Centro Pai João de Angola

Kão kabecilê xangô

Xangô é o orixá da justiça e da sabedoria. É sincretizado com São Jerônimo, São Pedro, São João Batista, representa a justiça e tem as pedreiras como símbolo natural. Possui um machado de duas faces que simboliza tanto a proteção quanto a punição a seus filhos quando cometem injustiças. Outro símbolo é a estrela de 6 pontas que é em si o poder equilibrador do universo.

DIA: Quarta-Feira

CORES: Vermelho (ou marrom) e branco

COMIDA: Amalá

SÍMBOLOS: Oxés (machados duplos), Edún-Àrá, xerê

ELEMENTOS: Fogo (grandes chamas, raios), formações rochosas.

DOMÍNOS: Poder estatal, justiça, questões jurídicas.

SAUDAÇÃO: Kawó Kabiesilé!!

Nem seria preciso falar do poder de Xangô (Sòngó), porque o poder é a sua síntese. Xangô nasce do poder morre em nome do poder. Rei absoluto, forte, imbatível. O prazer de Xangô é o poder. Xangô manda nos poderosos, manda em seu reino e nos reinos vizinhos. Xangô é rei entre todos os reis. Não existe uma hierarquia entre os orixás, nenhum possui mais axé que o outro, apenas Oxalá, que representa o patriarca da religião e é o orixá mais velho, goza de certa primazia. Contudo, se preciso fosse escolher um orixá todo-poderoso, quem, senão Xangô para assumir esse papel?

Xangô gosta dos desafios, que não raras vezes aparecem nas saudações que lhe fazem seus devotos na África. Porém o desafio é feito sempre para ratificar o poder de Xangô.

A maneira como todos devem se referir a Xangô já expressa o seu poder. Procure imaginar um elefante, mas um Elefante-de-olhos-tão-grandes-quanto-potes-de-boca-larga: esse é Xangô e, se o corpo do animal segue a proporção dos olhos, Xangô realmente é o Elefante-que-manda-na-savana, imponente, poderoso.

Percebe-se que a imagem de poder está sempre associada a Xangô. O poder real, por exemplo, lhe é devido por ter se tornado o quarto alafim de Òyó, que era considerada a capital política dos iorubas, a cidade mais importante da Nigéria. Xangô destronou o próprio meio-irmão Dadá-Ajaká com um golpe militar. A personalidade paciente e tolerante do irmão irritavam Xangô e, certamente, o povo de Òyó, que o apoiou para que ele se tornasse o seu grande rei, até hoje lembrado.

O trono de Òyó já pertencia a Xangô por direito, pois seu pai, Oranian, foi fundador da cidade e de sua dinastia. Ele só fez apressar a sua ascensão. Xangô é o rei que não aceita contestação, todos sabem de seus méritos e reconhecem que seu poder, antes de ser conquistado pela opressão, pela força, é merecido. Xangô foi o grande alafim de Òyo porque soube inspirar credibilidade aos seus súbditos, tomou as decisões mais acertadas e sábias e, sobretudo, demonstrou a sua capacidade para o comando, persuadindo a todos não só por seu poder repressivo como por seu senso de justiça muito apurado.

Não erram, como se viu, os que dizem que Xangô exerce o poder de uma forma ditatorial, que faz uso da força e da repressão para manter a autoridade. Sabe-se, no entanto, que nenhuma ditadura ou regime despótico mantém-se por muito tempo se não houver respaldo popular. Em outros termos, o déspota reflecte a imagem de seu povo, e este ama o seu senhor, seja porque nos momentos de tensão responde com eficiência, seja por assumir a postura de um pai. No caso de Xangô, sua rectidão e honestidade superam o seu carácter arbitrário; suas medidas, embora impostas, são sempre justas e por isso ele é, acima de tudo, um rei amado, pois é repressor por seu estilo, não por maldade.

