos campos de batalha
Senhor Ogum venceu a guerra
Lê, lê, lê, lê ê
Lê, lê, lê, lê á
Vamos Sarava nosso Pai
Ogum Beira Mar
Lê, lê, lê, lê ê
Lê, lê, lê, lê á
Vamos Sarava nosso Pai
Ogum Beira Mar

6- PONTO DE OGUM MEGÊ

Ogum em seu cavalo corre
E a sua espada reluz
Ogum em seu cavalo corre
E a sua espada reluz
Ogum, Ogum Megê
Sua bandeira cobre os filhos de Jesus
Ogum iê!

7- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Se o céu é lindo
O mar também é
Se o céu é lindo
O mar também é
Aonde está as cachoeiras, Beira Mar
Aonde está as cachoeiras e a Rainha do Mar
Aonde está as cachoeiras, Beira Mar
Aonde está as cachoeiras e a Rainha do Mar

8- PONTO DE SÃO JORGE

Cavaleiro na porta bateu
Eu passei a mão na pemba
Pra ver quem era
Cavaleiro na porta bateu
Eu passei a mão na pemba
Pra ver quem era
Era São Jorge Guerreiro, viajante,
Cavaleiro da força e da fé.
Era São Jorge Guerreiro, viajante,
Cavaleiro da força e da fé.

9- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Pisa na linha de Umbanda
Que eu quero ver
Ogum Sete Ondas
Pisa na linha de Umbanda
Que eu quero ver
Ogum Beira Mar
Pisa na linha de Umbanda
Ogum Iara, Ogum Megê
Olha a Umbanda, Ogum iê

10- PONTO DE OGUM

Nesta casa de guerreiro
Vim de longe pra  rezar
Rogo a Deus pelos doentes
Na fé de Obatalá
Ogum salve a Casa Santa
Os presentes e os ausentes
Salve nossas esperanças
Salve os velhos e crianças
Nego veio e ensinou
Na cartilha de Aruanda
E Ogum não esqueceu
Como vencer a Quimbanda
A tristeza foi embora
Na espada de um guerreiro
E a luz no romper da aurora
Vai brilhar neste terreiro.

11-PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Ogum já venceu
Já venceu, já venceu
Ogum vem de Aruanda
E quem lhe manda é Deus
Ogum já venceu
Já venceu, já venceu
Ogum vem de Aruanda
E quem lhe manda é Deus
Ele vem beirando o rio
Ele vem beirando o mar
Salve Santo Antônio da Calunga
Benedito e Beira Mar
Ele vem beirando o rio
Ele vem beirando o mar
Salve Santo Antônio da Calunga
Benedito e Beira Mar

12- PONTO DE OGUM

Por entre matas
Por entre mares e terra
Por entre matas
Por entre mares e terra
Eu entendi o que meu Pai quis dizer
Que Ogum não devia beber
Que Ogum não devia fumar
Mais a fumaça representa as nuvens
E a cerveja as espumas do mar
Que Ogum não devia beber
Que Ogum não devia fumar
Mais a fumaça representa as nuvens
E a cerveja as espumas do mar

13- PONTO DE OGUM MEGÊ

Oxossi assobiou
Pra passar no Humaitá
Oxossi assobiou
Pra passar no Humaitá
Pra falar com Ogum Megê
Mensageiro de Oxalá
Pra falar com Ogum Megê
Mensageiro de Oxalá

14- PONTO DE SETE ONDAS

Ó filhos de Umbanda
Seu Sete Ondas
Vem do Humaitá
Que bela surpresa
Vem de Aruanda
Nos abençoar

15- PONTO DE BEIRA MAR

Auê, auê, Ogum Beira Mar auê
Auê, auê, Ogum Beira Mar auê
Iansã virou o tempo
Pra Oxum não governar
Mas durante o barra vento
Oxum se pois a cantar
Auê, auê, Ogum Beira Mar auê
Auê, auê, Ogum Beira Mar auê

16- PONTO DE OGUM

Filho de pemba bebe água no rochedo
Filho de Ogum corre campo e não tem medo
Filho de pemba bebe água no rochedo
Filho de Ogum corre campo e não tem medo
Vou pedir ao criador
Que derrame o seu amor
Aos nossos guias
E ao nosso Babalaô

17- PONTO DE OGUM

Ogum guarde as pedreiras
Mandado por Oxalá
Com a espada, e com a lança, Ogum
Seus filhos vêm ajudar

18- PONTO DE OGUM

Iemanjá cadê Ogum
Foi com Oxossi ao Rio Jordão
Foram saudar São João Batista
E batizar Cosme e Damião

19- PONTO DE OGUM IARA

Seu cavalo corre
Sua espada reluz
Sua bandeira cobre
Todos os filhos de Jesus
Seu cavalo corre
Sua espada reluz
Auê, seu Ogum Iara
Aos pés da Santa Cruz

20- PONTO DE OGUM DE RONDA

Quem Beira Rio, Beira Rio
Beira Mar
O que se ganha de Ogum
Só Ogum pode tirar
Quem Beira Rio, Beira Rio
Beira Mar
O que se ganha de Ogum
Só Ogum pode tirar
Seu Ogum de Ronda
É quem vem girar
E vem trazendo folhas
Pra descarregar
Seu Ogum de Ronda
É quem vem girar
E vem trazendo folhas
Pra descarregar

21- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Oxalá está chamando
Ogum lá no Humaitá
Pra lhe dar uma bandeira
E mandar ele girar
Oxalá está chamando
Ogum lá no Humaitá
Pra lhe dar uma  bandeira
E mandar ele girar
Se ele é capitão ele vai girar
E se for de Angola também vai girar
E se for Ogum de Lei – ele vai girar
E se for de Nagô – também vai girar

22- PONTO DE OGUM 7 ESPADAS

Eu tenho 7 Espadas pra me proteger
Eu tenho 7 Espadas pra para vencer
Eu tenho Ogum em minha companhia
Ogum é meu Pai
Ogum é meu Guia
Ogum 7 Espadas
É filho da Virgem Maria

23- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Salve Ogum Megê
Ogum Rompe Mato
Ogum Beira Mar
Salve Ogum Megê
Ogum Rompe Mato
Ogum Beira Mar
Ele trabalha na areia meu Pai
Ele trabalha no mar
Ele trabalha na areia meu Pai
Ele trabalha no mar

24- PONTO DE SÃO JORGE

Quando Jesus descer do céu
São Jorge segura o seu reinado
Quando Jesus descer do céu
São Jorge segura o seu reinado
Olha que as folhas da mangueira
São Jorge não deixa seus filhos cair
Olha que as folhas da mangueira
São Jorge não deixa seus filhos cair

25-PONTO DE OGUM

Ogum que está de ronda
Não deixa a demanda entrar
É hora, é hora, é hora Ogum
É hora de comandar

26- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Seu Ogum Beira Mar
O que trouxe do mar
Seu Ogum Beira Mar
O que trouxe do mar
Quando ele vem
Vem beirando a areia
Na mão direita ele trás
A guia de Mamãe Sereia

27- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Estrela, clareia a terra
Estrela, clareia o mar
Estrela, clareia a terra
Estrela, clareia o mar
Clareia o congá de Beira Mar
Clareia
Clareia os filhos do congá

28- PONTO DE OGUM

Na porta da Romaria
Eu vi um cavaleiro de ronda
Trazia um escudo no braço
E uma lança na mão
Mostrando que matou o dragão
Mostrando que matou o dragão

29- PONTO DE OGUM MEGÊ

Todo homem que fuma e bebe, oh ganga
È Ogum Megê, oh ganga
Todo homem que fuma e bebe, oh ganga
È Ogum Megê, oh ganga
Paturi, Paturi, Paturi, oh ganga
È Ogum Megê, oh ganga
Paturi, Paturi, Paturi, oh ganga
È Ogum Megê, oh ganga

30- PONTO DE OGUM 7 ONDAS

Estava na beira da praia
Quando eu vi 7 Ondas, rolar
Abre a porta, oh gente
Que ai vem Ogum
Em seu cavalo marinho
Ele vem trabalhar

31- PONTO DE OGUM

Olha Ogum ta de ronda
Quem está chamando é São Miguel
Réu, réu, réu
Na linha de Umbanda
Quem está chamando é São Miguel

32- PONTO DE OGUM

Ogum foi praça de cavalaria
Ogum foi praça de cavalaria
Foi Capitão e Major de dia
Foi Capitão e Major de dia

33- PONTO DE OGUM

Ogum, olha a sua  bandeira
È branca, é verde e encarnado
Ogum, olha a sua  bandeira
È branca, é verde e encarnado
Ogum, nos campos de batalha
Ele venceu a guerra
Sem perder soldado

34- PONTO DE OGUM DE LEI

Ogum de Lei
Não me deixes sofrer
Tanto assim meu Pai
Ogum de Lei
Não me deixes sofrer
Tanto assim meu Pai
Quando eu morrer
Vou passar lá na Aruanda
Sarava Ogum de Lei
Sarava Ogum de Umbanda

35- PONTO DE SÃO JORGE

O Jorge, o Jorge
Vem de Aruanda
Vem salvar os vossos filhos
São Jorge venceu demanda
Ogum, Ogum
Ogum meu Pai
O senhor mesmo é quem disse
Que filho de Umbanda não cai

36- PONTO DE OGUM

Ogum, que abalou as estrelas
Que abalou as areias
E as ondas do mar
Ogum, a hora é boa
Abre os caminhos
Firma esse congá

37- PONTO DE OGUM NARUÊ

Olha Ogum Naruê chegou
Olha Ogum Naruê  baixou
Sou filho de Umbanda
Ogum já me salvou

38-PONTO DE OGUM MATINATA

Que cavaleiro é aquele
Que vem caminhando pelo céu azul
É seu Ogum Matinata
Ele é defensor
Do Cruzeiro do Sul
É, é, é
Seu Cangira
É, é, á
Seu Cangira
É, é, é
Seu Cangira
Pisa na Umbanda

39- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Ele trabalha na terra meu Pai
Ele trabalha no mar
Ele trabalha na areia meu Pai
Salve Ogum Beira Mar

40-PONTO DE OGUM 7 ESPADAS

Ogum 7 Espadas está no reino
Ele veio saravá
Ogum 7 Espadas está no reino
Ele veio saravá
Saravá todos seus filhos
Firma ponto no congá
Saravá todos seus filhos
Firma ponto no congá

41- PONTO DE OGUM MEGÊ

Ogum Megê
General de Umbanda
Em seu cavalo seu Ogum foi guerrear
Com sua espada
Com sua lança
Venceu demanda nos campos do Humaitá
Ogum Megê

42-PONTO DE OGUM MEGÊ

O seu cavalo corre
Sem ninguém vê
O seu cavalo corre
Sem ninguém vê
Salve as sete espadas
De Ogum Megê
Salve as sete espadas
De Ogum Megê

43-PONTO DE SÃO JORGE

No seu cavalo branco
Ele vem montado
Calçado de botas
E bem armado
Vinde, vinde, vinde
São Jorge é nosso protetor
Vinde, vinde, vinde
São Jorge é nosso salvador

44- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Beira Mar, auê, Beira Mar
Beira Mar quem está de ronda é militar
Ogum já jurou bandeira
Na porta do Humaitá
Ogum já venceu demanda
Vamos todos sarava

45- PONTO DE SÃO JORGE

Eu pedi caridade
São Jorge me deu
Eu pedi caridade
Pelo amor de Deus

46- PONTO DE OGUM

Olha Ogum está de ronda
Miguel tá chamando
Eu não sei onde é
É, é
Eu não sei onde é
É, é

47- PONTO DE OGUM

Ogum partiu pra guerra
Oxalá deu carta branca
Ogum venceu a guerra
São Jorge venceu demanda
Quem quer guia, guia, guia
Quem quer guia, guia, meu
Quem quer guia, guia, guia
Quem quer guia, guia, meu

48- PONTO DE OGUM

Marchai, marchai
Ogum de guia
Estrela D Alva
E da Virgem Maria
Oh vem, com sua espada
Vem salvar seus filhos
Que se acham em agonia

49- PONTO DE OGUM DE LEI

Ô gente saravá Ogum
Ele é nosso general
Ô gente saravá Ogum
Ele é nosso general
Diz Ogum é de Lei, lê, lê
Diz Ogum é de Lei, lá, lá
A coroa de Ogum  de Lei
Só Deus pode tirar

50- PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Olha Ogum vai se embora
Pra sua banda
Olha banda com banda Katinguelê
Firma ponto Ogum vai se embora
Firma ponto Ogum Megê
Firma ponto Ogum vai se embora
Firma ponto Ogum Megê

51- PONTO DE SÃO JORGE

Quem está de ronda é São Jorge
São Jorge é quem vem rondar
Abre a porta, ô minha gente
Deixa a falange de São Jorge entrar
Quem está de ronda é São Jorge
Toda noite, todo dia
Quem está de ronda é São Jorge
Nossa Senhora da guia
Quem está de ronda é São Jorge
Minha mãe me diga o que é
Quem está de ronda é São Jorge
Velando os filhos de fé

52-  PONTO DE OGUM ROMPE MATO

Eu vi o sol raiar
Eu vi estrela brilhar
Eu vi seu Rompe Mato
Ogum das matas
Passeando á beira mar

53- PONTO DE OGUM

Ogum é todo Malé
Malé ô linha Nagô
Ogum é todo Malé
Malé ô linha ô

54- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Ele jurou bandeira
Ele tocou clarim
E o exército todo
É comandado por Ogum
Salve Ogum Iara
Salve Ogum Megê
Salve Ogum Matinata
Salve Ogum Naruê

55- PONTO DE OGUM ARRANCA TOCO

Ele vem com a justiça de Xangô
Ele traz Iansã e Iemanjá
Ele vem com Oxossi das matas
Ele traz o amor de Oxalá
Ogum, vencedor de demanda
Estrela clareou sua banda
Na sua aldeia ele é caboclo
Ogum Arranca Toco

56-PONTO DE LINHAS DE OGUM

General Tatá de Umbanda
Ogum é general
Se ele é Ogum Iara
Ogum é general
Se ele é Ogum Matinata
Ogum é general
Se ele é Ogum Rompe Mato
Ogum é general
Se ele é Ogum Naruê
Ogum é general
Se ele é Ogum Megê
Ogum é general

57- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Ô ronda a Terra
Ô ronda o mar
Cavaleiros de Umbanda
Mensageiros de Oxalá
Ogum de Lei
Ogum Iara
Ogum Rompe Mato
Ogum Beira Mar

58- PONTO DE OGUM

Nos campos do Humaitá
Venceu a guerra meu Pai, eu vi
No seu cavalo de bronze
Guerreou na sua Terra
Guerreou na sua Terra
Com sua espada dourada
Na ponta da sua lança, eu vi
Laço de fita encarnada

59- PONTO DE OGUM

Foi ao romper da madrugada
Que a coral piou
Foi ao romper da madrugada
Que a coral piou
Com seu capacete
Ele saravou
Com seu capacete
Ele saravou

60- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Ogum Iara, Ogum Megê
Olha Ogum Rompe Mato, auê
Ogum Iara, Ogum Megê
O Cangira de Umbanda, auê

61- PONTO DE OGUM 7 ESPADAS

Senhor Major Ogum
Mas ele é praça de cavalaria
Com sete espadas
Ele nos defendia
Senhor Major Ogum
Seja nossa companhia

62- PONTO DE OGUM

Seu cavalo é de prata
De ouro é quem vem montado
Com sua bandeira içada
Defende seus filhos amado

63- PONTO DE OGUM

         Quem anda por mar
Quem anda por terra
E nunca se cansa
Com seu laço de fita encarnada
Amarrada na ponta da lança

64- PONTO DE OGUM

Capitão do mar
É Barabara
É com chuva, é com vento
Ele vai navegar
Ele vai, ele vai
E com chuva e com vento
Ele vai navegar

65- PONTO DE OGUM DE LEI

Ogum de Lei, ê, ê
Ogum de Lei, ê, á
Ogum de Lei, ê, ê
Olha as costas do mar- Malé

66- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Com a licença de Ogum Megê
Nós vamos saravá
Ogum Iara
Ogum Nagô
Ogum Rompe Mato
Ogum Beira Mar

67- ponto de ogum

Saravá Ogum
Ogum é nosso guia
Sentou praça de cavalaria
Ele é guarda da Virgem Maria

68- PONTO DE OGUM

         Seu Ogum diz que não é rei de Umbanda
Mas diz que manda, nos filhos seus
Seu Ogum diz que não é rei de Umbanda
Mas diz que manda, nos filhos seus
Seu Ogum é meu Pai
Seu Ogum é meu guia
Seu Ogum é meu Pai
Vivo com Deus e a Virgem Maria

69- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Montado em seu cavalo branco
Ele vem beirando o mar
Traz no peito uma estrela dourada
Traz nos braços Mamãe Iemanjá
Saravá Ogum
Saravá Ogum
Saravá Ogum Beira Mar

70- PONTO DE OGUM

São Jorge e a Sereia
São dois dragões de guerra
São Jorge e a Sereia
São dois dragões de guerra
Sereia rainha do mar
São Jorge é rei da Terra

71- PONTO DE OGUM 7 ONDAS

Sete Ondas na Terra
Sete Ondas no mar
Sete Ondas na Umbanda
Sete Ondas no gongá
Segura a pemba ê, ê
Segura a pemba ê, á
Segura a pemba
Deixa as ondas navegar

72- PONTO DE OGUM MEGÊ

No campo do Humaitá
Ogum Megê
Eu vi uma nação florir
Ogum Megê
Auê, auê
Ogum Megê

73- PONTO DE OGUM MEGÊ

Da sua banda estão me chamando
Ogum Megê chegou
Da sua banda estão me chamando
Ogum Megê baixou

74- PONTO DE SÃO JORGE

Que cavaleiro é aquele
Que vem cavalgando
Pelo céu azul
Ele é São Jorge guerreiro
Que vem comandando
A falange de Ogum
É, é, é seu Cangira
É, é, á seu Cangira
É, é, é seu Cangira
Pisa na Umbanda

75- PONTO DE SÃO JORGE

Ele é São Jorge guerreiro
O Rei dos feiticeiros
Feitiço como este
Ainda estou pra ver
Ele é São Jorge guerreiro
O Rei dos feiticeiros
Feitiço como este
Ainda estou pra ver
Ele gira no Encruzo
E na Calunga também
Ele é um Rompe Mato
Saravá Ogum de Lei
Ele gira no Encruzo
E na Calunga também
Ele é um Rompe Mato
Saravá Ogum de Lei

76- PONTO DE OGUM DE LEI

Oh Jorge cavaleiro de Umbanda
Nós temos que vencer demanda
Oh Jorge cavaleiro de Umbanda
Nós temos que vencer demanda
Ogum de Lei, lei, lei
Ogum de lá, lá
Ogum de Lei, lei, lei
E das ondas do mar do mar

77- PONTO DE OGUM

Ogum está de ronda
Meu pai veio ronda
Veio abençoar seus filhos
E na banda saravá

78- PONTO DE OGUM

Quando Ogum vem lá de Aruanda
Traz uma espada
E uma lança na mão
Ogum é um cavaleiro
Que venceu a guerra
E matou o dragão
Ele é São Jorge guerreiro
Guerreiro do Humaitá
No terreiro de Umbanda
Vêm seus filhos saravá

79- PONTO DE OGUM

Ogum é homem que foi pra guerra
Se mete com ele que eu quero ver
Ogum é homem que venceu a guerra
Se mete com ele que eu quero ver
É um Tatá, é um Tatá, é um Tatá
Se mete com ele que eu quero ver

80- PONTO DE OGUM

Ouvi um toque de clarim na lua
Pois era o toque do maior do dia
Ogum foi praça de cavalaria
Ele é ordenança da Virgem Maria

81- PONTO DE OGUM

Mamãe que cavaleiro é aquele
Que pisa, com arrogância nesta Terra
Oh! Ele é Ogum Megê
Que veio da batalha
Com sua lança de guerra

82- PONTO DE OGUM

È Beira Mar
Porque vem  beirando o mar
É Rompe Mato, quando rompe as matas
É Ogum Megê na ronda da Calunga
É de Malei Rei das Encruzilhadas

83- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Minha espada é de aço
Minha espada vai brilhar
Minha espada é de fogo
É Ogum é o Beira Mar
Brilha muito e com amor
Em sua bela caminhada
Beira Mar em sua estrada
Tem a estrela bem amparada

84- PONTO DE OGUM

Quando Ogum apontou para a Serra
Sua espada  brilhou na Umbanda
Pela fé acabou com a guerra
E os seus filhos venceram demanda

85- PONTO DE OGUM

Se a sua espada é de ouro
Sua coroa é de lei
Ogum é um Tatá de Umbanda
Sue Cangira mugongo
Ogunhê
Ogum é um Tatá de Umbanda
Sue Cangira mugongo
Ogunhê

86- PONTO DE OGUM ROMPE MATO

Orion, Orion
Porque me chamas
Olha o sol, olha a lua
Ventania de Aruanda
Cavaleiro da floresta
Ele é filho de Umbanda

87-  PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Ogum já vai
Já vai pra Aruanda
A benção meu Pai
Proteção pra nossa banda

88- PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Ogum já me alvorou
Ogum já me saravou
Filho de pemba porque tanto chora
É Ogum que já vai embora

89- PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Ogum sela seu cavalo
Que já é hora
Ogum meu Pai
Já vai embora

90- PONTO DE OGUM 7 ONDAS

Oh filhos de umbanda
Seu 7 ondas vem do Humaitá
Que bela surpresa
Vem de Aruanda nos abençoar
Oh bela surpresa
Bela surpresa como vai você
Que bela surpresa
Vem de Aruanda pra nos proteger

91- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

A sua espada brilha no raiar do dia
Seu Beira Mar é filho da virgem Maria
Seu Beira Mar, beira maré
Seu Beira Mar na porta da Romaria

92- PONTO DE OGUM

Seu general
Com sua espada e sua lança
Ele deixou em seu caminho
Um montão de sentinela
Seu general oh seu general
Na lei de umbanda ele é meu Pai
Ah ele é meu Pai
Foi o senhor mesmo que disse
Que na umbanda
Que os filhos de Ogum não cai
Seu general

93- PONTO DE OGUM

Ogum é de babaloê
Ogum é de babaloá
No céu ele é São Jorge
Não mar ele é Beira Mar
Na areia ele beira areia
Quando ele chega nesse canzuá

94- PONTO DE OGUM

Seu Ogum me disse
Que dançar nagô é bom
Dançar nagô é bom
Dançar nagô é bom
Dançar nagô é bom
Dançar nagô é bom

95- PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Mandei selar o seu cavalo
Oi abre a roda que eu vou viaja
Seu Ogum veio seu Ogum vai
Mais se ele vai, ele torna a voltar

96- PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Selei, selei seu cavalo eu selei
Selei, selei seu cavalo eu selei
Seu Ogum já foi embora
E seu cavalo eu selei

97- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Na alvorada um cavaleiro surgiu
Com sua lança e seu escudo a brilhar
Seu capacete reluzia em pleno céu
Ele é Ogum ele é seu Beira Mar
Salve meu pai Ogum oh
Ele vem trabalhar
Ele vence demanda
Salve seu Beira Mar

98- PONTO DE OGUM

Brilhou no céu
Brilhou no mar
A lança de São Jorge
Refletindo no luar
Ogum é São Jorge
Meu santo protetor
Dai forças aos meus irmãos
Saúde, paz e amor

99- PONTO DE OGUM

Eu não seria nada
Se não fosse Ogum
Para abrir a minha estrada
Eu não seria
Valente guerreiro aqui chegou
Vencedor de demanda meu protetor
Em sua trajetória meu pai luta contra o mal
Foi nos campos de batalha que se tornou general
Eu não seria
Eu não seria nada
Se não fosse Ogum
Para abrir a minha estrada
Salve Ogum de Ronda
Salve seu Ogum Megê
Saravá Beira Mar
Ogum Iara, Ogum de Lei
Salve toda a falange
Do glorioso guerreiro
Que corta toda a demanda
Aqui dentro do terreiro

100- PONTO DE OGUM

Beira Mar auê, Beira Mar
Beira Mar auê, Beira Mar
Eu tava na minha banda
Eu tava no meu conga
Eu tava lá na calunga
Pra que me mandou chamar
Beira Mar auê, Beira Mar
Beira Mar auê, Beira Mar
A sua espada meu pai
Eu quero ver
A sua lança meu pai
Ogum Megê

101- PONTO DE OGUM

Ogum em seu cavalo branco
Ele vem, ele vem chegando
No terreiro de umbanda
Ele é Ogum, Ogum que vence demanda

102- PONTO DE OGUM

Ogum venceu demanda
Nos campos do Humaitá
Cruzou sua espada na areia
Lavou seu escudo no mar

103- PONTO DE OGUM

Quando Oxalá fundou a umbanda
Senhor ogum tomou conta do conga
Veio Oxum, veio Iansã
Veio Yemanjá
Veio a Jurema para trabalhar
A caboclada iluminou todo o terreiro
E Oxalá abençoou
Oh saravá seu Rompe Mato
Nesse terreiro ele é o protetor

104- PONTO DE OGUM ROMPE MATO


Eu vi raiar o dia
Eu vi estrela brilhar
Eu vi seu rompe mato
Ogum das matas à beira mar.


105- PONTO DE OGUM ROMPE MATO


Arrebenta o cipó
Rompe o mato
Treme a terra
Montado em seu cavalo
ele é Ogum da guerra
Oi não há mato que eu não entre
Nem há pau que eu não derrube
Nem demanda que eu não vença
Que São Jorge não me ajude.


106- PONTO DE OGUM

Não corte a mata que é de Oxossi
Não quebre a pedra que é de Xangô
E não se meta com filho de umbanda
Filho de Ogum, guerreiro vencedor.

107- PONTO DE OGUM

Lá na Bahia onde Ogum é Santo Antônio
E na umbanda ele é Jorge Guerreiro
Eu quero ver a sua fé meu filho
Aonde é que Ogum é verdadeiro.




Pontos Cantados oxum

 

PONTOS DE OXUM


1-
Olha o barquinho de Cinda
Cinda é quem vem trabalhar
Cinda é Mamãe Oxum, aiêiêo
Cinda é a Cobra Coral


2-

Oxum estava na beira do rio
Colhendo lírios pro seu Congá
Iluminou lá na pedreira
Os lírios brancos da cachoeira


3-

Eu sou da mina
Eu sou da mina de ouro
Onde mora mamãe Oxum
Guardiã do meu tesouro
Mamãe Oxum rainha cheia de luz
Cubrai-nos com vosso manto
Rogai por nós a Jesus


4-

No céu uma estrela vem brilhando
Nas águas o amor refletindo
Aiêiê Oxum
De alegria estou sorrindo
Também nas cachoeiras
Tem a força de Oxum
Oxum é minha mãe
E meu Pai é Ogum aiêiê


5-

Se minha mãe é Oxum
Na Umbanda e no Candomblé
Aiêiê, aiêiê, minha mãe
Aiêiê, minha mãe Oxumaré
Mas ela vem beirando o rio
Colhendo lírios pra nos ofertar
Aiêiê, aiêiê minha mãe
Orixá desça e vem nos abençoar

6-

Eu vi mamãe Oxum na cachoeira
Sentada na beira do rio
Colhendo lírios, lírios ê
Colhendo lírios, lírios á
Colhendo lírios pra enfeitar nosso Congá


7-

Oxum, Oxum
Oxum é minha mãe
É a rainha do meu congá


8-

Meu pai me diga quem é
Quem é que vem de Aruanda
É mamãe Oxum, das cachoeiras
Meu pai me diga quem é
Quem é que vem de Aruanda
É mamãe Oxum na lei de Umbanda


9-

Mamãe Oxum chegou
Na gira dos Orixás
E traz das águas dos rios
Sua mensagem de paz
Mamãe Oxum, malei-me mamãe Oxum
Olhai pros seus filhos da gira
Na fé de meu pai Ogum
Oi gira gira gira
Oi gira e torna a girar
Pra chamar povo de pemba
Na gira dos Orixás


10-

A água que sai da cachoeira
E vai correndo pelo rio afora
Salve Oxum! Salve Yemanjá
Salve Nanã! Salve a sereia do mar

 

11-

Ela é flor de maio
Se a minha mãe é linda flor de maio Arerê
É flor de maio


12-

Mamãe Oxum dona dos rios e dos lagos
Mamãe Oxum olha nossos lares
Ela vem na banda nos traz felicidades
Mamãe Oxum, quando vai deixa saudades


13-

No alto da cachoeira
Tem uma gruta do lado de lá
Tem um banquinho de ouro, mamãe
Onde Oxum vai se sentar


14-

Eu vi mamãe Oxum
Sentada na cachoeira
E ela cantava tanto
Chamava Ogum para jurar bandeira


15-

O rio é de Oxum, aiê-iê-o
O lago é de Oxum, aiê-iê-o
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Água da cachoeira, aiê-iê-o
Força da cachoeira, aiê-iê-o
Água cristalina, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
O rio passa na mata, aiê-iê-o
Na pedra uma cascata, aiê-iê-o
Oxóssi e Xangô, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Um vento na campina, aiê-iê-o
O rio corta a campina, aiê-iê-o
Iansã e Ogum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
O rio encontra o mar, aiê-iê-o
Nos braços de Iemanjá, aiê-iê-o
Mãe de Oxalá, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê.


