Em 2008, o Pai João me fez um pedido Esp ecial. Pediu-me pra que falasse com as pessoas que vem no Centro sobre Umbanda. Segundo ele era a hora de repassar um pouco do que aprendemos. Era hora de vestir a camisa e ajudar a divulgar a umbanda, contribuir para desmistificar. E era nosso dever sair em defesa da nossa fé Levar as pessoas um pouco de entendimento, ensinar. Segundo o pai João é missão dos Pais, Mãe e filhos de Santo, propagar sua fé ao invés de ficar de braços cruzados, reclamando que somos discriminados, que existem preconceitos. Isso sempre existiu, por falta de informação. Quando aceitamos sermos tachados de Macumbeiros. (macumba= instrumento de percussão, atabaques) Quando falam fulano (a) vai no Saravá. (saravá= Boa noite, cumprimento de Exú na esquerda, ou Saravá salve na direita. exemplo salve oxalá, salve ogum etc...). Quando falam fulano (a) fez um feitiço. ( feitiço vem da palavra francesa fetiche =feito a mão.) Pai João diz; "que devemos combater o preconceito primeiramente em nós". Que a Religião pertence ao homem, a fé é Deus. “Somos nós que” “Devemos” ter certeza no que acreditamos não os outros. Por isso se recomenda: Participar ativamente do centro, ir às giras, palestras e reuniões. Cabe aos médiuns a busca pelo conhecimento. Muitas pessoas se sente constrangidas em admitir que são umbandista. Por causa de alguns comentários de outras denominações religiosas. Uns ficam sem ação quando dizem que somos idolatras. ( adoradores de Imagem). " Que imagem tem boca mas não fala, tem ouvidos mas não ouve, tem pernas mas não andam". Concordamos. Realmente é isso. Mas a resposta para o uso de imagens em nossos altares é muito simples. As imagens são feitas de gesso ou resina. Mas servem como ponto de elevação mental, algumas pessoas tem dificuldade de concentração, pra elas a entidade está na imagem é só conseguem se concentrar, rezar ou fazer seus pedidos diante dela. Vamos dar um outro exemplo: Quem nunca recorreu a um álbum de fotos antigo, pra ver seu ante querido. Então é isso é uma lembrança. Concordei, por que sempre achei que ninguém melhor do que nós (Umbandistas) pra falar sobre o que acreditamos. Achei que era simples. Até por em prática. Quando se diz: Só se recorre a umbanda por dois motivos: "Amor ou Dor". Queremos dizer que ninguém vai num centro ( terreiro ou tenda de Umbanda), pra passear, ou conhecer. Que muitas vezes algumas pessoas vai ao centro mas nem sabe como funciona. Que nem sabe que a Umbanda é uma religião. Que tem fundamentos. Muita gente nem sabe que temos deveres e obrigações. Que temos Deus no coração. Que temos um compromisso com a Espiritualidade. A grande maioria das pessoas chegam no centro em busca de auxilio socorro e cura pra suas dores morais, fisicas ou espirituais. Sentem a necessidade de falar, de desabafar. De exteriorizar seus conflitos internos. De expor o que as incomoda. Buscam soluções pra diversos problemas. Até ai estamos dentro de uma normalidade. A dificuldade encontrada no pedido do Pai João foi: Durante uma consulta a pessoa esta focada no problema dela. A mente esta aberta pra fazer o que for preciso pra resolver o seu caso. Se for necessário, consultar um guia. Tomar um passe. fazer um banho de descarrego. Acender velas ou fazer um trabalho. tudo bem. Enquanto a conversa gira em torno do interesse da pessoa vai bem flui naturalmente. Mas se você for falar sobre Umbanda. o desinteresse é total. Ninguém quer saber qual é o fundamento da umbanda, o que é mediunidade, o por que das giras, pra que serve as guias, por que se acende velas, o que é oferenda, o por que dos banhos de descarrego. Enfim você pode passar horas ouvindo uma pessoa mas essa mesma pessoa não é capaz de te ouvir por mais de 10 minutos. Cheguei pro pai João e disse: "Pai João não estou conseguindo conversar com as pessoas sobre umbanda, quando começo a falar percebo indiferença, alguns fogem do assunto, outros repentinamente se lembram de algum compromisso, outros dão pressa de ir embora." O que fazer. Pai João me respondeu: " persista meu filho, continue. Você está no caminho certo. Mas se lembre o que os olhos não veem o coração não sente". achei que tinha entendido. No dia seguinte colei cartazes nas paredes do centro. Com frases usadas pelos guias.

Coloquei nesse computador centenas de Fotos pertinentes a Umbanda e pontos cantados. E o deixei num ponto Estratégico, onde era impossível não ver e ouvir. As imagens passavam no modo Slide, de forma alienatória. E despertava a curiosidade, as perguntas começaram a surgir. Que santo é aquele? O que aquele santo faz? Pra que serve aquela oferenda? Aquela comida pra que santo que é? Pra que serve aquele colarzinho de cores variadas.? (guias) Qual é a cor da Vela de ogum? Que erva se usa pra fazer banho de descarrego? Qual o melhor dia pra se fazer banho de descarrego? Por que se usa branco? Por que os médiuns batem cabeça no altar 3 vezes? Que bebida se oferece a preto-velho? Qual é o defumador que se usa pra fazer limpeza no comércio? Como funciona a mediunidade consciente? Por quê fazer entregas, oferecer comidas, bebidas, velas, etc, aos Guias, se Eles são espíritos e assim, não comem e nem bebem? O que é um ponto riscado? Outras entidades, além dos Exús e Pombas-Giras, podem mandar fazer trabalho no cemitério ou encruzilhada? Qual seria a verdade sobre a vida "ir pra frente" na vida, ou não, em caso de não desenvolvimento da mediunidade? Por que os médiuns ficam descalços nas giras de umbanda? É verdade que não é aconselhável homem receber pomba-gira? QUAL A FINALIDADE DA UMBANDA COMO RELIGIÃO? QUEM SERIA O SER SUPREMO NA UMBANDA? O QUE SÃO AS LEIS DA UMBANDA? QUEM É PAI E MÃE PEQUENOS? QUEM É O OGÃ? QUANTOS ORIXÁS INFLUEM NO DEVOTO DA UMBANDA? Qual a diferença entre possessão e obsessão? Há algum tipo de estudo no terreiro para os médiuns e a frequentadores? Por que os trabalhos espirituais do terreiro, inclusive os de esquerda, tem sempre uma hora marcada para começar? E etc., etc. e tal... Como vimos existe perguntas a ser feitas, mas se não despertarmos o interresse das pessoas e nem dermos espaço ,elas não perguntam. E assim passaram-se os meses. Um dia pai João disse: " que era hora de passar adiante o conhecimento adquirido, levar pra fora das paredes do centro". Como no hino da Umbanda. " levando ao mundo inteiro a Bandeira de Oxalá". Embora sem entender o que era pra ser feito, levei a sério. Em uma noite de insônia entrei na internet e naveguei em alguns Sites de Umbanda. Queria saber o que se escrevia sobre a Umbanda. Achei interessante, alguns muito bons, ricos em ensinamentos e outros confusos. Mas o objetivo não é criticar. Por que todas as vezes que criticamos, alguém ou alguma coisa, temos a obrigação de sermos melhores. Mesmo sabendo que não possuía conhecimento, pois nunca fiz um curso de web desinger, eu queria fazer um site. Um site simples, de fácil entendimento, que fosse direto ao assunto. Sem comerciais, sem patrocínio. Um site que tivesse a cara do Pai João, Algo feito com o objetivo unico ensinar. Em 13/03/2009, coloquei no ar as primeiras páginas de nosso Site. De 2009 até aqui, fiz 2 sites . São eles www.centropaijoaodeangola.com.br www.centropaijoaodeangola.net Pra mim ficou muito clara a lição do Pai João, que quando se propomos a ensinar, na realidade estamos aprendendo. A vida é isso ...não se fica pobre dividindo o que sabe. Quando coloquei no site as páginas de Orações, queria dizer a você: " Não diga a Deus que você tem um grande problemas, diga aos seus problemas que você tem um grande Deus". " Nada é impossível para aqueles que tem fé". Que a oração é um guia prático pra ação. Quando coloquei os altares virtuais, queria dizer a você: " você não está sozinho". Quando se entra nos altares se vê os Santos, Orixás, Guias e Exus, Vê as orações deles. Abaixo se vê o pedido de outras pessoas. Ou seja a é comprovação que eles existem e estão no coração de muita gente. Que muitas pessoas recorrem a eles em todos momentos. se vê pedidos, agradecimentos, demonstrações de fé. Quando coloquei as páginas de reflexão, Queria dizer a Você. Que ninguém muda ninguém, que cada um é o que consegue ser. Que o máximo que conseguimos é mudar a nós mesmos. É isso que a Umbanda prega: Reformas intima. Que devemos perdoar, relevar e esquecer as mágoas, que devemos afastar de nossos corações o desejo de vingança. Que devemos se lembrar: " que tudo que vai, volta" essa é a lei do retorno. Que devemos romper com o passado, deixar pra trás tudo que nós faz sofrer. Saber que: "Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim" Viver um dia de cada vez. afinal o ontem já foi, o amanhã não chegou , só te resta o hoje. Quando coloquei no site dezenas de páginas com assuntos diversos, queria dizer a você e a todos os leigos no assunto essa é a Umbanda que eu conheço e amo. Quando coloquei no site as páginas dos Orixás, eu quis dizer as médiuns esse é se orixá. Aprenda mais sobre ele, é ele que rege sua Vida. Entenda cada terreiro é uma escola diferente, mas a lei e o fundamento é o mesmo pra todos. Quis dizer respeite o terreiro que você frequenta, trate com carinho seu Pai e Mãe de santo eles são seus professores. Receberam-te de braços abertos como filhos ( filhos de fé), essas pessoas são responsáveis por sua educação religiosa. São eles que irão te apresentar seu santo, irão fornecer a você todas as informações necessárias ao seu crescimento espiritual. Trate com respeito seus irmãos de fé, nunca se sabe qual deles será o próximo pai ou mãe pequena, você terá que tomar a bênção dele (a). Não competir com seu irmão de fé. Cada um tem o que merece. Nossos guias não fazem acepção de pessoas pra eles o que vale é a fé e a dedicação de cada um. Não encare sua mediunidade como um fardo, encare com espirito de cooperação. Entenda: " Quem não vive pra servir, não serve pra viver". Adote esse lema de vida: " fazer o bem sem olhar a quem". Quando chegar no terreiro, esqueça seus problemas pessoais, vá de coração puro. Procure tirar o máximo de proveito. Bata sua cabeça consciente, entenda que esse ato é símbolo de resignação total. Preste atenção no que seu Pai e Mãe de santo esta dizendo nas aberturas do trabalho. Deixe-se envolver pelos pontos Cantados. preste atenção no significados de suas letras. Esteja atento ao que os guias falam. Jesus não disse: "Que seria fácil, apenas que valia a pena.". Enfim eu quis ensinar o que aprendi. Todos esses anos eu tive em mente: " O que os guias fizeram na minha vida somente eu sei, a pergunta era o que eu tinha feito por eles". Esse site é uma retribuição aos guias, é uma forma de dizer: Obrigado. " Sinto orgulho em ser Umbandista".

