Centro Pai João de Angola

Quem é Oxossi?

Oxóssi é o Orixá da caça, do verde, das matas, é o Orixá da fartura, o grande caçador é ele quem traz para o homem as plantas curativas. De natureza telúrica vibra sobre tudo que nasce sobre a terra, exceto as plantas tóxicas e venenosas. É um vencedor, traz para o povo a sobrevivência, a fartura, a cura das doenças pela natureza, a saúde plena. O povo da Bahia ligou Oxóssi a São Jorge, festejado em 23 de abril. No Rio de Janeiro, em São Paulo e no sul do País ele foi sincretizado com São Sebastião e seu dia é 20 de janeiro. Seu dia é a quinta feira, sua cor é o verde misturado ao branco. Podemos estabelecer uma associação entre Oxóssi e Mercúrio, o Deus romano do comércio, bem como seu correspondente grego Hermes. Todos eles representam mudanças, o movimento, tudo o que é novo e vibrante. Ligado as alterações mentais e físicas, Oxóssi é o constante movimento da natureza, que está sempre em evolução. A liberdade e a independência são importantes para seus filhos que prezam muito sua autonomia e são infelizes quando tolhidos. Um aspecto negativo de sua personalidade é a sua indiscrição em relação as outros e a vida alheia. Pela sua conotação mercuriana Oxóssi pode ser associado ao Arcano II do Tarô, os Enamorados. “A primeira relação que pode ser estabelecida refere-se a uma prova vencida, àquele que foi testado e conseguiu provar seu valor, encontrando dentro de si a força para enfrentar a dúvida: ”sou ou não capaz?”. Inconstante muda muito de interesse e tem tendência a se deixar seduzir pela novidade. O conflito que o Arcano indica acima refere-se muito mais as decisões emocionais do que materiais. Seus filhos envolvem-se com suas emoções e transformam-se através delas. Tem o dom da comunicação, suas mudanças são discutidas, analisadas a nível consciente e realizam a cura de seu ego ambíguo. O Físico e o Temperamento Seus filhos são alegres e joviais, muito falantes, nervosos e inseguros ,embora não transmitam essas emoções, pelo contrário sua companhia é agradável e estimulante. A simpatia que ele irradia faz com que sempre esteja rodeado por um grupo ativo e dinâmico. Místicos e intuitivos, são dotados de notável rapidez mental, gostam de ouvir conselhos e orientações, mas esquecem tudo na hora de agir, torna-se então precipitado e sem lógica por vezes indeciso, acompanhá-lo não é fácil. Tem muitos amigos, mas não gosta de intimidade excessiva, é amável e acolhedor, mas reserva-se bastante. Deixa-se levar por elogios, o que lhe traz alguns dissabores, fala e escreve muito bem, exímio coordenador de atividades, distribui bem as tarefas de cada um, só que para ele nunca sobra nada para fazer embora pareça ser o mais ativo de todos. É inventivo e original em seus planos, é astuto e sagaz, mas também é impaciente com os lentos, com os calmos e reflexivos, deixando para trás aqueles que não acompanham seu ritmo ativo. Movimento e mudanças são uma constante para ele, suas idéias mudam quando menos se espera,nada está estabelecido, tudo é passível de sofrer alterações. Aprecia discussões pelo prazer de vencer intelectualmente idéias opostas as suas, é afetuoso generoso e sensível, mas atitudes apaixonadas e ardentes não fazem parte deste arquétipo, ele se interessa mais pelos aspectos intelectuais em suas relações. A monotonia entedia o filho de Oxóssi, que precisa sempre ser estimulado, esses estímulos são trazidos pelas inovações e mudanças, assim ele consegue manter-se interessado e produzir. Como é um pensador independente tem dificuldade em aceitar opiniões diferentes das suas, trabalhar em equipe é desgastante se tiver que enfrentar conflitos constantes. Amor e Casamento Muito sentimentais, os filhos de Oxóssi precisam do conforto do amor, mas quando se envolve e percebe que sua liberdade fica comprometida recua assustado, mas quando bem harmonizado intelectualmente, e sentindo-se livre mantém-se num relacionamento estável. Provavelmente, quem inventou o casamento em casas separadas foi um filho de Oxóssi. Sua personalidade independente exige que ele tenha um canto só seu onde nada e ninguém o perturbe, ali ele se reequilibra e recupera seu delicado sistema nervoso, ele é como o mercúrio: ele desliza, é difícil mantê-lo estável, quando é comprimido foge e se divide, só pode ser controlado, nunca pressionado. É atraído pela beleza, pelo otimismo, pela inteligência e pelo bom humor. Aprecia que seu companheiro tenha interesses diversos dos seus, sente-se então enriquecido pelas experiências que lhe são relatadas, os desafios em conjunto o fascinam, já uma pessoa rígida com poucos objetivos pessoais o entedia. A vida familiar pode ser uma boa base para o filho de Oxóssi, desde que seja estimulado em suas idéias e tenha livre expressão o convívio com a família será revigorante para ele. Os assuntos secretos, o ocultismo e o esoterismo o atraem, um relacionamento cármico será possível para ele, pois está aberto a reconhecê-lo em todos os níveis, tirando dele o aprendizado necessário. A vida amorosa não tem para ele a mesma importância que para os filhos de outros Orixás. Com o tempo alguns podem até decidir se tornarem celibatários por convicção. Trabalho e Dinheiro O filho de Oxóssi tem aptidões múltiplas, gosta do estímulo mental constante e procura sempre novidade no que faz, essas características norteiam sua vida profissional. Quando tem um projeto em andamento, sua atividade redobra e é capaz de gastar muita energia para desenvolvê-lo. O esgotamento que a dedicação intensa ao trabalho provoca é capaz de afetar seu sistema nervoso sensível. O filho deste Orixá precisa aprender que para construir uma carreira bem sucedida é preciso que ele seja prático no seu idealismo, essa realidade é, às vezes um pouco difícil de ser encarada por ele. O perfeccionismo, a minuciosidade e a imaginação que põe em seu trabalho faz com que seja o melhor em sua especialidade. Responsabilidades monótonas e burocráticas deprimem o seu espírito, ele está melhor situado em um trabalho onde puder traçar planejamentos e realizar mudanças. Toma decisões rapidamente e é bom para enfrentar crises, mas distraído com pequenos detalhes. Saúde O sistema nervoso do filho de Oxóssi é muito sensível, é o primeiro a refletir o seu desequilíbrio físico. A insônia é um problema para esse filho, pois impede que repouse seu cérebro ativo como deveria, ele raramente consegue dormir o necessário. Acidentes, ferimentos, contusões, pancadas que atingem seus ombros, braços, mãos e dedos são freqüentes, bem como danos às pernas e aos pés. Os pulmões, intestinos e o estômago são órgãos que costumam apresentar alguma fragilidade. Artrite e o reumatismo também podem afligir a saúde dos filhos de Oxóssi. O homem de Oxóssi Pouco conservador possui múltiplos interesses não analisa qualquer assunto por um tempo maior, sua atuação seria, partindo do interesse que algo lhe provoca, observar, emitir um conceito próprio e ir adiante, atrás de novidade. Não consegue se deter tempo suficiente para conhecer profundamente algum assunto,mais conhece um pouco de tudo. Gosta de companhia, faz parte do seu temperamento alegre. As crianças o adoram, dá bastante liberdade e as estimula a variar a suas atividades, embora seja falho no lado disciplinar. Não é ciumento e não quer ser alvo de ciúmes nem quer que sua liberdade seja tolhida por causa dele, alguns filhos de Oxóssi com problemas emocionais e profissionais passam por períodos de depressão, pode ser vitima de tramas traiçoeiras e pode ter atos e palavras mal interpretados. A mulher de Oxóssi A filha de Oxóssi é uma intelectual, embora administre bem o seu lar passa pouco tempo dentro dele, prefere o ambiente profissional ou a vida em sociedade. O homem que se casa com essa mulher casa com muitas mulheres diferentes ao mesmo tempo, pode surpreender sempre é criativa divertida, curiosa por qualquer novidade, fiel e dedicada, variar é seu ponto forte a parte física de uma relação é a que menos interessa a mulher de Oxóssi ela se aproxima de alguém que a atraia mental e espiritualmente. Gosta de discutir é muito temperamental é petulante e fala para ferir quando está brigando. Como mãe é maravilhosa. Ensinará aos filhos a independência, será imaginativa e amorosa e organizará para eles muitas atividades estimulantes . A traição não está na natureza da filha de Oxóssi ela jámais sacrificaria lar e filhos por uma aventura.

As oferendas para Oxossi devem ser entregues em matas fechadas, altas, preferencialmente pouco exploradas pelos homens, enfeitadas com fitas verdes, vermelhas ou brancas. Na Umbanda, as oferendas para Oxossi consistem basicamente de velas verdes ou brancas, acompanhadas de flores brancas ou vermelhas, vinho moscatel, mate e água de côco com mel.

Devem ser depositadas sobre um tecido de algodão verde ou diretamente sobre a relva. Charutos também são bastante ofertados a Oxossi, especificamente aos caboclos.


Oferenda de Oxossi
Oferendas para Oxóssi

20 de Janeiro, dia de São Sebastião, dia de Oxóssi, o Senhor da Doutrina, aquele que atinge o coração e a inteligência das almas envoltas em suas vibrações.
Axoxô

ingredientes:

    1 Kg de Milho Vermelho;
    Mel natural;
    1 Côco seco;
    alguidar;
    quartinha de barro
    vinho branco frutado

preparo:

Cozinhe o milho vermelho somente em água e deixe esfriar, coloque no alguidar, regue com bastante mel e enfeite por cima com fatias finas de côco.
Frutas

ingredientes:

    7 qualidades de frutas verdes (principalmente Melão); exceto abacaxi e limão;
    1 côco seco;
    Mel natural;
    alguidar;
    quartinha de barro;
    vinho branco frutado.

preparo:

Escolha 3, 5 ou 7 tipos de frutas verdes bem bonitas.  Como sugestão: Melão, Goiaba branca, Carambola, Uva branca, Maçã verde, Pêra e Cana de açúcar; abra-as e coloque no alguidar.
Regue com bastante mel.
Cubra com fatias finas de côco seco. Folhas de goiaba também podem ser usadas para enfeitar.
Melão para Oxóssi

ingredientes:

    1 Melão grande;
    1 Côco seco;
    Mel natural;
    alguidar;
    quartinha de barro;
    vinho branco frutado.

preparo:

Abra o melão ao meio e coloque no alguidar.
Regue com bastante mel e cubra com fatias bem finas de côco.



Oferenda de Oxossi

1 toalha ou pano verde
Velas brancas e velas verdes
Fitas brancas e fitas verdes
Linhas brancas e linhas verdes
Frutas de qualquer espécie
Comidas (moranga cozida, milho verde em espiga e cozido, maça cozida e regadas com mel ou açucarada, doces cristalizados)
Vinho tinto
Cerveja branca
Suco de frutas
Pembas brancas e pembas verdes
Fubá (para circular e fechar a oferenda)
Essa oferenda pode ser feita em uma mata ou se preferir dentro de um local fechado tirar em 3 dias.

 




Oferenda de Oxossi

Esta oferenda é para o orixá Oxossi trazer boa sorte.

Para aqueles que não sabe Oxossi é considerado o Santo (orixá) da Fartura e prosperidade no Candomblé ele é considerado o Orixá Caçador, buscando a caça e por um bom tempo seu uniu ao seu irmão Ogum alimentando-o, em troca Ogum ensinou Oxossi a Guerrear.

Numa travessa de barro, coloca-se sete peixes frescos inteiros com as escamas. Por cima coloca-se: milho torrado; melado de cana; azeite de dendê e efun ralado. Deixa-se nos pés de Oxóssi por três horas e, em seguida, leva-se a um mata e arreia-se aos pés de uma palmeira ou coqueiro. Caso você não tenho um Ibá orixá de Oxossi você pode colocar em um lugar alto dentro de casa com uma vela de 7 dias acessa. Sorte axé a todos irmãos.

 




OFERENDA A OXOSSI PARA PROSPERIDADE


    Um alguidar
    Fubá de milho
    Leite de coco natural
    Sete cravos
    Sete pedaços de canela em pau
    Sete velas de cera de carnaúba ( junto com a de sebo e muito usado, ja que muitos afirmam que a vela de parafina nao tem axe so e usada pelo elemento fogo e como os amigos sabem carnauba e uma arvore por isso a cera tb tem seu axé.)
    Chitão, com cor predominante verde
    Sete palmos de fitas de diferentes cores
    Canela em pó
    Água de Cachoeira ( se não tiver pode ser agua mineral)


Cozinhar o fubá, acrescentar o leite de coco, até tomar consistência. No alguidar , depositar a papa e sobre esta, arrumar as fatias de côco, os paus de canela e os cravinhos. Polvilhar tudo com canela em pó. As fitas intercalam as fatias de côco. As velas são acesas ao redor. Esta oferenda fica sobre o chitão.
Dias: terça e quinta – feira. Hora: à noite. Lua: crescente.
Amigos aqui faço uma obs. e legal agradar Oxossi no fim da madrugada para inicio da manha que e a hora que ele sai pra caçar.