16-

Arerê... arerê mamãe Oxum
Arerê mamãe Oxum! Arerê Oxumaré


17-

Com sua saia bordada de ouro
E o seu saiote todo rendado
Auê oh minha mãe Oxum auê
Os anjos do céu dizem amém.


18-

Caiu uma estrela dentro desse Congá
Era uma estrela azul
Era uma estrela bendita
Do manto sagrado da mamãe Oxum


19-

A Lua vem surgindo
Por detrás da cachoeira
Arerê mamãe Oxum... Arerê Oxumaré


20-

Oxum linda morena
Pra você eu vou girar
O teu canto de sereia
Agora vai me encantar
Se você inda não sabe
Quem é este Orixá
É Oxum a mãe do ouro
Rainha deste Congá


21-

Oxum e mamãe Yemanjá
És a rainha do céu, és a rainha do mar
Oxum vem acender os candeeiros
Iluminar nosso terreiro
E a seus filhos abençoar


22-

Mamãe Oxum, mamãe Oxum
Mamãe Oxum, Nanã
Me leva pras águas claras
Eu quero ver a sereia cantar
Eu quero ver os caboclinhos da areia
Trabalhando pra mãe Yemanjá


23-

Mamãe Oxum, mamãe Oxum lá do infinito
Ai vem ouvir, ai vem ouvir o nosso pranto
Nós te adoramos com amor e com carinho
Na esperança de sentir o vosso manto
Mamãe Oxum, que vem de Aruanda
Com o divino espírito santo
Vem salvar filhos de Umbanda


24-

Estrela D’Alva, estrela que brilha
É a mamãe Oxum
É a mamãe Oxum que ilumina
Ilumina a terra, ilumina o mar
Estrela matutina que ilumina esse Congá


25-

Eu fui na cachoeira chorando
Levava comigo uma dor
Ela surgiu dentre as águas
Olhando me disse assim
“Não chores meu filho querido
Pois sempre ao seu lado estarei”
Ela me deu uma rosa
E entre as flores desapareceu
Arerê! Arerê!
Arerê mamãe Oxum olha eu


26-

Salve a Estrela Guia
Salve o Cruzeiro do Sul
Salve nossa Mãe Santíssima
E o manto sagrado de Mamãe Oxum

27-

Nas águas serenas da lagoa
Uma estrela apareceu
E foi como num sonho
A estrela desapareceu
Eu seu lugar eu vi
A deusa das águas aparecer
Formou-se arco-íris
Eu gritei para ele me valer
Oxum, Oxumaré venha me socorrer


28-
Oxum, teu nome eu trago
Na palma de minha mão
Oh! Oxum, teu filho roga
De ti muita proteção


29-

Eu vi, eu vi Nanã, eu vi Oxum na beira do rio
As aves cantam ao romper da Aurora
É Mamãe Oxum que vai chegar agora


30-

Foi na beira do rio aonde Oxum chorou
Chora iêiêiêô, choram os filhos seus

 


31-

Mamãe Oxum
Salve a banda da senhora
Mamãe Oxum
Aiêiê já vai embora


32-

O rio que te trouxe
É quem te leva pro mar
Auê, auê, auê seu canzuá


33-

E vai, vai, vai
E vai beirando o rio
E vai mamãe Oxum
Para todo mal levar

 




Pontos de Yansa

 PONTOS DE IANSÃ

1-
Eparrei na Aruanda
A nossa mãe é Iansã
Gira deixa a gira, girar
Gira deixa a gira, girar
Oh deixa a gira, girar
Saravá Iansã
Meu Pai Xangô e Iemanjá
Eh oh, deixa a gira, girar


2-
A Iansã é rainha de Umbanda
Mais ela é dona do seu Jacutá
Oh Eparrei, Eparrei, Eparrei
Oh mamãe de Aruanda
Segura o terreiro
Que eu quero ver


3-
Chora na macumba Iansã
Chora na macumba Iansã
Estava na beira da praia
Iansã chorou, chorou, chorou


4-
Oh Santa Barbara de Nagô ela é
Oh Santa Barbara Nagô é, ela é
Santa Barbara é moça linda, ela é
Oh moça dos cabelos loiros, ela é


5-
Santa Barbara virgem
Dos cabelos loiros
Mora na pedreira
Na terra do ouro


6-
A Iansã é mulher guerreira
A Iansã é mulher guerra
A Iansã é mulher guerreira
A Iansã é mulher guerra


7-
Oh minha Santa Barbara
Kaô, Kaô
Oh meu São Jerônimo
Kaô, Kaô


8-
Eu sai a procurar
Um fundamento ninguém veio a saber
Oi abre a porta venha receber
A Iansã, Santa Barbara de Nagô


9-
Estava numa ladeira
Sem poder descer
Oh Santa Barbara virgem
Venha nos-vale


10-
Iansã tem um leque de pena
Pra abanar em dia de calor
Iansã mora nas pedreiras
Eu quero vê meu Pai Xangô

 


11-
Iansã Orixá de Umbanda
Rainha do nosso congá
Saravá Iansã lá na Aruanda, Eparrei!
Eparrei Iansã venceu demanda
Iansã, saravou pra Xangô
No céu, onde se coroou
E lá nas matas leão bradou
Saravá Iansã
Saravá Xangô


12-
Oiá é moça rica,
Ela é filha de Xangô
Iansã chegou na Umbanda
O seu reino saravou


13-
Iansã, Iansã
Segura seu Erere, Iansã
Oh Iansã, oh Iansã
Segura seu Erere


14-
Oh venha me valer, Senhor
Santa Barbara está chamando e Xangô
Vá dizer a Santa Barbara
Pro vento continuar
Tenho pena mãe de Deus,
Eu vou para o congá
Eu vou para o congá

15-
Oh Eparrei minha mãe de Aruanda
Mais ela é dona do seu Jacutá

E re re re
E re re rá
Minha mãe de Aruanda
Tem mironga lá no mar


16-
Minha Santa Barbara
Que linda coroa
Pelo amor de Deus,
Santa Barbara não me deixe a toa


17-
Aê dim dim
Aê dim dá
E a matamba de Aruê
E a matamba de Aruá


18-
Olha a matamba eta deme
Olha a matamba eta deme

Caboclo é da morunganga eta deme
Oh Iansã olha a matamba eta deme


19-
Raio de luz clarão no céu
É ventania que vem lá
A noite inteira vento vem e vai
Rodopiando a bailar
Com a espada erguida ao luar
Surge a guerreira
É Iansã varrendo os males
É Iansã oh mãe valei-me
Levai nesses ventos os nossos tormentos
Levai minha dor
E quando sessar a tempestade
E eu vislumbrar um novo amanhã
Explode em meu peito um brado Eparrei
Oh mãe Iansã
Põe no tacho azeite pra ferver  de Oiá
Põe meio tempero desse acarajé
Que possuir coragem pra seguir viajem
Filhos que tem fé


20-
Oh Oiá me chamou
Eu fui atender
Tava sentada Iansã
Na palha do dendê
Oh guerreio, guerreio relampejou
Oh voou cravo, voou rosa relampejou


21-
Ventou, mas que ventania
Iansã é nossa mãe
Santa Barbara é nossa guia


22-
Iansã é a dona do mundo
Dona do fogo, da faísca e do trovão
Eparrei Iansã na Aruanda
Santa Barbara com a espada na mão


23-
Ela é matamba
Ela é Oiá
Ela é Iansã
Desse Jacutá
Ela é matamba
Do cabelo loiro
Senhora dos ventos
Da espada de ouro


24-
Saravá Iansã do cabelo loiro
No mar tem água, na sua pedra tem ouro
Le, le le e
Le, le le á
Saravá Iansã que é rainha do mar


25-
Saravá deusa maior
Iansã é moça rica
Iansã deusa dos ventos
Saravá moça bonita
Iansã é minha mãe
Rainha do Jacutá
Vem gritado Eparrei
Roda a saia que eu quero ver
Filho de Umbanda não tem querer


26-
Ventou nas matas
Ventou nas pedreiras
Que vento forte nas cachoeiras
Não era Oxossi, nem é Xangô
Era Iansã com seu batacotô
Deusa dos ventos e do trovão
Oh minha mãe quero sua proteção


27-
Iansã, Oiá divina no axé
Eparrei Oiá
Santa Barbara ela é
Já trovejou relampejou
Cadê Oiá Xangô
Iansã, Oiá divina no axé
Eparrei Oiá
Santa Barbara ela é
O Cálice Bento ela segurou
Sua espada sagrada ela arriou
Eparrei Oiá, Eparrei Oiá


28-
Eparrei, Eparrei
Eparrei bela Oiá
Iansã olha a matamba
Iansã olha a matamba

A minha santa guerreira venha me valer
Oh me sinto num abismo não sei o que vou fazer
Em meio a escuridão veio um raio clarear
Me mostrando o caminho que eu possa passar
Eparrei, Eparrei
Eparrei bela Oiá
Iansã olha a matamba
Iansã olha a matamba
Peço que nesse caminho bons ventos possa soprar
Afastando as nuvens negras que querem me derrubar
Se nele encontrar espinhos em flores eu vou pisar
Pois sou filho de Iansã poderosa Iabá


29-
Iansã é rainha dos ventos
Deusa dos raios do corisco e trovão
Eparrei, Eparrei Eparrei
Oh mamãe de Aruanda
Ela vem na Umbanda visitar seu ilê
Bate paô iaô, bate paô
Bate paô iaô, pra Iabá bate paô


30-
Oiá, Oiá olha a matamba
Olha seus filhos Iansã aqui na banda
Um banho de ervas de Iansã eu vou tomar
De joelhos eu imploro minha deusa bela Oiá
Os meus caminhos eu preciso seguir
Eu chamo por Iansã para vir me conduzir
Oiá, Oiá olha a matamba
Olha seus filhos Iansã aqui na banda
Deusa dos ventos rainha do bambuzal
Santa do acarajé livrai-nos de todo mal
Seus filhos pedem em nome de Oxalá
Oiá Iansã guerreira não deixa seus filhos tombar


31-
Sinda, sinda cóké
Vai na Angola gira
Samba lêlê, oh, quirombó
Santa Barbara do Jacutá


32-
Iansã chegou no reino
Chegou com chuva e com vento
Ela é dona de Jacutá veio saravá
Os filhos do congá


33-
Oh Iansã se ela é minha mãe
Se ela é minha mãe
Ah eu quero ver
Oi saravá Ogum Megê
Oi Iansã Eparrei Eparrei


34-
Eu vi Iansã e Xangô
Estavam sentados em cima da pedra
Estavam rezando por todos os seus filhos
Saravá Iansã e Xangô


35-
Numa bela noite eu caminhava
Sozinho pedindo proteção
Deu um relâmpago no céu
O céu clareou
Me ajoelhei e Iansã me abençoou


36-
Iansã rainha dos astros
Iansã é moça de imbera
Iansã é adelina
Iansã também é Oiá e Obá


37-
O ronco da pedreira e a trovoada
Ecoou lá na mata
Ecoou lá na serra
Todo o povo de Iansã
Todo o povo de Xangô
Chegou cá na Terra
Chegou para a guerra


38-
Oi Iansã de cabelos loiros
De espada na mão
Traz Ogum Megê
Como companheiro
E na calunga
Ela vem firmar


39-
Quando ela passa
Iansã vem cheia de graça
Com sua espada na mão
Minha mãe guerreira
Me ajuda a toda hora
Minha mãe guerreira
Me ajuda a vida inteira


40-
Ela é minha mãe guerreira
De cabelos loiros ela vem
Com trovoada e muito vento
Espada na mão
Ela vem, para guerrear
Ela é Iansã
E Iansã guerreira
Ela vem, para guerrear


41-
Corre vento
Trovoada tá no espaço
Tempestade não é brincadeira
Saravá Iansã guerreira


42-
Loira muito formosa ela é
Domina o vento e o trovão
Iansã guerreira
Não treme não


43
Iansã vem
Ela vem beirando o mar
Ela vem com trovoada
Ela vem com muito vento
Ela vem lá de Aruanda
Com a espada na mão
Ela vem trazendo vento


44-
Eparrei mamãe
Eparrei Iansã
Dona dos Eguns,
Mamãe vem girar,
Com Ogum Megê
Ela vem cruzando,
É no cruzeiro Mamãe, mamãe vai firmando,
Ela vem com o vento,
Ela vem com a água
Mamãe Iansã!
Veio saravá


45-
Saravá Iansã
Minha mãe querida
Com sua espada na mão
Ela vem trabalhar,
Saravá Pai Xangô,
Saravá Iansã
Trovoada roncou
Mamãe vem saravá


46-
Eu vi essa menina
Saravando no congá
Salve seu leque de pena
Rainha do Jacutá
Iansã é muito linda
Mais que linda que ela é
Iansã esta no terreiro
vem trazendo seu axé


47-
Moça rica com sua espada
Sua coroa é cravejada de brilhantes
Quimbanda, auê! Quimbanda auê


48-
Oh mamãe ela vem de Aruanda
Ela vem com chuva e com vento
Na terra ela vem firma


49-
Eram duas ventarolas
Duas ventarolas
Que voavam sobre o mar
Uma era Iansã Eparrei!
A outra era Iemanjá Odociaba


50-
Oh Iansã menina
Dos cabelos loiros,
Ela está sentada
Na mina de ouro.