Fato é que não se pode falar de Xangô sem falar de poder. Ele expressa autoridade dos grandes governantes, mas também detém o poder mágico, já que domina o mais perigoso de todos os elementos da natureza: o fogo. O poder mágico de Xangô reside no raio, no fogo que corta o céu, que destrói na Terra, mas que transforma, que protege, que ilumina o caminho. O fogo é a grande arma de Xangô, com a qual castiga aqueles que não honram seu nome. Por meio do raio ele atinge a casa do próprio malfeitor.
Xangô é bastante cultuado na região de Tapá ou Nupê, que, segundo algumas versões históricas, seria terra de origem de sua família materna.

Tudo que se relaciona com Xangô lembra realeza, as suas vestes, a sua riqueza, a sua forma de gerir o poder. A cor vermelha, por exemplo, sempre esteve ligada à nobreza, só os grandes reis pisavam sobre o tapete vermelho, e Xangô pisa sobre o fogo, o vermelho original, o seu tapete.

Xangô sempre foi um homem bonito extremamente vaidoso, por isso conquistou todas a mulheres que quis, e, afinal, o que seria um ‘olhar de fogo’senão um olhar de desejo ardente? Quem resiste ao olhar de “flirt” de Xangô?

Xangô era um amante irresistível e por isso foi disputado por três mulheres. Iansã foi sua primeira esposa e a única que o acompanhou em sua saída estratégica da vida. È com ela que divide o domínio sobre o fogo.
Oxum foi à segunda esposa de Xangô e a mais amada. Apenas por Oxum, Xangô perdeu a cabeça, só por ela chorou.

A terceira esposa de Xangô foi Oba, que amou e não foi amada. Oba abdicou de sua vida para viver por Xangô, foi capaz de mutilar o seu corpo por amor o seu rei.

Xangô decide sobre a vida de todos, mas sobre a sua vida (e sua morte) só ele tem o direito de decidir. Ele é mais poderoso que a morte, razão pela qual passou a ser o seu anti-símbolo.

 Atribuições

Xangô é o Orixá da Justiça e seu campo preferencial de atuação é a razão, despertando nos seres o senso de equilíbrio e eqüidade, já que só conscientizando e despertando para os reais valores da vida a evolução se processa num fluir contínuo

 

Cozinha ritualística

Caruru
Afervente o camarão seco, descasque-o e passe na máquina de moer.  Descasque o amendoim torrado, o alho e a cebola e passe também na máquina de moer. Misture todos esses ingredientes moídos e refogue-os no dendê, até que comecem a dourar. Junte os quiabos lavados, secos e cortados em rodelinhas bem finas. Misture com uma colher de pau e junte um pouco de água e de dendê em quantidade bastante para cozinhar o quiabo. Se precisar, ponha mais água e dendê enquanto cozinha. Prove e tempere com sal a gosto. Mexa o caruru com colher de pau durante todo o tempo que cozinha. Quando o quiabo estiver cozido, junte os camarões frescos cozidos e o peixe frito (este em lascas grandes), dê mais uma fervura e sirva, bem quente.

Ajebô
Corte os quiabos em rodelas bem fininhas em uma Gamela, e vá batendo eles como se estivesse ajuntando eles com as mãos, até que crie uma liga bem Homogênea.

Rabada
Cozinhe a rabada com cebola e dendê. Em uma panela separada faça um refogado de cebola dendê, separe 12 quiabos e corte o restante em rodelas bem tirinhas,
junte a rabada cozida. Com o fubá, faça uma polenta e com ela forre uma gamela, coloque o refogado e enfeite com os 12 quiabos enfiando-os no amalá de cabeça para baixo.

Oferenda de xangõ

Vejamos aqui como preparar um Comida, Oferenda, Adimu, Agrado a Xangô. É fácil preparar uma comida de Orixá, mas sempre siga atitudes básica na hora do preparo e na hora de Oferecer a comida de Xangô.

1- sempre esteja de corpo limpo e a mente ligada só a coisas boas e ao orixá.

2- se possível peça para alguém já iniciado dentro do Santo, para lhe orientar na hora de fazê-lo.