 




Lendas de Oxossi

 Lendas De Oxossi
Como Oxossi Virou Orixá

Odé era um grande caçador. Certo dia, ele saiu para caçar sem antes consultar o oráculo Ifá nem cumprir os ritos necessários. Depois de algum tempo andando na floresta, encontrou uma serpente: era Oxumaré em sua forma terrestre. A cobra falou que Odé não devia matá-la; mas ele não se importou, matou-a, cortou-a em pedaços e levou para casa, onde a cozinhou e comeu; depois foi dormir. No outro dia, sua esposa Oxum encontrou-o morto, com um rastro de cobra saindo de seu corpo e indo para a mata. Oxum tanto se lamentou e chorou, que Ifá o fez renascer como Orixá, com o nome de Oxossi.
Orixá da Caça e da Fartura !!!

Em tempos distantes, Odùdùwa, Rei de Ifé, diante do seu Palácio Real, chefiava o seu povo na festa da colheita dos inhames. Naquele ano a colheita havia sido farta, e todos em homenagem, deram uma grande festa comemorando o acontecido, comendo inhame e bebendo vinho de palma em grande fartura. De repente, um grande pássaro, pousou sobre o Palácio, lançando os seus gritos malignos, e lançando farpas de fogo, com intenção de destruir tudo que por ali existia, pelo fato de não terem oferecido uma parte da colheita as feiticeiras Ìyamì Òsóróngà. Todos se encheram de pavor, prevendo desgraças e catástrofes. O Rei então mandou buscar Osotadotá, o caçador das 50 flechas, em Ilarê, que, arrogante e cheio de si, errou todas as suas investidas, desperdiçando suas 50 flechas. Chamou desta vez, das terras de Moré, Osotogi, com suas 40 flechas. Embriagado, o guerreiro também desperdiçou todas suas investidas contra o grande pássaro. Ainda foi, convidado para grande façanha de matar o pássaro, das distantes terras de Idô, Osotogum, o guardião das 20 flechas. Fanfarrão, apesar da sua grande fama e destreza, atirou em vão 20 flechas, contra o pássaro encantado e nada aconteceu. Por fim, todos já sem esperança, resolveram convocar da cidade de Ireman, Òsotokànsosó, caçador de apenas uma flecha. Sua mãe, sabia que as èlèye viviam em cólera, e nada poderia ser feito para apaziguar sua fúria a não ser uma oferenda, uma vez que três dos melhores caçadores
falharam em suas tentativas. Ela foi consultar Ifá para Òsotokànsosó. Os Babalaôs disseram para ela preparar oferendas com ekùjébú (grão muito duro), também um frango òpìpì (frango com as plumas crespas), èkó (massa de milho envolta em folhas de bananeira), seis kauris (búzios). A mãe de Òsotokànsosó fez então assim, pediram ainda que, oferecesse colocando sobre o peito de um pássaro sacrificado em intenção e que oferecesse em uma estrada, e durante a oferenda recitasse o seguinte: "Que o peito da ave receba esta oferenda". Neste exato momento, o seu filho disparava sua única flecha em direção ao pássaro, esse abriu sua guarda recebendo a oferenda ofertada pela mãe do caçador, recebendo também a flecha certeira e mortal de Òsotokànsosó. Todos após tal ato, começaram a dançar e gritar de alegria: "Oxossi! Oxossi!" (caçador do povo). A partir desse dia todos conheceram o maior guerreiro de todas as terras, foi referenciado com honras e carrega seu título até hoje. Oxossi.

Dia 20 de janeiro comemoramos o “Dia de São Sebastião” sincretizado pela igreja católica com o orixá Oxóssi.

Oxóssi na umbanda é considerado patrono da linha dos caboclos, atuando para o bem-estar físico e espiritual dos seres humanos. Oxóssi é o orixá da caça e da fartura.
Oxóssi é patrono da linha de caboclos
Os caboclos, na umbanda, são entidades que se apresentam como indígenas e incorporam também no candomblé de caboclo.
As entidades assim denominadas que se apresentam nos terreiros de umbanda são espíritoscom um alto grau espiritual de evolução.
Geralmente se utilizam de charutos, folhas, ervas diversas para provocar a descarga espiritual de seu médium e também do seu consulente. Alguns assoviam, outros bradam no ato da incorporação. Costumam ser bastante sérios nos seus conselhos. São considerados, portanto, grandes trabalhadores dos terreiros e eficientes feiticeiros do bem.




Divindade da caça que vive nas florestas. Seus principais símbolos são o arco e flecha, chamado Ofá, e um rabo de boi chamado Eruexim. Em algumas lendas aparece como irmão de Ogum e de Exú.
Oxossi é o rei de Keto, filho de Oxalá e Yemanjá, ou, nos mitos, filho de Apaoka (jaqueira). É o Orixá da caça; foi um caçador de elefantes, animal associado à realeza e aos antepassados. Diz um mito que Oxossi encontrou Iansã na floresta, sob a forma de um grande elefante, que se transformou em mulher. Casa com ela, tem muitos filhos que são abandonados e criados por Oxum.
Oxossi vive na floresta, onde moram os espíritos e está relacionado com as árvores e os antepassados. As abelhas pertencem-lhe e representam os espíritos dos antepassados femininos. Relaciona-se com os animais, cujos gritos imita a perfeição, e caçador valente e ágil, generoso, propicia a caça e protege contra o ataque das feras. Um solitário solteirão, depois que foi abandonado por Iansã e também porque na qualidade de caçador, tem que se afastar das mulheres, pois são nefastas à caça.
Está estreitamente ligado a Ogum, de quem recebeu suas armas de caçador. Ossãe apaixonou-se pela beleza de Oxossi e prendeu-o na floresta. Ogum consegue penetrar na floresta, com suas armas de ferreiro e libertá-lo. Ele esta associado, ao frio, à noite, à lua; suas plantas são refrescantes.
Em algumas caracterizações, veste-se de azul-turquesa ou de azul e vermelho. Leva um elegante chapéu de abas largas enfeitados de penas de avestruz nas cores azul e branco. Leva dois chifres de touro na cintura, um arco, uma flecha de metal dourado. Sua dança sumula o gesto de atirar flechas para a direita e para a esquerda, o ritmo é "corrido" na qual ele imita o cavaleiro que persegue a caça, deslizando devagar, às vezes pula e gira sobre si mesmo. É uma das danças mais bonitas do Candomblé.
Orixá das matas, seu habitat é a mata fechada, rei da floresta e da caça, sendo caçador domina a fauna e a flora, gera progresso e riqueza ao homem, e a manutenção do sustento, garante a alimentação em abundância, o Orixá Oxossi está associado ao Orixá Ossaê, que é a divindade das folhas medicinais e ervas usadas nos rituais de Umbanda.
Irmão de Ogum, habitualmente associa-se à figura de um caçador, passando a seus filhos algumas das principais características necessárias a essa atividade ao ar livre: concentração, atenção, determinação para atingir os objetivos e uma boa dose de paciência.
Segundo as lendas, participou também de algumas lutas, mas não da mesma maneira marcante que Ogum.
No dia-a-dia, encontramos o deus da caça no almoço, no jantar, enfim em todas as refeições, pois é ele que provê o alimento. Rege a lavoura, a agricultura, permitindo bom plantio e boa colheita para todos.
Segundo Pierre Verger, o culto a Oxossi é bastante difundido no Brasil mas praticamente esquecido na África. A hipótese do pesquisador francês é que Oxossi foi cultuado basicamente no Keto, onde chegou a receber o título de rei. Essa nação, porém foi praticamente destruída no século XIX pelas tropas do então rei do Daomé. Os filhos consagrados a Oxossi foram vendidos como escravos no Brasil, Antilhas e Cuba. Já no Brasil, o Orixá tem grande prestígio e força popular, além de um grande número de filhos.
O mito do caçador explica sua rápida aceitação no Brasil, pois identifica-se com diversos conceitos dos índios brasileiros sobre a mata ser região tipicamente povoada por espíritos de mortos, conceitos igualmente arraigados na Umbanda popular e nos Candomblés de Caboclo, um sincretismo entre os ritos africanos e os dos índios brasileiros, comuns no Norte do País.
Talvez seja por isso que, mesmo em cultos um pouco mais próximos dos ritos tradicionalistas africanos, alguns filhos de Oxossi o identifiquem não com um negro, como manda a tradição, mas com um Índio.
Oxossi é o que basta a si mesmo. A ele estiveram ligados alguns Orixás femininos, mas o maior destaque é para Oxum, com quem teria mantido um relacionamento instável, bem identificado no plano sexual, coisa importante tanto para a mãe da água doce como para o caçador, mas difícil no cotidiano, já que enquanto ela representa o luxo e a ostentação, ele é a austeridade e o despojamento.

 




Lendas de oxossi

LENDAS DE OXOSSI

                            SOBRE ODÉ (OXOSSI)

É o orixá caçador, que vive nas florestas e nas terras verdes não cultivadas. Está associado à lua e à noite, por ser o melhor momento para a caça. Sua técnica consiste em esperar, pacientemente, a preza aproximar-se para, então, deferir seu tiro certeiro.
Orixá poderoso, encantado do maior respeito, suas festas são de grande beleza e opulência. Uma delas, a das Quartinhas de Oxossi, no candomblé do Gantois, onde reina a veneranda Mãe Menininha, é inesquecível espetáculo.


Sua principal ferramenta é o ofá (arco) e a flecha, muito utilizados em sua arte. Acredita-se que esse orixá conhece o segredo do nosso planeta, pois os dois hemisférios (norte e sul), quando separados, assemelham-se ao seu arco.

Outra ferramenta importante é o erukerê, objeto sagrado feito com o rabo de búfalo, utilizado, especialmente, para a magia. Seus poderes mágicos são muito importantes, através dos quais os caçadores enfrentam os seres encantados que habitam as florestas. O erukerê, que é detentor de "axé", também serve para espalhar a fertilidade pelo mundo.


Na mitologia yorubana, Odé é filho de Yemonjá e irmão de Ogun, que, assim como ele, adora a liberdade. É muito confundido com a caçadora Oxóssi, seu correspondente feminino. Ambos estão relacionados à fartura, prosperidade e à eterna convivência com a natureza.

Odé tem como missão trazer caça para todos os povos do mundo. A caça simboliza o alimento necessário para a sobrevivência das espécies e, também, a busca de novos caminhos para o desenvolvimento.

A atividade de caçador sempre foi considerada pioneira e muito importante, trazendo para seus integrantes uma posição de destaque entre os seus.

Devido à sua principal atividade, Odé permanece muito tempo isolado, concentrando-se totalmente na tarefa que está desempenhando.

Odé também é reverenciado durante os rituais de colheita e de fertilização do solo.



LENDA DE ODÉ

Na cidade de Ifé, realizavam-se festividades e rituais por ocasião das colheitas. Os sacerdotes da aldeia, fugindo aos seus costumes, não realizavam as oferendas obrigatórias para três das maiores bruxas conhecidas: as Iya-mi Oxorongás. Esse ato imperdoável precisava de uma boa punição. Foi assim que elas enviaram um enorme pássaro para assombrar aquela aldeia.

A ave ficou pousada no telhado do palácio, de onde podia avistar toda a cidade.

Um clima de medo e mau agouro espalhou-se entre os moradores, que não sabiam o que fazer para acabar com aquele terrível monstro.

Oferendas foram realizadas para as Oxorongás, mas sem resultado. Era tarde demais para isso.

Foi então que alguns caçadores se apresentaram para matar o pássaro das bruxas, mas foram todos derrotados. O último caçador possuía apenas uma flecha, e era a última esperança de livrar a aldeia da morte. Esse caçador era Odé.

Sua mãe, que estava longe daquele lugar, teve um mau presságio com relação a ele. Consultando um babalawô, teve a confirmação do que já sabia: seu filho corria grande perigo.

Foram necessárias muitas oferendas para que a missão de Odé fosse executada com perfeição e, graças a isso, Odé pôde matar o pássaro com sua única flecha, livrando sua aldeia da aniquilação. Desde então, vem sendo venerado por esse povo.


CARACTERÍSTICAS DOS FILHOS DE ODÉ

O arquétipo de Oxóssi é o das pessoas espertas, rápidas, sempre alerta e em movimento. São pessoas cheias de iniciativa e sempre em vias de novas descobertas ou de novas atividades. Têm o senso da responsabilidade e dos cuidados para com a família. São generosas, hospitaleiras e amigas da ordem, mas gostam muito de mudar de residência e achar novos meios de existência em detrimento, algumas vezes, de uma vida doméstica harmoniosa e calma.