Ao Pai João meu eterno agradecimento. Agradeço ao Pai João por tudo. Enfim poderia enumerar mil razões pra ter fé e acreditar. Mas nada que eu possa dizer ou escrever descreve o "meu", o seu, o "nosso" Pai João de Angola. Eu escrevi cada página desses sites, deu muito trabalho, perdi noites de sono.fins de semanas e feriados foram 4 anos pra chegar a esse trabalho. Sinto orgulho do que fiz. Mas fiz tudo com muito Amor. Realmente acredito em tudo que escrevi. Se ajudei, não sei. Mas de uma coisa tenho certeza defendi o que acredito. Um abraço Fraterno. Beto de Ogum.

mestre.mp3

Um Preto Velho é um ser de luz, de amor e de caridade. Atende seus filhos com suas consultas e passes.

Sentado num toco, num cantinho do terreiro, descobrindo e auxiliando com os mais profundos segredos de cada consulente, com o auxílio da fumaça de seu cachimbo.

São as Santas Almas de escravos do cativeiro, viveram no Brasil Colonial, agüentaram a dor, o castigo e o preconceito, porém o amor foi maior no coração dessas entidades. Por isso, hoje estão nos terreiros, amando e auxiliando seus filhos, sempre com muito carinho, sem julgamentos e com muita atenção e acolhimento.

Todos os Pretos Velhos constituem a Linha de Yorimá, a Sétima Linha da Umbanda. Essa linha se constitui de amor, de paz e de caridade. É a elevação espiritual em ação, os médiuns que trabalham em favor de Yorimá sempre estão dispostos à caridade, assim sendo chamadas Gira de Pretos Velhos. “Quem tem fé tem tudo, quem não tem fé, não tem nada.”

A Fé é o pilar da energia dos Pretos Velhos, é a realização, o desenvolvimento.

Quem tem fé pode ganhar tudo, mas também pode perder.

Quando praticamos um banho, um trabalho com fé, temos a certeza, a confiança e a benção de tão elevadas forças sobre nós.

Yorimá também é a linha que esconde os segredos das mirongas.

As magias que trazem alegria, o amor e a paz para o terreiro.

As mirongas também servem para defesa, para a caridade e para o desenvolvimento espiritual. Mas para o conforto e conhecimento de você Filho de Fé, aqui estão algumas simples mirongas, para melhor conhecer como funcionam e para uma abertura dos caminhos.

Banho para fixação de bons fluidos espirituais:

3 ramos de alecrim;

3 ramos de manjericão;

3 ramos de guiné.

Em uma segunda-feira, tome um banho do pescoço para baixo, com um macerado dessas três ervas em água morna.

Toma-se do pescoço para baixo, antes de deitar ou se levantar. Feito isso, acenda uma vela branca para os pretos velhos, fixando bons pedidos e fazendo suas orações.

Banho para cura e proteção:

Ao meio-dia de uma segunda-feira, estoure grãos de milho em azeite de dendê e reservar em uma peneira.

Às seis horas da tarde, tome um banho da cabeça aos pés com a pipoca. Porém acrescente antes do banho, um pouco de noz moscada ralada sobre a pipoca.

Mentalize a evolução e a cura na força de Obaluaê, o orixá dos Pretos Velhos, da cura e da evolução.

O restante que caiu no chão deve ser despachado em um rio às nove horas da noite.

Banho de Descarrego:

Com o auxílio de uma colher de pau, triturar anil e enxofre num recipiente de barro juntos de um pacote de sal grosso.

Feito isso, após as seis horas da tarde, tome um banho normal. Pegue 3, 5, ou 7 colheres do preparado e dilua em dois litros de água morna.

Tome o banho do pescoço para baixo e reserve o resto no recipiente de barro para usar em outros banhos.

Que a força de Obaluaê, dos Pretos Velhos e da caridade esteja sempre com você, Filho e Filha de Fé! Asè ô! Atotô Obaluaê! Eu adorei as almas!


DIAS DOS ORIXÁS: SEGUNDA – FEIRA

* Exu, Pomba Gira, Obaliuaie, Omulu, Pretos Velhos (Iorumá) e almas aflitas

TERÇA – FEIRA * Ogum, Boiadeiros e Baianos

QUARTA – FEIRA * Xangô e Iansâ

QUINTA – FEIRA * Oxossi, Caboclos e Caboclas

SEXTA – FEIRA * Oxalá, Almas Santas e Linha da Oriente liderada por São João Batista

SÁBADO * Iemanjá, Oxum, Nanã Buruke, Ondinas, Sereias, Caboclas, Iaras e Marinheiros

DOMINGO * Iori (Cosme e Damião), Crianças e Ibejadas

SAUDAÇÕES Saravá Oxalá *

Oxalá Meu Pai Saravá Ogum * Ogum Iê Meu Pai

Saravá Xangô * Caô Cabecilê

Saravá Obaluaie * Atotô Obaluaiê

Saravá Oxossi * Okê Caboclo

Saravá Iemanjá * Odoceyá

Saravá Oxum * Aêê Mamãe Oxum

Saravá Iansã * Uepa hey Iansã

Saravá Nanã Buruke Saluba Nanã

Saravá Cabloco * Okê Cabloco

Saravá aos P.Velhos * Adorei as Almas

Saravá as Crianças * Beijada

Saravá Exu * Aruê Exú Saravá Pomba Gira Aruê Exu Pomba Gira


Sabedoria de Pai Onofre


"O que faz o atraído das forças espirituais de Umbanda, os Caboclos, os Pretos Velhos e os Exus, não é a beleza do altar, as oferendas, as tochas (velas) ou os perfumes, mas a dor e a lamúria dos filhos (que vão ao terreiro em busca de auxílio). Quanto maior for o sofrimento, maior é a força da manifestação, pois o nosso principal trabalhado é fazer o aliviado da humanidade."

Eu sou Umbandista…Mas o que é isso?

O que é ser Umbandista?