51-
Ventou mais que ventania
Ventou mais que ventania
Iansã é nossa mãe
Santa Barbara é nossa guia


52-
Ela é minha mãe guerreira
Com seu cabelo cor de ouro
Com sua espada na mão
Ela é Iansã guerreira
Que chegou nesse congá


53-
Iansã sua espada é luminosa
Sua coroa enfeitada de rosas


Iansã sua espada é luminosa
Sua coroa enfeitada de rosas
Okê banda Odé
Okê banda Odé
Saravá a coroa de Iansã
Que ilumina nossa fé
Iansã senhora da banda
É a rainha do seu congá
Salve Iansã lá na Aruanda
Eparrei, Eparrei
Iansã vence demanda


54-
Espia o que vem pelo céu
Olha o que vem pelo mar
Ela é nossa mãe Iansã
Ela é a rainha desse congá
Iansã cruzou na linha de Xangô
Lá na mata leão bradou
Saravá Iansã lá na Aruanda
Eparrei, Eparrei
Iansã vence demanda


55-
Eu vi Santa Barbara e Xangô-ô
A trovoada roncou lá no mar
Olha a mujinga de congo ê, ê, ê
Olha a mujinga de congo ah, á, á


56-
Eu vi Santa Barbara e Xangô
Sentados em cima da pedra
Olha seus filhos que vão pra guerra
Olha seus filhos que vão pra guerra


57-
Iansã o seu leque é de ouro
Vem do céu, Oxalá quem mandou
Pra salvar os seus filhos Iansã
Na hora da agonia e da dor


58-
Oh Nanã
Nanã Buruquê
Iansã moça rica
Vem me socorrer


59-
Minha Santa Barbara crioula auê
Minha virgem santa
Quem manda e desmanda
É Deus


60-
Minha Santa Barbara venha me valer
Meus inimigos tão querendo me vencer
Não vence não porque Deus não quer
Minha Santa Barbara é a rainha de guiné


61- PONTO DE SUBIDA


Oh minha Santa Barbara
É hora
Filhos de Umbanda, mamãe
Sempre aqui choram



Salve Yemanjá


Pontos de Yemanja

 PONTOS DE IEMANJÁ

1- PONTOS DE YEMANJÁ

Retira a jangada do mar
Mãe d água mandou avisar
Que hoje não pode pescar
Pois hoje tem festa no mar
E, e, e, e, e, e Yemanjá
Ela é ela é a rainha do mar
Traz pente, traz espelho o, o, o, o
Pra ela se enfeitar o, o, o, o
Traz flores, traz perfumes
Enfeita todo o mar

2-
Yemanjá é a rainha do mar     (refrão)
Salve o povo da Aruanda
Salve meu Pai Oxalá
Salve Oxossi, salve os guias
Salve Ogum Beira Mar
Yemanjá
Yemanjá é a rainha do mar     (refrão)
Vai ter festa na ribeira
Vai ter reza lá no Cantúa
Vai ter samba a noite intera
E vai ter muitas flores no mar
Yemanjá

3-
Yemanjá
Você é o meu tesouro
Sua coroa é de conchas
Seu poder vale ouro
Ô canta mãe sereia
Ô canta sereia
Pescador quando ouvir
Vai se encantar
Odóia, odóciaba
O mar é sua casa
Hoje eu vim lhe visitar
Odóia, odóciaba
Seu poder é infinito
Ele veio de Oxalá

4-
Rosas pra Yemanjá
Rosas pra Yemanjá
Rosas pra Yemanjá
Eu vou levar
Eu vou levar eu vou
Yemanjá
Leva pro mar esta saudade
Da terra mãe distante
Minha vontade de chorar
Leva pro mar
Yemanjá
Quero curtir felicidade
Ser livre como as ondas
Grande como essa imensidão
Azul do mar
Rosas pra Yemanjá
Rosas pra Yemanjá
Rosas pra Yemanjá
Eu vou levar
Eu vou levar eu vou
Yemanjá
Dona do mar a divindade
No borbulhar das ondas
Ouço sua voz me abençoar
Linda sereia
Yemanjá
Meu orixá é só bondade
Protege tanto a gente
Com o seu manto azul de paz
Amor e luz

5-
Vou tomar banho de mar
La na praia da Jurema
Vou pedir pra Yemanjá
Pra me tirar desse dilema
Sarava Yemanjá                               
E as falanges do mar
Vou botar no seu presente
Rosa branca e espelhinho
Pó de branco e um pente
Pra ela abrir os meus caminhos

6-
Quando as águas do rio
Encontrarem as ondas do mar
Eu farei um pedido
Pra Cabocla na areia firmar
A lua no céu clareou
Os filhos de Yemanjá
Salve a mãe sereia
Saravá a Cabocla do Mar.


7-
Eu fiz um pedido à mamãe Sereia
A Yemanjá, para nunca mais penar
Foi na areia, numa noite linda
Na areia branca do mar
Oh lua clara no céu
Iluminou seu divino manto, Sereia.
Oh rainha do mar, Sereia.
Oh mamãe Yemanjá, Sereia.
Oh rainha do mar, Sereia.


8-
Mãe d’água, rainha das ondas Sereia do mar
Mãe d’água, seu canto é bonito
Quando faz chuá
Êh, Yemanjá
Rainha das ondas, sereia do mar
Como é lindo o canto de Yemanjá
Sempre faz o pescador chorar
Quem escuta a mãe d’água cantar
Vai com ela pro fundo do mar


9-
Eu vou à praia grande, eu vou pro mar
Levar botões de rosas à Yemanjá
Eu vou à praia, vou riscar ponto na areia
Vou pedir à Mãe Sereia
Todas as forças do mar
Que nos proteja
Com seu manto inteiro branco
Que nos cubra com os encantos
Que tem as ondas do mar


10-
Quem quiser viver sobre a terra
Quem quiser viver sobre o mar
Do mar salve as sereias
Salve as ondinas do mar
Ruê, ruê, ruê, ruá, ruá, ruá, Yemanjá


11-
Saia do mar, linda sereia
Saia do mar, venha brincar na areia
Saia do mar, sereia bela
Saia do mar, venha brincar com ela


12-
Salve as conchinhas de prata
Salve quem aqui está
Salve a Mãe Sereia
Rainha, Mãe Yemanjá.


13-
Eu fui na beira da praia
Pra ver o balanço do mar
Eu vi um retrato na areia
Me lembrei da sereia
Comecei a chamar
Oh Janaína vem ver
Oh Janaína vem cá
Receber suas flores
Que venho lhe ofertar


14-
Vamos saravar mãe Yemanjá
Vamos todos juntos jogar flores no mar
É do mar, é do mar, é do mar
É do mar minha mãe sereia
É do mar, é do mar, é do mar
É do mar, é nas águas, é nas areias
Vamos saravar mãe Yemanjá
Vamos todos juntos jogar flores no mar
É do mar, é do mar, é do mar
É do mar minha sereia
Papai risca ponto nas pedras
Mamãe risca ponto na areia


15-
O que é que me deram para levar
Pra dona Janaína no fundo do mar?
Frasco de cheiro, laço de fita
Pra dona Janaína que é muito bonita


16-
A onda do mar rolou
Saravá a rainha do mar
Saravá minha mãe Yemanjá
Mamãe Yemanjá


17-
Filha de Yemanjá, toda de azul
Filha de Yemanjá, de corpo azul


18-
Yemanjá é sereia do fundo do mar
Yemanjá, Yemanjá
Trabalha na areia junto com Beira-Mar
Ogum-yê, Ôdoiá
Rainha sereia, minha mãe Yemanjá


19-
A lua branca traz o mar
Para lhe enfeitar
Ela quer amor, ela quer a paz
Ela é harmonia em todo lugar
Filha de Yemanjá, Odocia
Filha de Yemanjá, vamos saravar
Ela é alegria aonde vai
No seu coração ela traz a paz
A lua branca traz o mar
Para lhe enfeitar


20-
E vem, vem, vem e vem beirando o mar
E vem a mãe Sereia para todo o mal levar
Chegou, chegou, chegou a mãe sereia
Para todo o mal levar
E foi , foi, foi e foi beirando o mar
E foi a Mãe Sereia para todo o mal levar

 


21-
Eu sou filha de Yabá
Yabá é minha mãe
A rainha do tesouro
Oh doce Yabá no fundo do mar 3x


22-
Yemanjá sobá, baba ebô
Baba ebô Yemanjá, baba ebô


23-
Yemanjá, sereia bonita, rainha do mar
Sereia bonita, rainha do mar, Yemanjá
Como é lindo o canto de Yemanjá
Ela faz o pescador chorar
Quem escuta a mãe d’água cantar
Vai com ela pro fundo do mar 20.
A estrela brilhou lá no alto mar
Quem vem nos salvar é nossa mãe Yemanjá


24-
Botei meu barco n’água para navegar
Pedi licença à primeira embarcação de Yemanjá
Yemanjá, ô Yemanjá,
Rainha das águas é Yemanjá


25-
Yemanjá, Yemanjá, Yemanjá
Venha me ajudar, Odoiá
Vem nas ondas do mar


26-
Sou filho do mar, das ondas do mar
Da espuma do mar, sou filho do mar
Minha mãe Yemanjá, Yemanjá minha mãe
Rainha ela é do mar


27-
Yemanjá coroou é de arariou
É de doce malembe é de arariou


28-
Yemanjá ô
Iô cindô rê rê Yemanjá


29-
Uma estrela lá no céu brilhou
E o clarão refletiu no mar
Era uma estrela guia
Que refletia o lindo manto de Yemanjá
Yemanjá, Yemanjá, Yemanjá.
Se nessas águas eu pudesse navegar
Eu traria um pedacinho do seu manto
E essa luz que brilha em seu olhar


30-
Com uma dúzia de velas,
Numa noite tão linda
Eu fui para o mar, rezando e chorando...
Fazer meus pedidos para Yemanjá
Ô Yemanjá, venha me ajudar
Ô mãe Oxum, venha me salvar
Sou peregrino trazendo flores
Frutas e velas pra mãe Yemanjá

 

31-
Ajoelhei-me na beira da praia
Pra pedir proteção a minha mãe Yemanjá
A água que me batia, Yemanjá respondia
Filho vou te ajudar.


32-
Yemanjá, Yemanjá.
Sou pescador, moro nas ondas do mar...
Também sou filho de Yemanjá
Quero morrer no mar
Nos doces braços de Yemanjá


33-
Quem vem vindo na crista da onda
É sereia, rainha do mar
Quem vem vindo na crista da onda
É sereia, mamãe Yemanjá
Vem senhora das águas do mar
Abençoe esse nosso Congá


34-
Oh, como é lindo as flores brancas de Yemanjá
Chegou a hora
Vindes com Deus e Nossa Senhora Yemanjá
Um buquê de rosas brancas, ê ê
Vou levar pra Yemanjá, ê á


35-
A minha mãe é mãe de mesa
É a rainha do mar
Pede a Deus a proteção
Para seus filhos salvar


36-
Yemanjá, Yemanjá,
No fundo do mar tem areia
Areia do fundo do mar
Em cima do mar tem as ondas
Ondas que vão me levar
Num barco enfeitado de flores
Pra ouvir a sereia cantar


37-
Mãe, mãe, mãe
Por que é que tu vives no fundo do mar?
Eu sou a mãe sereia, rainha de Oxalá
Eu venho trazer forças
Para os meus filhos salvar


38-
Brilhou, brilhou, brilhou, brilhou no mar
O manto da nossa mãe Yemanjá
Brilhou, brilhou no mar
E agora vai brilhar nesse Congá


39-
Como está tão lindo o altar
Com as flores de nossa mãe Yemanjá
Salve a caridade pura
Salve a sereia do mar


40-
Sereia, sereia, como ela nada no mar
Se minha mãe é sereia, oh sereia


41-
Se as ondas do mar são verdes
Me leva pro fundo do mar
Sereia, sereia...
Sereia é a mãe Guiomar


42-
Em cima de uma pedra
Em cima da pedra, outra pedra
Embaixo da pedra tem areia
Quem manda no mar sereia


43-
Como ela nada no mar
Com as ondas bem fundas
Como ela nada no mar


44-
A sereia canta, os peixinhos nadam
Levando o barco de Yemanjá
Ê ê ê á


45-
Sereia, sereia, minha rainha do mar
Todo o mal de seus filhos, sereia
Leva para o fundo do mar


46-
Minha mãe é sereia, rainha do mar
Oh sereia tá no mar
Sereia tá no mar, sereia tá no mar


47-
Sereia, sereia
Olha a sereia que nada no mar
Ela é dona do reinar


48-
É vem, é vem, é vem, e vem beirando o mar
E vem a mãe sereia, chegou beirando o mar
Chegou, chegou, chegou, chegou a mãe sereia
Pra nos auxiliar
Baixou, baixou, baixou, beirando o mar
Baixou a mãe sereia pra todo o mal levar


49-
Minha jangada de vela
Corre um vasto do mar
De dia o vento é na terra
De noite o vento é no mar
Remai! Remai!
Nossa Senhora da Luz
Mãe do povo do mar
Levai a vossa barquinha
Pra Jesus adorar
Remai! Remai!