3 – nunca peça nada de ruim ao Orixá, peça sempre coisas boas e principalmente Xangô é um orixá ligado diretamente a caso de justiça, casos de dívidas, guerras etc. Então é muito importante saber o que está precisando realmente ou o porque você está fazendo esta oferenda.

Obs: Não adianta pedir para o Orixá Ogum que lhe dê um amor, pois Ogun é um orixá Rústico (violento e pouco maliável), que no caso sim seria para pedir ao Orixá Oxum (que é doce, encantadora, amável) que lhe de amor em sua vida. Entenda bem, pedir amor não significa pedir uma pessoa em particular para o Orixá. Evite pedir certo tipos de coisas para o seu orixá, lembre-se ele é sagrado.

Amalá para Xangô:

 
Ingredientes da comida de Xangô:
- 500gr. de quiabo
- 01 rabada cortada em doze pedaços
- 01 cebola
- 01 vidro de azeite de dendê
- 250g. de fubá branco

Modo de preparar o Amalá de Xangô: Cozinhe a rabada com cebola e dendê. Em uma panela separada faça um refogado de cebola dendê, separe 12 quiabos e corte o restante em rodelas bem tirinhas,

junte a rabada cozida .Com o fubá, faça uma polenta e com ela forre uma gamela, coloque o refogado e enfeite com os 12 quiabos enfiando-os no amalá de cabeça para baixo


Xangô

Ingredientes: 12 pedaços de peito de boi sem gordura

7 pimentas da costa moída

1 pitada de sal

2 cebolas de cabeça picada

3 kg de quiabo

2 pedaços pequenos de gengibre socado no pilão

200 gramas de amendoim torrado sem casca moído no pilão

100 gramas de camarão seco inteiro

100 gramas de castanha Azeite de dendê
Modo de Preparo: Tempere o peito com sal, a pimenta da costa e a cebola de cabeça. Aqueça o azeite de dendê e ponha os pedaços de peito para dourar. Quando estiver assado, reserve. Lave os quiabos, um por um e seque em pano branco. Corte as pontas do quiabo (inclusive e parte de cima) e pique em pedaços bem pequenos. Reserve 12 quiabos inteiros para enfeitar o prato. Coloque o quiabo picado em um alguidar e ponha um pouco de azeite, depois bata bem para tirar a “baba”. Leve a panela com a carne ao fogo e acrescente o amendoim, a gengibre, a castanha, o camarão seco e o quiabo picado e refogue mais um pouco e estará pronto. Cruze com pemba branca e banha de ori e coloque em uma gamela de madeira o refogado. Os pedaços de carne devem ser colocados por cima. Enfeite o prato com os quiabos inteiros. Acompanha a bebida correspondente e uma vela branca. Obs: Outro prato muito comum para Xangô é a rabada com polenta.

                       Pontos Cantados de xangô.