A determinação e a paciência para aguardar o momento certo de agir, fazem parte da sua personalidade. São joviais, rápidos e espertos, sempre com um olhar atento e vivo. Possuem um corpo esguio, sendo geralmente magros e pouco musculosos. Suas mãos são delgadas e finas. Movimentam-se quase que flutuando, com muita leveza no andar. É um orixá de pessoas presas ao cotidiano e de homens comuns, que não sonham muito. Alguns filhos desse orixá possuem muita criatividade e dons artísticos.



Dia da semana: quinta-feira.

Cores: azul turquesa e verde.

Gêge: nesta nação denomina-se AGUE.

Angola: Congobira.

Domínios: florestas, matas e terras virgens.

Oferendas: aprecia muito o milho cozido.




Lendas de oxossi

LENDAS DE OXOSSI

                            SOBRE ODÉ (OXOSSI)

É o orixá caçador, que vive nas florestas e nas terras verdes não cultivadas. Está associado à lua e à noite, por ser o melhor momento para a caça. Sua técnica consiste em esperar, pacientemente, a preza aproximar-se para, então, deferir seu tiro certeiro.
Orixá poderoso, encantado do maior respeito, suas festas são de grande beleza e opulência. Uma delas, a das Quartinhas de Oxossi, no candomblé do Gantois, onde reina a veneranda Mãe Menininha, é inesquecível espetáculo.


Sua principal ferramenta é o ofá (arco) e a flecha, muito utilizados em sua arte. Acredita-se que esse orixá conhece o segredo do nosso planeta, pois os dois hemisférios (norte e sul), quando separados, assemelham-se ao seu arco.

Outra ferramenta importante é o erukerê, objeto sagrado feito com o rabo de búfalo, utilizado, especialmente, para a magia. Seus poderes mágicos são muito importantes, através dos quais os caçadores enfrentam os seres encantados que habitam as florestas. O erukerê, que é detentor de "axé", também serve para espalhar a fertilidade pelo mundo.


Na mitologia yorubana, Odé é filho de Yemonjá e irmão de Ogun, que, assim como ele, adora a liberdade. É muito confundido com a caçadora Oxóssi, seu correspondente feminino. Ambos estão relacionados à fartura, prosperidade e à eterna convivência com a natureza.

Odé tem como missão trazer caça para todos os povos do mundo. A caça simboliza o alimento necessário para a sobrevivência das espécies e, também, a busca de novos caminhos para o desenvolvimento.

A atividade de caçador sempre foi considerada pioneira e muito importante, trazendo para seus integrantes uma posição de destaque entre os seus.

Devido à sua principal atividade, Odé permanece muito tempo isolado, concentrando-se totalmente na tarefa que está desempenhando.

Odé também é reverenciado durante os rituais de colheita e de fertilização do solo.



LENDA DE ODÉ

Na cidade de Ifé, realizavam-se festividades e rituais por ocasião das colheitas. Os sacerdotes da aldeia, fugindo aos seus costumes, não realizavam as oferendas obrigatórias para três das maiores bruxas conhecidas: as Iya-mi Oxorongás. Esse ato imperdoável precisava de uma boa punição. Foi assim que elas enviaram um enorme pássaro para assombrar aquela aldeia.

A ave ficou pousada no telhado do palácio, de onde podia avistar toda a cidade.

Um clima de medo e mau agouro espalhou-se entre os moradores, que não sabiam o que fazer para acabar com aquele terrível monstro.

Oferendas foram realizadas para as Oxorongás, mas sem resultado. Era tarde demais para isso.

Foi então que alguns caçadores se apresentaram para matar o pássaro das bruxas, mas foram todos derrotados. O último caçador possuía apenas uma flecha, e era a última esperança de livrar a aldeia da morte. Esse caçador era Odé.

Sua mãe, que estava longe daquele lugar, teve um mau presságio com relação a ele. Consultando um babalawô, teve a confirmação do que já sabia: seu filho corria grande perigo.

Foram necessárias muitas oferendas para que a missão de Odé fosse executada com perfeição e, graças a isso, Odé pôde matar o pássaro com sua única flecha, livrando sua aldeia da aniquilação. Desde então, vem sendo venerado por esse povo.


CARACTERÍSTICAS DOS FILHOS DE ODÉ

O arquétipo de Oxóssi é o das pessoas espertas, rápidas, sempre alerta e em movimento. São pessoas cheias de iniciativa e sempre em vias de novas descobertas ou de novas atividades. Têm o senso da responsabilidade e dos cuidados para com a família. São generosas, hospitaleiras e amigas da ordem, mas gostam muito de mudar de residência e achar novos meios de existência em detrimento, algumas vezes, de uma vida doméstica harmoniosa e calma.

A determinação e a paciência para aguardar o momento certo de agir, fazem parte da sua personalidade. São joviais, rápidos e espertos, sempre com um olhar atento e vivo. Possuem um corpo esguio, sendo geralmente magros e pouco musculosos. Suas mãos são delgadas e finas. Movimentam-se quase que flutuando, com muita leveza no andar. É um orixá de pessoas presas ao cotidiano e de homens comuns, que não sonham muito. Alguns filhos desse orixá possuem muita criatividade e dons artísticos.



Dia da semana: quinta-feira.

Cores: azul turquesa e verde.

Gêge: nesta nação denomina-se AGUE.

Angola: Congobira.

Domínios: florestas, matas e terras virgens.

Oferendas: aprecia muito o milho cozido.




Lendas de Oxossi

 Oxóssi mata a grande Dan (Lenda)


Conta a lenda que certo dia, Oxóssi chegou em sua aldeia quase arriado pelo peso da capanga, das cabaças vazias, pelo cansaço de rastrear a caça rara.
Oxum sua mulher e mãe de seu filho olhou para ele e pensou “só caçou desgraça, pois a desgraça para Oxóssi foi prevista por Ifá que alertou Oxum”, porém quando ela contou a Oxóssi sobre essa previsão, ele disse que a desgraça era a fome.
A mulher sem leite, a criança sem carinho e que desgraça maior era o medo do homem. Quando Oxóssi se aproximou de Oxum ela notou que ele trazia algo na capanga. Sentiu medo e alegria. Havia caça na capanga do marido e aí imaginou se seria um bicho de pêlo, se seria um bicho de pena. Ansiosa perguntou a ele que respondeu: “-Trago a carne que rasteja na terra, trago a carne que rasteja na terra e na água, no mato, e no rio, o bicho que se enrosca em si mesmo”. Falando isso retirou da capanga, os pedaços de uma grande cobra.
O bicho revira a cabeça. Revirava a cabeça e os olhos, agitava a língua partida e cantava:
- “Não sou bicho de pena para Oxóssi matar”.
A cobra pretendia dizer com certeza que pertencia a Xangô e Oxóssi não poderia tê-la matado.
Oxum fugiu temendo a vingança de Xangô e foi consultar Ifá que disse:
 - “A justiça será feita, assim o corpo de Oxóssi irá desaparecer, apagando-se da memória da grande cobra. O ouê desaparecerá da vingança de Xangô e fazia parte da punição que Oxóssi saísse da memória do povo de Ketú”.
E ele ficou por sete anos esquecido.
No dia do Oruncó, o nome do Orixá de cada um, o povo de Ketú começou a chorar por não lembrar o nome de seu rei. Abaixaram-se os olhos e tentaram compreender porque nunca se lembravam dele. Então Ifá ensinou-lhes um Orô, reza que se faz para o sacrifício dos animais. Após o Orô o povo começou a se lembrar de Oxóssi.
Ifá disse que esse era o Orô de Oxóssi, o Orixá caçador. Orixá da caça. Corajoso rei de Ketú, rei da caça que nada temia e preservava a vida dos seus filhos e dos filhos dos filhos de seus filhos. Em síntese, desconsiderar as previsões de Ifá e matar a serpente sagrada, com certeza Odé morreu, mas graças a piedade de Ifá que ouviu o lamento de Oxum e de seu povo, encantou-se, renasceu na figura de Oxóssi, o guerreiro caçador, senhor das matas, destemido rei de Alaketú.




Editor HTML Online

Divino Pai do Reino Vegetal,

Onde a Vida se renova sem sangrar,

Quero beber da seiva pura das Tuas matas,

Para me curar e renascer.

E nos Segredos encantados onde habitas,

Peço licença para entrar e aprender.

 

Busco a cura da alma e do corpo

E sei que no Teu Reino vou encontrar.

Vou me cobrir de folhas

E me banhar dos seus segredos,

Limpando a mente das ilusões e medos;

Mirar o Alto da Tua Sagrada Flecha,

Que às Luzes do Criador vai me guiar.

 

Quero abraçar os animais e as plantas

A quem dedicas tanto Amor,

Assim nos ensinando que toda vida é Santa,

Embora feita de elos desiguais,

Mas que se juntam sob o Teu comando

Para varrer do mundo a ignorância e a dor.

 

Divino Pai,

Que nos ensinas a todo o instante

E a vida inteira,

Tu és o nosso Educador e Mestre,

A nos mostrar o valor de cada espécie

Do fabuloso Mundo em que campeias,

Extraindo sucos e remédios,

Domando feras e elevando os homens

Para honra e glória de OLORUM,

A nos mostrar

Que diante DELE e NELE, nós somos Um!...

 

Okê, Oxóssi!

Amado Paizinho,

Senhor da Flora e da Fauna,

Arqueiro Sagrado de OLORUM,

Que venha a nós a Cura Soberana

Do Teu Conhecimento Iluminado!

Dá-nos a Tua bênção, Divino Instrutor!

 




ORAÇÃO A OXOSSI Meu pai Oxossi!

Vós que recebestes de Oxalá o domínio das matas, de onde tiramos o oxigênio necessário á manutenção de nossas vidas durante a passagem terrena, inundai os nossos organismos coma vossas energia, para curar de nossos males! Vós que sois o protetor dos caboclos, dai-lhes a vossa força, para que possam nos transmitir toda a pujança, a coragem necessária para suportarmos as dificuldades a serem superadas! Dai-nos paz de espírito, a sabedoria para que possamos compreender a perdoar aqueles que procuram nossos Centros, nosso guias, nossos protetores, apenas por simples curiosidade, sem trazerem dentro de si um mínimo da fé. Dai-nos paciência para suportarmos aqueles que se julgam os únicos com problemas e desejam merecer das entidades todo o tempo e atenção possível, esquecendo-se de outros irmãos mais necessitados! Dai-nos tranquilidade para superarmos todas as ingratidões, todas as calúnias! Dai-nos coragem para transmitir uma palavra de alento e conforto aqueles que sofrem de enfermidades para quais, na matéria, não há cura! Dai-nos força para repelir aqueles que desejam vinganças e querem a todo custo magoar seus semelhantes!



Oração de Oxossi

Divino Pai do Reino Vegetal,

Onde a Vida se renova sem sangrar,

Quero beber da seiva pura das Tuas matas,

Para me curar e renascer.

E nos Segredos encantados onde habitas,

Peço licença para entrar e aprender.

 

Busco a cura da alma e do corpo

E sei que no Teu Reino vou encontrar.

Vou me cobrir de folhas

E me banhar dos seus segredos,

Limpando a mente das ilusões e medos;

Mirar o Alto da Tua Sagrada Flecha,

Que às Luzes do Criador vai me guiar.

 

Quero abraçar os animais e as plantas

A quem dedicas tanto Amor,

Assim nos ensinando que toda vida é Santa,

Embora feita de elos desiguais,

Mas que se juntam sob o Teu comando

Para varrer do mundo a ignorância e a dor.

 

Divino Pai,

Que nos ensinas a todo o instante

E a vida inteira,

Tu és o nosso Educador e Mestre,

A nos mostrar o valor de cada espécie

Do fabuloso Mundo em que campeias,

Extraindo sucos e remédios,

Domando feras e elevando os homens

Para honra e glória de OLORUM,

A nos mostrar

Que diante DELE e NELE, nós somos Um!...

 

Okê, Oxóssi!

Amado Paizinho,

Senhor da Flora e da Fauna,

Arqueiro Sagrado de OLORUM,

Que venha a nós a Cura Soberana

Do Teu Conhecimento Iluminado!

Dá-nos a Tua bênção, Divino Instrutor!