50-
Veio navegando pelas ondas do mar
Para saravar no recinto de Yemanjá
Viva mamãe Oxum, viva a sereia do mar

 


51-
No clarear de uma manhã
Eu tive um sonho tão bonito
Sonhei que as águas de Yemanjá
Me transportavam ao infinito
De suas águas generosas
As suas mãos me estendeu
E na carícia das marolas
A minha alma adormeceu


52-
Que caminho de espinho
Que caminho de areia
Saravá mãe Yemanjá
Nossa Senhora das Candeias

53-
Adormeceu, sob o amparo da mãe d’água
Sentindo o amor que não se esgota
Dessa fonte que é Deus, Yemanjá,
Doce Yemanjá
Sou pequenino grão de areia
Na imensidão desse seu mar
É a tua luz que me clareia
O caminho e o trabalho
Que Oxalá me concedeu
E é por isso que, serena,
A minha alma adormeceu


54-
Quando as ondas brancas vem rolar na areia
Eu sinto saudades da minha mãe sereia
E quando na Umbanda
Eu canto pra Yemanjá
Eu sinto saudades das águas rolando o mar
Odoiá minha mãe Yemanjá
Odoiá sereia do mar.


55-
A Rainha das Ondas é tão bela
Como bela nos campos é a flor
Salve Ogum Beira Mar, seu guerreiro
Ela é a Rainha do Amor
Salve, salve Yemanjá no terreiro
Salve os campos do seu jacutá
Salve Ogum Beira Mar, seu guerreiro
Ela é a Rainha do Mar


56-
Ela vem beirando o mar
Oi, ela vem berando a areia
Saravá a mamãe Yemanjá
Saravá a sua aldeia


57-
A onda do mar rolou 4x
Os filhos de Yemanjá
A onda do mar levou


58-
A marola do mar vai levando
Yemanjá é quem vai navegando
A marola do mar vai levando
E seus filhos ela vai deixando


59-
A onda que te trouxe
É que te leva para o mar
Auê, auê, auê Yemanjá
Vai com a onda vai
Vai com a onda vem
Vai com a onda vai
Que com a onda eu vou também

 




Pontos cantados de oxossi


Ai não me mexa na espada de Ogum
Ai não me bula no machado de Xangô
Ai não me toque no bodoque de Oxossi
Ele é o rei das matas
Ele é caçador
===========================================
Os caboclos desceram
Lá do alto da serra
E traziam no peito
Uma cobra coral
(bis)
Mas hoje é dia
De alegria
No terreiro de Umbanda
Saravá meus Caboclos de ronda
===========================================
Caçador na beira do caminho
Ah não me mate a coral na estrada
Ela saravou seu Sete Flechas na Aruanda
Foi ao romper da madrugada
Caçador
===========================================
Vento que vem
Oi que vem das matas
Olhas as matas quebrando
E os Caboclos chegando
===========================================
Oxossi mora de baixo da gameleira
Oxossi mora de baixo da gameleira
Pai Ogum mora na lua
Pai Xangô lá na pedreira
===========================================
A mata estava escura
Os anjos alumiou
No meio da mata virgem
Quando o seu Oxossi chegou
Mas ele é o rei
Ele é o rei
Ele é o rei
Mas ele é o rei
Na Aruanda ele é o rei
(bis)
===========================================
Ele é Ubirajara
Ele é Ubirajara
Seu saiote é de pena
Seu capacete é de Arara
===========================================
Ele atirou
Ele atirou ninguém viu
(bis)
Seu Sete Flechas é quem sabe
Aonde a flecha caiu
(bis)
Ele atirou
===========================================
O meu manacá
Já não dá mais flor
(bis)
Ai eu vou plantar
Uma semente do meu manacá
Ai como é linda essa madrugada
Povo de Umbanda vem trabalhar
Tupinambá é Pai de Terreiro
Tupinambá no reino está
===========================================
Ê Oxossi ê
Vem chegando de Aruanda
Ê Oxossi ê
Para salvar filhos de Umbanda
Na curimba xö, xö , xö
Na curimba xô, xô, xô
Ë Oxossi, é de bamba é o clima
===========================================
A sua mata é longe
Ele já vai embora
E vai beirando o rio azul
Adeus Umbanda
Os Caboclos vão embora
E vão beirando o rio azul
===========================================
Oh, que penacho é aquele
Ë um penacho de arara
É quem rompe a mata virgem
É quem rompe a mata virgem
É o Caboclo Ubirajara
===========================================
Eu vi chover
Eu vi relampear
Mas mesmo assim
O céu estava azul
Firma seu ponto
Companheiros da Jurema
Oxossi é dono do Aracajá
===========================================
Na sua aldeia tem os seus Caboclos
Nas suas matas tem cachoeirinha
No seu saiote tem pena dourada
Seu capacete brilha na alvorada
===========================================
Caboclo Roxo
Da cor morena
É Seu Oxossi
Caçador da Jurema
Ele jurou
Ele jurara
Pelos conselhos que a Jurema
Vem nos dar
===========================================
Caboclo apanha a sua flecha
Pega o seu bodoque
O galo já cantou
O galo já cantou na Aruanda
Oxalá te chama
Para sua banda
===========================================
Ê Juremê
Ê Jurema
Sua flecha caiu serena, ô Jurema
Dentro desse gongá
Sua flecha
Caiu serena dentro desse Jacutá
Saravá todos Caboclos
Dentro desse gongá
Ê Jurema
===========================================
Jandira traz nos cabelos uma rosa
Jupira traz no peito um jasmim
Jussara é uma linda Cabocla de pena
Jurema tem pena de mim
Jurema, Jurema
Jurema tem pena de mim
===========================================
A Estrela Dalva é nossa guia
Clareia o mundo sem parar
Ilumina a mata virgem
Cidade de Juremá
Vinde, vinde companheiros
Cocoro-co-có
Companheiros da Jurema
Aí de mim tem dó
===========================================
Zun, zun, zun
Aqui está o Nazaré
Que veio das matas
Pra salvar filhos de fé
===========================================
Caboclo do Mato trabalha
Com São Cipriano e Jacó
(bis)
Trabalha com chuva e com vento
Trabalha com a lua e com sol
===========================================
(descarga)

Corto língua
Corto mironga
Corto língua de falador
Aonde ele pisa não há embaraço
Chegou Ubirajara do Peito de Aço
===========================================
Fui buscar em meu gongá
O que eu deixei em Aruanda
Aqui está o Caboclo Arruda
Pra vencer essa demanda
A falange de Arruda
É cheia de boa vontade
Vai pedir a Mãe Santíssima
Nossa Senhora da Piedade
===========================================
(pólvora)

Ele é caboclo
Ele é flecheiro
Bumba na calunga
É matador de feiticeiro
Bumba na calunga
Quando eu vai firmar meu ponto
Bumba na calunga
Eu vai firmar é lá na Angola
Bumba na calunga
===========================================
Quem manda na mata é Oxossi
Oxossi é caçador
Oxossi é caçador
Ouvi meu Pai assobiar
Ele mandou chamar
É na Aruanda ê
É na Aruanda ê
Seu Pena Branca de Umbanda
É na Aruanda ê
===========================================
Arreia capangueiros
Capangueiros da Jurema
Arreia capangueiros
Capangueiros Juremá
===========================================
Na sua aldeia ele é Caboclo
É Rompe Mato
É Arranca Toco
Na sua aldeia
Lá na Jurema
Não se faz nada
Sem ordem suprema
===========================================
Seu capacete é todo branco
Sua saiote é carijó
Apanha laranja no chão
Quem quiser
Come manjar lá no céu
Quem puder
===========================================
Eles são três caboclos
Caboclos do Jacutá
Eles giram noite e dia
Para os filhos de Oxalá
Sete com mais sete
Com mais sete, vinte e um
Salvando os três sete
Todos três de um a um
Sete Montanhas giram
Quando a noite vai chegar
Seu irmão Sete Lagoas
Quando o dia clarear
E ao romper da aurora
Até alta madrugada
Gira o Caboclo
Das Sete Encruzilhadas
===========================================
Estou cansado
De curimbar
(bis)
Lá na Jurema
Tem Oxossi Branca Lua
===========================================
Chegou, chegou
Chegou, com Deus, chegou
Chegou,
O caboclo das Sete Encruzilhadas
===========================================
(descarga)

Cortai,
Cortai, cortou
Cortai a mironga de um mal protetor
Aonde eu laço
Não há embaraço
Cortai o laço
De um braço de aço
===========================================
Um instante meus irmãos
Eu vos quero saudar
Há muito que aqui ando
Querendo vos ajudar

Sou filho de Urutã
Nas matas onde eu nasci
Lá recebi o nome
De Caboclo Tururi

Meu Pai é Caboclo guerreiro
Minha Mãe é Mamuri
Quando quiseres auxílio
É chamar por Tururi

Deus é Pai de todos
Somos irmãos de Javari
Quando tiveres demanda
É chamar pelo Tururi

Quando tiveres demanda
Dessas que vejo aqui
Chamai pelo vosso irmão
O Caboclo Tururi

Que Deus proteja a todos
E dê forças ao chefe Timbiri
Pois quem pede nesse momento
É o Caboclo Tururi

Que o manto da Virgem Mãe
A todos possa cobrir
E que debaixo desse manto
Trabalhe sempre Tururi

Boa noite meus irmãos
Que a paz fique aqui
Quem pede nesse momento
É o Caboclo Tururi
===========================================
O dia quando nasce
Já vem rompendo aurora
Clareia uma choupana
Aonde Oxossi mora
Já clareou
Seu Sete Flechas
Numa choupana
Aonde Oxossi mora
===========================================
Atira, atira, eu atirei
No bambá eu vai atirar
O veado no mato é corredor
Oxossi na mata é caçador
===========================================
Enfeitei a Cabocla de Pena
Soltei na mata para passear
Botei dois índios para procurar
Pra ver a força que a Jurema tem
===========================================
O meu São Sebastião
Fostes preso e amarrado
Livrai-nos dos inimigos
Que nos traz acorrentado
===========================================
Cadê seu Sete Folhas
Da raiz do Oricá
Vai chegar Seu Sete Folhas
Com licença de Oxalá
===========================================
Na mata virgem
A coral piou
Um filho passou e ficou escutando
Cadê Seu Pena Branca de Umbanda
Que até agora ainda não chegou
===========================================
Luar, luar
Caboclo da Lua já chegou
Vai dizer a sua mãe
Que o Terreiro ele salvou
===========================================
Eu corre terra, eu corre mar
Até que eu cheguei
Em minha Pais
Ora viva Oxossi das matas
Que a folha da mangueira
Ainda não caiu
===========================================
Ajoelha caboclo
Tu não é judeu
Tu foi batizado
Pela lei de Deus
Padrinho e Madrinha
Foi Deus quem te deu
Meu Ananá, meu Ananá
===========================================
Com sete meses de nascido
A minha mãe me abandonou
Salve o nome de Oxossi
Foi Tupi quem me criou
Vinde vinde companheiros
Co co ro co có
Companheiros da Jurema
Ai de mim tem dó
===========================================
Umbanda, quando chega no reino
De todo mundo
Quer saber sua nome (diz seu nome)
Umbanda, é de Oxossi Maê
De todo mundo
Ele já sabe o nome
===========================================
Rompendo matos e ventos
Para seus filhos salvar
Chegou, chegou agora
O Caboclo Janguará
Lá na Aruanda
Onde o galo cantou
Trabalhos de Janguará
Nosso Senhor coroou
Chegou, chegou
Deixa meu povo chegar
Chegou o rei dos Bugres
Com Caboclo Janguará
===========================================
Caiu uma folha na Jurema
Veio o sereno e molhou
E depois veio o sol
Enxugou, enxugou
E as matas se abriram
Toda em flor
===========================================
Nós somos dois guerreiros
Dois irmãos unidos
Meu nome é Tupaiba
Sou filho de Aimoré
Da tribo dos Guaranis
Meu irmão chama Peri
===========================================
Mangueira, mangueira
Mangueira de Umbanda
Folhas por folhas Umbanda
Lá no mato tem Umbanda
Vamos cruzar
Para salvar
Filhos de Umbanda com seu patuá
===========================================
E vem a barra do dia
Juntamente com a barra do mar
É a falange do Sete Estrelas
Que veio trabalhar
Estrela ô, estrela ô
Estrela que é nossa guia
Chegou seu Sete Estrelas
Com Deus e a Virgem Maria
===========================================
Chegou Urubatã de Guia
Que veio para seus filhos salvar
Rebenta corrente de ferro e de aço
Estoura cadeias de bronze
O sol e a lua vem saindo
E vem a Estrela da Guia
Eu trago em meu bronze gravado
O nome da Virgem Maria
===========================================
Lá bem no alto da serra
Eu escutei uma coral piá
Era uma linda jibóia
Ferida com a flecha de Tupinambá
===========================================
É lá na Jurema
Que o caboclo luta
E vence demanda
Com Oxossi seu rei
Com o arco e a flecha
E o canto de guerra
Atira-se a luta
E sai vencedor
De joelhos em terra
O chefe da tribo
Agradece a vitória
A Jesus Redentor
===========================================
Ele veio de tão longe
Da cidade da Jurema
Saravá seu Branca Lua
Vem com a ordem suprema
===========================================
Quando a Aruanda se abre
Eu quero ver quem é
É o teimoso de Aruanda
É o Caboclo Rei Guiné
===========================================
Com tanto pau no mato
Eu não tenho guia
Caboclo Vira Pau vai trazer a guia
Com tanto pau no mato
Eu não tenho guia
Eu trago esta pemba
Pra cruzar a guia
===========================================
Sobe serra, desce serra
Serra verde aonde estás
Pombinhas bateu asas
Bateu asas e voou
Papai eu sou guerreiro Maná
Mamãe caminhos que vai
===========================================
Eu sou Caboclo da mata fechada
Eu sou Caboclo em qualquer lugar
Eu não apanho a folha da Jurema
Sem ordem suprema do Pai Oxalá
===========================================
Ô Humaitá, Humaitá filhos de Umbanda
Ô Humaitá, Humaitá venceu demanda
===========================================
Eu vim da mata
Ô que mata é a sua
Eu vim da mata
Ô que mata é a sua
É de lá do Oricá
Aonde pia a cobra
Aonde canta o sabiá
Eu vim da mata
Sou da tribo do Guajá
Eu vim trazer minha falange
Para vir descarregar
===========================================
Na mata virgem a coral piou
O sino bateu
O galo cantou
Cadê Seu Sete Flechas de Umbanda
Há muito tempo que eu lhe chamo
Ele aqui não aparece
===========================================
(surra)