Pedra rolou Xangô Lá na pedreira Segura a pedra meu Pai Na cachoeira Tenho o meu corpo fechado Xangô é meu protetor Firma seu ponto meu Pai Pai de cabeça chegou =========================== Xangô, ele rei da pedreira Rei da pedreira ele é o rei de Umbanda Xangô ele é o nosso Pai E filhos de Xangô Bambeia mas não cai =========================================== Quem rola a pedra na pedreira é Xangô Quem rola a pedra na pedreira é Xangô Viva a coroa de Zambi Viva o meu Pai é Xangô Agodô E aqui neste reino ele está =========================================== Estava sentado na pedra Esperando meu Pai Xangô Xangô na Aruanda Xangô na quimbanda Xangô na linha das almas Com Ogum venceu demanda =========================================== Segura a pedra Xangô Não deixa a pedra rolar Pega no livro e na pena Para a justiça firmar =========================================== Eram seis horas Quando o sino tocou Na Marambaia Cidade da Jurema Eram dez horas Quando o galo cantou Com licença de Zambi Saravá Pai Xangô =========================================== Na pedreira da mata virgem Aonde mora meu Pai Xangô Água minou, Nanã Borocô Pedra rolou, saravá Pai Xangô =========================================== Quem de lê, quem de lê Xangô Ele filho da cobra coral Olha preto está trabalhando Olha branco não está olhando =========================================== Ô Gino olha a sua banda Ô Gino olha o seu gongá Aonde o rouxinol cantava Na pedra onde Xangô morava Ele Gino da cobra coral Ele Gino da cobra coral Ele Gino da cobra coral Kaô =========================================== Que pedreira tão alta Que nem limo criou Oh não me quebra pedra Que a morada é de Xangô =========================================== Seu Ariri, Ariri, Ariri Seu Ariri ele é o Rei da Mata Virgem Aonde o sabiá cantava Na pedra onde Xangô morava Quando a lua aparece =========================================== Leão na mata roncou A passarada estremece Olha a coral que piou, piou, piou Olha a coral piou Salve o povo de Ganga ô Chegou seu Rei de Umbanda Saravá nosso Pai Xangô =========================================== (pólvora) Lá no alto da pedreira A faísca vem rolando Agüenta a mão cabra de força Que a faísca vem queimando =========================================== Minha mãe cadê Xangô Xangô foi passear Minha mãe cadê Ogum Foi pra guerra guerrear =========================================== Lá em cima daquela pedreira Tem um lírio que é de Xangô (bis) Kaô, kaô, kaô, kabeci =========================================== Xangô meu Pai Deixa essa pedreira aí (bis) Umbanda tá lhe chamando Deixa essa pedreira aí =========================================== Sua machado é de ouro, é de ouro (bis) Machadinha que corta mironga É machadinha de Xangô =========================================== Meu Pai Xangô Olhai seus filhos Que eu também sou filho seu Kaô, Kabeci Saravá gongá (bis) =========================================== Xangô, Xangô, Xangô, Xangô meu Pai Foi o Senhor mesmo quem disse Filho de Umbanda não cai =========================================== Tererê Xangô, ô tererê Xangô Na calunga, Segura filhos de Umbanda Não deixa filhos cair =========================================== Por de trás daquela serra Tem uma linda cachoeira (bis) É onde mora o meu Pai Xangô Que arrebentou sete pedreiras =========================================== Xangô é dono da pedreira Segura o meu destino até o fim (bis) Se algum dia eu perder A fé no meu Senhor Rolai essa pedreira sobre mim Meu Pai Xangô =========================================== Oxossi é rei das matas Xangô é da pedreira Iansã da ventania Mãe Oxum da cachoeira Xangô, Xangô Xangô, kaô Kabeci =========================================== O lelê kaô O lelê kaô O lelê é de vangolé Lelê kaô =========================================== O Ganga ô A terra é da Jurema O leão é lá das matas A pedra é tão forte O rei, é Xangô =========================================== Xangô veio das virgens matas Com seu bastão de prata Para nos salvar Xangô kaô Xangô no reino é meu Senhor =========================================== Dê deloucau Dê deloucau auê Xangô, olha Ogum de o dé Olha Ogum de lê Xangô Olha Ogum de o dé Olha Ogum de lê =========================================== Oh rei do mundo Oh rei do mundo Dizem que Xangô Mandou girar Mas é com fé =========================================== Naquele tempo que Xangô recebia Com sua pena de ouro Xangô escrevia =========================================== Xangô está no céu Ai não está não Xangô está na Terra Ai não está não E ê ê ê ê Segura Umbanda, macumba – auê =========================================== Lá no reino de Badé Lué, lué Quem fala tem pouca fé Lué, lué Tem cheirinho de guiné Lué, lué Xangô no reino de fé =========================================== Graças a Deus, meu Deus Pelo dia de hoje Louvado seja Deus Meu Pai Xangô, muito obrigado Que Deus nos dê muita luz em nossos caminhos =========================================== Pedra rolou pra Xangô Lá nas pedreiras Afirma o ponto meu pai Na cachoeira Pedra rolou pra Xangô Lá nas pedreiras Afirma o ponto meu pai Na cachoeira Tenho meu corpo fechado Xangô é meu protetor Afirma o ponto meu pai Pai de cabeça é Xangô Tenho meu corpo fechado Xangô é meu protetor Afirma o ponto meu pai Pai de cabeça chegou =========================================== Quem rola as pedras na pedreira é Xangô Quem rola as pedras na pedreira é Xangô Giro na coroa de Zambi Giro na coroa de Zambi Giro na coroa de Zambi é Xangô Giro na coroa de Zambi Girooo Giro mas saravá meu pai Xangô Quem é quem vence as demandas ? Quem é o dono das Pedras ? é Xangô =========================================== Lá em cima daquelas pedreiras Tem um livro que é de Xangô Lá em cima daquelas pedreiras Tem um livro que é de Xangô Kaô, Kaô, Kaô cabeciem =========================================== Xangô morreu de velho Na pedra ele escreveu - Justiça meu Pai , Justiça ! Ganhou quem mereceu - Justiça meu Pai , Justiça ! Ganhou quem mereceu =========================================== Xangô meu pai deixa está pedreira aí Xangô meu pai deixa está pedreira aí que umbanda tá lhe chamando deixa está pedreira aí que a umbanda tá lhe chamando deixa está pedreira aí