 




ORAÇÃO AO PAI OXÓSSI
r Meu pai Oxóssi! Vós que recebestes de Oxalá o domínio das matas, de onde tiramos o oxigênio necessário á manutenção de nossas vidas durante a passagem terrena, inundai os nossos organismos coma vossas energia, para curar de nossos males! Vós que sois o protetor dos caboclos, dai-lhes a vossa força, para que possam nos transmitir toda a pujança, a coragem necessária pra suportarmos as dificuldades a serem superadas! Dai-nos paz de espírito, a sabedoria para que possamos compreender a perdoar aqueles que procuram nossos Centros, nosso guias, nossos protetores, apenas por simples curiosidade, sem trazerem dentro de si um mínimo da fé. Dai-nos paciências para suportarmos aqueles que se julgam os únicos com problemas e desejam merecer das entidades todo o tempo e atenção possível, esquecendo-se de outros irmãos mais necessitados! Dai-nos tranqüilidade para superarmos todas as ingratidões, todas as calúnias! Dai-nos coragem para transmitir uma palavra de alento e conforto aqueles que sofrem de enfermidades para quais, na matéria, não há cura! Dai-nos força para repelir aqueles que desejam vinganças e querem a todo custo magoar seus semelhantes! Dai-nos, enfim, a fossa proteção e a certeza de que quando um caboclo, num gesto de humildade, baixar até nós, ali estará a vossa vibração! PRECE A OXOSSI Oh caçador! Guerreiro de uma única flecha. Rei das Matas, Rei da Umbanda. Pai da Inspiração e da Esperança, daí-me as bênçãos da prosperidade e inspira-me os pensamentos do bem. Ajuda-me no sustento da minha fé; a fim que possa cumprir com minhas obrigações e meus deveres neste mundo. Indica-me com sua flecha sagrada os verdadeiros caminhos da prosperidade. Dai-nos tranqüilidade para superarmos todas as ingratidões, todas as calúnias! Dai-nos coragem para transmitir uma palavra de alento e conforto aqueles que sofrem de enfermidades para quais, na matéria, não há cura! Dai-nos força para repelir aqueles que desejam vinganças e querem a todo custo magoar seus semelhantes! OKÊ, ARÔ! BAMBI Ô CLIM OXOSSI.


Nas tradições da igreja católica, o orixá Oxóssi é sincretizado como “São Sebastião” homenageado em 20 de janeiro.

São Sebastião era um soldado que teria se alistado no exército romano por volta de 283 d.C. com a única intenção de afirmar o coração dos cristãos, enfraquecido diante das torturas.

Era querido dos imperadores Diocleciano e Maximiliano, que o queriam sempre próximo, ignorando tratar-se de um cristão e, por isso, o designaram capitão da sua guarda pessoal, a Guarda Pretoriana.

Por volta de 286, a sua conduta branda para com os prisioneiros cristãos levou o imperador a julgá-lo sumariamente como traidor, tendo ordenado a sua execução por meio de flechas (que se tornaram símbolo constante na sua iconografia).

Foi dado como morto e atirado no rio, porém, São Sebastião não havia falecido. Encontrado e socorrido por Santa Irene, apresentou-se novamente diante de Diocleciano, que ordenou então que ele fosse espancado até a morte.

Seu corpo foi jogado no esgoto público de Roma. Santa Luciana resgatou seu corpo, limpou-o, e sepultou-o nas catacumbas.


As pessoas consideradas filhas de Oxóssi são alegres, expansivas, preferem agir a noite, como os caçadores. São faladores, ágeis e de raciocínio muito rápido. Sabem lutar e alcançar o que almejam, como que lançando uma flecha e acertando o alvo. Sabem dominar mas quando raivosos, ferem as pessoas com palavras e atitudes, como se fosse dada uma flechada. Quando amam, são zelosos e fieis, não toleram ser enganados. São muito trabalhadores e honestos.


A FALANGE DOS CABOCLOS

Os caboclos, são muito conhecidos na umbanda, pelos seus passes aliviadores e relaxantes, pela sua inteligência quanto a doenças, e por muitas outras coisas. Todo caboclo tem uma vibração originária de orixá masculino e toda cabocla tem uma vibração originária de Orixá feminino, mas como falange, eles(as) podem penetrar em todas as vibrações de Orixás e do Oriente. Para explicar melhor, citaremos o exemplo da Cabocla Jurema: toda cabocla Jurema tem vibração originária de Iansã, mas poderemos encontrar a mesma entidade trabalhando em outras vibrações como Jurema da Praia, na vibração de Iemanjá; Jurema da Cachoeira, na vibração de Oxum; Jurema da Mata, na vibração de Oxoce, e assim sucessivamente. É a mesma entidade, com vibração originária de Iansã, penetrando em outras vibrações de Orixás. Segue-se a relação dos caboclos e caboclas mais conhecidos na Umbanda, com sua respectiva vibração originária. CABOCLOS DE OGUM Águia Branca, Águia Dourada, Águia Solitária, Araribóia, Beira-Mar, Caboclo da Mata, Caiçaras, Guaracy, Icaraí, Ipojucan, Itapoã, Jaguarê, Rompe Aço, Rompe Ferro, Rompe Mato, Rompe Nuvem, Sete Matas, Sete Ondas, Tabajara, Tamoio, Tupuruplata, Ubirajara, etc. CABOCLOS DE XANGÔ Araúna, Caboclo do Sol, Cajá, Caramuru, Cobra Coral, Girassol, Goitacaz, Guará, Guaraná, Janguar, Juparã, Mirim, Sete Cachoeiras, Sete Caminhos, Sete Estrelas, Sete Luas, Sete Montanhas, Tupi, Treme Terra, Sultão das Matas, Cachoeirinha, Urubatão, Urubatão da Guia, Ubiratan, etc. CABOCLOS DE OXOSSI Arruda, Aimoré, Arapuí, Boiadeiro, Caboclo da Lua, Caçador, Flecheiro, Folha Verde, Guarani, Japiassú, Javarí, Paraguassu, Mata Virgem, Pena Azul, Pena Branca, Pena Verde, Pena Dourada, Rei da Mata, Rompe Folha, Sete Flechas, Serra Azul, Tupinambá, Tupaíba, Tupiara, Ubá, Sete Encruzilhadas, Junco Verde, Tapuia, etc. CABOCLOS DE OMULÚ Arranca Toco, Acuré, Aimbiré, Bugre, Guiné, Giramundo, Yucatan, Jupurí, Uiratan, Alho d"Água, Pedra Branca, Pedra Preta, Laçador, Caboclo Roxo, Grajaúna, Bacuí, Piraí, Surí, Serra Verde, Serra Negra, Tira Teima, Folha Seca, Sete Águias, Tibiriçá, Viramundo, Ventania, etc. CABOCLAS DE IANSÃ Bartira, Jussara, Jurema, Japotira, Maíra, Ivotice, Valquíria, Raio de Luz, Palina, Poti, Talina, Potira, etc. CABOCLAS DE IEMANJÁ Diloé, Cabocla da Praia, Estrela d"Alva, Guaraciaba, Janaína, Jandira, Jaci, Sete Ondas, Sol Nascente, etc. CABOCLAS DE NANÃ Assucena, Inaíra, Juçanã, Janira, Juraci, Luana, Muiraquitan, Sumarajé, Xista, Paraguassú, etc. CABOCLAS DE OXUM Iracema, Yara, Imaiá, Jaceguaia, Juruema, Juruena, Araguaia, Estrela da Manhã, Tunuê, Mirini, etc. A FALANGE DOS CABOCLOS DETALHADA Habitat: matas e ambientes da vibração originária Libação: água de côco, mate, mel com água, caldo de cana, vinho tipo moscatel Ervas: cipó cabeludo, cipó caboclo, eucalipto, guiné caboclo, guiné pipi, samambaia Flores: girassol, flor de ipê, palmas de diversas cores, conforme a vibração originária Essências: Para os caboclos: eucalipto, girassol. Para as caboclas: eucalipto, pinho, tintura de tolu Fitas: verde, vermelha e branca Pedras: quartzo verde Metal: da vibração originária Dia da semana: Quinta-feira ou o dia da vibração originária Dia da Lua: não tem dia específico Saúde: não tem área de saúde específica Ímãs para trabalho: de acordo com a orientação da entidade Objetivo: vigor, pujança, energia Cozinha ritualística: milho e amendoim cozidos e passados no mel, servido com folhas pequenas de saião, que servem como "colher" e que também devem ser ingeridas


Brados, Assovios e Pontos Cantados

É muito freqüente as entidades de Umbanda logo que incorporam, emitirem certos assovios e brados, ou quando estão dando os chamados popularmente “passes”. No caso dos brados dados no momento da incorporação, são mantras, palavras vibradas que canaliza para o médium certas classes de energia, a depender da linha da entidade atuante, que logo se misturam ao aura do médium, equilibrando-o, regularizando o fluxo e equilibrando os chacras principais a serem utilizados na mecânica da incorporação, permitindo que o mentor possa atuar o mais desembaraçado possível naquele aparelho. São técnicas astrais superiores de manipulação de forças sutis vitais que somente esses grandes senhores da luz sabem movimentar. Temos por exemplo: quando uma determinada entidade da vibratória Arásha Xangô, logo ao incorporar emite um brado “Kaô”, de forma a parecer mais um trovejar surdo, mas emite também outros mantras. Indica que naquele momento estão sendo manipuladas – além das energias inerentes a Xangô – determinados entrecruzamentos vibratórios necessários aos trabalhos que irão ser realizados, visando equilibrar o campo mental e astral do médium que vai utilizar.

Os assovios não são diferentes. As entidades da Sagrada Corrente Cósmica de Umbanda conhecem bem a magia do som ou, em nível cosmogônico, a doutrina mântrica e a utilizam segundo a necessidade e a tônica vibratória a que pertencem, tudo visando promover a harmonia dos espíritos por ela tratrados. Assim, quando virem alguma entidade mantranizando desta forma, como descrito, já saberão que ali está sendo feita uma terapia e, portanto, há ciência, fundamento, e não primitivista como alguns mais desinformados costumam apregoar. Claro que aqui não entraremos em pormenores do assunto, pois o objetivo nesse momento é o de esclarecer o básico. No futuro, se Zamby permitir, haverá um aprofundamento gradual nesses conceitos. Os pontos cantados, muito comuns nos terreiros, sejam eles de quaisquer grau, são mantras codificados.

É claro que eles são dados pelas entidades, quando realmente incorporadas em seus médiuns e mais raramente pela sensibilidade astral.

Quando assim o é, dizemos que esse ponto é de raiz.

Os pontos cantados são verdadeiras preces e invocações que geram imagens positivas, induzindo todos as coisas da espiritualidade. E, para aproveitar seus benefícios, o Caboclo 7 Espadas aponta o seguinte caminho: “Procurem entoar os pontos cantados adequadamente, sentindo-os e não apenas cantando-os. Sinta-os em sua alma e verá surpreso, como você canta bem, como você está bem. O ponto cantado é o caminho vibratório por onde anda a gira. É o verbo sagrado, portanto entoe-os adequadamente, harmoniosamente…”. Portanto, caro irmão de fé, de agora em diante, comece a acompanhar de forma mais ativa a gira. Para isso procure estudar bem a entonação e a letra e só depois de bem aprendida comece a cantar. Você verá como se sentirá mais em paz e equilibrado. Experimente e verá! E, para acabar esse tópico diremos que cada ponto possui um ritmo particular, que por sua vez indicam uma freqüência ligada as linhas espirituais de que se originam. Vejamos o quadro abaixo e entenderemos melhor este aspecto:

a) vibração espiritual de Oxalá – os sons de seus pontos são místicos e predispõem as coisas do espiritual; b) vibração espiritual de Ogum – seus sons são vibrantes, induzem ao despertar da fé verdadeira e pura;

c) vibração espiritual de Oxóssi – seus sons são imitações da harmonia da natureza e ajudam no equilíbrio psíquico;

d) vibração espiritual de Xangô – seus sons são graves, são cantados baixos, reforçam o campo astral e portanto emocional;

e) vibração espiritual de Yorimá (pais-velhos) – seus sons são dolentes, melancólicos, predispõem a meditação, ao auto-conhecimento;

f) vibração espiritual de Yori (crianças) – seus sons são alegres, predispõem ao bom ânimo; g) vibração espiritual de Yemanjá – seus sons são suaves, predispondo a renovação afetiva e emocional.