Ai quem cortou meu pé de árvore
Ai não fui eu Oxossi
Onde eu passava o meu dia
Ai não fui eu Oxossi
Que puderam lhe fazer
Foi amarrar de pé e mão
Amarrado num tronco de árvore
Ai como um cão
Cão de verão
Ai quem cortou meu pé de árvore
Ai não fui eu Oxossi
Ai foi São Jorge quem mandou
Ai não fui eu Oxossi
E depois de tudo isso
As sete flechas ele alcançou
São Jorge gritou na Aruanda
Foi seu irmão quem te amarrou
===========================================
Como é lindo o sol
Como é linda a lua
Como é lindo o sol
Seu Sete Flechas é rei da lua
===========================================
A minha gongo
Está roncando
Lá nas matas, está roncando
Pra chamar filhos de fé
Ronca, ronca minha gongo
E vem chegando
A tribo dos Aimorés
A minha gongo
Está roncando lá nas matas
E os
Caboclos estão tocando maracá
Ronca, ronca, minha gongo
E vem chegando o velho Tupinambá
===========================================
Mas olha que Caboclo lindo
Que Oxossi mandou saravá
Pena Dourada na linha de Umbanda
Caboclo Roxo na lei de Oxalá
===========================================
Oi quem brilha no céu
É a Lua Nova
(bis)
===========================================
A estrela brilhou no céu
A terra estremeceu
Aonde estão os capangueiros da Jurema
Que até agora não apareceu
(bis)
===========================================
Vem o sol saindo
Com os raios brilhantes
No terreiro de Umbanda
Raio de Sol vem trabalhar
O veado na mata
Ele corre, ele corre
E Oxossi nas matas
Ele vai laçar
===========================================
Nesse mato tem folha
Tem Sete Estrelas que nos alumia
Alumia o mundo Estrela
Alumia o mundo Estrela
===========================================
Mas ele é capitão da Marambaia
Mas ele é capitão da Marambaia (bis)
Mas ele é Oxossi na Arucaia
===========================================
(descarga)

Que bombardeio que se deu lá na Jurema
Até sua palhoça Oxossi quis abandonar
Mas ele é Caboclo de pena da Jurema
Que veio para seus filhos saravá
===========================================
Nasci na mata
Da mata não tenho medo
Nasci na mata
Embaixo do arvoredo
Nasci na mata
Da mata não tenho medo
Nasci na mata
Embaixo do arvoredo
===========================================
Oxossi é cassuté de Umbanda
Na Aruanda
Olha na Aruanda auê (bis)
Ô na Aruanda
===========================================
Oxossi é dono do Aracajá
Oxossi é dono do Aracajá
===========================================
Salve o Caboclo das Matas
Salve o Caboclo Costeiro
Que ronda a beira das praias
E é filho lá do coqueiro
===========================================
Caboclo do Mato
O que é que você quer
Folhas verdes de guiné
O zum, zum, zum, aruê
O zum, zum, zum Nazaré
===========================================
Estrela, matutina
Clareia o mundo , sem parar
Estrela clareou Seu Sete Flechas
Que mora na raiz do Oricá
Estrela clareou Seu…….
Ê, ê, ê, ê, ê á
===========================================
Oriri, Oriri, Orirá
Samba Guaiá
Samba Guaiá
Oriri, Oriri, Orirô
Samba Guaiô
Samba Guaiô
===========================================
Oh viva Oxossi ê
Oh viva Oxossi ê á
Ele é Caboclo do mato
Oh Viva Oxossi ê, minha Pai
===========================================
Oh cindarerê, oh cindarerá
Oh viva Oxossi ê ê
Sua coroa vamos salvar
É de bamba é o clima
O mundo é de Oxalá
Oh viva Oxossi ê ê
Sua coroa do Jacutá
===========================================
(atrair obsessor)

Eu fui no mato caçar serió, serió
Mas quando é tempo de calor
Ora bate com pé
Suspende o pó
Serió, serió, serió
===========================================
(descarga)

Oh meu Deus lá nas alturas
O meu Pai é o Caboclo Gira Mundo
Tumba, que tumba, que tumba, auê
Meus inimigos não podem vencer
===========================================
Caboclo Jaracutinga
Bebe água no coité
Tira ponto na Jurema
Atira flecha sem ver
===========================================
Ele é caboclo da Terra da Jurema
Apanha pemba, risca ponto
Filhos de Umbanda, vem trabalhar
===========================================
Ele é Sete Cachoeiras, orerê
Olha Madeodé, Madeodé, Madeodé
Olha Madeodé
Sobe serra, desce serra orerê
Olha Madeodé, Madeodé, Madeodé
===========================================
Ele vem das matas
Ele vem girar
Ele gira com o sol e a lua
Ele gira com o vento e o mar
===========================================
Salta pra aqui Iracema
Quem te chama é Tabajara
Vem linda como Açucena
Entre espinhos da Jussara
Coroa troa nas matas
Em busca do Pitangui
Salta para aqui Iracema
Quem te chama é Tabajara
Vem linda como Açucena
Entre espinhos da Jussara
===========================================
Ai se não fosse a folha da Jurema
Lá nas matas
O que seria do Caboclo Juruá
Ai a Jurema, Jurema, Jurema
Ai a Jurema do Caboclo Juruá
===========================================
No meio da mata virgem
A coral piou
Com sua capacete
Ele saravou, ele saravou
===========================================
Sá Macutara mironga de Umbanda
Me corre nas matas, me corre ê
Sá Macutara mironga de Umbanda
Me corre nas matas ta ta ruê
===========================================
Caça, caça, caçador
Caçador de Aruanda
O caça, caça, caçador
Foi Oxossi quem mandou
===========================================
Duas estrelas me alumiam
Oh Aimoré more
Dois anjos me acompanham
Encruza flecha com lança
Oh Aimoré
Encruza lua com sol
===========================================
É o caçador, é o caçador
O caçador é o anjo adivinhador
Terreiro de Umbanda que vem Zamburá
É o caçador que veio aqui caçar
===========================================
De onde vens Timbí
Venho do reino do céu
Descamba a ladeira
Oh Timbí
Passa pro lado de cá
===========================================
Ai Jesus
Jesus morreu na cruz
Chegou Araribóia
Salvar Jesus da cruz

===========================================
Ô viva Oxossi ê
Ô viva Oxossi á
Oxossi é um grande Caboclo guerreiro
Ô viva Oxossi ê
Oxossi é dono da pemba
Oxossi é rei do gongá
Quando um filho cai em falta
Oxossi manda castigar
===========================================
Mas como é lindo
O clarão da lua
Oxossi pra vim na cidade
Só anda no meio da rua
===========================================
Lua Nova que brilha no céu
Cravejada de ouro, Massumbebá
Olha Massumbebê, olha Massumbebá
===========================================
Caboclo vem da mata
Vem comendo Sapucaia
Maia cadê, Caboclo Maia dendê
Maia cadê, Caboclo Maia dendê
===========================================
Simiromba vem Simiromba
Com a cruz na mão Simiromba
Como ele vem contente, Simiromba
Trazendo a sua redenção, Simiromba
Bate, bate, bate, bate, Simiromba
Ora tornas a bater, Simiromba
===========================================
Os Caboclos lá nas matas
E as cigarras nas árvores cantando
E eu aqui no Terreiro
Com seu ponto afirmando
===========================================
Foi Zambi quem criou o mundo
É Zambi quem vai governar
Foi Zambi quem criou as estrelas
Que ilumina Oxossi
Lá no Juremá
Coquê, coquê, coquê
Coquê, meus Caboclos, coquê
===========================================
Seu Branca Lua quando vem d’aldeia
Ele traz na cinta uma cobra coral
Oh, é uma cobra coral
===========================================
Ele é Caboclo, é Flecheiro atirador
E na Umbanda
Seu Tupi é vencedor
===========================================
Dentro da mata virgem
Uma linda cabocla eu vi
Com seu saiote
Feito de penas
É a Jurema filha de Tupi
Com seu saiote
Feito de penas
É a Jurema filha de Tupi
Jurema. Jurema , Jurema
Linda cabocla, filha de Tupi
Ela vem, lá da Juremá
Vem firmar seu ponto
Nesse congar
Ela vem, lá da Juremá
Vem firmar seu ponto
Nesse congar
==========================
Caboclinha da Jurema
Onde é que você vai ?
Vou pra casa de Odé, no terreiro de meu Pai
De Aruanda êee
De Aruanda aah
De Aruanda êee caboclinha de pemba
De Aruanda aah
===============================
Caboclo roxo
Da pele morena
É Seu Oxóssi
Caçador lá da Jurema
Ele jurou e tornou a jurar
E ouviu os conselhos
Que a Jurema vai lhe dar
==========================
Quem manda na mata é Oxóssi
Oxóssi é caçador
Oxóssi é caçador
Eu vi meu pai assobiar
Eu já mandei chamar
Eu vi meu pai assobiar
Eu já mandei chamar
É de Aruanda êeee
É de Aruanda aaaa
Seu Pena Branca é Aruanda
É de Aruanda aaaa
===========================
Não chores não caboclinho
Pra que chorar
A casa é sua caboclinho
Prá trabalhar
Oi olhe agora
E venha receber
Ogum de Ronda
Meu Pai Baluaê
==============================
Curimbembê, Curimbembá
Sete Flechas um grande orixá
Com sete dias de nascido
A Jurema o encontrou
Deitado na folha seca
O caboclo ela criou
Curimbembê, Curimbembá
Sete Flechas um grande orixá
Nasceu na mata de Oxóssi
Na aldeia de Juremá
O caboclo Sete Flechas
Iluminado por Oxalá
=====================
Oxóssi êeee
Oxóssi aaaaa
Oxóssi é marambolê, marambolá
Quem é aquele que vem lá de Aruanda
Montado em seu cavalo
Com seu chapéu de banda
Ele é Oxóssi de Aruanda eeeeee
Ele é Oxóssi de Aruanda aaaaa
===============================
Caboclo venceu demanda
Para o povo de Umbanda
Na ponta da sua flecha
Quando veio de Aruanda
Venceu…
Caboclo venceu…
No fundo da mata virgem
Oxalá gritou
– Esse filho é meu !!!
Esse filho é meu !!!
===============================
Onde está a Jurema?
A Jurema a onde está ?
Tá procurando os capangueiros
Que ainda estão na Juremá
Quem mandou chamar
Em nome do Pai Oxalá?
Foi seu Oxóssi caçador
Que já baixou nesse congar
Salve todo o povo da Jurema
Salve sua luz
Seu jacutá
Levando a todos lares e seus filhos
Trazendo paz e amor
Na fé de Oxalá
=========================
Oxalá chamou !
Oxalá chamou e já mandou buscar
Os caboclos da Jurema
Pro seu Juremá
Pai Oxalá
É o rei do mundo inteiro
Já deu ordens pra Jurema
Chamar seus capangueiros
Mandai, Mandai
Minha cabocla Jurema
Os seus guerreiros
Essa é a ordem suprema !!
===============================
Ogan segura o toque
Com Deus e a Virgem Maria
Ogan segura o toque
Com Deus e a Virgem Maria
Por Oxalá Meu Pai
Saravá Seu Ventania
Por Oxalá Meu Pai
Saravá Seu Ventania
===============================
Um grito na mata ecoou
Foi seu pena branca que chegou
Com sua flecha
Com seu cocar
Seu Pena Branca vem nos ajudar
Com sua flecha
Com seu cocar
Seu Pena Branca vem nos ajudar
=================================
Saravá seu Pena Branca
Saravá seu apache
Pega flecha e seu bodoque
Pra defender filhos de fé
Ele vem de Aruanda
Trabalhar neste casuá
Saravá Seu Pena Branca
No terreiro de Oxalá
Sua flecha vai certeira
Vai pegar no feiticeiro
Que fez juras e mandingas
Para o filho do terreiro
Pega o arco , atira a flecha
Que esse bicho é caçador
Além de ser castigo
Ele é merecedor
===============================
Ele atirou
Ele atirou e ninguém viu
Só seu Flecheiro é que sabe
A onde a flecha caiu
Ele atirou!

=================================
Tupinambá é canga na batalha
Tupinambá ee Tupinambá
Tupinambá guerreiro de Oxóssi
Tupinambá ee Tupinambá
Tupinambá vem defender seus filhos
Tupinambá ee Tupinambá
Só não apanha
Folha da Jurema
Sem ordem suprema
Do Pai Oxalá
Só não apanha
Folha da Jurema
Sem ordem suprema
Do Pai Oxalá
==============================
Tava na beira do rio
Sem poder atravessar
eu chamei pelos caboclos
Caboclo Tupinambá
eu chamei pelos caboclos
Caboclo Tupinambá
Tupinambá chamei
Chamei tornei chamar eaahhh
Tupinambá chamei
Chamei tornei chamar eaahhh
==============================
Ele é caboclo ele é
Flexeiro
tumba la catunga
e matador
de feiticeiro
tumba la catunga
ele vai firma seu ponto
ele já firmo é na Angola
oi tumba la catunga




Pontos de Xango

 PONTOS DE XANGÔ

1-
Xangô, ô, ô, ô, ô
Xangô, ô, ô
Meu Pai
Xangô Kaô
Aonde está o mistério dos índios
Aonde está o mistério dos índios
Está na mata virgem
Onde mora meu Pai
Babalaô aê, babalaô auê
Ô, ô, ô, ô, ô
Ô, ô, ô
Meu Pai
Xangô Kaô
Se macumba não deu saravá


2- PONTO DE XANGÔ

Lá no alto da pedreira
A faísca vem riscando
Agüenta mão Cabra de Força
Que a faísca vem queimando

3- PONTO DE XANGÔ

Quando a lua aparece
O leão da mata roncou
A passarada estremece
Olha a cobra coral piou, piou
Olha a cobra piou
Salve o povo de ganga ô
Chegou seu rei de umbanda
Sarava nosso Pai Xangô

4- PONTO DE XANGÔ

O ronco da pedreira
É uma trovoada
Já se ouviu no céu
Já se ouviu no mar
Oi salve a pedra de Xangô
Oi salve a Sereia do Mar
Oi salve Oxossi lá nas matas
Oi salve Ogum no Humaitá