ORAÇÃO À XANGÔ | BATALHA FINAL

Pai presente em meus piores momentos, me traga a redenção e a humildade, não deixa que a soberba me aniquile, derrota os meus principais inimigos, o ódio e a vingança.

Vós me disse para esperar, lutar com sabedoria e inteligência, haja visto, ter meu corpo fechado desde o nascimento.

Contudo, percebo que está chegando a hora da batalha, portanto, quero que seja minha mente e meus braços na hora do embate final.

Se tenho que ir ao seu encontro, digo que vou, sem dúvidas em meu coração.

Mas, peço que me cubra com sua honra até o instante final, pois só me ajoelho diante dos orixás e só me deito diante de ti.

Kaô Kabecile !!!!

Pai Bento preto velho, de origem africana e que foi escravo, veio para Santos, a mandado de seu sinhô Manoel Antonio, de Xiririca (hoje Eldorado Paulista), a fim de seguir para a guerra do Paraguai, substituindo um filho do fazendeiro.

Entretanto, chegando a São Vicente, o saudoso Bento Viana (capitalista e vereador vicentino), proprietário do casarão da Rua Martim Afonso, esquina da rua José Bonifácio (onde vemos hoje o Edifício Stela Maris), entusiasmou-se por "Pai Bento", trocando-o por um seu escravo, evitando assim que o seu afeiçoado seguisse para a guerra. Na época, "Pai Bento" tinha 50 anos, trabalhava na casa de Bento Viana, rachando lenha e carregando potes de água da Biquinha.

Com o falecimento do seu primeiro protetor, "Pai Bento" passou a viver a expensas do intendente Antônio Emmerich. O escravo já estava de cabelos brancos, em idade avançada, porém, forte, trabalhador e muito honesto. Com a devida autorização de seu novo patrão, fazia entrega de água da Biquinha, para diversos fregueses, recebendo em troca alguns vinténs.

Uma coisa parecia incrível: "Pai Bento" não fumava nem bebia; pacato, jamais teve uma briga em São Vicente. Tudo isso fazia com que o preto velho gozasse de grande estima na cidade.

Conhecemos esse tipo popular, sempre descalço, em mangas de camisa, trazendo ao pescoço a medalhinha de um santo, segura por um barbante e carregando á cabeça os potes de barro com água. Faleceu com 105 anos, no seu quartinho da casa de Antônio Emmerich, sendo socorrido até os últimos momentos de entregar a sua alma a Deus. Os funerais foram feitos a expensas do nosso biografado, e a sua morte bastante sentida, pois desaparecia o tipo mais popular de São Vicente, naquela época.

 

Xangô é o Orixá dos reis, dos justos e dos poderosos.

Ele próprio foi um rei guerreiro que conquistou reinos e enriqueceu seu povo.

O seu trabalho entre os homens é cobrar de quem deve e premiar a quem merece, agindo sempre com sabedoria, justiça e poder.

Este Orixá é vaidoso, violento e atrevido. Gosta de festas e comemorações.