Pontos cantados de oxossi


Ai não me mexa na espada de Ogum
Ai não me bula no machado de Xangô
Ai não me toque no bodoque de Oxossi
Ele é o rei das matas
Ele é caçador
===========================================
Os caboclos desceram
Lá do alto da serra
E traziam no peito
Uma cobra coral
(bis)
Mas hoje é dia
De alegria
No terreiro de Umbanda
Saravá meus Caboclos de ronda
===========================================
Caçador na beira do caminho
Ah não me mate a coral na estrada
Ela saravou seu Sete Flechas na Aruanda
Foi ao romper da madrugada
Caçador
===========================================
Vento que vem
Oi que vem das matas
Olhas as matas quebrando
E os Caboclos chegando
===========================================
Oxossi mora de baixo da gameleira
Oxossi mora de baixo da gameleira
Pai Ogum mora na lua
Pai Xangô lá na pedreira
===========================================
A mata estava escura
Os anjos alumiou
No meio da mata virgem
Quando o seu Oxossi chegou
Mas ele é o rei
Ele é o rei
Ele é o rei
Mas ele é o rei
Na Aruanda ele é o rei
(bis)
===========================================
Ele é Ubirajara
Ele é Ubirajara
Seu saiote é de pena
Seu capacete é de Arara
===========================================
Ele atirou
Ele atirou ninguém viu
(bis)
Seu Sete Flechas é quem sabe
Aonde a flecha caiu
(bis)
Ele atirou
===========================================
O meu manacá
Já não dá mais flor
(bis)
Ai eu vou plantar
Uma semente do meu manacá
Ai como é linda essa madrugada
Povo de Umbanda vem trabalhar
Tupinambá é Pai de Terreiro
Tupinambá no reino está
===========================================
Ê Oxossi ê
Vem chegando de Aruanda
Ê Oxossi ê
Para salvar filhos de Umbanda
Na curimba xö, xö , xö
Na curimba xô, xô, xô
Ë Oxossi, é de bamba é o clima
===========================================
A sua mata é longe
Ele já vai embora
E vai beirando o rio azul
Adeus Umbanda
Os Caboclos vão embora
E vão beirando o rio azul
===========================================
Oh, que penacho é aquele
Ë um penacho de arara
É quem rompe a mata virgem
É quem rompe a mata virgem
É o Caboclo Ubirajara
===========================================
Eu vi chover
Eu vi relampear
Mas mesmo assim
O céu estava azul
Firma seu ponto
Companheiros da Jurema
Oxossi é dono do Aracajá
===========================================
Na sua aldeia tem os seus Caboclos
Nas suas matas tem cachoeirinha
No seu saiote tem pena dourada
Seu capacete brilha na alvorada
===========================================
Caboclo Roxo
Da cor morena
É Seu Oxossi
Caçador da Jurema
Ele jurou
Ele jurara
Pelos conselhos que a Jurema
Vem nos dar
===========================================
Caboclo apanha a sua flecha
Pega o seu bodoque
O galo já cantou
O galo já cantou na Aruanda
Oxalá te chama
Para sua banda
===========================================
Ê Juremê
Ê Jurema
Sua flecha caiu serena, ô Jurema
Dentro desse gongá
Sua flecha
Caiu serena dentro desse Jacutá
Saravá todos Caboclos
Dentro desse gongá
Ê Jurema
===========================================
Jandira traz nos cabelos uma rosa
Jupira traz no peito um jasmim
Jussara é uma linda Cabocla de pena
Jurema tem pena de mim
Jurema, Jurema
Jurema tem pena de mim
===========================================
A Estrela Dalva é nossa guia
Clareia o mundo sem parar
Ilumina a mata virgem
Cidade de Juremá
Vinde, vinde companheiros
Cocoro-co-có
Companheiros da Jurema
Aí de mim tem dó
===========================================
Zun, zun, zun
Aqui está o Nazaré
Que veio das matas
Pra salvar filhos de fé
===========================================
Caboclo do Mato trabalha
Com São Cipriano e Jacó
(bis)
Trabalha com chuva e com vento
Trabalha com a lua e com sol
===========================================
(descarga)

Corto língua
Corto mironga
Corto língua de falador
Aonde ele pisa não há embaraço
Chegou Ubirajara do Peito de Aço
===========================================
Fui buscar em meu gongá
O que eu deixei em Aruanda
Aqui está o Caboclo Arruda
Pra vencer essa demanda
A falange de Arruda
É cheia de boa vontade
Vai pedir a Mãe Santíssima
Nossa Senhora da Piedade
===========================================
(pólvora)

Ele é caboclo
Ele é flecheiro
Bumba na calunga
É matador de feiticeiro
Bumba na calunga
Quando eu vai firmar meu ponto
Bumba na calunga
Eu vai firmar é lá na Angola
Bumba na calunga
===========================================
Quem manda na mata é Oxossi
Oxossi é caçador
Oxossi é caçador
Ouvi meu Pai assobiar
Ele mandou chamar
É na Aruanda ê
É na Aruanda ê
Seu Pena Branca de Umbanda
É na Aruanda ê
===========================================
Arreia capangueiros
Capangueiros da Jurema
Arreia capangueiros
Capangueiros Juremá
===========================================
Na sua aldeia ele é Caboclo
É Rompe Mato
É Arranca Toco
Na sua aldeia
Lá na Jurema
Não se faz nada
Sem ordem suprema
===========================================
Seu capacete é todo branco
Sua saiote é carijó
Apanha laranja no chão
Quem quiser
Come manjar lá no céu
Quem puder
===========================================
Eles são três caboclos
Caboclos do Jacutá
Eles giram noite e dia
Para os filhos de Oxalá
Sete com mais sete
Com mais sete, vinte e um
Salvando os três sete
Todos três de um a um
Sete Montanhas giram
Quando a noite vai chegar
Seu irmão Sete Lagoas
Quando o dia clarear
E ao romper da aurora
Até alta madrugada
Gira o Caboclo
Das Sete Encruzilhadas
===========================================
Estou cansado
De curimbar
(bis)
Lá na Jurema
Tem Oxossi Branca Lua
===========================================
Chegou, chegou
Chegou, com Deus, chegou
Chegou,
O caboclo das Sete Encruzilhadas
===========================================
(descarga)

Cortai,
Cortai, cortou
Cortai a mironga de um mal protetor
Aonde eu laço
Não há embaraço
Cortai o laço
De um braço de aço
===========================================
Um instante meus irmãos
Eu vos quero saudar
Há muito que aqui ando
Querendo vos ajudar

Sou filho de Urutã
Nas matas onde eu nasci
Lá recebi o nome
De Caboclo Tururi

Meu Pai é Caboclo guerreiro
Minha Mãe é Mamuri
Quando quiseres auxílio
É chamar por Tururi

Deus é Pai de todos
Somos irmãos de Javari
Quando tiveres demanda
É chamar pelo Tururi

Quando tiveres demanda
Dessas que vejo aqui
Chamai pelo vosso irmão
O Caboclo Tururi

Que Deus proteja a todos
E dê forças ao chefe Timbiri
Pois quem pede nesse momento
É o Caboclo Tururi

Que o manto da Virgem Mãe
A todos possa cobrir
E que debaixo desse manto
Trabalhe sempre Tururi

Boa noite meus irmãos
Que a paz fique aqui
Quem pede nesse momento
É o Caboclo Tururi
===========================================
O dia quando nasce
Já vem rompendo aurora
Clareia uma choupana
Aonde Oxossi mora
Já clareou
Seu Sete Flechas
Numa choupana
Aonde Oxossi mora
===========================================
Atira, atira, eu atirei
No bambá eu vai atirar
O veado no mato é corredor
Oxossi na mata é caçador
===========================================
Enfeitei a Cabocla de Pena
Soltei na mata para passear
Botei dois índios para procurar
Pra ver a força que a Jurema tem
===========================================
O meu São Sebastião
Fostes preso e amarrado
Livrai-nos dos inimigos
Que nos traz acorrentado
===========================================
Cadê seu Sete Folhas
Da raiz do Oricá
Vai chegar Seu Sete Folhas
Com licença de Oxalá
===========================================
Na mata virgem
A coral piou
Um filho passou e ficou escutando
Cadê Seu Pena Branca de Umbanda
Que até agora ainda não chegou
===========================================
Luar, luar
Caboclo da Lua já chegou
Vai dizer a sua mãe
Que o Terreiro ele salvou
===========================================
Eu corre terra, eu corre mar
Até que eu cheguei
Em minha Pais
Ora viva Oxossi das matas
Que a folha da mangueira
Ainda não caiu
===========================================
Ajoelha caboclo
Tu não é judeu
Tu foi batizado
Pela lei de Deus
Padrinho e Madrinha
Foi Deus quem te deu
Meu Ananá, meu Ananá
===========================================
Com sete meses de nascido
A minha mãe me abandonou
Salve o nome de Oxossi
Foi Tupi quem me criou
Vinde vinde companheiros
Co co ro co có
Companheiros da Jurema
Ai de mim tem dó
===========================================
Umbanda, quando chega no reino
De todo mundo
Quer saber sua nome (diz seu nome)
Umbanda, é de Oxossi Maê
De todo mundo
Ele já sabe o nome
===========================================
Rompendo matos e ventos
Para seus filhos salvar
Chegou, chegou agora
O Caboclo Janguará
Lá na Aruanda
Onde o galo cantou
Trabalhos de Janguará
Nosso Senhor coroou
Chegou, chegou
Deixa meu povo chegar
Chegou o rei dos Bugres
Com Caboclo Janguará
===========================================
Caiu uma folha na Jurema
Veio o sereno e molhou
E depois veio o sol
Enxugou, enxugou
E as matas se abriram
Toda em flor
===========================================
Nós somos dois guerreiros
Dois irmãos unidos
Meu nome é Tupaiba
Sou filho de Aimoré
Da tribo dos Guaranis
Meu irmão chama Peri
===========================================
Mangueira, mangueira
Mangueira de Umbanda
Folhas por folhas Umbanda
Lá no mato tem Umbanda
Vamos cruzar
Para salvar
Filhos de Umbanda com seu patuá
===========================================
E vem a barra do dia
Juntamente com a barra do mar
É a falange do Sete Estrelas
Que veio trabalhar
Estrela ô, estrela ô
Estrela que é nossa guia
Chegou seu Sete Estrelas
Com Deus e a Virgem Maria
===========================================
Chegou Urubatã de Guia
Que veio para seus filhos salvar
Rebenta corrente de ferro e de aço
Estoura cadeias de bronze
O sol e a lua vem saindo
E vem a Estrela da Guia
Eu trago em meu bronze gravado
O nome da Virgem Maria
===========================================
Lá bem no alto da serra
Eu escutei uma coral piá
Era uma linda jibóia
Ferida com a flecha de Tupinambá
===========================================
É lá na Jurema
Que o caboclo luta
E vence demanda
Com Oxossi seu rei
Com o arco e a flecha
E o canto de guerra
Atira-se a luta
E sai vencedor
De joelhos em terra
O chefe da tribo
Agradece a vitória
A Jesus Redentor
===========================================
Ele veio de tão longe
Da cidade da Jurema
Saravá seu Branca Lua
Vem com a ordem suprema
===========================================
Quando a Aruanda se abre
Eu quero ver quem é
É o teimoso de Aruanda
É o Caboclo Rei Guiné
===========================================
Com tanto pau no mato
Eu não tenho guia
Caboclo Vira Pau vai trazer a guia
Com tanto pau no mato
Eu não tenho guia
Eu trago esta pemba
Pra cruzar a guia
===========================================
Sobe serra, desce serra
Serra verde aonde estás
Pombinhas bateu asas
Bateu asas e voou
Papai eu sou guerreiro Maná
Mamãe caminhos que vai
===========================================
Eu sou Caboclo da mata fechada
Eu sou Caboclo em qualquer lugar
Eu não apanho a folha da Jurema
Sem ordem suprema do Pai Oxalá
===========================================
Ô Humaitá, Humaitá filhos de Umbanda
Ô Humaitá, Humaitá venceu demanda
===========================================
Eu vim da mata
Ô que mata é a sua
Eu vim da mata
Ô que mata é a sua
É de lá do Oricá
Aonde pia a cobra
Aonde canta o sabiá
Eu vim da mata
Sou da tribo do Guajá
Eu vim trazer minha falange
Para vir descarregar
===========================================
Na mata virgem a coral piou
O sino bateu
O galo cantou
Cadê Seu Sete Flechas de Umbanda
Há muito tempo que eu lhe chamo
Ele aqui não aparece
===========================================
(surra)

Ai quem cortou meu pé de árvore
Ai não fui eu Oxossi
Onde eu passava o meu dia
Ai não fui eu Oxossi
Que puderam lhe fazer
Foi amarrar de pé e mão
Amarrado num tronco de árvore
Ai como um cão
Cão de verão
Ai quem cortou meu pé de árvore
Ai não fui eu Oxossi
Ai foi São Jorge quem mandou
Ai não fui eu Oxossi
E depois de tudo isso
As sete flechas ele alcançou
São Jorge gritou na Aruanda
Foi seu irmão quem te amarrou
===========================================
Como é lindo o sol
Como é linda a lua
Como é lindo o sol
Seu Sete Flechas é rei da lua
===========================================
A minha gongo
Está roncando
Lá nas matas, está roncando
Pra chamar filhos de fé
Ronca, ronca minha gongo
E vem chegando
A tribo dos Aimorés
A minha gongo
Está roncando lá nas matas
E os
Caboclos estão tocando maracá
Ronca, ronca, minha gongo
E vem chegando o velho Tupinambá
===========================================
Mas olha que Caboclo lindo
Que Oxossi mandou saravá
Pena Dourada na linha de Umbanda
Caboclo Roxo na lei de Oxalá
===========================================
Oi quem brilha no céu
É a Lua Nova
(bis)
===========================================
A estrela brilhou no céu
A terra estremeceu
Aonde estão os capangueiros da Jurema
Que até agora não apareceu
(bis)
===========================================
Vem o sol saindo
Com os raios brilhantes
No terreiro de Umbanda
Raio de Sol vem trabalhar
O veado na mata
Ele corre, ele corre
E Oxossi nas matas
Ele vai laçar
===========================================
Nesse mato tem folha
Tem Sete Estrelas que nos alumia
Alumia o mundo Estrela
Alumia o mundo Estrela
===========================================
Mas ele é capitão da Marambaia
Mas ele é capitão da Marambaia (bis)
Mas ele é Oxossi na Arucaia
===========================================
(descarga)