5- PONTO DE XANGÔ

Xangô tem seu livro na pedra
Ogum tem a sua lança
Oxossi a sua flecha
E Miguel sua balança

6- PONTO DE XANGÔ

Ó Gino, olha sua banda
Ó Gino, olha seu conga
Aonde o rouxinol cantava
Aonde Xangô morava
Ele é Gino da cobra coral
Ele é Gino da cobra coral
Ele é Gino da cobra coral
Kaô

7-
Xangô é corisco
Nasceu na trovoada
Trabalha na pedreira
Acorda na madrugada
Longe, tão longe
Aonde o sol raiou
Saravá Umbanda
Oi, saravá Xangô


8-
Escureceu, a noite chegou
Firma ponto na pedreira, saravá Xangô
Saravá Xangô 3x


9-
Subi na pedreira, subi
Uma pedra rolou no corisco de Xangô
Dizem que Xangô mora na pedreira
Mas não é lá sua morada verdadeira
Xangô mora na cidade de Luz
Aonde está Maria e o Menino Jesus
Dizem que Xangô mora na pedreira
Mas não é lá sua morada verdadeira


10-
Lá em cima daquela pedreira
Tem um livro que é de Xangô
Kaô, kaô
Kaô é kabecile é de Xangô


11-
Deixei meu filho em cima da pedreira
E de repente ele escorregou
Me ajoelhei e olhei pra baixo
Estava nos braços de meu pai Xangô


12-
Meu pai Xangô
Deixa essa pedreira aí
A Umbanda está lhe chamando
Deixa essa pedreira aí


13-
Pedra rolou, Pai Xangô, lá na pedreira
Segura o ponto, meu Pai, na cachoeira
Tenho o meu corpo fechado
Xangô é meu protetor
Firma esse ponto, meu filho
Pai de cabeça chegou


14-
Xangô, meu pai, atende essa romaria
Dos filhos que vem de longe
E não podem vir outro dia


15-
Xangô mostrai a força que vós tendes
Xangô é o rei da justiça
E não engana ninguém
Xangô Kaô, Xangô Agodô 3x


16-
Meu Pai Xangô chegou no reino
Meu Pai Xangô já vai girar
Olha seus filhos lhe pedem meu pai
Não deixe os filhos tombar


17-
Na beira do Cariri, eu vi Xangô sentado
Yemanjá e Oxum e Santa Bárbara ao seu lado
Na beira do Cariri


18-
Xangô, Xangô, meu pai Xangô
Xangô mora na pedreira
Quem mandou relampejar
Kaô Kabecile, obá, Xangô
Saravá Xangô 3x


19-
Machadinha de cabo de ouro
De ouro, de ouro
Machadinha de cabo de ouro
É machadinha de Xangô


20-
Ele vem de Aruanda
Ele vem trabalhar
Ele vence demanda
Ele é seu Pangará
Kaô, kaô, kaô, kaô
A justiça chegou, Xangô
Ele vem de Aruanda
Ele vem trabalhar
Ele vence demanda
Ele é seu Arirá
Kaô, kaô, kaô, kaô
A justiça chegou, Xangô


21-
Quem rola pedra na pedreira é Xangô
Vivô a coroa de Zambi 2x
Vivô a coroa de Zambi é maior


22-
Xangô chegou na terra
Xangô girou na Umbanda
Com seu grito de guerra
Xangô venceu demanda


23-
Quebra pedra na pedreira
Quero ver arrebentar
Quem demanda com meus filhos
Eu também sei demandar


24-
Sentado na pedreira de Xangô
Eu fiz um juramento até o fim
Se um dia me faltar a fé em meu Senhor
Que role esta pedreira sobre mim
Meu Pai Xangô chegou do Reino
Meu Pai Xangô é Orixá
Olha, seus filhos lhe pedem meu Pai
Fé e proteção neste congá


25-
Senhor dono da casa
Me dá licença de entrar
Minha banda é de Xangô,
É de Zambi e Oxalá


26-
Xangô é rei de Yorubá
Xangô é rei da pedreira
Xangô é rei dos astros
Xangô é rei de Umbanda
Os teus filhos te chamam
Xangô, Xangô, Xangô Agodô


27-
Meu pai Xangô sentado na pedreira
Com sua machadinha
Cravejadinha de estrelas


28-
Naquele tempo em que Agodô escrevia
Pena de ouro ele trazia


29-
Meu pai Xangô, olhai seus filhos
Que eu também sou filho seu
Seu Agodô,
Yemanjá Sobá, Yemanjá Sobá
Seu Aganju,
Yemanjá Sobá, Yemanjá Sobá


30-
Oh, Gino. Olha a sua banda
Oh, Gino. Olha o seu Congá
Aonde o rouxinol cantava
Aonde Xangô morava
Oh, ele é Gino da Cobra Coral


31-
Eu vi Santa Bárbara e Xangô
Estavam sentados em cima da pedra
Estavam rezando para os seus filhos
Xangô é homem que vai pra guerra.

32-
Eu fui lá nas matas buscar minhas guias
E lá encontrei pai Xangô que dizia
Zum, zum, zum, pai Xangô é Kaô
Zum, zum, zum, pai Xangô é Agodô


33-
É na mesa de Umbanda
Que Xangô faz refeição
Xangô vem cuspindo fogo
Pra levantar filhos do chão


34-
Ecoou lá na mata da Jurema
Não muito longe, num pé de caneleira
Estou ouvindo o eco do infinito,
O que será?
É o ronco da pedreira,
Xangô, Kaô, meu pai
Me cubra com sua bandeira


35-
Xangô, Kaô
Xangô meu pai, venha me ajudar
Xangô é meu guia, Xangô é meu pai
A pedra na pedreira ela rola, mas não cai
Vem trabalhar Xangô, vem trabalhar
No terreiro ele é caboclo
Na pedreira ele é Orixá


36-
Eu pedi a meu pai Xangô
Que me tirasse desta aflição
Olha o seu bom filho
Ele tem fé e lhe traz no coração
Sofrer como eu sofri
Só mesmo um filho de fé
Hoje eu agradeço a Xangô
Eu tinha esperança
Que a bonança voltaria e voltou.


37-
Xangô mora na pedreira
Onde canta o rouxinol
Sua pedreira é tão linda
Pai Oxalá abençoou
Toda coberta de estrelas
Saravá meu pai Xangô


38-
Xangô, ele rei da pedreira
Rei da pedreira ele é o rei de Umbanda
Xangô ele é o nosso Pai
E filhos de Xangô
Bambeia mas não cai


39-
Estava sentado na pedra
Esperando meu Pai Xangô
Xangô na Aruanda
Xangô na quimbanda
Xangô na linha das almas
Com Ogum venceu demanda


40-
Segura a pedra Xangô
Não deixa a pedra rolar
Pega no livro e na pena
Para a justiça firmar


41-
Eram seis horas quando o sino tocou
Na Marambaia, cidade da Jurema
Eram dez horas quando o galo cantou
Com licença de Zambi, saravá Pai Xangô


42-
Na pedreira da mata virgem
Aonde mora meu Pai Xangô
Água minou, Nanã Buruquê
Pedra rolou, saravá Pai Xangô


43-
Que pedreira tão alta
Que nem limo criou
Oh não me quebra pedra
Que a morada é de Xangô


44-
Seu Ariri, Ariri, Ariri
Seu Ariri ele é o Rei da Mata Virgem
Aonde o sabiá cantava
Na pedra onde Xangô morava


45-
Lá no alto da pedreira
A faísca vem rolando
Agüenta a mão cabra de força
Que a faísca vem queimando


46-
Minha mãe cadê Xangô
Xangô foi passear
Minha mãe cadê Ogum
Foi pra guerra guerrear


47-
Meu Pai Xangô, olhai seus filhos
Que eu também sou filho seu
Kaô, Kabecilê, saravá congá


48-
Xangô, Xangô, Xangô, Xangô meu Pai
Foi o Senhor mesmo quem disse
Filho de Umbanda não cai


49-
Tererê Xangô, ô tererê Xangô
Na calunga,
Segura filhos de Umbanda
Não deixa filhos cair


50-
Xangô é dono da pedreira
Segura o meu destino até o fim
Se algum dia eu perder
A fé no meu Senhor
Rolai essa pedreira sobre mim
Meu Pai Xangô


51-
Oxossi é rei das matas
Xangô é da pedreira
Iansã da ventania
Mãe Oxum da cachoeira
Xangô, Xangô, Xangô, kaô, Kabecilê


52-
O Ganga ô
A terra é da Jurema
O leão é lá das matas
A pedra é tão forte
O rei, é Xangô


53-
Xangô veio das virgens matas
Com seu bastão de prata
Para nos salvar Xangô kaô
Xangô no reino é meu Senhor


54-
Graças a Deus, meu Deus
Pelo dia de hoje
Louvado seja Deus
Meu Pai Xangô, muito obrigado
Que Deus nos dê muita luz em nossos caminhos


55-
Cacheoria da mata virgem
Onde mora meu pai Xangô
Pedra rolou da cachoeira
Pedra rolou, saravá pai Xangô
Saravá, pai Xangô

56-
Eram seis horas quando o sino batia
Na Marambaia, cidade da Jurema
Eram seis horas quando o sino tocou
Com licença de Zambi, saravá Pai Xangô

57-
Xangô já vai
Já vai pra Aruanda
A bênção meu pai
Proteção pra nossa banda


58-
Camboteei lá na pedreira
E Xangô disse que sim
Quem tem Santo tem Caboclo
Tá na hora de subir


59-
Xangô de ouro e ouro ô
Xangô me coroou
Filhos de pemba, a Umbanda chora
É Xangô que já vai embora
A Umbanda gira, gira, girê
A Umbanda gira, gira, gira, girá


60-
Meu pai Xangô já berimbou na aldeia
Kaô, cunhanha, ô cunhanha
Kaô cunhanha

 




Pontos cantados omulu/Obaluaie

PONTOS CANTADOS DE OBALUAIE E OMULU

1

O velho vem chegando
Vem chegando devagar
Apoiado no seu cajado
Vem na Umbanda saravá

2

Meu pai Oxalá é o rei venha nos valer (bis)
O velho Omulú Atotô Obaluaê (bis)
E atotô Obaluaê, Atotô babá
Atotô Obaluaê Omulú é orixá

3

Na força das almas vem vibrando
Quando a lua cheia iluminou
E brilha no cemitério
Clariando a cruz maior
Atoto, Atoto, Obaluae
Atoto, Atoto, a cruz maior eu adorei

4

Quem disse que meu pai é velho,
É velho mas tem coroa
Ofereço a Obaluaê
Pipoca, perfume e flores

5

Casinha branca, casinha branca,
que eu mandei fazer (bis)
para oferecer a meu pai omulu,
seu atotô obaluaiê (bis)
oi salve mamãe Oxum! E salve Nanã Buroquê!
Salve Atotô Obaluaiê (bis)

6

Santo Antonio de pemba caminhou sete anos
à procura de mano até que encontrou,
Mas como caminhou, meu Pai (bis)
Mas como caminhou Santo Antonio de pemba
Como caminhou.

7

Oh Seu Omulú, Ele é orixá
O seu tesouro é osso carirê, carirá

8

Se eu vejo um velho no caminho
eu peço a benção (2x)
Deus lhe abençoe,
Deus lhe abençoe
Deus lhe abençoe,
obaluayê, Deus lhe abençoe!

9

Atotô, obaluaê meu pai
Meu pai é santo
É santo do meu axé, é santo do meu encanto

10

Sete anos no deserto sem ter nada pra comer
Com a sua cabaça no ombro sem ter água pra beber
Ele é Omulu, é Obaluaê
Ele é Omulu, é Obaluaê

11

Ah! Vovó das almas, não me deixe andar sozinho
Toma conta dos inimigos, abre os meus caminhos
Se eu sou filho de Omulú, meu Pai, Meu Pai é Santo
Santo do Meu Axé, Santo do meu encanto

12

“Atotô Obaluaê, peço malei-me para o meu cabuletê
Peço saúde, peço paz e proteção
Peço malei para dar ao meu irmão
Peço saúde, peço paz e proteção
Peço malei para o meu cabuletê,
Peço saúde para dar ao meu irmão”

13

Omulu, Omulu
Livrei-nos da sede da peste e da fome
Omulu, Omulu
Médico dos pobres hoje eu vim louvar teu nome
Atoto, atoto obaluaê
Com a sua dança espalhe o seu poder
Atoto, atoto obaluaê
Venha nos salvar, oh! Venha nos valer

14

Se você está sofrendo
Num leito frio e com dor
Com pipoca e dendê,
Muita gente ele curou
Se seu corpo está ferido
E não pode mais suportar
Peça proteção a ele que vai lhe ajudar,
Obaluaê, é Obaluaê, (bis)
É Atotô
Têm o segredo da vida
Do começo e do fim
Oh, meu senhor das palhas tenha muita dó de mim
Na procissão das almas, que partem pro infinito
Ele vai mostrando a elas outro mundo mais bonito
Obaluaê, é Obaluaê, (bis)
é Atotô

15

Trocou palácio de nobre
Pela casa de sapê
Meu pai é Obaluaê
Meu pai é rei poderoso
Que mora dentro da terra
É Orixa milagroso
Que o campo santo governa
Se meu corpo está ferido
A ele vou recorrer
Quando tudo está perdido
Ele é quem vem me valer
Trocou palácio de nobre
Pela casa de sapê
Meu pai é Obaluaê
Grande é sua riqueza
Ninguém pode calcular
É protetor da pobreza
A todos quer ajudar
Filá de palha santa
Ele é força ele é poder
Coro são suas flores
Que aliviam o meu sofrer
Trocou palácio de nobre
Pela casa de sapê
Meu pai é Obaluaê

16

Omulu, aiê, atotô, é um orixá!
Pede que ele dá, atotô, ele é orixá!
Omulu aiê atotô
é um orixá!
Pede que ele dá, atotô
ele é orixá!