É o Orixá do raio e do trovão, o seu elemento é a pedra.

No sincretismo os africanos o ligaram a São João Batista a São Pedro e a São Jerônimo.

Conforme a região do Brasil, Xangô é sincretizado a um destes três, em algumas regiões, como o Rio de Janeiro, a dois simultaneamente (São João Batista comemorado a 24 de junho e São Jerônimo comemorado a 30 de setembro).

Seu dia na semana é a quarta feira sua cor na Umbanda é o marrom.

Na mitologia romana é Júpiter, o pai e mestre dos deuses, para os gregos é Zeus, aquele que usava seus raios para punir os mortais, esta correspondência pode ser feita pelo poder supremo que ambos encarnam.

No Tarô há uma lâmina que contém o principal arquétipo de Xangô, é a Justiça representada pelo arcano VIII, que é quem encarna a recompensa justa, a distribuição do prêmio e do castigo.

A espada de ouro que a justiça carrega assim como o Orixá em sua representação simboliza as lutas necessárias para se conseguir o equilíbrio, que a balança na outra mão indica ser possível. A palavra de Xangô é a Justiça


Os textos apresentados na sua maioria foram retirados , da internet. Esse é um espaço onde colocamos diversos pensamentos e o nosso principal objetivo é a divulgação da nossa Umbanda. Quando algum texto for de autoria do Centro Pai João de angola, o responsável será indicado; da mesma forma que fazemos com outros autores que não têm vínculos com a nossa casa... Comunicado Importante: Este é um Site totalmente gratuito, sem fim comercial ou lucrativo. Algumas imagens e informações provêm de outros sites na internet. Caso você seja o detentor do Copyright de qualquer uma delas, e deseje que ela seja retirada, por favor, é só nos mandar uma mensagem citando o nome e a localização para sua remoção imediata. Não temos o objetivo de nos apropriar de informações alheias tomando-as como nossa, pelo contrário, sempre que possível, colocaremos o nome do autor abaixo do título para deixar bem claro que a intenção é de divulgar a Umbanda através de textos bem elaborados e esclarecedores. Saiba que o Centro Pai João de Angola está isento de qualquer responsabilidade.


Homenagem a Oxum.

Mãe quando eu me vi perdida, você me carregou em seus braços.
Quando eu achei que não tinha mais para onde ir, você me mostrou o seu caminho.
Quando achei que estava sozinha, sem amigos para conversar. Eu fechei os olhos e pedi para você me ouvir. E você me deu o melhor conselho que nenhum amigo poderia me dar: SIGA.
Quando achei que o melhor era voltar atrás, que eu não ia conseguir, vc me ensinou que voltar atras nunca é o correto. Recomeçar sim. Voltar ao passado NÃO. Pois sempre há uma razão para que o passado esteja Lá.
Quando minha vontade era despencar, e chorar, você falou SORRIA as pessoas que te odeiam não precisam saber que vc sofre.
Antes sem ti, minha vida era somente Uma vida.
Hoje a minha vida é sua
Ela está em suas mãos, e deixo vc me guiar. Com a ctz de que qnd eu me guiava sozinha eu vivia perdida. E hj quando acho que me perdi vc me mostra que estou no rumo certo.
Mãe vc foi a melhor coisa que aconteceu em minha vida, é o meu ombro, os meus olhos, a minha vc, o meu corpo. O ar que respiro. Minha amiga para todas as horas.
Hoje eu sei que osun sem mim continua sendo osun.
Mas eu sem osun, NÃO SOU NADA!
Obrigada mãe, me mantenha no caminho da retidão mesmo que td tente me envergar.
E acima de td me mantenha forte, pois essa é mais uma fase. E irei superar.
A VIDA ME FEZ DE OSUN, E EU FIZ DE OSUN MINHA VIDA.