Que bombardeio que se deu lá na Jurema
Até sua palhoça Oxossi quis abandonar
Mas ele é Caboclo de pena da Jurema
Que veio para seus filhos saravá
===========================================
Nasci na mata
Da mata não tenho medo
Nasci na mata
Embaixo do arvoredo
Nasci na mata
Da mata não tenho medo
Nasci na mata
Embaixo do arvoredo
===========================================
Oxossi é cassuté de Umbanda
Na Aruanda
Olha na Aruanda auê (bis)
Ô na Aruanda
===========================================
Oxossi é dono do Aracajá
Oxossi é dono do Aracajá
===========================================
Salve o Caboclo das Matas
Salve o Caboclo Costeiro
Que ronda a beira das praias
E é filho lá do coqueiro
===========================================
Caboclo do Mato
O que é que você quer
Folhas verdes de guiné
O zum, zum, zum, aruê
O zum, zum, zum Nazaré
===========================================
Estrela, matutina
Clareia o mundo , sem parar
Estrela clareou Seu Sete Flechas
Que mora na raiz do Oricá
Estrela clareou Seu…….
Ê, ê, ê, ê, ê á
===========================================
Oriri, Oriri, Orirá
Samba Guaiá
Samba Guaiá
Oriri, Oriri, Orirô
Samba Guaiô
Samba Guaiô
===========================================
Oh viva Oxossi ê
Oh viva Oxossi ê á
Ele é Caboclo do mato
Oh Viva Oxossi ê, minha Pai
===========================================
Oh cindarerê, oh cindarerá
Oh viva Oxossi ê ê
Sua coroa vamos salvar
É de bamba é o clima
O mundo é de Oxalá
Oh viva Oxossi ê ê
Sua coroa do Jacutá
===========================================
(atrair obsessor)

Eu fui no mato caçar serió, serió
Mas quando é tempo de calor
Ora bate com pé
Suspende o pó
Serió, serió, serió
===========================================
(descarga)

Oh meu Deus lá nas alturas
O meu Pai é o Caboclo Gira Mundo
Tumba, que tumba, que tumba, auê
Meus inimigos não podem vencer
===========================================
Caboclo Jaracutinga
Bebe água no coité
Tira ponto na Jurema
Atira flecha sem ver
===========================================
Ele é caboclo da Terra da Jurema
Apanha pemba, risca ponto
Filhos de Umbanda, vem trabalhar
===========================================
Ele é Sete Cachoeiras, orerê
Olha Madeodé, Madeodé, Madeodé
Olha Madeodé
Sobe serra, desce serra orerê
Olha Madeodé, Madeodé, Madeodé
===========================================
Ele vem das matas
Ele vem girar
Ele gira com o sol e a lua
Ele gira com o vento e o mar
===========================================
Salta pra aqui Iracema
Quem te chama é Tabajara
Vem linda como Açucena
Entre espinhos da Jussara
Coroa troa nas matas
Em busca do Pitangui
Salta para aqui Iracema
Quem te chama é Tabajara
Vem linda como Açucena
Entre espinhos da Jussara
===========================================
Ai se não fosse a folha da Jurema
Lá nas matas
O que seria do Caboclo Juruá
Ai a Jurema, Jurema, Jurema
Ai a Jurema do Caboclo Juruá
===========================================
No meio da mata virgem
A coral piou
Com sua capacete
Ele saravou, ele saravou
===========================================
Sá Macutara mironga de Umbanda
Me corre nas matas, me corre ê
Sá Macutara mironga de Umbanda
Me corre nas matas ta ta ruê
===========================================
Caça, caça, caçador
Caçador de Aruanda
O caça, caça, caçador
Foi Oxossi quem mandou
===========================================
Duas estrelas me alumiam
Oh Aimoré more
Dois anjos me acompanham
Encruza flecha com lança
Oh Aimoré
Encruza lua com sol
===========================================
É o caçador, é o caçador
O caçador é o anjo adivinhador
Terreiro de Umbanda que vem Zamburá
É o caçador que veio aqui caçar
===========================================
De onde vens Timbí
Venho do reino do céu
Descamba a ladeira
Oh Timbí
Passa pro lado de cá
===========================================
Ai Jesus
Jesus morreu na cruz
Chegou Araribóia
Salvar Jesus da cruz

===========================================
Ô viva Oxossi ê
Ô viva Oxossi á
Oxossi é um grande Caboclo guerreiro
Ô viva Oxossi ê
Oxossi é dono da pemba
Oxossi é rei do gongá
Quando um filho cai em falta
Oxossi manda castigar
===========================================
Mas como é lindo
O clarão da lua
Oxossi pra vim na cidade
Só anda no meio da rua
===========================================
Lua Nova que brilha no céu
Cravejada de ouro, Massumbebá
Olha Massumbebê, olha Massumbebá
===========================================
Caboclo vem da mata
Vem comendo Sapucaia
Maia cadê, Caboclo Maia dendê
Maia cadê, Caboclo Maia dendê
===========================================
Simiromba vem Simiromba
Com a cruz na mão Simiromba
Como ele vem contente, Simiromba
Trazendo a sua redenção, Simiromba
Bate, bate, bate, bate, Simiromba
Ora tornas a bater, Simiromba
===========================================
Os Caboclos lá nas matas
E as cigarras nas árvores cantando
E eu aqui no Terreiro
Com seu ponto afirmando
===========================================
Foi Zambi quem criou o mundo
É Zambi quem vai governar
Foi Zambi quem criou as estrelas
Que ilumina Oxossi
Lá no Juremá
Coquê, coquê, coquê
Coquê, meus Caboclos, coquê
===========================================
Seu Branca Lua quando vem d’aldeia
Ele traz na cinta uma cobra coral
Oh, é uma cobra coral
===========================================
Ele é Caboclo, é Flecheiro atirador
E na Umbanda
Seu Tupi é vencedor
===========================================
Dentro da mata virgem
Uma linda cabocla eu vi
Com seu saiote
Feito de penas
É a Jurema filha de Tupi
Com seu saiote
Feito de penas
É a Jurema filha de Tupi
Jurema. Jurema , Jurema
Linda cabocla, filha de Tupi
Ela vem, lá da Juremá
Vem firmar seu ponto
Nesse congar
Ela vem, lá da Juremá
Vem firmar seu ponto
Nesse congar
==========================
Caboclinha da Jurema
Onde é que você vai ?
Vou pra casa de Odé, no terreiro de meu Pai
De Aruanda êee
De Aruanda aah
De Aruanda êee caboclinha de pemba
De Aruanda aah
===============================
Caboclo roxo
Da pele morena
É Seu Oxóssi
Caçador lá da Jurema
Ele jurou e tornou a jurar
E ouviu os conselhos
Que a Jurema vai lhe dar
==========================
Quem manda na mata é Oxóssi
Oxóssi é caçador
Oxóssi é caçador
Eu vi meu pai assobiar
Eu já mandei chamar
Eu vi meu pai assobiar
Eu já mandei chamar
É de Aruanda êeee
É de Aruanda aaaa
Seu Pena Branca é Aruanda
É de Aruanda aaaa
===========================
Não chores não caboclinho
Pra que chorar
A casa é sua caboclinho
Prá trabalhar
Oi olhe agora
E venha receber
Ogum de Ronda
Meu Pai Baluaê
==============================
Curimbembê, Curimbembá
Sete Flechas um grande orixá
Com sete dias de nascido
A Jurema o encontrou
Deitado na folha seca
O caboclo ela criou
Curimbembê, Curimbembá
Sete Flechas um grande orixá
Nasceu na mata de Oxóssi
Na aldeia de Juremá
O caboclo Sete Flechas
Iluminado por Oxalá
=====================
Oxóssi êeee
Oxóssi aaaaa
Oxóssi é marambolê, marambolá
Quem é aquele que vem lá de Aruanda
Montado em seu cavalo
Com seu chapéu de banda
Ele é Oxóssi de Aruanda eeeeee
Ele é Oxóssi de Aruanda aaaaa
===============================
Caboclo venceu demanda
Para o povo de Umbanda
Na ponta da sua flecha
Quando veio de Aruanda
Venceu…
Caboclo venceu…
No fundo da mata virgem
Oxalá gritou
– Esse filho é meu !!!
Esse filho é meu !!!
===============================
Onde está a Jurema?
A Jurema a onde está ?
Tá procurando os capangueiros
Que ainda estão na Juremá
Quem mandou chamar
Em nome do Pai Oxalá?
Foi seu Oxóssi caçador
Que já baixou nesse congar
Salve todo o povo da Jurema
Salve sua luz
Seu jacutá
Levando a todos lares e seus filhos
Trazendo paz e amor
Na fé de Oxalá
=========================
Oxalá chamou !
Oxalá chamou e já mandou buscar
Os caboclos da Jurema
Pro seu Juremá
Pai Oxalá
É o rei do mundo inteiro
Já deu ordens pra Jurema
Chamar seus capangueiros
Mandai, Mandai
Minha cabocla Jurema
Os seus guerreiros
Essa é a ordem suprema !!
===============================
Ogan segura o toque
Com Deus e a Virgem Maria
Ogan segura o toque
Com Deus e a Virgem Maria
Por Oxalá Meu Pai
Saravá Seu Ventania
Por Oxalá Meu Pai
Saravá Seu Ventania
===============================
Um grito na mata ecoou
Foi seu pena branca que chegou
Com sua flecha
Com seu cocar
Seu Pena Branca vem nos ajudar
Com sua flecha
Com seu cocar
Seu Pena Branca vem nos ajudar
=================================
Saravá seu Pena Branca
Saravá seu apache
Pega flecha e seu bodoque
Pra defender filhos de fé
Ele vem de Aruanda
Trabalhar neste casuá
Saravá Seu Pena Branca
No terreiro de Oxalá
Sua flecha vai certeira
Vai pegar no feiticeiro
Que fez juras e mandingas
Para o filho do terreiro
Pega o arco , atira a flecha
Que esse bicho é caçador
Além de ser castigo
Ele é merecedor
===============================
Ele atirou
Ele atirou e ninguém viu
Só seu Flecheiro é que sabe
A onde a flecha caiu
Ele atirou!

=================================
Tupinambá é canga na batalha
Tupinambá ee Tupinambá
Tupinambá guerreiro de Oxóssi
Tupinambá ee Tupinambá
Tupinambá vem defender seus filhos
Tupinambá ee Tupinambá
Só não apanha
Folha da Jurema
Sem ordem suprema
Do Pai Oxalá
Só não apanha
Folha da Jurema
Sem ordem suprema
Do Pai Oxalá
==============================
Tava na beira do rio
Sem poder atravessar
eu chamei pelos caboclos
Caboclo Tupinambá
eu chamei pelos caboclos
Caboclo Tupinambá
Tupinambá chamei
Chamei tornei chamar eaahhh
Tupinambá chamei
Chamei tornei chamar eaahhh
==============================
Ele é caboclo ele é
Flexeiro
tumba la catunga
e matador
de feiticeiro
tumba la catunga
ele vai firma seu ponto
ele já firmo é na Angola
oi tumba la catunga



Centro Pai joão de Angola

A CONTADEIRA DE HISTÓRIAS
(autor nordestino anônimo)

Vovó Candinha é outra figura que nunca se apagou de minha recordação.
Não havia, realmente, mulher que tivesse mais prestigio para as crianças da minha idade. Para nós, era um ser à parte, quase sobrenatural, que se não confundia com as outras criaturas. É que ninguém no mundo contava melhor histórias de fadas do que ela.
Devia ter seus setenta anos, rija, gorda, preta, bem preta e cabeça branca como algodão em pasta.
Morava distante. Vinha ao povoado, de quando em quando, visitar a Luzia, sua filha caçula, casada com o Lourenço Sapateiro.
E quando corria a noticia de que ela ia chegar, a meninada se assanhava como se ficasse à espera de uma festa. Não saíamos da porta da Luzia, perguntando insistentemente:
- Quando ela chega?
- Traz muitas histórias bonitas?
- Traz muitas novas?
Era pela manhã que vovó Candinha costuma chegar. O dia nem sempre havia acabado e já a pequena estava à beira do rio para recebê-la. Mal ia saltando da canoa, nós corríamos a abraçá-la com tanta afoiteza e tanta efusão que havia perigo de lhe rasgarmos o vestido rodado, de chita ramulhada.
- Quantas histórias a vovó traz? Perguntávamos.
- Um bandão delas, respondia a velha.
De dia não conseguíamos que ela nos contasse história nenhuma.
- Quem conta história de dia, dizia, negando-se, cria rabo de macaco.
Mal a noite começava a cair, a meninada caminhava para casa de Luzia, como se dirigisse para um teatro. Após o jantar, vovó Candinha vinha então sentar-se ao batente da porta que dava para o terreiro.
Enquanto se esperavam os retardatários, ela fumava pachorrentamente o seu cachimbo.
Sentávamo-nos em derredor, caladinhos, de ouvido atento, como não fora tão atento o nosso ouvido na escola.
Ela começava:
- Era uma vez uma princesa muito orgulhosa, que fez grande má-criação à fada sua madrinha...
Acendiam-se os nossos olhos, batiam emocionados os nossos corações...
Não sei se é impressão de meninice, mas a verdade é que até hoje, não encontrei ninguém que tivesse mais jeito para contar histórias infantis.
Na sua boca, as coisas simples e as coisas insignificantes tomavam um tom de grandeza que nos arrebatava; tudo era surpresa e maravilha que nos entrava de um jacto na compreensão e no entusiasmo.
E não sei onde ela ia buscar tanta coisa bonita. Ora, eram princesas formosas, aprisionadas em palácios de coral, erguidos no fundo do oceano ou das florestas; ora reis apaixonados que abandonavam o trono para procurara pelo mundo a mulher amada, que as fadas invejosas tinham transformado em coruja ou rã.
Não perdíamos uma só de suas palavras, um só dos seus gestos.
Ela ia contando, contando... Os nossos olhinhos nem piscavam...
A lua, como se fosse princesa encantada, ia vagando pelo céu, toda vestida de branco, a mandar para aterra a suavidade dos seus alvos véus de virgem.
Lá pelas tantas, um de nós encostava a cabeça no companheiro mais próximo e fechava os olhos cansados. Depois outro; depois outro.
E quando vovó Candinha acabava a história, todos nós dormíamos uns encostados aos outros, a sonhar com os palácios do fundo do mar, com as fadas e as princesas.