17

São flores nanã são flores
de seu filho obaluaiê (bis)
nas noites de agonia
ele é quem vem me valer
é seu filho Nãnã
é meu pai
ele é seu Obaluaiê

18

Eu caminhava por uma estrada
Quando um velho eu encontrei
Eu perguntei quem é você...
Me respondeu sou dono do seu caminho,
Afastando os espinhos para você não sofrer
E com meu manto sagrado te cubro e te amparo
Sou obaluayê.
Ao seus pés me joelhei, suas mãos eu afaguei,
Suas preces eu emplorei e Atotô Obaluayê sou feliz tenho você.
Eu caminhei, caminhei, caminhei;
Hoje eu sou feliz meu pai Obaluayê. (Bis)




Pontos cantados de nanã

 PONTOS DE NANÃ


1-
Atraca, atraca
Que aí vem na onda, é Nanã
É Nanã, é Oxum,
É quem vem saravar, ei ah
É Nanã, é Oxum,
É a sereia do mar, ei ah


2-

São flores, Nanã, são flores
São flores, Nanã Burukê
São flores, Nanã, são flores,
Do seu filho Abaluaê
Nas horas de agonia
É ele quem vem nos valer
É ele, Nanã, é meu Pai,
É seu filho Abaluaê


3-

O mar roncava, entre as pedras se batia
Ao gemido da mãe d’água,
A sereia respondia
São flores, são flores...
São flores, Nanã Buruquê
São flores, são flores


4-

Minha mãe é Nanã
É o Orixá mais velho do céu
Nanã, oh Nanã Buruquê
Firma seu filhos, agora eu quero ver
Senhora Santana
Dai-nos vossa proteção
Valei-nos avó de Aruanda
Valei-nos com sua benção
Com seu manto consagrado
Com sua estrela bendita
Valei-nos senhora Nanã
Livrai-nos das horas aflitas


5-
Saravá Nanã, oi Nanã Buruquê
A sua saia é roxa
O seu telhado é de sapê.


6-

Nanã, oh minha mãe Nanã
Protege os seus filhos
Segure o meu Congá
Eu sou de Jurema
E eu quero trabalhar


7-

Nanã vem das neves,
Ela vem das ondas do mar
Saravá Oxumaré
Saravá a sereia do mar
Saravá Nanã Buruquê
Saluba


8-

Atraca, atraca, que eu vi Nanã
Bangu, Bangulê
Atraca, atraca, que eu vi Nanã auê
Atraca, atraca, que eu vi Nanã
Que eu vi Nanã Buruquê
Pergunte à sua canhanha
Se eu vi Nanã, se eu vi Nanã Buruquê


9-

Senhora Santana, mãe de misericórdia
Eu vou pedir a ela
Pra ela pedir a Deus
Oh, minha mãe, rogai por mim


10-

Nanã é mãe dos Orixás
Está na terra e na cachoeira e está no mar
Eu vou pedir à boa Nanã
Que abençoe seus filhos e seu Ogã


11-

Oh Nanã, cadê Oxum
Oxum tá nas ondas do mar
Ela é dona do reinar
Salve Oxum


12-

Oi nas ondas do mar eu vi Nanã
Oi Nanã Buruquê
Oi nas ondas do mar


13-

Oh Yemanjá, oh Yemanjá
Que linda sereia nadando
Areia nas águas do mar
Vai dizer pra Santana
Que toda semana eu rezo pra ela
Em seu louvor
É Nanã Buruquê


14-

Nas cachoeiras de Nanã Buruquê
Só se lava a cabeça do filho de Umbanda
Quando é pra valer
Mas se você não é, então não vai lá
Porque Nanã Buruquê, meu filho
Pode não gostar


15-

Maleime Velha Nanã
Maleime Deus é quem dá
Maleime Meu Pai Oxossi
Maleime
Maleime Deus é quem dá
Maleime Velha Nanã
Maleime Deus é quem dá
Maleime Meu Pai Xangô
Maleime
Maleime Deus é quem dá
Maleime Velha Nanã
Maleime Deus é quem dá
Maleime Meu Pai Ogum
Continua.......para todas as linhas



Agradecemos sua visita Volte sempre....

aviso
Os textos apresentados na sua maioria foram retirados , da internet. Esse é um espaço onde
colocamos diversos pensamentos e o nosso principal objetivo é a divulgação da nossa Umbanda.
Quando algum texto for de autoria do Centro Pai João de angola, o responsável será indicado; da mesma forma que
fazemos com outros autores que não têm vínculos com a nossa casa...
Comunicado Importante:
Este é um Site totalmente gratuito, sem fim comercial ou lucrativo. Algumas imagens e informações provêm de outros sites na internet. Caso você seja o detentor do Copyright de qualquer uma delas, e deseje que ela seja retirada, por favor, é só nos mandar uma mensagem citando o nome e a localização para sua remoção imediata. Não temos o objetivo de nos apropriar de informações alheias tomando-as como nossa, pelo contrário, sempre que possível, colocaremos o nome do autor abaixo do título para deixar bem claro que a intenção é de divulgar a Umbanda através de textos bem elaborados e esclarecedores. Saiba que o Centro Pai João de Angola está isento de qualquer responsabilidade.
 


Saudação a todos orixás.

Pai Joao - Pombinho de Zambi, pombinho de Obatala.mp3

Ponto Cantado de pai joao de Angola

Se a pedra é dura
È dura de quebrar
Coração que nao bambeia
Hoje tem que bambear,
Eu pisei na pedra
E a pedra balanceou
O mundo estava torto
E pai joao indireitou

Eu pisei na pedra
E a pedra balanceou
O mundo estava torto
E pai joao indireitou

É Pai Joao é quem abre os caminhos
Pai Joao é quem abre o gonga
Segura sua candira meu Pai Joao
Nao deixa esse goga virar
Segura sua candira meu Pai Joao
Nao deixa esse gonga virar

Obrigado meu Pai Oxalá
Pela fé que me sustenta
Pelas bênçãos de Ogum
Pela proteção de Iemanjá
Pelo amor de Oxum
Pela força de Iansã
Pela retidão de Xangô
Pelo colo de Nanã
Pelo equilíbrio de Oxóssi
Pelas curas de Omulú
Pelas cores de Oxumarê
Pelas folhas de Osanhe
Pelas Crianças que enchem
de alegria nossos terreiros
Pela amizade dos Boiadeiros
Pela humildade dos Preto-Velhos
Pelas Almas Santas e Benditas
Pela cumplicidade de Exú e Pomba Gira

 

  • Ao mestre com carinho
  • Ogum
  • Oxum
  • Yansã
  • oracões
  • Xangô
  • Yemanjá
  • Oxossi
  • Oxalá
  • Oxumarê
  • Preto-velhos
  • Caboclos
  • Boaideiros na Umbanda
  • Baianos na Umbanda
  • Marinheiros
  • Pomba Gira
  • Maria Padilha
  • Oração de exu
  • Banhos de descarregos
  • pontos-riscados-Exu
  • História de Rei Congo
  • Pontos Cantados Orixás
  • Pontos cantados Diversos
  • Maria Redonda
  • Sitemap
  • Mensagem de Zé Pilintra
  • Pai José da Guiné
  • Exu Capa Preta
  • Exu das Sete Encruzilhadas
  • Exu morcego
  • Exu Meia Noite
  • Mensagem de Pai joão de Angola
  • Conselhos de Pai joao de Angola
  • pai-joao
  • Oração a Pai joão de Angola
  • Atribuição dos Preto-velhos
  • CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA
  • Histórias de Vovó Luiza
  • Quem Somos
  • Linha de Caboclos
  • Livro de Visitas 1
  • Ogum Rompe Mato
  • Ogum Yara
  • Altar Virtual dos Orixás
  • Altar Virtual
  • Descubra seu Orixá
  • Altar Virtual de Exu
  • Altar virtual de Ogum
  • Altar virtual de Oxum
  • Altar virtual dos Preto-velhos
  • Altar de Nossa Senhora
  • Ogum vencedor de Demanda
  • Fundamentos
  • OS TRABALHOS DESENVOLVIDOS
  • Cartão de Visitas
  • livro-de-visitas-2
  • Orações 2
  • Os dez maiores erros cometidos por médiuns umbandi
  • A Saída dos Orixás
  • A História de vovô Benedito
  • Oferendas de Oxum
  • Textos de Umbanda
  • Oferenda de Xangô
  • Oferendas de Ogum
  • Oferenda de oxossi
  • a-mediunidade-os-orixás-e-os-caboclos
  • orações diversas
  • Oração ao Pai João de Angola
  • oração a escrava anastacia
  • ORAÇÃO A PAI BENEDITO DE ARUANDA
  • Oração a Maria Bueno
  • Oração a Tia Maria de Minas
  • Oração ao caboclo 7 flexas
  • Oração ao caboclo boiadeiro
  • Oração ao seu Zé Pilintra
  • Oração a são cosme e damião
  • Oração para fechamento de corpo
  • Oração a cabocla Jurema da praia
  • Oração ao Divino Espirito Santo
  • ORAÇÃO AOS PRETOS VELHOS – I
  • oração a Oxalá
  • Prece à tia Rita da Bahia
  • Oração dos Preto velhos-4
  • Oração dos Preto velhos 3
  • Oração dos preto velhos 2
  • Oração do Perdão
  • Para teu Lar
  • Prece de Caritas
  • Orações a Yemanjá
  • orações a Oxossi
  • Prece a xangô
  • Orações a santa Barbara
  • Orações a Yansã
  • Oração da Pomba-gira
  • Oração de São jorge
  • Oração a Oxum
  • Oração para cura de traumas emocionais e decepções
  • Oração para começar o dia
  • ORAÇÃO FORTE E PODEROSA CONTRA INIMIGOS E INVEJA
  • Pai Nosso Umbandista
  • Creio em Deus Pai na Umbanda
  • Oração aos Orixás
  • Oração ao anjo da guarda
  • Pedido de Proteção
  • Oração poderosa de Pai joão
  • Oração à Nossa Senhora da Cabeça
  • Oração a Bezerra de Menezes
  • Oração ao Poderoso Santo Expedito
  • Oração à São José Operário
  • Oração a São Miguel Arcanjo
  • Oração para abrir caminhos
  • Oração ao sete Encruzilhada
  • Abertura dos trabalho 2
  • Prece de Abertura dos trabalhos
  • Prece ao Caboclo Sete Estrelas
  • Oração ao Caboclo Ventania
  • Caboclo 7 Pedreiras
  • PRECE A POMBA-GIRA
  • oração a tranca rua das almas
  • Prece ao Pai João da Mata
  • Oração ao Caboclo
  • Oração a Boiadeiro
  • Oração as sete linhas
  • ORAÇÃO DO PAI JOSÉ DE ARUANDA
  • Oração ao Pai Joaquim
  • Oração do baiano Corisco
  • BENZEDURA CONTRA O MAU-OLHADO INVEJA E QUEBRANTO
  • ORAÇÃO PARA BÊNÇÃO DO LOCAL DE TRABALHO OU LAR
  • ORAÇÃO PARA PEDIR FÉ
  • Oração aos Pretos Velhos e Pretas Velhas
  • Oração a Santa Sara Kali
  • Os Filhos de Omolu
  • Ebó para Yansã
  • Comida de Xangô
  • Lendas de Iansã com Ogum
  • Pontos cantados de Pomba-gira em Videos
  • ORIXÁS EXÚ E OGUM
  • Sem Exu não se Faz nada
  • OS FILHOS DE EXÚ
  • Pontos Cantados de Oxala Videos
  • Pontos Cantados de Ogum Videos
  • Pontos Cantados de Oxum Videos
  • Pontos Cantados de Yemanjá Videos
  • Pontos Cantados de Oxossi Videos
  • Galeria de Videos
  • Pontos Cantados de Xangô videos
  • Pontos Cantados de Yansã videos
  • PORQUE OS EXUS RIEM
  • Videos de Preto velhos
  • Cigano Pablo
  • Cigana esmeralda
  • Mensagem de Ogum
  • Ogum Beira Mar
  • Altar na Umbanda
  • A tristeza dos Orixás
  • Amor palavra de ordem na gira
  • AS FALANGES DE TRABALHO NA UMBANDA
  • ASSISTÊNCIA
  • exu não e fofoqueiro
  • ATITUDE INTERIOR
  • BANDEIRA BRANCA DE OXALÁ
  • Cantos e Palmas num Terreiro
  • Como acontece a Gira
  • conduta moral
  • CONDUTA NO TERREIRO DE UMBANDA
  • Conflitos
  • Conflitos Familiares
  • Como ler escutar ou observar e saber se aquilo é
  • Cores e a Umbanda
  • Cumprimentos e Posturas
  • De Olhos Fechados
  • Deus não te Fez para sofrer
  • Deus salve a Umbanda
  • Página em Atualização
  • EGUNS E QUIÚMBAS
  • ELEMENTOS DO TERREIRO DA UMBANDA
  • ENTENDENDO A INVEJA
  • ESPIRITUALIDADE E CONSCIÊNCIA
  • EXPRESSÕES USADAS NA UMBANDA
  • EXU NÃO É DIABO
  • falta de doutrina e de complemetimento
  • Faz caridade fio
  • Os perigos e conseqüências da mediunidade mal orie
  • O DIA DE FINADOS NA UMBANDA
  • Fazer o bem sem ver a quem
  • Os Médiuns são Parceiros
  • Fumos e Bebidas
  • Fundamentação Doutrinária
  • GUIAS E COLARES
  • Hierarquia na Casa de Umbanda
  • Humildade
  • Jogaram uma carga pesada pra cima de mim
  • O maior inimigo da Umbanda
  • Mediunidade na Umbanda
  • Mediunidade um passo de cada vez
  • Mensagem do Caboclo Sete Flechas
  • MIRONGA DE PRETO VELHO
  • Não abandone seu posto de serviço
  • Normas dos Terreiros
  • Nossos Umbigos
  • Linha de Esquerda Exu e ´Pomba-Gira
  • O pequeno universo do umbandista
  • O Perdão Não tem Contra-indicação
  • O Templo Que Vos Acolhe
  • obrigações na umbanda
  • OBRIGADO VOVÔ
  • ORAÇÃO DO UMBANDISTA
  • Orixá de Cabeça
  • Os Caboclos na Lição de Pai João
  • Os Orixás se Manifestam em Nós e Através de Nós
  • Oração de Ogum Xoroquê
  • .