É não ter vergonha de dizer: “Eu sou Umbandista”. É não ter vergonha de ser identificado como Umbandista. É se dar,acima de tudo a um trabalho espiritual. É saber que um terreiro,um centro, uma casa de Umbanda é um local espiritual e não a Religião de Umbanda em seu todo,mas todos os terreiros,centros e casas de Umbanda,representam a Religião de Umbanda. É saber respeitar para ser respeitado,é saber amar para ser amado,é saber ouvir para ser escutado,é saber dar um pouco de si para receber um pouco de Deus dentro de si. É saber que a Umbanda não faz milagres,quem os faz é Deus e quem os recebe os mereceu. É saber que uma casa de Umbanda não vende nem dá salvação,mas oferece ajuda aos que querem encontrar um caminho. É ter respeito por sua casa, por seu sacerdote e pela Religião de Umbanda como um todo: irmandade. É saber conversar com seu sacerdote e retirar suas dúvidas. É saber que nem sempre estamos preparados. Que são necessários sacrifícios,tempo e dedicação para o sacerdócio. É entrar em um terreiro sem ter hora para sair ou sair do terreiro após o último consulente ser atendido. É mesmo sem fumar e beber dar liberdade aos meus guias para que eles utilizem esses materiais para ajudar ao próximo,confiando que me deixem sempre bem após as sessões. É me dar ao meu Orixá para que ele me possua com sua força e me deixe um pouco dessa força para que eu possa viver meu dia-a-dia numa luta constante em benefício dos que precisam de auxílio espiritual. É sofrer por não negar o que sou e ser o que sou com dignidade,com amor e dedicação. É ser chamado de atrasado,de sujo,de ignorante,conservador,alienígena,louco. E ainda assim,amar minha religião e defendê-la com todo carinho e amor que ela merece. É ser ofendido físico,espiritual e moralmente, mas mesmo assim continuar amando minha Umbanda. É ser chamado de adorador do Diabo,de Satanás,de servo dos Encostos e mesmo assim levantar a cabeça,sorrir e seguir em frente com dignidade.


Como saber se deverei seguir a umbanda ou não?

Seu livre-arbítrio irá dizer se você irá ou não participar de algum culto religioso. Você é quem escolhe, ninguém impõe nada a você. Claro que, quem é espírita (kardecista e umbandista) acreditam em algumas leis: antes de você nascer, ainda no plano espiritual, você escolhe em que família você virá, o seu nome, a sua cor, e até mesmo a religião que você irá seguir. Quando você chega nesse Plano terreno (Planeta Terra) você irá colocar em prática tudo o que disse, tudo mesmo. Sejam estas práticas boas, ou ruins. Se você segue a umbanda, não é porque você acha essa religião linda, somente, mas sim porque você, escolheu la atrás, antes de vir à essa vida.


Reforma íntima

1. Reforma íntima O que está de errado em nós? reforma íntima é a reforma do nosso eu, nosso íntimo.

É a mudança para melhor, é elevar-se na condição humana.

2. É transformar o homem velho, no homem novo; É trocar atitudes erradas por atitudes corretas, erros por acertos; Fazer o melhor que formos capazes, sempre pensando no bem maior; É se perguntar todos os dias, fui o melhor que pude hoje?

3. Lapidar os próprios sentimentos é tarefa árdua; Mormente para o encarnado que não os têm em relativo desenvolvimento, nem tampouco em contínuo exercício; Reforma Íntima sem amor no coração é, no entanto, uma falácia; Aprender a cultivá-la verdadeiramente é um exercício significativo de abnegação e submissão a Deus.

4. O egoísmo, por seu lado, é a raiz de todos os males morais; Fonte de todos os seus desvios e vícios de comportamento; Causa primária das suas tendências negativas de toda ordem porque ele é a negativa do mandamento maior: "AMARÁ A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS E AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO.

5. O processo de reforma íntima é, por certo, demorado e delicado. Necessita de determinação e interesse permanente daquele que o abraça para que alcance bons frutos. O saldo positivo exige exercício de paciência, tolerância, desprendimento, perdão, compreensão e amor nas relações humanas.

6. Religiões – A maior virtude de uma Religião, seria promover o melhoramento individual de cada seguidor, fazendo cada um levantar a sua espada contra seus próprios defeitos.

7. (…) Anote os erros que você tem e já percebe, faça uma lista (“aquele que se julga infalível está bem próximo de cometer uma falha.”). Escolha um desses erros para trabalhar (combater) durante a semana e vá combatendo um a um até que não mais existam e você possa enxergar outros. (proferida por Divaldo Franco em uma de suas palestras mais ou menos nesses termos) Como fazer a reforma íntima ?

8. No Evangelho Segundo o Espiritismo , Santo Agostinho nos dá uma pista, dizendo que o método utilizado por ele era, ao chegar a noite, repassar mentalmente os fatos ocorridos durante o dia e se perguntar se não teria feito mal a alguém, se fez todo o bem que poderia ter feito e assim definir novos padrões de conduta para si. O Exemplo de Santo Agostinho, que era estudioso de Platão e Sócrates, reflete uma frase escrita em uma parede reservada do templo grego de Delfos: “Conhece-te a ti mesmo”.

9. Reforma íntima R iqueza de atitudes boas E studo sobre si e o próprio caráter F erramentas de luz e amor em cada gesto O ração e vigilância constantes R esistência ás tentações M entalização do belo e do que é bom e positivo A mor a si mesmo I ntimidade em resguardo das sombras N ecessária compreensão do que significa o próximo T rabalho de renovação de valores I nteriorização do bem em substituição ao mal M ovimento seguro na direção da luz A mor, agora, ao próximo

10. A base para a reforma íntima é conhecer-se. Quanto mais nos conhecemos, maior é a chance de sucesso; Medite, concentre-se; Leia o Evangelho; Tire alguns minutos de seu dia, para unir-se ao Criador.

PAZ E LUZ!

Fundamentos da Umnbanda

A Umbanda tem como lugar de culto o templo, terreiro ou Centro, que é o local onde os Umbandistas se encontram para realização de suas giras, sessões.

É um termo cujo significado é sessão umbandista, com cânticos, danças, rezas e benzimentos.

As giras internas são fechadas para os que estão se iniciando na religião, desenvolvendo a mediunidade; as giras externas, abertas ao público, destinam-se atendimento dos consulentes e resolução dos mais diferentes problemas. A gira é um ritual mágico utilizado na umbanda para a manifestação dos espíritos através Normalmente, esse guia de luz, que comanda é um Preto-Velho ou Caboclo .

Na umbanda os médiuns que recebem os guias são chamados, aparelhos.

A incorporação é chamada também transe mediúnico.

RITUAL E DISCIPLINA

Todo terreiro de Umbanda possui um ritual e embora estes rituais se modifiquem, é necessário que haja disciplina para realizar uma gira, ou seja,

NORMAS CONHECIDAS POR TODOS

desde o dirigente ao iniciando que acabou de entrar. Este deve ser orientado ao máximo possível: - com a relação a sua postura dentro do terreiro, - bem como suas obrigações e deveres para com seus irmãos - e claro, as normas básicas de respeito, tratamento. - conhecimento correto de quem são nossos mentores espirituais ·

O primeiro é ter respeito por tudo e por todos tem que ser o Dirigente e os filhos mais velhos (pois estes conhecem bem o interior de uma casa) · Aquele que está se iniciando deve ter em seu dirigente um exemplo, uma meta a ser atingida (é claro que nenhum dirigente deve se torna “santo”, nem seus filhos serem forçados a virarem “ovelhinhas”. No terreiro cada um deve ser o que é, sem máscaras,

sempre visando à auto-melhora, o auto conhecimento). A Umbanda nos ensina que cada um é o que é, cada pessoa sabe em seu intimo quais são seus processos de ação e reação, infelizmente quase todos nos escondemos de nós mesmos, por falta de coragem de olharmos no nosso espelho interior, vermos nossos defeitos para podermos dar o primeiro passo para mudança. Para isso contamos com o auxilio fraternal das Entidades de Aruanda e também os conselhos dos Pais de Santé experientes e sinceros.

Mostrar o caminho não significa decretar,

A UMBANDA NÃO AGRIDE AS CONSCIÊNCIAS, NÃO VISA TORNAR NINGUÉM INFELIZ OU VAZIO DE RELIGIOSIDADE.

Por isso é importante o Dirigente observar que se um novo integrante da corrente veio de outra religião e naquele momento de sua vida deseja abraçar a Umbanda, não é de repente que essa pessoa vai esquecer a fé que moveu por dentro durante tanto tempo.

O VERDADEIRO UMBANDISTA RESPEITA TODOS OS CREDOS E SABE QUE A MESMA FÉ QUE O FAZ AMAR SEUS GUIAS E PROTETORES, FAZ UM CATÓLICO AMAR SUA IGREJA, OU UM MUÇULMANO AMAR ALÁ. O médium de verdade deve ter em mente que na Aruanda todos são iguais (se há diferenças na hierarquia é porque os que chefiam, são as que mais trabalham e menos falam...).Isto quer dizer que os médiuns não devem sequer pensar que sua entidade é melhor que do seu irmão, as entidades de Aruanda preferem que seus filhos falem menos e trabalhem mais pelo seu próximo. Umbanda é Paz e Amor! Axé!!