 

"Lute por aquilo em que você acredita, aprenda com seus erros, faça sempre o seu melhor, nunca chore e nem ria antes do tempo certo e não procure por Exu apenas quando precisa, pois um dia ele pode não estar mais lá para te ouvir ou te ajudar! Não faça os trabalhos por obrigação, faça por amor a sua religião."
Lembre-se que assim como os outros guias espirituais, Exu trabalha na Lei Divina e na Justiça Maior, e principalmente:
* Não ataca a ninguém;
* Não prega o mal;
* Está sempre em busca de ajudar a quem precisa e tratar dos mal-feitores;
* Não se vende por troca alguma e ensina os encarnados.
O problema sempre está no elo mais fraco da corrente, o ser humano. Mas nunca se esqueça que quem da o direcionamento errado, por este, um dia será cobrado... "quem deve paga quem merece recebe". A vida é um eco! Se você não está gostando do que está recebendo, observe o que está emitindo!
Nunca confunda meu silêncio com ignorância, minha calma com aceitação ou a minha bondade com fraqueza... Se não aguenta ouvir minhas verdades não me venha contar suas mentiras!
O mundo é redondo para que ninguém possa se esconder pelos cantos...
Laroyê Exu, Exu é Mojubá

Agradecemos sua visita Volte sempre....

Os textos apresentados na sua maioria foram retirados , da internet. Esse é um espaço onde colocamos diversos pensamentos e o nosso principal objetivo é a divulgação da nossa Umbanda. Quando algum texto for de autoria do Centro Pai João de angola, o responsável será indicado; da mesma forma que fazemos com outros autores que não têm vínculos com a nossa casa... Comunicado Importante: Este é um Site totalmente gratuito, sem fim comercial ou lucrativo. Algumas imagens e informações provêm de outros sites na internet. Caso você seja o detentor do Copyright de qualquer uma delas, e deseje que ela seja retirada, por favor, é só nos mandar uma mensagem citando o nome e a localização para sua remoção imediata. Não temos o objetivo de nos apropriar de informações alheias tomando-as como nossa, pelo contrário, sempre que possível, colocaremos o nome do autor abaixo do título para deixar bem claro que a intenção é de divulgar a Umbanda através de textos bem elaborados e esclarecedores. Saiba que o Centro Pai João de Angola está isento de qualquer responsabilidade.

OX.mp3

Não se deixem enganar por quem diz que a Umbanda é uma fábrica de desejos e lhes promete tudo com prazos. Pois a Umbanda, também é merecimento. Os umbandistas não são melhores nem piores que ninguém. Não temos qualquer vocação para “santos”. Queremos ser apenas o que somos, pessoas normais como todas as outras, que acreditam em um Deus e na imortalidade do espírito DEUS SALVE A NOSSA UMBANDA! ... e não desampare os que ainda se arrastam pelos caminhos Da ignorância e da hipocrisia. HÁ MUITAS FLORES NA ROSEIRA, MAS OS ESPINHOS SÃO INCONTÁVEIS. A Umbanda não utiliza sua magia para prejudicar quem quer que seja. A Lei Divina se encarrega para que todos tenham o que merecem. “DA CONSCIÊNCIA SUPREMA NADA FOGE.”


“Filho de Umbanda (correto) não cai”

Nas obrigações a Oxossi, que devem forçosamente serem realizadas nas matas, podem ser utilizadas flores brancas, como cravos e lírios, velas verdes ou brancas, vinho tinto, água pura e frutas de toda espécie, porém repetimos: Orixás não comem e não bebem, mas se o seu coração pedir, faça, mas não deixe lá a garrafa, proteja a natureza, se acender velas proteja o local para não colocar fogo nas matas. Cor ........... Verde Domínios .......As matas Atuação ........ A catequese Saudação ...............Oxossi é meu pai ou Okê arô Oxossi Elemento ............... Terra

O animal que representa Odé Oxóssi, por causa da astucia de caça e inteligencia! olhos certeiros, e agilidade com a presa, o espirito de Odé!


O HOMEM DE OXÓSSI O filho de Oxóssi tem muito medo de ser rejeitado pela pessoa na qual está interessado e então espreita bem o seu alvo antes de atirar sua flecha. Não é difícil identificá-lo. Tem apar~encia tímida e, num grupo, é sempre aquele que ouve muito antes de expressar suas opiniões. Age assim também nos assuntos do coração. Cuidadoso, vai demorar muito a se declarar, mas quando o fizer, a mulher se surpreenderá porque encontrará nele um homem expansivo, disposto a cercá-la de tudo o que estiver ao seu alcance. A mulher por quem se apaixonar nunca passará vergonha, fome ou necessidade. Por ser cuidadoso na escolha da parceira, ele também é muito ciumento. Traí-lo significa perdê-lo. O melhor é cercá-lo de todas as atenções.



A MULHER DE OXÓSSI

Geralmente, a filha de Oxóssi chama atenção dos homens pelo corpo bonito, com seios, pernas e quadris fartos. Mas por trás dessa aparência superfeminina esconde-se uma verdadeira guerreira, disposta a tudo para agarrar o homem da sua vida. é aquela que sustenta qualquer problema de seu companheiro, que está sempre ao seu lado e não o deixa cair. Apesar de ter atitudes firmes, que indicam grande auto-suficiência, ela vive à procura de sua outra metade e entrega-se totalmente quando ama. Por isso, exige do homem a mesma coisa e sofre demais por ciúme. Para ela, o companheiro ideal deve ser forte, inteligente e dominador nos assuntos sexuais. Em troca, ela "esquentará" o mais frio dos mortais.




Oxóssi é o orixá da caça e da fartura, das florestas e das relações entre o reino animal e vegetal. É representado nas florestas caçando com seu arco e flecha. Oxóssi é a expansão dos limites, enquanto a caça é uma metáfora para o conhecimento, a expansão maior da vida. Ao atingir o conhecimento, Oxóssi acerta o seu alvo. Por este motivo, é um dos orixás ligados ao campo do ensino, da cultura, da arte. Nas antigas tribos africanas, cabia ao caçador, que era quem penetrava o mundo “de fora”, a mata, trazer tanto a caça quanto as folhas medicinais. Além disso, eram os caçadores que localizavam os locais para onde a tribo poderia futuramente mudar-se, ou fazer uma roça. Oxóssi é o orixá da caça e da fartura Assim, o orixá da caça extensivamente é responsável pela transmissão de conhecimento, pelas descobertas. O caçador descobre o novo local, mas são os outros membros da tribo que instalam a tribo neste mesmo novo local. Assim, Oxóssi representa a busca pelo conhecimento puro: a ciência, a filosofia. Enquanto cabe a Ogum a transformação deste conhecimento em técnica. Apesar de ser possível fazer preces e oferendas a Oxóssi para os mais diversas facetas da vida, pelas características de expansão e fartura desse orixá, os fiéis costumam solicitar o seu auxílio para solucionar pra alimentação da tribo costumeiramente cabe aos caçadores. Por suas ligações com a floresta, pede-se a cura para determinadas doenças e, por seu perfil guerreiro, proteção espiritual e material.



A majestade dos mares, Senhora da calunga grande (mar) também conhecida como Senhora da Coroa Estrelada ou Janaina (do tupi-africano) é a deusa do mar e protetora das mães e das esposas, representando a mãe que protege os filhos a qualquer custo, a mãe de vários filhos, ou vários peixes. Adora cuidar de crianças e animais domésticos. A ela também pertencem a fecundidade e a proteção aos pescadores e jangadeiros. A regência de Iemanjá em nossas vidas se manifesta naquela necessidade que temos de saber se aqueles que amamos estão bem, é a dor pela preocupação, é o amor ao próximo, principalmente em se tratando de um filho, filha, pai, mãe, outro parente ou amigo muito querido. É a preocupação e o desejo de ver aquele que amamos a salvo, sem problemas, é a manutenção da harmonia do lar. Iemanjá é o Orixá que rege nossos lares, nossas casas. É ela quem dá o sentido de família às pessoas que vivem debaixo de um mesmo teto. Ela é a geradora do sentimento de amor ao seu ente querido, que vai dar sentido e personalidade ao grupo formado por pai, mãe e filhos tornando-os coesos. Rege as uniões, os aniversários, as festas de casamento, enfim todas as comemorações familiares. É o sentido da união por laços consanguíneos ou não. Num Terreiro, Iemanjá atua dando sentido ao grupo, à comunidade ali reunida e transformando essa convivência num ato familiar; criando raízes e dependência; proporcionando sentimento de irmão para irmão em pessoas que há bem pouco tempo não se conheciam; proporcionando também o sentimento de pai para filho ou de mãe para filho e vice-versa, nos casos de relacionamento dos Babalorixás (Pais no Santo) ou Ialorixás (Mães no Santo) com os Filhos no Santo, portanto assim como Oxalá é o Pai da Umbanda e Princípio Gerador Masculino, Iemanjá é a Grande Mãe da Umbanda que ao juntar-se com Oxalá complementa-o com seu Princípio Gerador Feminino. No Brasil, Yemanjá é um dos orixás mais populares e reverenciados do Candomblé, Batuque, Xambá, Xangô do Nordeste, Omoloko, Umbanda e mesmo por fiéis de outras religiões. A tradicional Festa de Iemanjá no município de Salvador, capital da Bahia, tem lugar na praia do Rio Vermelho todo dia 2 de fevereiro. Nesta data, todos os anos, milhares de baia nos e turistas lotam as praias para reverenciar Iemanjá. A tradição começou em 1923, com um grupo de 25 pescadores, que ofereceram presentes, para agradar a Mãe D'Água, pois os peixes estavam escassos. Desde então, adeptos do candomblé, turistas e devotos formam filas imensas para colocar oferendas e pedidos nos balaios, que ficam na Casa do Peso. No fim da tarde, um cortejo com 300 embarcações leva pa ra alto-mar os balaios, carregados de presentes, pentes, espelhos, sabonetes, perfumes, flores e até jóias. Tudo o que possa interessar a uma mulher vaidosa. Dizem os pescadores que, se os balaios não afundarem, é sinal de que Iemanjá não os aceitou. YEMANJÁ É GERADORA, É VIDA, pois é ela que nos traz oportunidades de crescimento em todos os sentidos da Vida. Os devotos fazem oferendas à Rainha do Mar, um dos títulos pelos quais Iemanjá é saudada. Data festiva: 15 de agosto, 2 de fevereiro ou 8 de dezembro dependendo do Estado. Saudação: Odô-fe-iaba! Odô-fe-iaba! Odô-fe-iaba! Símbolo: Lua minguante, ondas, peixes Sincretismo religioso: Nossa Senhora das Candeias, Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora dos Navegantes Cores: branco cristalino ou azul claro Instrumento: Abebé, um leque em forma circular prateado que pode trazer um espelho no centro Pedra: Diamante – Água Marinha - Pérola Ervas principais: Jasmim, Araticum-da-praia, Folha-da-costa, Graviola, Capeba, Mãe-boa, Musgo marinho encontrado nas pedras marinhas, Alcaparra, Colônia, Pata de Vaca, Embaúba, Abebê, Jarrinha, Golfo, Rama de Leite, Rosa branca, Malva branca, Flor de laranjeira entre outras. Oferendas: Canjica branca, peixe, arroz-doce com mel, acaçá, pudim, manjar com calda de ameixa ou de pêssego, mamão, graviola, uvas brancas, melancia, melão, água de coco, mel, água salgada ou potável, champanhe clara e suco de suas próprias ervas e frutos, rosas e palmas brancas, angélicas, orquídeas, crisântemos brancos. Ponto de força: Mar