umbanda Xango-Ele vem de aruanda ele vem trabalhar.MP3

  • Ao mestre com carinho
  • Ogum
  • Oxum
  • Yansã
  • oracões
  • Xangô
  • Yemanjá
  • Oxossi
  • Oxalá
  • Oxumarê
  • Preto-velhos
  • Caboclos
  • Boaideiros na Umbanda
  • Baianos na Umbanda
  • Marinheiros
  • Pomba Gira
  • Maria Padilha
  • Oração de exu
  • Banhos de descarregos
  • pontos-riscados-Exu
  • História de Rei Congo
  • Pontos Cantados Orixás
  • Pontos cantados Diversos
  • Maria Redonda
  • Sitemap
  • Mensagem de Zé Pilintra
  • Pai José da Guiné
  • Exu Capa Preta
  • Exu das Sete Encruzilhadas
  • Exu morcego
  • Exu Meia Noite
  • Mensagem de Pai joão de Angola
  • Conselhos de Pai joao de Angola
  • pai-joao
  • Oração a Pai joão de Angola
  • Atribuição dos Preto-velhos
  • CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA
  • Histórias de Vovó Luiza
  • Quem Somos
  • Linha de Caboclos
  • Livro de Visitas 1
  • Ogum Rompe Mato
  • Ogum Yara
  • Altar Virtual dos Orixás
  • Altar Virtual
  • Descubra seu Orixá
  • Altar Virtual de Exu
  • Altar virtual de Ogum
  • Altar virtual de Oxum
  • Altar virtual dos Preto-velhos
  • Altar de Nossa Senhora
  • Ogum vencedor de Demanda
  • Fundamentos
  • OS TRABALHOS DESENVOLVIDOS
  • Cartão de Visitas
  • livro-de-visitas-2
  • Orações 2
  • Os dez maiores erros cometidos por médiuns umbandi
  • A Saída dos Orixás
  • A História de vovô Benedito
  • Oferendas de Oxum
  • Textos de Umbanda
  • Oferenda de Xangô
  • Oferendas de Ogum
  • Oferenda de oxossi
  • a-mediunidade-os-orixás-e-os-caboclos
  • orações diversas
  • Oração ao Pai João de Angola
  • oração a escrava anastacia
  • ORAÇÃO A PAI BENEDITO DE ARUANDA
  • Oração a Maria Bueno
  • Oração a Tia Maria de Minas
  • Oração ao caboclo 7 flexas
  • Oração ao caboclo boiadeiro
  • Oração ao seu Zé Pilintra
  • Oração a são cosme e damião
  • Oração para fechamento de corpo
  • Oração a cabocla Jurema da praia
  • Oração ao Divino Espirito Santo
  • ORAÇÃO AOS PRETOS VELHOS – I
  • oração a Oxalá
  • Prece à tia Rita da Bahia
  • Oração dos Preto velhos-4
  • Oração dos Preto velhos 3
  • Oração dos preto velhos 2
  • Oração do Perdão
  • Para teu Lar
  • Prece de Caritas
  • Orações a Yemanjá
  • orações a Oxossi
  • Prece a xangô
  • Orações a santa Barbara
  • Orações a Yansã
  • Oração da Pomba-gira
  • Oração de São jorge
  • Oração a Oxum
  • Oração para cura de traumas emocionais e decepções
  • Oração para começar o dia
  • ORAÇÃO FORTE E PODEROSA CONTRA INIMIGOS E INVEJA
  • Pai Nosso Umbandista
  • Creio em Deus Pai na Umbanda
  • Oração aos Orixás
  • Oração ao anjo da guarda
  • Pedido de Proteção
  • Oração poderosa de Pai joão
  • Oração à Nossa Senhora da Cabeça
  • Oração a Bezerra de Menezes
  • Oração ao Poderoso Santo Expedito
  • Oração à São José Operário
  • Oração a São Miguel Arcanjo
  • Oração para abrir caminhos
  • Oração ao sete Encruzilhada