Dicas em Mediunidade Seja o mais discreto possível. Evite comentários pessoais em torno das faculdades de que seja portador. Direta ou indiretamente, não provoque palavras elogiosas a você. Não queira se antecipar à experiência que apenas o tempo lhe conferirá. Confie na ação dos espíritos por seu intermédio, mas submeta tudo ao crivo da razão. Não permaneça na expectativa de bons resultados sem trabalho perseverante. Mesmo quando bem intencionados, acautele-se contra os bajuladores. Vacine-se contra a vaidade, não admitindo qualquer situação que o coloque em evidência. Não se afaste das atividades que, doutrinariamente, muitos consideram insignificantes. Jamais reivindique privilégios. Preocupe-se em dar exemplo de devotamento e amor à Causa. Eleja na prática da Caridade o seu ponto de sintonia contínua com os Planos Mais Altos. Aprenda a ouvir mais do que falar. Tenha sempre uma palavra de otimismo em seus lábios. Não condicione a sua presença na tarefa, fazendo com que a sua opinião prevaleça sobre as demais. Fuja de exercer domínio sobre quem quer que seja. Não ponha palavras suas na boca dos espíritos. Convença-se de que as Trevas possuem mil maneiras para fazê-lo cair. Toda vigilância de sua parte ainda é pouca. Quem aceita o primeiro suborno, começa a se vender por inteiro. Escolha caminhar entre pontos de referência que, realmente, possam lhe dar segurança na jornada. Não se considere completamente imune à fascinação. Em favor de seu equilíbrio mental, não ignore a sua condição de mero instrumento. Estude, mas não para mostrar que sabe e, sim, para que melhor avalie o tamanho de sua ignorância da Verdade. Com a sua condição de médium, não atropele a sua condição de espírita. O médium que mais recebe é aquele que mais doa. Faça, a sós, as preces que você costuma fazer em público. Dignifique o seu lar e a sua família. Não esqueça que ninguém é melhor médium do que pessoa. O alicerce do edifício da mediunidade chama-se caráter. Livro: Ao Médium Principiante

Obrigações e Oferendas na Umbanda Já imaginaram o que seria do mundo se toda pessoa que quisesse algo em sua vida, era só ir fazer uma oferenda a um Orixá, Guia, Santo, Exu ou Pomba-Gira, barganhar e pronto? Ou seja, era só comprar o que o Orixá ou Guia mais gostasse, porque onde eles moram não tem mercado, feira, nem casa de artigos religiosos, e por isso precisam que nós os agrademos com bebidas, comidas, charutos, velas, ou seja, coisas materiais,para poderem satisfazer nossos egos incapacitados e muitas vezes doentio. Pra que fazer vestibular? Pra que estudar muito pra ser um bom profissional? Pra que trabalhar? Pra que ser honesto? Pra quer perdoar? Pra que ter honra e honestidade? Seria legal, através de uma oferenda eu conseguir o homem ou a mulher que eu quero. Não existiram mais doenças. O campeonato de futebol não seria mais resolvido no gramado, mas sim, nas encruzilhadas. Quando eu não gostasse de alguém seria fácil: era só fazer um feitiço e essa pessoa sumiria. Dinheiro então nem se fale; era só levar uma oferenda na Natureza e no outro dia eu ganharia na loteria. Fácil né? É assim então? Se for, não preciso mais me esforçar pra nada nesse mundo, pois, é só fazer uma oferenda ou despacho e está tudo resolvido. Pra que então perdermos tempo atendendo as pessoas num Templo Umbandista, com orientações e evangelização, se nós tivessemos a certeza que basta uma oferenda ou despacho para que o problema daquela pessoa, seja qual for, fosse resolvido. É mais fácil então uma só pessoa atender a todos no Templo, colocando os problemas das pessoas em um buscador da internet; encontrando o despacho ou oferenda condizente, era só tirar uma cópia, dar na mão do consulente e mandar ele se virar pra realizar o ato que tudo estaria resolvido em sua vida. Muitos umbandistas abandonaram a religião, dizendo que cansaram de realizarem oferendas e despachos, e os Orixás nunca os ajudaram; suas vidas continuaram na mesma; nada foi resolvido; alias, piorou; gastaram o pouco que tinham. Resumo temos que ir em busca da "REFORMA INTIMA" agradar É Muito diferente de TROCAR" li, gostei muito

Pra pensar

Muitos irmãos adentram a seara Umbandista em busca de soluções mágicas para a resolução de seus problemas. Procuram “receitas” contra a inveja, mau-olhado, saúde física e financeira, amor, fortuna, etc. E buscam realizar oferendas e mais oferendas em “troca” de auxílio. Trata-se de uma atitude lastimável!. Os Orixás e os espíritos de luz que se manifestam em nossas casas, não são “gênios da lâmpada”. Nâo estão eles obrigados a realizar os desejos e caprichos daqueles que os procuram. Muito pelo contrário, por serem “guias”, possuem como missão a mera orientação acerca do melhor caminho a se seguir e a melhor maneira de se preparar para as “batalhas” da vida. Mas nunca, jamais, irão lutar no lugar deles, pois são eles(encarnados) quem estão em provação neste planeta e não os “guias”. Ajuda-te! Que o céu te ajudará! Podem ter certeza meus irmãos, que aquele que obtém qualquer vantegem de maneira ilícita, burlando as leis e se aproveitando da fé do próximo, mas cedo ou mais tarde, receberá sua recompensa. Pois, tudo o que vem fácil e rápido, vai fácil e rápido! Mas tudo aquilo que é Construido na pedra, de maneira digna e honesta, se tornará uma fortaleza que nem mesmo as tempestades derrubarão! Pensemos nisso!

Certa vez perguntaram a Pai João porque certas pessoas mediuns sofrem tanto?
Ele disse:
- Se todos filhos escutassem atentamente e fizessem tudo que os Guias pedem não ficariam neste  lamento


Ensinamos caminho. Nem todos caminham nele.
Pedimos perdão preferem não perdoar.
Pedimos amor seguem odiando.
Pedimos paz fazem contendas.
Pedimos não se apeguem a bens terrenos perdem saúde para ter.
Pedimos tenham paciência e sofrem com impaciência.
Pedimos prudência e cautela fazem alvoroço.
Pedimos não invejam e amam inveja.
Pedimos não demandem e demandam.
Tudo reflete. Tudo volta. Tudo dado é recebido.

Pai João de Aruanda

Agradecemos sua visita Volte sempre....

Os textos apresentados na sua maioria foram retirados , da internet. Esse é um espaço onde colocamos diversos pensamentos e o nosso principal objetivo é a divulgação da nossa Umbanda. Quando algum texto for de autoria do Centro Pai João de angola, o responsável será indicado; da mesma forma que fazemos com outros autores que não têm vínculos com a nossa casa... Comunicado Importante: Este é um Site totalmente gratuito, sem fim comercial ou lucrativo. Algumas imagens e informações provêm de outros sites na internet. Caso você seja o detentor do Copyright de qualquer uma delas, e deseje que ela seja retirada, por favor, é só nos mandar uma mensagem citando o nome e a localização para sua remoção imediata. Não temos o objetivo de nos apropriar de informações alheias tomando-as como nossa, pelo contrário, sempre que possível, colocaremos o nome do autor abaixo do título para deixar bem claro que a intenção é de divulgar a Umbanda através de textos bem elaborados e esclarecedores. Saiba que o Centro Pai João de Angola está isento de qualquer responsabilidade.