CABOCLO COBRA CORAL Quando falamos do Caboclo Cobra Coral, falamos também da supremacia da Umbanda, que é uma religião, formada dentro da cultura religiosa brasileira incluindo v?rios elementos, inclusive de outras religi?es. Foi no Brasil que os esp?ritos ind?genas de diferentes posi??es geogr?ficas encontraram dentro de uma Espiritualidade a verdadeira oportunidade de evolu??o. A cria??o do primeiro Centro Esp?rita no Brasil, foi na Cidade de Salvador em 1865, constru?do por um grupo denominado ?Fam?lia do Espiritismo?, A base deste Centro Esp?rita, era sedimentada na doutrina de Allan Kardec. Nas sess?es realizadas neste Centro Esp?rita, havia a incorpora??o, de esp?ritos de origem ind?genas, que eram os caboclos e caboclas em evolu??o. Naquela ?poca o espiritismo era praticado com muita restri??o. Na lingua portuguesa, o significado de caboclo é o mestiço de branco com o indigena. A história oficializou o inicio da Umbanda no Brasil em 1908, com a incorporacao do Caboclo Sete Encruzilhadas, porém foram encontradas publicações de que em 1890, o Caboclo Cobra Coral era incorporado por um jovem de 16 anos e que praticava a caridade conforme os fundamentos da Umbanda. O Caboclo Cobra Coral, como todo caboclo, conserva a vibra??o primária de Oxossi, por?m com grande atuação na vibração original da linha de Xang?, que no sincretismo religioso corresponde ao S?o Jer?nimo, representante da Justiça divina, da lei Karmica, ? o dirigente das almas, o senhor da balan?a universal que fortalece o nosso estado espiritual. O astro que rege esta linha é Júpiter e tem como guardião o anjo Miguel. Cobra Coral é um indio tranq?ilo e sábio, profundo conhecedor das magias e das curas. Conhece os segredos dos animais pe?onhentos, sua imagem é de um cacique alto, traz um tacape na m?o esquerda e uma cobra coral na m?o direita e outra na cintura. Ele n?o ? apenas famoso no mundo físico, tamb?m no plano espiritual se conhece bem a sua fama. Muito temido pelos espiritos de ordem inferior, sendo conhecido no submundo astral como ?O Grande Cobra Coral?. No submundo astral muito esp?ritos inferiores e chefes de agrupamentos tão verdadeiro pavor em encontrá-lo. No mundo dos grandes m?gicos e magos, ele ? conhecido como ?O mago do Cajado da Cobra?. Cobra Coral chefe da falange de origem asteca, foi a encarna??o do f?sico e astr?nomo Italiano Galileu Galilei no século XVII, considerado o pai da matem?tica e do ex-presidente norte americano Abra?o Lincoln. A sua ?ltima encana??o foi no norte do Brasil, na cidade de Cercania fronteira do Par?. O Caboclo Cobra Coral, ? o emblema da pureza e da magia. Jamais acenda vela para ele que n?o seja BRANCA. A f? que habita em cada um de n?s ? particular. Ela cresce se solidifica, e os anos mudam o nosso car?ter e cria comportamentos que ir?o nos diferencias por toda a nossa vida.



CABOCLO TREME TERRA Caboclo Treme Terra – Legião Xangô Agodô - chefe Caboclo Treme-Terra – Falange Do Caboclo Treme Terra – Linha de Oxossi – Vibração de Xangô. Caboclo guerreiro muito poderoso e sempre disposto a fazer o bem. . Sua falange é o povo da Justiça , ampara os humildes e os humilhados. Por serem desta Falange praticam a caridade, doutrinam os irmãos sofredores, fazem curas e aplicam a medicina herbanária. Quando falamos na personalidade de um caboclo ou de qualquer outro guia, estamos nos referindo a sua forma de trabalho. Ancestrais, espíritos dos índios dedicados à cura e à proteção da natureza, os Caboclos índios, boiadeiros e baianos atuam na energia vegetal, daí serem da linha de Oxossi dentro das 7 linhas de umbanda, devido a isto como todo o caboclo é índio ele vem sempre como linha de Oxossi.. Como são espíritos da mata propriamente dita, todos recebem forte influência de Oxossi, no sentido apenas do conhecimento químico das ervas, independente do Orixá que trabalhe. Quanto à descrição de seu Caboclo TREME TERRA é uma coisa muito particular, de médium para médium, é coisa que não se aprende, pois se fosse assim não seria a entidade manifestando-se, não adianta falar, pois cada médium sente a vibração de forma diferente. Enfim, o importante é procurar trabalhar e deixar que as entidades atuem da forma que elas acharem conveniente porque com certeza elas nos conhecem melhor do que nós próprios pensamos que nos conhecemos... Que Oxalá te Proteja e Abençoe. Pontos do CABOCLO TREME TERRA Quando ele chega na Umbanda, Ele brada: Kiô, kiô, kiô, kiô. Ele é o Caboclo Treme Terra, Veio da sua aldeia, Quando ele firma seu ponto, meu Pai, Oi, ele não bambeia.


  • Ao mestre com carinho
  • Ogum
  • Oxum
  • Yansã
  • oracões
  • Xangô
  • Yemanjá
  • Oxossi
  • Oxalá
  • Oxumarê
  • Preto-velhos
  • Caboclos
  • Boaideiros na Umbanda
  • Baianos na Umbanda
  • Marinheiros
  • Pomba Gira
  • Maria Padilha
  • Oração de exu
  • Banhos de descarregos
  • pontos-riscados-Exu
  • História de Rei Congo
  • Pontos Cantados Orixás
  • Pontos cantados Diversos
  • Maria Redonda
  • Sitemap
  • Mensagem de Zé Pilintra
  • Pai José da Guiné
  • Exu Capa Preta
  • Exu das Sete Encruzilhadas
  • Exu morcego
  • Exu Meia Noite
  • Mensagem de Pai joão de Angola
  • Conselhos de Pai joao de Angola
  • pai-joao
  • Oração a Pai joão de Angola
  • Atribuição dos Preto-velhos
  • CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA
  • Histórias de Vovó Luiza
  • Quem Somos
  • Linha de Caboclos
  • Livro de Visitas 1
  • Ogum Rompe Mato
  • Ogum Yara
  • Altar Virtual dos Orixás
  • Altar Virtual
  • Descubra seu Orixá
  • Altar Virtual de Exu
  • Altar virtual de Ogum
  • Altar virtual de Oxum
  • Altar virtual dos Preto-velhos
  • Altar de Nossa Senhora
  • Ogum vencedor de Demanda
  • Fundamentos
  • OS TRABALHOS DESENVOLVIDOS
  • Cartão de Visitas
  • livro-de-visitas-2
  • Orações 2
  • Os dez maiores erros cometidos por médiuns umbandi
  • A Saída dos Orixás
  • A História de vovô Benedito
  • Oferendas de Oxum
  • Textos de Umbanda
  • Oferenda de Xangô
  • Oferendas de Ogum
  • Oferenda de oxossi
  • a-mediunidade-os-orixás-e-os-caboclos
  • orações diversas
  • Oração ao Pai João de Angola
  • oração a escrava anastacia
  • ORAÇÃO A PAI BENEDITO DE ARUANDA
  • Oração a Maria Bueno
  • Oração a Tia Maria de Minas
  • Oração ao caboclo 7 flexas
  • Oração ao caboclo boiadeiro
  • Oração ao seu Zé Pilintra
  • Oração a são cosme e damião
  • Oração para fechamento de corpo
  • Oração a cabocla Jurema da praia
  • Oração ao Divino Espirito Santo
  • ORAÇÃO AOS PRETOS VELHOS – I
  • oração a Oxalá
  • Prece à tia Rita da Bahia
  • Oração dos Preto velhos-4
  • Oração dos Preto velhos 3
  • Oração dos preto velhos 2
  • Oração do Perdão
  • Para teu Lar
  • Prece de Caritas
  • Orações a Yemanjá
  • orações a Oxossi
  • Prece a xangô
  • Orações a santa Barbara
  • Orações a Yansã
  • Oração da Pomba-gira
  • Oração de São jorge
  • Oração a Oxum
  • Oração para cura de traumas emocionais e decepções
  • Oração para começar o dia
  • ORAÇÃO FORTE E PODEROSA CONTRA INIMIGOS E INVEJA
  • Pai Nosso Umbandista
  • Creio em Deus Pai na Umbanda
  • Oração aos Orixás
  • Oração ao anjo da guarda
  • Pedido de Proteção
  • Oração poderosa de Pai joão
  • Oração à Nossa Senhora da Cabeça
  • Oração a Bezerra de Menezes
  • Oração ao Poderoso Santo Expedito
  • Oração à São José Operário
  • Oração a São Miguel Arcanjo
  • Oração para abrir caminhos
  • Oração ao sete Encruzilhada
  • Abertura dos trabalho 2
  • Prece de Abertura dos trabalhos
  • Prece ao Caboclo Sete Estrelas
  • Oração ao Caboclo Ventania
  • Caboclo 7 Pedreiras
  • PRECE A POMBA-GIRA
  • oração a tranca rua das almas
  • Prece ao Pai João da Mata
  • Oração ao Caboclo
  • Oração a Boiadeiro
  • Oração as sete linhas
  • ORAÇÃO DO PAI JOSÉ DE ARUANDA
  • Oração ao Pai Joaquim
  • Oração do baiano Corisco
  • BENZEDURA CONTRA O MAU-OLHADO INVEJA E QUEBRANTO
  • ORAÇÃO PARA BÊNÇÃO DO LOCAL DE TRABALHO OU LAR
  • ORAÇÃO PARA PEDIR FÉ
  • Oração aos Pretos Velhos e Pretas Velhas
  • Oração a Santa Sara Kali
  • Os Filhos de Omolu
  • Ebó para Yansã
  • Comida de Xangô
  • Lendas de Iansã com Ogum
  • Pontos cantados de Pomba-gira em Videos
  • ORIXÁS EXÚ E OGUM
  • Sem Exu não se Faz nada
  • OS FILHOS DE EXÚ
  • Pontos Cantados de Oxala Videos
  • Pontos Cantados de Ogum Videos
  • Pontos Cantados de Oxum Videos
  • Pontos Cantados de Yemanjá Videos
  • Pontos Cantados de Oxossi Videos
  • Galeria de Videos
  • Pontos Cantados de Xangô videos
  • Pontos Cantados de Yansã videos
  • PORQUE OS EXUS RIEM
  • Videos de Preto velhos
  • Cigano Pablo
  • Cigana esmeralda
  • Mensagem de Ogum
  • Ogum Beira Mar
  • Altar na Umbanda
  • A tristeza dos Orixás
  • Amor palavra de ordem na gira
  • AS FALANGES DE TRABALHO NA UMBANDA
  • ASSISTÊNCIA
  • exu não e fofoqueiro
  • ATITUDE INTERIOR
  • BANDEIRA BRANCA DE OXALÁ
  • Cantos e Palmas num Terreiro
  • Como acontece a Gira
  • conduta moral
  • CONDUTA NO TERREIRO DE UMBANDA
  • Conflitos
  • Conflitos Familiares
  • Como ler escutar ou observar e saber se aquilo é
  • Cores e a Umbanda
  • Cumprimentos e Posturas
  • De Olhos Fechados
  • Deus não te Fez para sofrer
  • Deus salve a Umbanda
  • Página em Atualização
  • EGUNS E QUIÚMBAS
  • ELEMENTOS DO TERREIRO DA UMBANDA
  • ENTENDENDO A INVEJA
  • ESPIRITUALIDADE E CONSCIÊNCIA
  • EXPRESSÕES USADAS NA UMBANDA
  • EXU NÃO É DIABO
  • falta de doutrina e de complemetimento
  • Faz caridade fio
  • Os perigos e conseqüências da mediunidade mal orie
  • O DIA DE FINADOS NA UMBANDA
  • Fazer o bem sem ver a quem
  • Os Médiuns são Parceiros
  • Fumos e Bebidas
  • Fundamentação Doutrinária
  • GUIAS E COLARES
  • Hierarquia na Casa de Umbanda
  • Humildade
  • Jogaram uma carga pesada pra cima de mim
  • O maior inimigo da Umbanda
  • Mediunidade na Umbanda
  • Mediunidade um passo de cada vez
  • Mensagem do Caboclo Sete Flechas
  • MIRONGA DE PRETO VELHO
  • Não abandone seu posto de serviço
  • Normas dos Terreiros
  • Nossos Umbigos
  • Linha de Esquerda Exu e ´Pomba-Gira
  • O pequeno universo do umbandista
  • O Perdão Não tem Contra-indicação
  • O Templo Que Vos Acolhe
  • obrigações na umbanda
  • OBRIGADO VOVÔ
  • ORAÇÃO DO UMBANDISTA
  • Orixá de Cabeça
  • Os Caboclos na Lição de Pai João
  • Os Orixás se Manifestam em Nós e Através de Nós
  • Oração de Ogum Xoroquê
  • .