  • Abertura dos trabalho 2
  • Prece de Abertura dos trabalhos
  • Prece ao Caboclo Sete Estrelas
  • Oração ao Caboclo Ventania
  • Caboclo 7 Pedreiras
  • PRECE A POMBA-GIRA
  • oração a tranca rua das almas
  • Prece ao Pai João da Mata
  • Oração ao Caboclo
  • Oração a Boiadeiro
  • Oração as sete linhas
  • ORAÇÃO DO PAI JOSÉ DE ARUANDA
  • Oração ao Pai Joaquim
  • Oração do baiano Corisco
  • BENZEDURA CONTRA O MAU-OLHADO INVEJA E QUEBRANTO
  • ORAÇÃO PARA BÊNÇÃO DO LOCAL DE TRABALHO OU LAR
  • ORAÇÃO PARA PEDIR FÉ
  • Oração aos Pretos Velhos e Pretas Velhas
  • Oração a Santa Sara Kali
  • Os Filhos de Omolu
  • Ebó para Yansã
  • Comida de Xangô
  • Lendas de Iansã com Ogum
  • Pontos cantados de Pomba-gira em Videos
  • ORIXÁS EXÚ E OGUM
  • Sem Exu não se Faz nada
  • OS FILHOS DE EXÚ
  • Pontos Cantados de Oxala Videos
  • Pontos Cantados de Ogum Videos
  • Pontos Cantados de Oxum Videos
  • Pontos Cantados de Yemanjá Videos
  • Pontos Cantados de Oxossi Videos
  • Galeria de Videos
  • Pontos Cantados de Xangô videos
  • Pontos Cantados de Yansã videos
  • PORQUE OS EXUS RIEM
  • Videos de Preto velhos
  • Cigano Pablo
  • Cigana esmeralda
  • Mensagem de Ogum
  • Ogum Beira Mar
  • Altar na Umbanda
  • A tristeza dos Orixás
  • Amor palavra de ordem na gira
  • AS FALANGES DE TRABALHO NA UMBANDA
  • ASSISTÊNCIA
  • exu não e fofoqueiro
  • ATITUDE INTERIOR
  • BANDEIRA BRANCA DE OXALÁ
  • Cantos e Palmas num Terreiro
  • Como acontece a Gira
  • conduta moral
  • CONDUTA NO TERREIRO DE UMBANDA
  • Conflitos
  • Conflitos Familiares
  • Como ler escutar ou observar e saber se aquilo é
  • Cores e a Umbanda
  • Cumprimentos e Posturas
  • De Olhos Fechados
  • Deus não te Fez para sofrer
  • Deus salve a Umbanda
  • Página em Atualização
  • EGUNS E QUIÚMBAS
  • ELEMENTOS DO TERREIRO DA UMBANDA
  • ENTENDENDO A INVEJA
  • ESPIRITUALIDADE E CONSCIÊNCIA
  • EXPRESSÕES USADAS NA UMBANDA
  • EXU NÃO É DIABO
  • falta de doutrina e de complemetimento
  • Faz caridade fio
  • Os perigos e conseqüências da mediunidade mal orie
  • O DIA DE FINADOS NA UMBANDA
  • Fazer o bem sem ver a quem
  • Os Médiuns são Parceiros
  • Fumos e Bebidas
  • Fundamentação Doutrinária
  • GUIAS E COLARES
  • Hierarquia na Casa de Umbanda
  • Humildade
  • Jogaram uma carga pesada pra cima de mim
  • O maior inimigo da Umbanda
  • Mediunidade na Umbanda
  • Mediunidade um passo de cada vez
  • Mensagem do Caboclo Sete Flechas
  • MIRONGA DE PRETO VELHO
  • Não abandone seu posto de serviço
  • Normas dos Terreiros
  • Nossos Umbigos
  • Linha de Esquerda Exu e ´Pomba-Gira
  • O pequeno universo do umbandista
  • O Perdão Não tem Contra-indicação
  • O Templo Que Vos Acolhe
  • obrigações na umbanda
  • OBRIGADO VOVÔ
  • ORAÇÃO DO UMBANDISTA
  • Orixá de Cabeça
  • Os Caboclos na Lição de Pai João
  • Os Orixás se Manifestam em Nós e Através de Nós
  • Oração de Ogum Xoroquê
  • .

    Salve Xangô