Umbanda Quem tu és.
—Sou religião, filosofia, arte e ciência. —Entendo querida amiga que nos guia, sabemos disso! Mas, podes, por favor, ser mais direta em cada um de seus setores? —Sim, amigo e amado filho! Eu como religião sou ainda mal compreendida por muitos que não me tem como modelo de evolução espiritual, por um simples detalhe: Sou para os simples do coração e humildes da alma; não tenho dogmas e nem preconceitos não julgo e não estagno a ninguém no conhecer a si mesmo e aos seus semelhantes sempre com respeito e amor. Porem, infelizmente muitos não procuram estudar sobre mim e meus princípios do espirito para o amor puro e a caridade, só me julgam e me atacam me chamando de baixo espiritismo e ainda por falta de caridade e humildade taxam as entidades que trabalham nas minhas linhas vibratórias como ignorantes e atrasados; tudo bem! O amor é calmo, paciencioso e tolerante por isso é luminoso só faz bem e traz paz. Isso que acabei de relatar é sobre os queridos filhos que tem fé ou cultuam outras diretrizes de evolução nas coisas do espírito e de Deus perante a espiritualização da humanidade. Existem filhos meus, que dizem me cultuar e me amar, porem muitas das vezes não é bem assim que ocorre. São filhos até bem prestativos e trabalhadores, mais que adianta me cultuar se não cultuam o minimo de amar Crístico e universal dentro dos seus corações ?! Há meu filho! Eles, estes filhos de fé, ficam brigando por quem tem mais poder sobre mim, sobre minha doutrina milenar e meus princípios nas coisas do espírito, isso quando não desfazendo-se das formas,modos e maneiras litúrgicas e ritualísticas uns dos outros; isso no estagna os mesmos na evolução no amar a si mesmo e aos seus semelhantes de forma respeitosa e cumpliciosamente. Ficam pregando falsos preceitos ou alimentando muito ainda, preconceitos e duvidas de como trabalhar comigo fortificam pelo ego e os apegos possessivos e ilusórios o poder sobre mim, e as entidades que evoluem através da minha simplicidade de ser apenas! Deste modo se limitam e demarcam os limites de como se deve ou não deve se trabalhar com as minhas forças natas, ou se pode ou não se pode trabalhar com alguns espíritos na prática do bem ou da caridade. Há filhos meus, sou liberta e venho para libertar! Sou pela humanidade e dos simples de coração ! Não dificultem o meu modo de ser que é claro e transparente, por isso, que venham a mim todos que realmente queiram trabalhar para o bem sem ver a quem, sem distinção ou preconceitos sobre o nome que carregam e muito menos meus filhos vocês deem mais valor aos rótulos que usam de que as sua mensagens e legitima essência espiritual . Lembrem meus amados que a cada um sera dado conforme as suas obras e através destas obras, o que guarda ou traz no seu coração de bem ou amor incondicional e o que se faz em diferença sempre em vossas vidas em evolução em rumo a paz de espirito. Ainda sobre eu mesma como religião tenho uma coisa a falar: Sou criança, sou pura, não me sujem com arrogância, não me poluam com ódio e não mais me limitem com preconceitos ou comodismos no saber e no sentir a essência das coisas que os rodeiam, seja nas coisas comuns a matéria ou as do plano espiritual. A ignorâncias de coisas básicas do senso de viver e do consenso do conviver só me limitará como prática de caridade e de trabalho redentor e condutor do amor e de amar. Tenho muitas mais colocações a fazer sobre mim mesma como religião, mas, vou ter que me pautar por que sei que no fundo dos vossos corações me entendem e sabem como sou, por isso não mais pratiquem à mim Umbanda, com egoísmo, arrogância, intolerância ou preconceito descabido; apenas doem amor e verá que como religião não salvo a ninguém só tento libertar os que já são salvos e ainda não sabem ou nem se sentem assim, por causa das presilhas da indiferença e dos vícios das falsas aparências que o ego embrutecido se faz transparecer. Meus queridos filhos de fé, libertem-se dos grilhões dos defeitos e do mal, se religando homem a homem com a luz divina amando a Deus sobre todas as coisas. Como filosofia venho trazer as coisas do bem ouvir, pensar, sentir e criar, dentro sempre do equilíbrio e harmonia da fonte da vida o amor e da força que a rege a lei de sintonia. Lembrando que o homem, seja qual for, tem sim um mental poderoso e muito forte porem, entendemos que pensamento forte sem disciplina pela sensibilidade não basta para evoluir nas coisas do bem e do amar como também, até para praticar a caridade por isso tento relembrá-los que a mente tem força e poder, mas quem dá disciplina sempre aos pensamentos é o coração sensível a fonte que proporciona a paz de espirito o afeto! Por isso meus filhos poderia ser mais minuciosa nas coisas da filosofia, porém o que tenho para dividir com vocês é a base de muitas coisas em mim Umbanda: Pensamentos fortes so valorizando o sentido é matéria inerte, porem pesamentos sendo disciplinado pelo sentir dando o sentido das coisas pelo coração é matéria que transforma e faz. Como arte tenho o dever de mostrar o quanto somos deuses. Criamos sentimentos uns nos outros, através dos ritos ou sessões e trabalhos de caridade. Sim meus queridos filhos de fé a arte de conviver bem e em paz, ajuda ao seu semelhante a redescobrir ou relembrar sentimentos de paz no seu mais intimo que talvez se encontra encobertado pelo medo e culpa. O amor, compaixão, ternura, carinho e muitos outros sentimentos sendo exteriorizados apenas no ato da arte de sermos nos todos instrumentos de Deus para o bem comum. Fazer esculturas ou telas, poesias ou a arte temporal é muito bom! Faz bem ao espírito, porem pensem, a arte de instigar em outro ser humano o crer e o ter fé sadia por si mesmo, pela sua reforma intima labutante em instigar o nutrir natural de maior estado de amor proprio, isso meus amados é atemporal por que depois que o espírito relembra ou redescobre estes sentimentos, seu próprio espírito que é imortal e infinito em evoluir aprimorará mais e mais a dádiva de sentir o afeto e assim por diante criar a arte sublime de amar a si e a o outro por igual sem fazer diferenças e impor situações. Como ciência venho trazer um misto de várias formas de harmonia com o auxilio das forças da mãe natureza, através de várias técnicas, trabalhos ou ritos, como vocês filhos amados tem o costume de denominar de forma mais holística, no trato com as energias que labutam em vocês e também na mãe natureza. Sou sincera terei que confessar aos meus filhos que trabalham comigo, que enquanto o homem não der o verdadeiro valor às forças magistrais que labutam dentro de seu intimo como energia purificadora e reequilibradora que cura e transforma, vai ainda precisar das forças, não menos magistrais e dos recursos da mãe natureza, que estão em volta de vocês. Mas, não esqueçam! Tudo que está fora de vocês, também está dentro, refiro-me aos elementos e energias naturais do macro cosmo; porem nada é melhor que o amor em pensar, ouvir, agir e e criar, para a sua vida unitariamente e dos que amamos ante o convívio coletivo . Com isso tudo que expus a vocês meus amados filhos, venho trazer em palavras um pouquinho de mim para todos vocês que com certeza já estão em mim, no amor de uma forma crística de amar incondicional e universal. Tenho várias formas de ser vista e cultuada por vocês meus filhos! Porém a mais correta sempre será a doada com amor. Que deus de amor e paz lhes abençoe sempre!



Na Umbanda os Pretos velhos são homenageados no dia 13 de maio, data que foi assinada a Lei Áurea, a abolição da escravatura no Brasil. Pretos velhos ou Pretos-velhos são entidades de umbanda, espíritos que se apresentam em corpo fluídico de velhos africanos que viveram nas senzalas e que adoram contar as histórias do tempo do cativeiro. Sábios, ternos e pacientes, dão o amor, a fé e a esperança aos "seus filhos". O preto velho, na umbanda, está associado aos ancestrais africanos, assim como o caboclo está associado aos índios e o baiano aos imigrantes nordestinos. São entidades que tiveram pela sua idade avançada, o poder e o segredo da sabedoria, apesar da rudeza do cativeiro demonstram fé para suportar as amarguras da vida, consequentemente são espíritos guias de elevada sabedoria, trazendo esperança e quietude aos anseios da consulência que os procuram para amenizar suas dores, ligados a vibração de Omolu, são mandingueiros poderosos, com seu olhar prescrutador sentado em seu banquinho, fumando seu cachimbo, benzendo com seu ramo de arruda, rezando com seu terço e aspergindo sua água fluidificada, demandam contra o baixo astral e suas baforadas são para limpeza e harmonização das vibrações de seus médiuns e de consulentes. A característica desta linha, devido a elevação espiritual de tais entidades, é o conselho e a orientação aos consulentes, são como psicólogos, receitam auxílios, remédios e tratamentos caseiros para os males do corpo e da alma. Os pretos velhos se apresentam com nomes que individualizam sua atuação, do Congo ou de Angola, evidenciando sua atuação propriamente dita e procedência. Em sua linha de atuação eles apresentam-se pelos seguintes codinomes, conforme acontecia na época da escravidão, onde os negros eram nominados de acordo com a região de onde vieram: Congo (Pai Francisco do Congo) – refere-se a pretos velhos ativos na linha de Iansã; Aruanda (Pai Francisco de Aruanda) – refere-se a pretos velhos ativos na linha de Oxalá. (OBS: Aruanda quer dizer céu); D´Angola (Pai Francisco D´Angola) – refere-se a pretos velhos ativos na linha de Ogum; Matas (Pai Francisco das Matas) – refere-se a pretos velhos ativos na linha de Oxóssi; Calunga, Cemitério ou das Almas (Pai Francisco da Calunga, Pai Francisco do Cemitério ou Pai Francisco das Almas) – refere-se a pretos velhos ativos na linha de Omolu/ Obaluaê; Entre diversas outras nominações tais como: Guiné, Moçambique, da Serra, da Bahia, etc… Muitos Pretos velhos podem apresentar-se como Tio, Tia, Pai, Mãe, Vó ou Vô, porém todos são Pretos velhos. ADOREI AS ALMAS!!! SALVE OS PRETOS VELHOS DE UMBANDA!!!



Linha dos Caboclos
A linha é composta por espíritos de índios ou mestiços, que viveram antes e depois do descobrimento do Brasil. Em sua grande maioria, são trabalhadores na vibração de Oxossi, considerado entre eles como o Senhor das matas e de todos os Caboclos, embora isso não seja uma regra, já que os Caboclos trabalham em todas as linhas da Umbanda. Os Caboclos forneceram à Umbanda as bases de seus rituais, transmitindo uma enorme energia e uma grande força a todos os seguidores da Umbanda. Não existe médium ou frequentador de um templo que não dispense a eles um respeito sem igual. No desenvolvimento de nossos trabalhos, ajudam aos nossos médiuns no desenvolvimento da mediunidade, nas desobsessões, na descarga espiritual de médiuns e seguidores, na aplicação de passes, nos conselhos e orientações de toda espécie, na cura de doenças através das ervas das quais são grandes conhecedores e uma infinidade de outras atribuições. São autoritários e enérgicos e tremendamente positivos no trato com as pessoas. Raramente admitem brincadeiras ou o desacato aos templos e às coisas Santas, são muito sérios em tudo que fazem, pregam e ensinam. O seguidor umbandista normalmente coloca a imagem do caboclo em semelhança com a de nosso pai material, ou seja, aquele homem que protege sua família em todos os aspectos, alguém de braço muito forte. Muitos julgam os Caboclos da Umbanda como espíritos atrasados, devido à sua condição social quando em vida. Infelizes, desconhecem que não temos uma única existência. Desconhecem que o fato de uma entidade apresentar-se hoje como um índio ou um mestiço, o que não indica que em existências anteriores não foram médicos, padres, cientistas, juizes, filósofos, generais, magos brancos, etc. Os vaidosos e orgulhosos que julgam errôneo tudo o mais que deles ou de suas religiões não tenha origem é que pregam e ensinam essas besteiras. Dos Caboclos e Caboclas da Umbanda emana a energia vibratória que garante aos seguidores de nosso culto a segurança necessária para tudo o que fazem. Sem desmerecer as demais linhas de trabalhadores da Umbanda, a figura autoritária do Caboclo, representa o mastro da bandeira branca da paz de Oxalá. São como se fossem a viga que sustenta em pé um templo de Umbanda. Eles representam a união, a força, a fé, a seriedade, a proteção contra qualquer inimigo, o amor do pai e a amizade do irmão. "Sempre confie neles!".



Boiadeiros da Umbanda Os Boiadeiros são tidos na Umbanda como Espíritos de vaqueiros, trabalhadores rurais, filhos geralmente de brancos e índios (mestiços), que formavam a grande massa da população brasileira. Alcançaram a condição de Guias Espirituais graças as suas vastas experiências de vida. Trabalham nos Terreiros nas funções de guardiões contra as demandas e interferência de Quiumbas (Espíritos trevosos), os quais tratam com alto rigor e austeridade. O mesmo comportamento não se nota quando nas suas incorporações ao lidar com os filhos de fé; em relação a estes, procuram sempre trazer muita alegria e descontração, e, desta forma, fazem seu trabalho de descarga e limpeza material e espiritual. É uma linha poderosa e muito numerosa no panteão umbandista. Atuam nas Sete Linhas da Umbanda na defesa dos axés e fundamentos das Casas de Santo. As Giras feitas em louvor a estas entidades têm uma alegria e vigor, típicos da energia que trazem para os Terreiros. Gostam de dançar, beber e fumar charutos ou cigarros de palha. Não há dúvidas de que tudo isto é a exteriorização cultural de um mundo alegre e farto, seja material ou espiritual. Esta alegria presente nas danças e pontos cantados e nas suas oferendas, são a demonstração de uma segurança na fartura espiritual do mundo do qual procedem. O símbolo dos Boiadeiros é o laço e o chicote. Quando incorporados gostam de usar chapéu de vaqueiro e gibão, caracterizando desta forma a espontaneidade dos homens simples do sertão. Sua saudação é Jetuá! Oferendas: MOCOTÓ DE BOIADEIRO Ingredientes: 1 mocotó cortado, 8 dentes de alho socados, 2 cebolas picadas,pimenta malagueta à gosto, sal, 4 folhas grandes de louro, 2 colheres de sopa de azeite de oliva , 1 colher de sopa de azeite de dendê, 4 colheres de sopa 1 pimentão pequeno picado, 4 tomates grandes sem casca e semente, picados, salsinha à gosto. Modo de preparar: Escalde o mocotó com água, sal e folhas de louro; reserve 2 conchas do escalde, o restante da água jogue fora. Doure um pouco o alho, acrescente o mocotó e o restante dos temperos. Acrescente as 2 conchas do escalde e mais água para o cozimento. Deixe cozinhar por 1 hora. Sirva em alguidar com farofa. FAROFA DE BOIADEIRO Ingredientes: 1 quilo de farinha, 1 molhe de couve picada à mineira, ½ quilo de toucinho de fumeiro salgado( deixar de molho por 12 horas para retirar o excesso de sal) ou bacon, 3 dentes de alho e 1 cebola picada. Modo de preparar: Pique o toucinho e coloque-o para fritar até liberar bastante gordura. Frite o alho e a cebola. Acrescente a farinha e por último a couve. Sirva com meladinha (cachaça com mel), vinho ou a bebida preferida do seu Boiadeiro. Esta oferenda pode ser entregue num a porteira, do lado direito de quem entra. Ou embaixo de uma árvore.



BAIANOS
De um modo geral, os baianos são tidos como pessoas alegres e teimosas em afirmar sua identidade cultural. Os baianos da Umbanda, entretanto, pouco presentes na literatura científica, são guias que mesclam características da direita e da esquerda, nas giras ele se apresenta com forte traço regionalista, principalmente em seu modo de falar cantado, diferente, eles são “do tipo que não levam desaforo pra casa”, possuem uma capacidade de ouvir e aconselhar, conversando bastante, falando baixo e mansamente, são carinhosos e passam segurança ao consulente que tem fé. Os baianos, trabalhadores da Umbanda, pertencem à chamada Linha das Almas, a mesma dos Pretos Velhos. É uma linha que traz uma mensagem de conforto, por estar mais próxima do nosso tempo. São os Espíritos responsáveis pela “esperteza” do homem em sua jornada terrena. No desenvolvimento de suas giras, os baianos trazem como mensagem a forma e o saber lidar com as adversidades de nosso dia-a-dia, com a alegria, a flexibilidade, a magia e a brincadeira sadia. A Umbanda caracterizou-se por cultuar figuras nacionais associadas à natureza, à marginalidade, à condição subalterna em relação ao padrão branco ocidental. O nordestino é o “subalterno” da metrópole, o tipo social “inferior” e “atrasado”, e por isso é ridicularizado, mas também de admiração, pois igualmente representa aquele que resiste firmemente diante das adversidades. O Baiano representa a força do fragilizado, o que sofreu e aprendeu na "escola da vida" e, portanto, pode ajudar as pessoas. O reconhecido caráter de bravura e irreverência do nordestino migrante parece ser responsável pelo fato de os baianos terem se tornado uma entidade de grande freqüência e importância nas giras paulistas e de todo o país, nos últimos anos. Muitos dos baianos são descendentes de escravos que trabalharam no canavial e no engenho. Os baianos têm um conhecimento muito grande das ervas e do axé. Falam com sotaque arrastado, igual ao povo que ainda mora na Bahia. A Linha dos Baianos é formada por Espíritos alegres, brincalhões e descontraídos. Gostam muito de desmanchar demandas. São conselheiros e orientadores e gostam muito dos rituais em que trabalham, girando e dançando com passos próprios. A gira de Baianos nada mais é do que a alegria de um povo que foi e é sofrido, mas que não perde a esperança por possuir uma fé inabalável e uma experiência em lidar com problemas que fazem os nossos parecerem brincadeira. Agradecem às festas que lhe são oferecidas; bebem batidas de coco e comem comidas típicas da cozinha baiana. O Povo Baiano vem trazer sua energia positiva, portanto sua gira é sempre muito animada. São Entidades que têm muito a nos ensinar, sempre com uma resposta certeira e rápida para nossas questões. Com seus cocos, azeite de dendê, comidas e cantigas típicas da região, realizam trabalhos em prol da evolução espiritual de todos. Por terem vivido em épocas mais recentes, são Espíritos mais próximos de nós. Estamos sempre aprendendo com os Baianos, com a sua força de viver frente aos problemas e situações cotidianas e o amparo ao próximo, transformando a tristeza em alegria e esperança. Na Linha de Baianos, enquadram-se também os Espíritos de Marinheiros, que tem sua ligação com o mar e Iemanjá, e os Caboclos Boiadeiros, que foram trabalhadores do Sertão Nordestino. As Linhas de Baianos, assim como as de Boiadeiros, são consideradas Auxiliares, de Trabalho ou Do Meio, com suas Legiões e Falanges. São oriundas de manifestações de regiões brasileiras dentro da Linha de Caboclos. Durante as giras sempre dão demonstrações de intensa alegria, apresentando fortes traços regionais, usando chapéus de couro ou palha, lembrando os Cangaceiros. Com seu jeito valente, não levam desaforo para casa. Por outro lado, possuem também características de pacientes, e todos gostam de ouvir seus conselhos. Costumam ser também carinhosos, e passam sempre segurança. É comum presenciarmos estas magníficas entidades desviarem assuntos relacionados a trabalho, dinheiro, ou qualquer outro problema para perguntar sobre as coisas do coração. Impressiona como normalmente estes problemas existiam e era o que realmente estava atrapalhando. Sanado estes problemas de relacionamento, os demais acabam como que por mágica. Dependendo da forma de trabalho do chefe da casa e de seus médiuns, diferenças de comportamento podem ser observadas, em alguns lugares, os baianos se apresentam com características mais duras, em que parecem ser mais briguentos e falam muito alto, em outros, sua incorporação é mais mansa e a Entidade manipula essências aromáticas, ervas, flores e velas coloridas. Apesar das diferenças, todos têm em comum a popularidade. São muito queridos e fazem sucesso em realidades sociais distintas. Desprendida, sem complicações, um alto astral e uma vontade imensa de resolver as "coisas do coração", verdadeiro obstáculo do ser humano. Porque é nas coisas do coração que se encontram as soluções para todos os outros problemas. Os Baianos apresentam um comportamento comedido, não xingam, nem provocam ninguém, não sendo enfim zombeteiros. Os trabalhos com a corrente dos Baianos, nos trás muita paz, nos passando perseverança, para vencermos as dificuldades de nossa jornada terrena. Como encarar a vida e seus problemas com entusiasmo e alegria? Pergunte a uma Entidade da Gira de Baianos. Sem a menor dúvida, a gira mais festiva e alegre da Umbanda. Os trabalhos com a corrente dos Baianos trazem muita paz, passando perseverança, para vencermos as dificuldades de nossa jornada terrena. A Entidade pode vir na linha de Baianos e não ser necessariamente da Bahia, da mesma forma que na linha das crianças nem todas as entidades são realmente crianças. Os Baianos são das mais humanas entidades dentro do terreiro, por falar e sentir a maioria dos sentimentos dos seus consulentes. Talvez por sua forma fervorosa de se apresentar em seus trabalhados no terreiro, aparentem ser uma das entidades, mais fortes ou dotadas de grande energia (e na verdade são), mas na umbanda não existe o mais forte ou fraco são todos iguais, só a forma do trabalho é que muda. Adoram trabalhar com outras entidades como Erês, Caboclos, Marinheiros, Exus, etc. É grande admiradores da disciplina e organização dos trabalhos. São consoladores por natureza e adoram dar a disciplina de forma brusca e direta diferente de qualquer entidade. Características dos Baianos Comidas: Coco, cocada, farofa com carne seca. Bebem: Água de coco, cachaça, batida de coco. Fumam: Cigarro de palha. Trabalham: Desmanchando trabalhos de magia negra, dando passes, etc,. São portadores de fortes orações e rezas. Alguns trabalham benzendo com água e dendê. Cor: laranja ou qual for definida pela entidade Nomes De Alguns Baianos: Severino, Zé Do Coco, Sete Ponteiros, Zé Baiano, Zé Do Berimbau, Maria Do Alto Do Morro, Zé Do Trilho Verde, Maria Bonita, Gentilero, Maria Do Balaio, Maria Baiana, Maria Dos Remédios, Zé Do Prado, Chiquinho Cangaceiro, Zé Pelintra (que trabalham também na linha de Malandros).



São espíritos que já estiveram encarnados na terra e que optaram por continuar sua evolução espiritual através da prática de caridade, incorporando em médiuns da Umbanda. Na sua maioria, foram espíritos que desencarnaram com pouca idade (terrena), por isso trazem características de sua última encarnação, como o trejeito e a fala de criança, o gosto por brinquedos e doces. Assim como todos os servidores dos Orixás, elas também tem funções bem específicas, e a principal delas é a de mensageiro dos Orixás. As Crianças da Umbanda tem os nomes relacionados normalmente a nomes comums tais como: Joaninha, Cosme, Mariazinha, Zezinho, Damião, Pedrinho, Doum, Tupiaçuzinho, Crispim, Luluzinha, Chiquinho, Crispiniano, Aninha, Juquinha. Com Criança tudo pode acontecer. Quando incorporadas num médium, gostam de brincar, correr e fazer brincadeiras (arte) como qualquer criança. É necessária muita concentração do médium (consciente), para não deixar que estas brincadeiras atrapalhem na mensagem a ser transmitida. Os “meninos” são em sua maioria mais bagunceiros, enquanto que as “meninas” são mais quietas e calminhas. Alguns deles incorporam pulando e gritando, outros descem chorando, outros estão sempre com fome, etc… A Falange das Crianças é uma das poucas falanges que consegue dominar a magia. Embora as crianças brinquem, dancem e cantem, exigem respeito para o seu trabalho, pois atrás dessa vibração infantil, se escondem espíritos de extraordinários conhecimentos. Imaginem uma criança com menos de sete anos possuir a experiência e a vivência de um homem velho. A entidade conhecida na umbanda por “Erê “ é assim. Faz tipo de criança, pedindo como material de trabalho chupetas, bonecas, bolinhas de gude, doces, balas e o refrigerante ( a famosa água de bolinhas ) e trata a todos por Tio e Vô. Os Erês são, via de regra, responsáveis pela limpeza espiritual do terreiro. Segundo a lenda africana, os Orixás-Crianças são filhos de Iemanjá, a rainha das águas e de Oxalá, o pai de toda a Criação. São a alegria que contagia a Umbanda; são a pureza, a inocência e, por isso mesmo, os detentores da verdadeira magia, extremamente respeitados pelos Caboclos e pelos Pretos-Velhos. Uma característica marcante na Umbanda em relação às representações de São Cosme e São Damião é que junto aos dois santos católicos aparece uma criancinha vestida igual a eles. Essa criança é chamada de Doúm ou Idowu, que personifica as crianças com idade de até sete (7) anos, sendo ele o protetor das crianças nessa faixa de idade.


Uma lenda nos conta que vários judeus piedosos rezavam numa sinagoga, quando – durante a oração – começaram a escutar uma voz de criança dizendo: “A,B,C,D”. Tentaram se concentrar nos versos sagrados, mas a voz repetia: “A,B,C,D”. Aos poucos, foram parando de rezar.

Quando olharam para trás, viram um menino que continuava dizendo: “A,B,C,D”. O rabino aproximou-se do garoto: “Por que você está fazendo isto?”, perguntou. “Porque não sei os versos sagrados”, respondeu o menino.

“Então, tenho a esperança que, recitando o alfabeto, Deus pegue estas letras e forme as palavras corretas”.

“Obrigado por esta lição”, disse o rabino para o garoto.

“Obrigado por me lembrar que Deus escuta o que vem de nosso coração, e não as palavras que saem de nossa boca”.




Oração a Zé Pilintra. PRECE A ZÉ PILINTRA ” Salve Deus, Pai Criador de todo o Universo, Salve Oxalá, força divina do amor, exemplo vivo de abnegação e carinho. Bendito seja o Senhor do Bonfim. Bendita seja a Imaculada Conceição. Salve Zé Pilintra, mensageiro de luz, guia e protetor de todos aqueles que em nome de Jesus praticam a caridade. Dai-nos Zé Pilintra, o sentimento suave que se chama misericórdia. Dai-nos o bom conselho. Dai-nos a proteção quando pederdes. Dai-nos o apoio, a instrução espiritual de que necessitamos para darmos aos nossos inimigos o amor e a misericórdia, que lhe devemos por amor de Nosso Senhor Jesus Cristo, para que todos os homens sejam felizes na terra e possam viver sem amarguras, sem lágrimas e sem ódios. Tomai-nos, Zé Pilintra, sob a vossa proteção; desviai de nós os espíritos atrasados e obsessores, enviados pelos nossos inimigos encarnados e desencarnados e pelo poder das trevas. Iluminai nosso espírito, nossa alma, nossa alma, nossa inteligência e o coração, abrasando-nos nas chamas do vosso amor por nosso Pai Oxalá. Valei-me, Zé Pilintra, nesta necessidade, concendendo-me a raça de vosso auxílio junto a Nosso Senhor Jesus Cristo, em favor deste pedido que faço agora (faz-se o pedido). E que Deus, nosso Senhor, em sua infinta misericórdia vos cubra de bênçãos e aumente a vossa luz e vossa força, para que mais possas espalhar sobre a Terra a caridade e o amor de Nosso Senhor Jesus Cristo”. ORAÇÃO SENHOR ZÉ PILINTRA Senhor Zé Pilintra, mensageiro de luz da nossa Santa Umbanda e de seus Orixás. Permitido por Deus, fazes parte daqueles que têm por missão proteger e defender as criações divinas e suas vibrações. Permiti, Senhor Zé Pilintra, que com vossos conhecimentos, possa eu ter meus caminhos abertos, meu corpo fechado e meu espírito defendido de todas as más vibrações. Conto com vossa proteção e ajuda, afim de não cair nas tentações e armadilhas do mundo terreno. CREIO NA SAGRADA UMBANDA CREIO NOS PODERES DE DEUS CREIO NA MAGIA DOS EXUS SARAVÁ UMBANDA SARAVÁ ESTRADA SARAVÁ SENHOR ZÉ PILINTRA EXU DE LEI QUE ME GUARDA





Oferendas a Pretos Velhos Arroz Doce Ingredientes: 2 xícaras (de chá) de arroz 1 litro de leite 2 xícaras (de chá) de açucar refinado 1 quartinha de barro (pode ser uma caneca de ágata) 1 garrafa de vinho tinto seco 1 alguidar de barro (pode ser uma tigela de ágata) Modo de Preparo: Cozinhe o arroz, já lavado, em 1 litro de leite com o açúcar por aproximadamente uma hora, mexendo de vez em quando até o leite estar quase seco e grosso. Coloque no alguidar e espere esfriar. Bolo de Fubá Ingredientes: 1 xícara (de chá) de fubá 1 xícara (de chá) de farinha de trigo 1 xícara (de chá) de açúcar 1 xícara (de chá) de leite 4 colheres (de sopa) de banha ou manteiga 1 ½ (uma e meia) colher (de sopa) de pó Royal ½ (meia) colher (de chá) de sal 1 colher (de sopa) de erva-doce 2 ovos 1 prato de barro Café já coado e sem açúcar 1 caneca de ágata Modo de Preparo: Em um recipiente separado, misture o fubá, o açúcar, a farinha de trigo, a erva-doce e o sal. Em outro recipiente, misture os ovos ligeiramente batidos, o leite e agordura derretida. Acrescente, aos poucos, os ingredientes líquidos aos secos, misturando bem até obter uma massa homogênea. Despeje em uma forma redonda untada com banha ou manteiga. Asse em forno quente por 40 minutos. Desenforme depois de frio e coloque no prato de barro. Farofa de Carne Seca Eventualmente, com a aprovação da entidade, pode-se fazer uma oferenda mais quente aos Pretos Velhos. Eu mesmo já ví várias vezes no Santuário da Umbanda, feijoada ofertada aos Pretos Velhos. Nós da casa de Pai Joaquim, gostamos de oferecer esta farofa de carne seca: Ingredientes: ½ (meio) quilo de carne seca Azeite de dendê 1 cebola grande, picada farinha de mandioca crua 7 pimentas vermelhas picadas 1 alguidar 1 garrafa de vinho tinto seco 1 quartinha de barro (pode ser uma caneca de ágata) Modo de Preparo: Deixe a carne seca de molho por uma noite (troque a água 3 vezes). Troque novamente a água e afervente-a por 15 minutos em panela de pressão. Deixe esfriar e desfie a carne. Numa panela de tamanho médio, aqueça o azeite-de-dendê, doure a cebola e as pimentas picadas. Acrescente a carne seca e refogue até dourar. Vá acrescentando a farinha mexendo sempre até adquirir a consistência desejada. Retire do fogo, coloque no alguidar e espere esfriar.



DEFUMAÇÃO DE DESCARREGO

– Serve para afastar seres do baixo astral, e dissipar larvas astrais que impregnam qualquer ambiente, tornando-o carregado e ocasionando perturbações nas pessoas que neles se encontram. Ervas utilizadas:

ALECRIM DO CAMPO: Defesa dos males, tira inveja e olho gordo, protege de magias. ARRUDA: Descarrego e defesa dos males, proteção e remove o efeito de feitiços. BELADONA: Limpeza de ambientes BENJOIM RESINA e CANELA: Limpa o ambiente e destrói larvas astrais. CARDO SANTO: Defesa, quebra olho gordo CIPÓ CABOCLO: Elimina todas as larvas astrais do ambiente FOLHA DE BAMBU: Afasta vampiros astrais GUINÉ: Atua como um poderoso escudo mágico contra malefícios. INCENSO: Tanto a erva como a resina (pedra) são bons para limpeza em geral. MIRRA: Descarrego forte, afasta maus espíritos PALHA DE ALHO: Afasta más vibrações Modo de usar: Varra a casa ou local a ser defumado, acenda uma vela para seu anjo de guarda, depois acenda um braseiro e coloque dentro do mesmo três tipos diferentes de ervas. Defume de dentro para fora, mantendo o pensamento firme de que está limpando sua casa, sua família e seu corpo. DEFUMAÇÃO LUSTRAL: Além de afastar alguns remanescendes astrais que por ventura tenham se mantido após a defumação de descarrego, esta defumação atrai para o ambiente correntes positivas das entidades, que se encarregarão de abrir seus caminhos. Ervas usadas: ABRE CAMINHO: Abre o caminho atraindo bons fluidos dando força e liderança. ALFAZEMA: Atrativo feminino, deixa o lar mais suave, limpa, purifica e traz o entendimento ANIS ESTRELADO: Atrativo. Chama dinheiro COLÔNIA: Atrai fluidos benéficos CRAVO DA ÍNDIA: Atrativo e chama dinheiro e dá força á defumação. EUCALIPTO: Atrai a corrente de Oxossi LEVANTE: Abre os caminhos do ambiente LOURO: Abre caminho, chama dinheiro, prosperidade e dá energia ao ambiente MADRESSILVA: Desenvolve a intuição e a criatividade, favorece também a prosperidade. MANJERICÃO: Chama dinheiro ROSA BRANCA: Paz e harmonia SÂNDALO: Atrativo do sexo oposto e também ajuda a conectar com a essência Divina Modo de usar: Esta defumação deve ser feita da porta da rua para dentro do ambiente. Na limpeza, evite escolher ervas com funções diferentes, por exemplo: Levante, Louro e cardo santo, pois duas estão abrindo o caminho, e a terceira (cardo santo) é para limpeza. Isso pode não combinar, por isso primeiro defume a casa fazendo somente a limpeza, de dentro para fora, depois use as ervas para atrair coisas boas (de fora para dentro). Quando for fazer defumação de café e açúcar, não faça com os 2 juntos; Primeiro defume de dentro para fora com café, jogue as brasas e os resíduos bem longe, depois defume de fora para dentro com açúcar. Quando for usar Incenso, Mirra e Benjoim, pode-se usar uma quarta erva para limpeza. Muitas pessoas não podem defumar a casa porque o marido, mulher ou vizinhos não gostam de defumação. Então, para uma defumação mais simples e funcional, faça-a com incensos, seguindo a orientação abaixo: Limpeza: Olibano, elemi,copal,cravo da índia, junipero, louro cedro, lavanda alecrim, salvia branca, sangue de dragão, sweetgrass. Coragem: Elemi, sangue de dragão, balsamo do peru, olibano, palusanto, louro, lavanda, cedro, pinho, junipero, salvia branca, tomilho. Criatividade: Anis estrelado, copal, cravo da índia, mastic, elemi, breuzinho, olibano, capim limão, junipero. Relaxar: Lavanda, sândalo, vetiver, sandarac, nardo. Meditação & oração: Sândalo, mirra, olibano, mastic, copal, nardo, Ladano, sangue de dragão, damar, aloes madeira. Sono: Sândalo, nardo, galbano, mirra, salvia branca, lavanda. Sonhos: Aloés madeira, mastic, louro, lavanda. Amor: Sândalo, aloés copal, bejoin, mirra, vetiver, cássia, nardo, rosa patchuli.


Clique na imagem abaixo:

E veja as oferendas a mamãe Oxum.

Bom dia, Boa tarde, boa noite.

Bom fim de semana.

Te desejo uma boa semana

Um abraço fraterno.

Beto de Ogum